Casa dos Contos Eróticos

E lá no trailer Bia também... ãããiin! [NO TRAILER DO PARQUINHO] *-* Crônicas da iniciação sexual - Ep.VII

Categoria: Heterossexual
Data: 17/03/2011 12:10:15
Última revisão: 21/11/2015 09:52:49
Nota 8.98
Ler comentários (46) | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

Sexta-feira! Saída do colégio... Bia exclama aliviada:

- Que delícia!... Mais uma semana se foi. Não vejo à hora de chegar a minha casa, tirar o uniforme, me refrescar e ficar peladinha no meu quarto... Hmm... Só de pensar, já começo a imaginar coisas... ss... “Tô” precisando de uma siririca... É hoje!...

Sigo apressada e comigo segue minha amiga, Maria Alice. Ela está indo à casa do seu padrinho, que fica no mesmo caminho. Vai ganhar um presente dele, pelos dezoito aninhos que esta completando. Garota de sorte!... Bem querida, muito linda e bem gostosa... Éh... Mas eu também sou gostosa... Tanto sou que no colégio, na brincadeira fizeram um concurso de miss bumbum e deu empate. Nós duas ganhamos, mas cá entre nós, acho que eu devia ter ganhado sozinha. Eu sou mais bonita, mais sexy... Mais coisa!...

Minha amiga, além de tudo, era rabuda mesmo. Não sei que tanto, esse tal padrinho, dava presentes pra ela. Fazia poucos dias, que eu também tinha feito meus dezoito aninhos e ninguém me deu porra nenhuma. Bom, falando em porra... Eu nunca quis isso mesmo, apesar de a tentação estar sempre me rondando. Sou moça de família e sempre me resguardei, pra quando encontrasse minha alma gêmea, mas naquela tarde... Tudo começaria a mudar... Pra cacete!...

Quando chegamos à casa do tal padrinho, nos deparamos com a gravação de um comercial, num parquinho de diversões, que ficava bem em frente de onde ele morava. Nossa!... Era o tipo da coisa que eu andava buscando... Ser modelo! Eu não podia deixar passar aquela oportunidade, de conhecer alguém do set. Era uma chance que eu tinha pra conseguir alguma indicação e pensando só nisso, tratei logo de segurar minha amiga, ali comigo, pra me dar uma força. Putz!... Não demorou nadinha e todo simpático, um dos homens já veio nos dar a maior atenção...

Era um senhor bem-apessoado e cheio de conversa. Gente fina. Por isso, tratei logo de jogar o meu charme pra cima dele... Tadinho!... Seus olhinhos azuis até brilharam de paixão. Deu pra perceber que ele ficou até meio abobado. Então, pra deixá-lo mais bobinho ainda, logo nas apresentações, já o chamei de tio Argemiro e lhe disse, que o meu nome era Beatriz, mas que ele podia ficar à vontade, pra me chamar de Bia, aí... O velhão se derreteu todo. Pelo jeito, minha indicação já estava no papo. Só faltava eu levar...

Maria Alice, ali do meu lado, já começava até a ficar sobrando, mas nisso escutamos alguém chamando por ela. Putz!... Era o padrinho dela, que até então a esperava, lá na casa dele. A gente já tinha até se esquecido disso. Minha amiga mais que depressa, nos deu um tchau e já foi pra lá. Foi receber o presente que o padrinho lhe reservava.

Quando me vi a sós com o velhão, deixei o papo mais chegado ainda e maliciosamente me insinuando, já joguei meu pedido pra cima dele. Foi fácil. Na mesma hora, ele já se chegou e meio que sussurrando, me disse que tudo faria para ter “aquele prazer”, pela minha indicação. Disse também, que eu não levaria só a indicação, não. Ele fazia questão de me por no... Set!... Mas só se eu voltasse na segunda-feira, no mesmo horário. Justificou que precisava falar com o diretor, todavia só podia ser no fim da gravação e isso, ainda ia demorar um pouco. De fato, o pessoal estava bem ocupado e achei melhor concordar. Não me custava nada, voltar na segunda e para o velho não se esquecer de mim, ainda lhe dei um demorado beijinho de despedida, na bochecha.

