Casa dos Contos Eróticos

Enfermeira fodida por 3

Autor: lourinha
Categoria: Grupal
Data: 18/07/2011 19:45:23
Nota 9.11
Ler comentários (9) | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

Chamo-me Isabel, sou enfermeira num grande hospital de Lisboa e vou contar o que me aconteceu, fruto da canalhice de pessoas em que eu depositava confiança. Tenho 41 anos, sou casada e mãe , de estatura média, cabelo louro e um corpo de seios cheios ( 38 copa c) e rabo firme, que sempre atraíram olhares lascivos e algumas propostas de médicos e colegas, que sempre ignorei, mantendo-me fiel ao meu marido.

Após um jantar de aniversário do meu serviço o pessoal começou a dispersar, foi quando 2 médicos e o meu chefe me convidaram a ir com eles a um bar em Sintra, de inicio recusei, mas como começaram a chamar-me de \" desmancha prazeres \" acabei por aceder, de imediato um dos médicos sugeriu que fosse-mos todos no carro dele, que depois nos trazia de volta para juntos dos nossos, embora não me agradasse muito ir com 3 homens num carro acabei por aceitar a lógica da ideia.

Na viagem para o bar portaram-se como uns cavalheiros, lançando um ou outro piropo sobre a minha figura ( vestia uma saia vermelha travada, ligeiramente acima do joelho, que naturalmente subiu quando me sentei e um blusa branca, justa e com um decote razoável que deixava antever a renda do sutiã , tinha casaco da mesma cor da saia, mas ia aberto devido ao calor) mas mantendo-se dentro das regras do bom gosto. Chegados lá fomos para um reservado e pedimos bebidas ( vim a saber mais tarde que fora tudo combinado e a minha tinha um potente afrodisíaco), após bebermos o meu chefe convidou-me para dançar, sentia-me esquisita, uma vez na pista colocou-me uma mão no rabo e puxou-me para ele, em vez de me indignar senti uma agradável humidade entre as pernas, ele continuou a apertar-me apalpando-me suavemente as mamas, os bicos enrijaram imediatamente, espetando-se contra o tecido do sutiã . Terminada a dança levou-me para o reservado, por essa altura os sucos já corriam livremente da minha cona e eu sentia uma tesão insuportável, assim que entrámos um dos médicos agarrou-me por trás, protestei debilmente, abriram-me a blusa e baixaram o sutiã, um deles começou a lamber-me os bicos das mamas, a saia foi-me enrolada na cintura, os colans e a cuequinha foram rasgados, entre beijos e apalpões fui deitada em cima da mesa, enquanto um dos médicos me penetrava a cona o meu chefe começou a roçar o caralho nos meus lábios, tentei resistir, mas uma ligeira dentada num dos mamilos fez-me gritar e de imediato me enterrou o pau até á garganta, o outro médico colocou o caralho entre as minhas mamas e começou a punhetar-se nelas. Não me lembro muito do resto da noite, sei que fui chamada de puta relachada, vaca casada etc...tive vários orgasmos, puseram-me de quatro e fui enrabada várias vezes, enquanto chupava os outros, recebi porra na cara, no cabelo, nas mamas...fui 2 ou 3 vezes fodida simultaneamente no cu, na cona e na boca, até que finalmente acabou.

Fui ao WC limpar-me como pude e muito envergonhada comigo mesma lá segui com eles até onde tínhamos deixado os carros, segui no meu carro para casa tentando perceber o que me tinha dado para fazer aquilo e como iria contar ao meu marido, felizmente quando cheguei ele dormia e nada lhe contei.

No dia seguinte estava de folga e só passados 2 dias voltei ao serviço, ia com a firme ideia de não pensar mais no assunto, puro engano, depois da reunião de passagem de turno o meu chefe disse que precisava de falar comigo, com o coração a tremer segui-o até ao seu gabinete, mal entrámos fechou a porta e ligando o DVD disse \" veja se gosta deste filme \", fiquei estarrecida lá estava eu a ser fodida de todas as formas e feitios, de um salto retirei o disco do leitor, o canalha riu \"pode ficar com ele para se punhetar em casa que eu tenho mais\", disse com ar zombeteiro. Calmamente explicou-me que me tinham drogado, que estava tudo combinado com o dono do bar e se eu não queria virar estrela porno na net passaria a ser a puta ás ordens , chorei, supliquei, ameacei, mas no fim tive que ceder, mandou-me ajoelhar em frente dele, desapertou-me a bata, e começou a foder-me fortemente a boca, agarrando-me os compridos cabelos com uma mão e apalpando-me rudemente as mamas, parecia nunca mis parar, finalmente o caralho começou a pulsar e ele veio-se , apertando-me fortemente contra as virilhas e forçando-me a engolir tudo. Mandou-me sair, dizendo que brevemente receberia instruções. Se gostaram digam que eu conto as outras sessões de gangbang a que fui sujeita.

Comentários

20/03/2015 21:02:30
TO LOUCO DE VONTADE DE TE FUDE BEN FUDIDA
27/06/2012 04:20:23
adorei, espero que me aconteça o mesmo com os meus colegas de trabalho
27/05/2012 13:27:24
Parabens, http://drmenage.blogspot.com.br/
kkb
30/04/2012 08:16:51
Muito bom, considerando que a minha espoasa é enfermeira lol, e costuma ir jantar com o pessoal do trabalho! se calhar devo começar a preocupar-me lool
22/12/2011 21:32:24
hahaha...rachei quando li "cuequinha", nunca tinha visto desta maneira... detalhe mais a foda em si...[9]
29/10/2011 12:38:11
OTYMO PODE CONTINUAR A SAGA PUTINHA CASADA FUDEDORA VC É MUITO GOSTOSA
19/07/2011 19:32:14
Adorei, continue!
19/07/2011 19:20:06
Delicia, conte mais sim. Bjos
19/07/2011 16:12:04
Maravilha!!! Quero te conhecer. romance-36@hotmail.com

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.