Casa dos Contos Eróticos

Feed

Transando em Uberaba

Autor: Contos Reais
Categoria: Heterossexual
Data: 17/05/2011 16:37:28
Última revisão: 17/05/2011 16:58:42
Nota -
Assuntos: Heterossexual
Ler comentários | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

Eu ja estava ficando doido aqui nesta cidade, sem minha mulher e sem meu filhote, foi quando o feriado de carnaval se aproximava, e decidimos eu e minha mulher, que eu deveria passar o carnaval la, adorei a ideia pois não aguentava ficar mais aqui. Ela comprou minha passagem e logo me fui desta cidade fria e sem graça, e do Ap apertado.

Na viagem fui escutando musica e lembrando dela, que alias, é uma morena linda, cabelos bem pretos e longos, 44 anos e muito jovem, pele bem branquinha, peitos tipo pera, bem impinadinhos que adoro mamar, uma bundona branquinha durinha e empinada, aquelas que deixa a calcinha bem enfiada, dona de uma Sr. xana cheirosa, linda e bem apetitosa, e um rabo apertado que cuido com carinho, minha mulher é muito gostosa, so tarado por ela e amo muito. Bom, na viagem fui sonhando com nossas "peripércias e piruetas" que só nos sabemos fazer, isso me deixou com o cacete duro a viagem toda, não via a hora de chegar. Chegando la, ela foi me buscar com meu filho, matamos a saudade, conversamos, foi ótimo, adorei. Estava um calor infernal, e eu ja querendo tomar um banho e me deitar, seja onde fosse. Então passamos na casa de sua irmã Cleide, ficamos um pouco la, levamos nosso nenem na escolinha e fomos para sua outra mana, Rose, no carro fomos matando a saudades e nos pegando ja, estavamos famintos de tesão, com aquela vontade imensa de dar uma trepada daquelas, fazia tempo que não via aquele corpão nu e sua buceta gostosa. Ao chegarmos, comprimentei sua irmã, conversamos, andei pela casa e notei que estavamos só no três, logo eu quis tomar um banho e ir para o quarto, quando vi minha querida ja estava entrando no banheiro para tomar banho também, então sem falar nada nos encontramos no quarto de sua irmã, ela so de vestido e calcinha e eu de calção, nos deitamos, e ficamos com medo de sua mana entrar. A vontade era tanta que não resistimos, ela se deitou, com as pernas abertas, eu parecia que era a primeira vez que ia transar, estava salivando, faminto, com pau muito duro, petrificado, e latejante, beijei sua boca suas tetas e vi que logo ela fexou os olhos, este é o sinal de que posso fazer tudo que eu quiser...logo fui descendo e puxando sua calcinha, não acreditava em que via, uma buceta enorme, e muito peluda, primeira vez que tinha visto ela naquele estado, com cabelos enormes, que cobriam a xana toda " eu amei aquilo" aqueles pelos bem pretos cobrindo aquele bucetão, alguns fios eram brancos, que me deixou com mais tesão ainda, pois minha mulher é uma loba...cai de lingua naquilo tudo, chupei aquela vagina como nunca chupei antes, com uma vontade e força dos Deuses, ela se contorcia toda, e passava a lingua em seus labios, enquanto eu sugava, inundava sua buceta com minha lingua até no fundo, até o maximo que eu pudera. Logo percebi que ela queria mais, levanteime dei a volta pela cama, ela se assustou, pois achou que ia ser uma rapidinha, mas eu não estava me importando, pois imaginei que sua irmã sabia o que estavamos fazendo, então coloquei minhas pernas por cima de sua cabeça, e dei o pau para ela mamar, logo ela aceitou, e começou a ingolir ele todo, lamber sua cebeça chupava como uma puta, enquanto me debrucei novamente ate sua xota, e voltei a trabalhar naquele bucetão peludo, estavamos num 69 feroz. Então a partir daquela posição, desci um pouco, e encaixei meu cacete na sua buceta que me agazalhou inteiro, eu meio na diogonal, senti ele entrar facil, pois ela estava encharcada, atolei ele enteiro, sentia ele la no fundo, comecei a foder assim, daquele jeito mesmo, de cocoras, ela gemia baixinho como de costume, mas esfregava a buceta bem forte em mim, queria dar mesmo, metia como uma putona no cio, fodendo com meu pau, eu estava amando aquilo, via que ela queria é pica bem dura na buceta, socando tudo sem dó, eu não queria que acabace, seu rosto era de tesão, se lambendo, transando comigo, esquecemos até de onde estavamos, não demoramos muito, quando senti que ela ia gozar e escutei os sussurros dela " ahhhhhhhss ahhhhhhss gozando, gozando, picaaa, pauzudo põe tuudo" eu não guentando ver aquilo, tambem gozei naquela buceta maravilhosa, enchendo ela de porra, espirrando la no fundo daquela coisa peluda gostosa, então relaxamos, deitamos, um ao lado do outro, e mais alguns minutos, meu pau ja estava duro novamente, então ajeitei ela de ladinho, e logo estavamos trepando de novo, eu segurando suas pernas, bem abertas, fodendo sua buceta, enquanto ela pedia para por tudo a pica, e eu so obedecia, sentia sua bunda em meu quadriu eo pau atolado na xana, não demorou muito e gozamos de novo gostoso, juntos, então finalmente deitei e dormi, pois estava exausto de tanto que fizemos, senti que aquela era so a primeira de muitas que estavam por vir.

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.