Na segunda-feira, logo que encontrei a Maria Alice no colégio, já fui lhe contando as novidades e disse que depois das aulas, eu tinha que dar uma passadinha lá no parquinho. Seria só pra saber das coisas, que o velhão me prometeu e pedi que ela fosse comigo. Não sei por que, ela me pareceu meio relutante, mesmo assim, concordou e logo depois das aulas, seguimos no caminho, mas quando chegamos ao parquinho, encontramos tudo fechado. Era dia de folga do pessoal e não se via ninguém. Foi uma decepção, mas nisso escutamos...

- BIA... BIA...

Só naquele instante, notamos que lá no fundo do parquinho, junto a um pequeno trailer, o velhão acenava e me chamava. A gente não entendeu nada. Daquele cenário, com toda aquela equipe que tinha na sexta-feira, só restava ele? Minha amiga até me disse que ali tinha coisa, mas ela devia estar exagerando. Eu não podia deixar escapar, aquela oportunidade de ser modelo e resolvi atender ao chamado dele. Minha amiga não quis ir comigo e me disse que enquanto isso, ela iria visitar o padrinho... Outra vez?... Ah! Sei, sei... Ali sim, tinha coisa. Mas eu me fiz de bobinha e deixei a maldade pra lá.

Enquanto ela foi “visitar” o padrinho, eu fui sozinha lá pros fundos do parquinho, onde o velhão me aguardava. Fui saber das coisas que ele tinha me prometido, mas quando lá cheguei, ele já tinha entrado no trailer e nem desceu pra me receber. Parado no degrau da porta, todo contente e... Ansioso?... Já foi me dizendo...

- Bia! Que bom que você veio. Mudaram a programação e hoje não vieram gravar, mas eu vim porque já tinha marcado com você. E adivinha? Consegui o que prometi! Vou te por no set, viu? Agora... Por favor, entre. A gente tem que acertar o negócio, né?...

Putz!... Na hora, já me senti numa saia justa. Entrar lá e ficar sozinha com ele, não eram coisas que eu estava querendo, não. Mas se eu me recusasse, ele poderia se ofender e até nem me arranjar mais nada.

Enquanto eu vacilava e pensava, sem dar importância pra isso, ele me estendeu a mão, se oferecendo pra me ajudar a subir no trailer. Não dava pra ignorar, aquele seu gesto cavalheiro e simplesmente, deixá-lo ali de mão estendida, feito bobo. Tive que pegar na sua mão e o deixei me puxar pra dentro, mas... Não foi legal, não. Por dentro daquele trailer, era tudo muito apertadinho. Logo de cara, ali mesmo no degrau daquela entrada muito estreita, ele já deu um jeito de me deixar toda entalada e me deu um baita amasso por trás, enquanto sem nenhuma pressa, fechou e travou a porta.

Eu não era nenhuma bobinha, não. Na hora, já entendi que tinha entrado numa fria. Entretanto, nem sei por que, ainda tentei achar que só estava imaginando coisas. Não achava possível, que aquele tiozinho com cara de gente boa, fosse tão safado. Mas era sim. E enquanto feito tonta, eu ainda tentava achar que era só impressão minha... Espertamente, ele me fez ficar de frente para um pequeno balcão, onde dizia estar o meu negócio... O meu negócio?... Éh... Pois é.

Eu estava tão ansiosa pra saber das coisas, que mesmo já o sentindo se ajeitando por trás de mim, continuei bem boazinha, só deixando ele se ajeitar. Mas isso porque, bem naquele instante, ele abriu uma pasta de tamanho ofício que ali estava e começou a me mostrar o storyboard de um comercial, de lingerie, enquanto me dizia... Que já tinha até garantido a minha participação e que agora, o negócio só dependia de mim...

- De mim?... Como assim, tio?... Não entendi...

- Hmm... Vai dar de santinha, né?... ss.... Vai ser gostoso...

Minha Nossa!... Enquanto falava, ao mesmo tempo me abraçou pela cintura e mesmo com as vestes, já pude sentir no meu bumbum de miss, o tamanho do negócio que dependia de mim. Oh! Não... Só então me dei conta... Ele estava achando que em troca do seu favor, eu já estava ali pra... Dar?... Putz!... Acho que andei exagerando no charme e nas insinuações pra cima dele... E agora?...

