Casa dos Contos Eróticos

Feed

Minha Cunhada Safada

Autor: Dandee
Categoria: Heterossexual
Data: 06/06/2011 23:21:55
Última revisão: 06/06/2011 23:45:24
Nota 9.00
Ler comentários | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

Olá, estou aqui mais uma vez para relatar mais uma das minhas relações.

Desta vez foi com minha cunhada, irmã de minha esposa, assim que nos casamos compramos um lote vizinho a ao da minha sogra, não tinha muro e por isso o acesso a casa dela era fácil, sempre fui um vouyeur, e gostava de ficar olhando minhas cunhadas banhando e suas primas e amigas que as vezes se arrumavam na casa delas para sair, quanta coisa linda eu presenciei, desde bucetinhas lisinhas, depiladas a seios durinhos, certa vez peguei uma amiga delas batendo uma siririca no banho, era uma mão na buceta e um dedo no cu.

passaram-se uns cinco anos e ela já era casada, certa vez estavamos bebendo em minha casa, esntão minha mulher foi a casa de um vizinho e ficamos só nos dois bebendo, arrisquei uma indiretas mas a coisa estava difícil. Ela tinha umas brincadeiras de ficar alisando minhas pernas que são grossas, e sua irmã não gostava muito, dizia pra ela alisar a do seu marido então ela respondia que as minha eram mais bonitas.

Eu tinha uma certa tara por ela, sempre a via de camiseta folgada e sem soutien, os bicos dos seus seios roçando da blusa me deixavam doido, certo dia ela estava com uma camiseta branca bem fina e deu pra ver perfeitamente a aureola dos seus peitos como são lindos.

certo dia fui a sua casa ver se seu marido tinha uma ferramenta para me emprestar, chegando lá bati no portão, seu marido trabalhava e não estava em casa, ele lá de dentro perguntou quem era eu disse, então ela mandou eu entrar, geralmente tinha que dar a volta na casa e entrar pelos fundos, safado como sou entrei na ponta dos pés, fui até a sala onde ficava a porta do seu quarto, notei que ela estava no banho, então fiquei olhando pelo buraco da fechadura que dava para ver dentro do banheiro, que imagem linda ve-la se alisando, passando suas mão pelos seios, lavando sua bucetinha e sua bunda, fiquei batendo uma até gozar, fui ao outro banheiro e me limpei, esperei ela sair, usava um shortinho de malha e uma camiseta fina, saiu dizendo com ar de safadeza"Agora estou fresca". pedi a ferramenta e fui embora. marquei o horário do banho e fui novamente na sua casa no dia seguinte, desta vez não bati nem fiz barulho, entrei na esperança de vê-la novamente no banho, era na parte da tarde e estava quente, quando entrei fui direto a sala, mas quando cheguei percebi que a porta estava meio aberta, fiquei decepcionado mas ao chegar perto não acreditei no que vi, ela estava deitadana cama de barriga pra cima com uma calcinha pequena de renda, uma blusinha de alça que caia um pouco e tinha um dos seio a mostra, fiquei ofegante meu coração parecia sair pela boca, ela estava de pernas abertas, e podia ver por entre o tecido uma linha escura, ela estava depiladinha, abaixei-me e cheirei, que delicia ela tomava banho para dormir, fiquei com medo de fazer algo e dar galho, então peguei meu celular e tirei algumas fotos, esperei um pouco mais ela se mexeu e ficou de lado, seu peio ficou totalmente descoberto e sua bunda a mostra, tirei algumas fotos de sua bunda, sua calcinha era um fio dental então estava tudo a mostra, mais uma vez abaixei pra sentir o cheirinho de sua bunda, a qualquer momento eu ia enfartar, resolvi ascender a luz pra tirar uma foto do seu peito, mas quando fiz isso ela acordou, escondi rapidamente o celular e me fiz de inocente, pedi desulpa e perguntei se lá tinha um alicate, ela ficou me olhando, pensei, to ferrado, então ela disse: seu safado, tava me olhando pelada, eu me defendi mas ela não aceitou, e disse novamente, gostou do que viu, eu disse no meu nervosismo que não, ela ficou sem entender, então eu corrigi, quer dizer sim, mas não vi nada, ela disse: então porque que você tá com o pinto duro, tá querendo me comer, eu disse nãããõooooo, ela disse: então via embora, ai eu consertei: quer dizer se você você quiser, eu quero, ela me puxou pra cima da cama, então fui logo nos seus peitos, chupei até que eles ficassem vermelhos, desci por sua barriguinha e fui até sua bucetina tirei a sua calcinha e me deliciei com sua bucetinha lisinha, chupei como um esfomeado ele segurava minha cabeça enfiando entre as suas pernas, então eu tirei cacete pra fora e coloquei de uma só vez dentro dela, ela deu um gemido alto e ficava me chamando de tarado, ela estava toda lambuzada, escorria por sua buceta e descia até seu cu, enfiei minha mão por baixo e aproveitei que estava escorrendo lambuzei meu dedo e enfiei no seu cu, ela me empurrou e deu um tapa na minha cara, me chamou de filho da puta, pensei que tinha ferrado tudo, então ela disse: você gosta de cu né, disse que sim mas minha mulher não deixava comer o dela, ela disse que o marido dela não gostava de cu, pergunte pra ela: e vc? tem vontade de dar o cu, ela se virou sem responder nada e ficou de quatro, cai de lingua, ela gemia igual uma louca, comecei a enfiar o dedo mais uma vez ela se virou e me deu outro tapa, e disse: porra, eu quero o seu pau no meu cu ou a sua lingua e não o seu dedo, tudo bem, deitei ela de bunda pra cima, abri sua bunda e novamente cai de lingua, chupei e meti a lingua até ela travar a bunda, esperei ela relaxar novamente, então botei a cabeça do meu pau na beira do su cu e fui enterrando devagar, quando a cabeça entrou, dei uma parada então ela deu uma empinada na bunda de uma só vez que entrou tudo, ela deu um berro então dei continuidade, fiquei por cima dela, de lado, por baixo, em pé então abri suas pernas e fiquei esfregando sua bucetinha, ela deu uma mijada de gozo, coisa de louco ela disse que nunca tinha acontecido aquilo com ela, então coloquei ela deitada na beira da cama, levantei suas pernas e coloquei novamente no seu cu, fiqei namorando sua bucetinha e seus lindo peitos, fiz ela gozar novamente, então não deu mais pra segurar, tirei do seu cu e comecei a gozar em cima de sua bucetinha e depois nos seus peitos, não sei de onde saiu tanta porra, ficamos deitados por uns poucos minutos, depois me limpei e fui embora, não transamos mais, nem tocamos no assunto a vida cre normalmente, e ninguém até hoje sabe....

Até o proximo conto.

Comentários

07/06/2011 00:09:23
hum q delicia

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.