Enquanto eu vacilava... Ele já começou com a “mão boba” e já quase a enfiou pra debaixo da minha saia. Só não conseguiu porque eu não deixei e reclamei...

- Tio... Assim não... Nunca fiz isso... Ah!... Num quero...

- Hmm... Continua dando de santinha, né?... ss...

- Não tio... “Cê num tá” entendendo... Eu sou virgem!...

- Aah! Éh?... Então tá. O tio faz só atrás, tá bom?... ss...

Enquanto a gente se falava... Sua “mão boba” já avançava e eu me defendia, mas pouco a pouco fui sendo vencida. Depois de resistir a mil cantadas no colégio, de repente me senti entregue... Bom... Na verdade mesmo, acho que eu comecei a dar mole, porque já andava carente de um pau. Ele só queria fazer atrás. Eu queria ser modelo, então...

- Tá bom, tio... Só atrás, hem?...

- Tá! Neném... Só atrás... ss...

Putz!... Eu nunca tinha sentido um volume tão grande, no meio das nádegas. Às vezes, quando a cantina do colégio ficava cheia, algum moleque sempre dava um jeito de me fazer aquilo, mas o negocinho que eu sentia era de dar risada, porém ali... Nossa!... Só pelo amasso, já vi que o negócio era de chorar... Oh! Não... E só estava só começando...

Foi só eu dar mole, já escutei... Um botão se soltando, um zíper sendo aberto, roçar de calças arriando... Senti nas coxas, sua passada de mão em busca da minha calcinha, aí... Eu me apavorei toda e num ato defensivo, escapei dele e me larguei sentada num pequeno banco, que ali estava bem do nosso lado, mas... Não foi coisa boa, não. De repente me vi encurralada e fiquei de cara com aquele seu pauzão de fora...

Que vergonha!... Eu não sabia o que fazer e sem ter escapatória, pra lado nenhum... Passivamente, eu deixei ele me fazer pegar naquilo tudo e fiquei segurando que nem boba, aí... Ele movimentou minha mão e me fez entender, que era pra eu fazer aquele movimento, de bater punheta... Minha Nossa!... Enquanto toda desajeitada eu o atendia, ele segurou minha cabeça e sutilmente a foi puxando... Oh! Não... Eu sabia o que ele queria, mas aquilo era demais. Eu não teria coragem, mas... O velhão sabia das coisas. Com afagos no meu rosto e bagunçando a trança Rapunzel que eu usava e tanto gostava, ele foi cativando o meu desejo até que, acabei abrindo o bocão e aí...

–Ggllu!... Hmm... Shup... Shup... Ssllup... Shup...

Que louca! Eu mesma não acreditava. O velhão meteu o pau na minha boca e eu... Chupava! Enquanto ele... Só ficava bagunçando a minha trança. E só gemia que nem puto, em cada “gulosa” que eu dava. Mas em pensamento, eu até que admitia... Que pau gostoso!... Vou aproveitar e vou matar esse velho puto... De tesão!...

- Ssllup... Shup... Shup... Hmm... Ssllup... Shup...

- Ai! Neném... ss... Dá um tempo... ss... Vem cá, vem...

Que puto!... Num aguentou as “gulosa” e me pegando pelo braço, já fez eu me levantar e já foi me ajeitando de novo, ali no balcãozinho. Novamente senti a sua passada de mão subindo pelas coxas, mas dessa vez... Eu deixei...

Suavemente, aquela mão foi entrando por entre o elástico da calcinha e se chegando a buceta, já começou a deslizar o dedo médio, bem no grelinho... ss... Que tesão!... Eu era louca por uma siririca, aí...

Eu estava nas nuvens e me entregava toda. Por trás de mim, senti a outra mão puxando minha calcinha pra baixo. Senti minha bunda ficando de fora. Fazia um silêncio gostoso... Melada de saliva, a cabeça do pau já entrava por entre minhas nádegas, em busca do cuzinho... Nossa!... Fiquei toda arrepiada... ss...

Era a minha primeira vez... Um velho safado violentava a minha intimidade. Suas mãos continuavam explorando a minha região genital e me forçavam a empinar a bunda pra ele, então... Com a cabeça do pau, encaixada bem na entrada do meu cuzinho...

Lentamente, ele começou a movimentar o quadril, num redemoinho de vai e vem. E fazia aquilo de um jeito tão suave, que não dava pra reclamar e até acabei gostando um pouco, mas...

Foi só um pouco, mesmo. Logo eu já estava vendo estrelas e até pedi pra ele parar. Putz!.. O que ele me disse... Foi de foder!...

- Meu neném! Calma aí... A gente só “tá” começando... ss... Sabia que a sua bunda é boa pra caralho?... E sabia que o tio só gosta... Meeessmo!... É de por no cu, hem?... Sua gostosa do caralho!... ss...

- Aiiinn tio... Num fala assim... ss... Ai! Devagar... ss... Ai! “Tá” doendo... ss... AiAAAiii tiiioo!... Num vou aguentar... ss...

- Vai sim, neném... Eu já imaginava que o teu cu é apertadinho e... Até já te deixei de jeito... Um “presentinho”presentinho?... Como assim, tio?...

Enquanto eu “boiava”, ele abriu uma das gavetinhas ali do balcãozinho e... Lá estava um pote de vaselina já todo aberto, só me esperando. Que velho safado!... Já tinha tudo planejado. Só sei dizer que em três tempos, ele já tinha se servido do meu “presentinho” e eu já estava de novo naquela situação...

- Aiiinn tio... Devagar... ss... Ai! Devagar... ss... AiAAiii... ss...

Lambuzada daquele jeito, a cabeça do pau insinuava-se bem mais fácil que antes e toda medrosa, comecei a sentir que já estava entrando. Pedi até pra ele parar um pouco, mas de nada adiantou, pelo contrário... Ele me pegou mais forte ainda e foi fazendo daquele jeito, até que de repente...

- ãããiin!...

Eu vi estrelas... Quase deixei escapar um grito. Ele deve ter percebido o meu drama e por um instante só, com a cabeça do pau entalada na minha argolinha, ainda tentou me dar um fôlego, mas... Daquele ponto em diante, não tinha mais volta, não. Quase que sozinho, o pau já foi entrando...

- Aiiinnn! tio... “Tá” entrando muito... ssSSs... Aiinn!... ss...

- Calma! Neném... Só mais um pouquinho... ssSSs...

- Pronto!... ssSSs...Viu como você aguenta?... ssSSs...

- Nossa! Neném... ssSSs... Que cu gostoso você tem!... ss...

Dali em diante... Pude sentir toda a sua experiência, num suave vai e vem. E no mesmo tempo, ainda me fazia uma siririca... Mordiscava minha orelha... Beijava o meu cangote. Por fim, me arrepiei toda, quando ele acelerou o movimento e com a boca colada no meu ouvido, ficou arfando tipo assim...

- ssSSs!... aahhh!...

- ssSSs!... aahhh!...

- ssSSs!... aahhh!...

Era uma sensação estranha, me sentir totalmente dominada e possuída daquele jeito... Um cara madurão me pegava por trás e estava todinho dentro de mim... ss... Sensação estranha, mas gostosa. E foi ficando cada vez mais gostosa, até que... ss...

- Ain! Tio!... ss... aaiinn!... ss... aaaaiiinn!... sssSSSSSss!!!...

-Isso! Neném... Goza comigo... ssSSs!... ah!... sssSSSSSss!!!...

-PUTA QUE PARIU!!!... Que cu gostoso!... ss... aaaahhh...

Foi uma loucura... Um orgasmo muito louco explodiu dentro de mim. Era o primeiro caldo quente, que eu tomava no cu... Putz!... Aquilo esquentou que nem sauna. A gente teve até um suadouro. Depois, ainda largado por cima de mim e com a respiração ofegante, ele me sussurrou no ouvido, toda a sua satisfação...

- Neném... Seu bundão é D+!!!...

- Ahhh!... Foi o melhor cu que eu já comi!...

Que horror!... Eu que era toda certinha, além de dar o cu pra ele, ainda tive de escutar aquilo, naquele seu jeito chulo de falar. Minha Nossa!... E depois então, quando saiu fora... Pegou um pano qualquer pra limpar, deu uma tosca passada no meu cu e me largou, como se eu fosse um brinquedinho... Uma boneca qualquer, dessas de fazer... “coisa”...

Naquele momento, não pude deixar de perceber que ali naquele trailer, já tinha tudo de jeito, pra se fazer aquilo que ele fez comigo, e sabe-se lá, com quantas mais. Com toda aquela pinta de gente boa, com certeza, o safado estava sempre levando ali pra dentro, alguma tonta assim como eu, pra dar o cu pra ele...

Éh!... Já estava feito... Quando vi que ele não queria mais e que a sessão já tinha terminado, mais que depressa levantei a calcinha e já fui me preparando pra ir embora. Guardei o storyboard na minha mochila, mas o cartão do diretor, ele fez questão de por no bolso da minha blusa, só pra me apalpar o peitinho, enquanto me dizia...

- Neném... O diretor já te espera, é só ligar pra ele, viu?... E esse teu peitinho... Na próxima vai levar chupada, tá?... ss...

Pensei comigo... Que próxima?... Velho besta!... Never!!!...

Finalmente... Pude ir embora. Saí do parquinho caminhando toda desengonçada e só então, comecei a sentir todo o estrago que ele me fez. Minhas pernas estavam bambas, meu quadril todo dolorido e pra piorar... Senti aquele caldo quente que eu tinha levado, escorrendo pra fora e me fazendo o cuzinho ficar em brasa, mais ainda.

Já na rua, avistei a Maria Alice saindo da casa do padrinho e toda embaraçada, tentei parecer natural. Eu não queria que ela percebesse nada, mas eu estava tão fodida, que não dava nem pra disfarçar...

Nossa!... O que a minha amiga iria pensar de mim se soubesse daquelas coisas?... Mas, quando nos aproximamos, logo vi que ela também estava toda desconjuntada. Toda fodida e com cara de choro. Com certeza, também levou bem mais do que buscou.

Quando ficamos frente a frente, nem foi preciso dizer nada. Num abraço amigo e solidário, desabamos em prantos, como se fosse o dia da nossa coroação...

A gente logo entendeu que tinha acabado de levar...

O cetro de miss bumbum!

...

<><><><><><><><><><><><><><><><><><><><><><><><><><><><><>

QUER SABER O QUE ACONTECEU LÁ NA CASA DO PADRINHO?

Leia o episódio V: Tudo começou no colo pra me ter [NO COLO... ]

E o episódio VI: No colo foi só o cu, mas depois... ! [NO SOFÁ...]

<><><><><><><><><><><><><><><><><><><><><><><><><><><><><>

OBS. Este é um remake do meu conto NO TRAILER DO PARQUINHO, que originalmente publiquei aqui na Casa dos Contos em, mas por questões de princípios contra a pedofilia, foi removido para ser feita esta devida adequação. CRÔNICAS DA INICIAÇÃO SEXUAL – A saga de Ana Paula, Maria Alice, Bia & Cia. - Episódio VII: E lá no trailer bia também... ãããiinn! (NO TRAILER DO PARQUINHO) – AUTORIA DE: abc de f... (Lu)

Comentários

06/07/2017 12:50:34
Ao autor desse conto... Sou seu fã... E, depois de tanto tempo sem continuações, resolvi escrever minha própria versão... Espero que goste... Se quiser que eu as retire do ar, ficarei feliz em atender o pedido...
19/03/2017 11:39:53
Hummm como eu adoro uma menina safadinha...principalmente aquelas que curtem sexo oral e anal...marcelodocol@yahoo.com.br
15/01/2017 12:32:26
Ótimo conto
04/12/2015 16:17:41
good
04/11/2015 04:24:55
Não funciona mais o link :/ Mesmo assim, excelente conto.
20/08/2013 18:55:32
os melhores contos são os teus
23/01/2013 22:00:21
D+ Lu... Volto depois de um banho frio... rsrsrs. Bjks
08/01/2013 09:47:24
Pô! Niko2... Você não leu o recado lá no primeiro conto? (O Padrasto...) Vai lá, vai... Ela te espera no último conto (Ana Paula e Maria Alice...) =)
08/01/2013 08:23:40
Lu....Demais. Só de imaginar um cuzinho desses não resisti até à noite e lasquei uma punheta bem lambusada.
07/01/2013 16:34:15
Eu agradeço muito, muito, muito, a todos vocês que comentaram... Ah!... Como seria bom ter opiniões de mais leitores. Pessoal... E aíh?... Não custa nada, né?... =)
12/12/2012 18:22:30
Nossa, cada vez que leio eu sinto mais tesão. Maravilha das maravilhas. Nota mil.
01/12/2012 10:42:12
COMO EU QUERO ESSE BUMBUM DE MISS AQUI NO MEU MASTRO ENTRA EM CANTO CMG GOSTOZA!aleksandro.file@hotmail.com
01/12/2012 10:38:40
BIA COMO EU ESSE BUMBUM DE MISS NO MEU MASTRO POR FAVOR ENTRA EM CAM GOSTOZA SOU MUITO GATO aleksndro.file@hotmail.com
01/12/2012 10:36:46
hyjugt
01/12/2012 10:31:17
ghtyfr
01/12/2012 10:30:17
hjbgv
05/03/2012 14:40:53
Não resta dúvida que levar no cu é muito bom, ainda mais com uma siririca na buceta... parabens mais uma nota 10.
12/12/2011 14:06:03
Como sempre, demais!! Continue!
12/12/2011 14:05:25
16/11/2011 17:02:02
Lu to com um conto novo...quero sua opinião! bjus!!!
03/08/2011 16:11:18
Tornei ler o teu conto minha querida, e gostei ainda mais. Uma maravilha.Nota dez com méritos.
13/07/2011 09:53:27
muito bom... a primeira pirocada no cu nunca se esquece rsrsrsrsrs
27/06/2011 20:31:33
Mais um excelente conto como todos da serie 10
27/05/2011 11:22:10
Quero agradecer aos queridos leitores e leitoras, pelos comentários maravilhosos que deixaram nos meus contos. Cada um deles tem um valor inestimável para mim, não só pelos elogios, mas também por me darem mais uma certeza... De que na vida tudo é possível. Digo isso porque não sou escritora, mas foi animador ser confundida como tal e acreditem... Eu estava precisando disso. Por outro lado, vejam vocês... Com o voto do maximuso357, este conto completou o requisito para entrar no ranking e graças a todos que aqui votaram, já entrou no topo. Mas isso incomodou os invejosos, principalmente aqueles que têm vários contos publicados e nenhum no ranking. Foi preciso 68 dias para receber 21 notas, mas bastou 16 minutos para me darem 4 notas zero. É evidente que são notas desonestas, impregnadas com o nefasto ranço da inveja. É triste saber que isso faz parte de nós, seres humanos... =-\
25/05/2011 16:55:01
zero
25/05/2011 13:22:17
Parabéns abc de f... (Lu) Muito excitante seu conto. Nota
24/05/2011 23:00:41
putz...meu, fala sério... PARABÉNS... Jeito interessante dd se escrever...
24/05/2011 18:25:08
reli e vale a notaaa! 10000
24/05/2011 15:16:46
- Ssllup... Shup... Shup... Hmm...
23/05/2011 18:22:22
Fiquei preocupado com o cetro de miss Bumbum. Será que a coroa de miss não acabou entalado nele? Rss. Falando sério, achei o conto sensacional, como todos os outros que lí. Parabéns, Lú.
18/05/2011 00:32:43
Li novamente e por incrivel que pareça, achei ainda melhor. Voce é espetacular.
28/04/2011 19:58:31
Muito bom, seu jeito de escrever meche com a minha imaginação.
19/04/2011 09:49:42
O outro lado da história, tesão em dobro. Querida, vou sonhar com você. E como você conta, vai ser assim... ssSSs!... aahhh!... ssSSs!... aahhh!...
04/04/2011 09:18:21
Obrigada aos 2, tanto a ABC de F (Lu) quanto ao afiadíssimo Lingua Pontiaguda rsss no meu conto DO MARTINI AO ANAL. Ambos estão certos. Mas não fico reiteradamente colocando o conto no "revisado" para ter nota, mas exatamente o contrário, como observou a Lu. Quando o releio, penso em mexer um pouco, apimentar um pouco, envolver-me um pouco mais. Fico até com medo de mexer agora e o "lingua" me tascar um ZERO achando que estou insistindo no mesmo texto. Talvez seja melhor esperar idéia para outro conto, sei lá. Mas, obrigada pelas sugestões e comentários. Quanto a ser mais erótica rs.. isso não é difícil na prática, só vou me entregar mais aqui então..rs... bjocas e um DEZ "procê"
03/04/2011 20:58:58
Eu devia ter por volta de quatorze anos de idade quando, na casa de uma senhora amiga da minha mãe, peguei uma revista velha dessas pra meninas adolescentes e li este poema que reproduzirei abaixo, cujo autor se identificava como "F.F.F.". Fiquei pensando como um poema tão simples, bonito e conciso (se considerarmos o tema de que ele trata: o amor) poderia de alguma forma causar uma abreviação em três letras do nome do seu poeta. Sim: se eu fosse capaz de tanta beleza em três estrofes, faria questão de revelar-me, dizer o meu nome bem alto, ser o centro... Mas eis aí a verdadeira humildade, incomprensível humildade - e é o único tipo de humildade que me é suportável... Li esse poema uma só vez. Tenho hoje 31 anos e nunca o esqueci. Às vezes o recito em pensamento. Simplesmente me emociono. Mas também pode ser que eu esteja um pouco fora do meu estado normal agora porque briguei com alguém de que gosto muito e estou ouvindo "Teus Segredos", da dupla Fernando e Sorocaba. Eis o poema:Fenômeno O amor é como o mar Convidativo, envolvente Às vezes vem devagar Remando contra a corrente Às vezes por muitas vezes Deságua dentro da gente O amor é como o vento Pairando sobre a cidade Às vezes brisa serena Soprando ao cair da tarde Às vezes por muitas vezes Inconstante tempestade O amor é como a terra Guardando o grão prometido Às vezes se desespera Quer ver o fruto crescido Às vezes por muitas vezes Morre sem ter florescidoAutor: F.F.F. Sabe por que o teu conto consegue ser excitante? Porque remete ao universo das ninfetas. O desejo sexual quase sempre se volta pros corpos jovens, já disse Michel Houellebecq no seu livro "Partículas Elementares". A "vulgaridade", tão necessária num conto erótico (não sejamos hipócritas: não estamos aqui a escrever obras de arte), passa meio que tocando - pra usar uma palavra tão comum por estas plagas -, "roçando" a tua história (pelo menos se considerarmos a média da linguagem utilizada em textos eróticos), e, no entanto, beleza das belezas: ela mesmo assim deixa o pau duro! Aposto que é por causa dessa fala meio adolescente que tu utilizas, ou seja, tu tens noção de duas coisas interessantes: 1) Os homens gostam de ninfetas (não sei se devo fazer isso, mas lá vai: graças a Deus pelas leis antipedofilia, hehehehehe...); 2) os homens gostam mais ainda de ninfetas que se enquadrem no perfeito estereótipo das ninfetas. Dez.
03/04/2011 06:32:20
toda vez que kero uma otima punheta, leio seus contos! gostava muito das primeiras versoes! como eu poderia conseguir eles?
02/04/2011 07:42:14
Bom demais, toquei uma punheta, nao aguentei, eu adoro cu de menina, apertadinho, os gemidinhos me deixam com um puta de um tesao e quando o gozo vem e mil.
27/03/2011 13:54:18
Conto maravilhoso Lu! Essas retiscencias dao um toque todo especial ao conto! Parabens novamente! Nota 10.
27/03/2011 13:24:48
23/03/2011 19:43:16
Finalmente você postou este conto. Eu ja estava ansioso... é o melhor conto erótico que eu já li e, ha tempos estva querendo relê-lo. você é fantastica Lu!!! [10]
20/03/2011 23:34:29
Pra variar, muito bom.
20/03/2011 03:03:09
Adorei,fikei no maior tezão hehe,e morri de rir em alguns trexos da história,parabens.
17/03/2011 19:16:39
Amizade2... O que a amiga fez com o padrinho, ela mesma conta nos dois episódios anteriores: V - Tudo começou no colo pra... ] [ VI - No colo foi só o...] É isso aí, valeu... Brigadão... =-)
17/03/2011 19:15:35
Hedonista 67... Cara! Teus comentários me enchem a bola... Brigadão meeeessmo. Falta só um conto pra restaurar o que foi removido, depois conto mais, viu?... =-)
17/03/2011 18:09:52
E a sua amiga, o que fez com o padrinho?
17/03/2011 15:35:12
Seu conto continua maravilhoso, ainda melhor.Voce não escreve mais ? Escreva outros.

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.