Casa dos Contos Eróticos

Feed

Para marcar este texto como favorito, é necessário estar logado

A sobrinha era virgem e rebelde

Autor: Tio tarado
Categoria: Heterossexual
Data: 15/01/2011 23:10:19
Última revisão: 07/04/2014 14:23:42
Nota 9.63
Ler comentários | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

Daniela é sobrinha da minha esposa. Filha única e mimada. Uma ninfeta, tipo mignon, aparentando bem menos que seus 19 anos.

Acompanhei sua adolescência, com fases amalucadas de pintar as unhas de roxo escuro, usar batons da mesma cor, tingir cabelos de bordô e colocar piercing nos lábios. Fora roupas de gosto duvidoso, sei lá de que tribo.

Nunca tinha olhado Dani como mulher até minha esposa contar várias coisas. Seus pais, meus cunhados, quebravam a cabeça com atitudes dela. Indefinição quanto a escolha da faculdade, noitadas nos fins de semana, rebeldia e revolta contra sabe lá o que.

Tinha madrugada que ela ligava para ir buscá-la e encontravam-na embriagada, literalmente na sarjeta. Fora as vezes que se andou auto mutilando, obrigando a idas de emergência no pronto-socorro. E contou para outra sobrinha que tinha feito uma tatuagem, escondida dos pais.

Era final de ano e Dani veio passar uns dias em casa. Todos achavam que um período junto com as primas, faria bem para sua cabecinha. Mas nossa companhia não resolveu muita coisa. Sempre educada, todavia distante, como cumprisse uma obrigação de estar conosco.

Para o retorno, as passagens de ônibus estavam esgotadas. Ficou decidido que eu a levaria de carro.

Durante a viagem, fomos conversando amenidades. Para desanuviar o ambiente, quando eu via uma mulher, brincava classificando-as entre comíveis e incomíveis (esta vai existir, constando no Aurélio). Ela entrou no jogo, comentando sobre a gordura de umas, a barriga, a cara feia de outras, a jovialidade ou velhice, etc.

- Tio, o senhor já traiu a tia ? A pergunta me pegou de surpresa. Resolvi ser honesto.

- Se você manter segredo eu te respondo, disse.

- Tá bom. Eu não conto prá ninguém.

- A sua tia não sabe, mas já dei minhas escapadinhas. Foram algumas transas assim, eventuais, sem envolvimento, sabe ? Nada sério. Puro sexo. E você, me conta, já transou com alguém ?

Pensativa, ela não me respondeu. O tema era aprazível para tratar com qualquer garota e não poderia deixar o assunto morrer ali. Rapidinho argumentei insistindo:

- Pô Dani, eu revelei meus segredos e você não me conta os seus ?

- Bem, na verdade ... Ah tio, deixa prá lá. Desconversou.

Paramos num quiosque na beira da estrada para tomar água de coco. Ela estava querendo se abrir com alguém e pelo jeito hesitava. Acho que avaliava se podia confiar em mim. Resolvi arriscar:

- Dani, soube que você fez uma tatuagem. Me mostra prá mim ?

Ela olhou assustada e indagou:

- Quem te contou ? Ah, já sei, foi a linguaruda da Kátia. Mas não posso mostrar. É que está aqui ó. Disse apontando o baixo ventre, quase na região pubiana.

Não sei porque, mas comecei a ficar excitado. E seguimos viagem, com conversas picantes. O pau duro, inchado e incomodando. E a certa altura, ficamos em silêncio. Ambos calados, imersos em nossos pensamentos. Lá fora a paisagem se mostrava distorcida. As árvores, placas de sinalização e tudo mais, passavam de forma vaga. Aliviei o pé do acelerador.

Com o rabo do olho, observei Dani, que parecia tranquila e relaxada, olhando fixamente para frente. Eu queria fazer coisas gostosas com aquela menina. Mas, sempre tem o ¨mas¨, fiquei imaginando se alguém descobrisse. O pai dela, irmão da minha mulher. Que escândalo seria! E a minha esposa então? Tantos anos de união feliz iria para o ralo. Com certeza!

Ela sentiu meu olhar. E retribuiu com um sorriso, meio tímido, porém safado. Como se esperasse de mim, mais velho e vivido, o próximo passo. Não tinha expressão desafiadora. Apenas de quem aguardava. O que desse e viesse. De quem queria e assolada por duvidas, de até onde eu iria.

Sabia que na entrada da cidade, havia dois motéis. E meio brincando, mais querendo, arrisquei:

- Vamos parar num motel ? Lá você pode me mostrar a tatuagem.

Ela não respondeu. Também não negou. Acho que topou. Por um instante, pensei outra vez na minha mulher e nos pais dela, meus cunhados. Caso a história viesse à tona, todos iriam me condenar. Hesitei:

- Brincadeirinha, tá?

Mesmo tentado pela chance de provar carne nova e apetitosa, falei desistindo. Ela me encarou então, com olhar curioso e agora um tanto provocador:

- Nunca fui num motel. Queria ver como é que é.

Tem momentos na vida que precisamos tomar decisões extremas. Na louca, como dizem. Chutar o balde e ver no que dá. Se eu estivesse numa história em quadrinhos, a melhor legenda para o balãozinho nessa hora seria: ¨Foda-se o resto!¨.

Entrei no primeiro motel. Peguei as chaves na janelinha da portaria, preocupado que a recepcionista pensasse que eu estava com uma menor. Afinal, a Dani parece uma menininha.

Estacionei na garagem anexa e abaixei o portão, ocultando o carro. Abri a porta da suíte e praticamente empurrei ela para dentro. Dani sentou na cama observando, maravilhada, cada detalhe do aposento.

- Então, me mostra a tal da tatuagem ?

Ela bem envergonhada, soltou o botão do jeans, abriu o zipper e desceu as calças até o joelho. Vestia uma tanga amarela de lycra com renda. Abaixou um pouco a ponta superior da calcinha e me mostrou a tatuagem. Parecia uma flor multicolorida, mas era um trevo estilizado. Eu estava mais interessado na pele branca e alguns pelos que conseguia vislumbrar.

Coloquei a mão como se tocasse o desenho. A mão boba já deslizou mais fundo, procurando tocar a rachinha.

Ela se retesou, entre surpresa, curiosa e uma pontinha de medo. Com a outra mão, acariciei seu rosto e cabelos, tranquilizando.

- Está quente. Já que tamos aqui, vamos aproveitar a hidromassagem ?

Fui me despindo. Totalmente nu, fui para o banheiro e abri as torneiras. Procurava agir naturalmente. Dar uns amassos, brincar eroticamente e o que viesse a mais era lucro. Tomei uma ducha e entrei na banheira. Ela ainda sentada na cama, me olhava enigmaticamente.

- Vamos Dani. Venha. A água está uma delícia ! Vou ficar de costas, tá bom ? Ó, não vou olhar, tá bom?

E dei as costas. Me esticava e submergia na água morna. Tirava a cabeça e safado, dava umas espiadas. Ela se despia timidamente. Estava vindo. Foi para a ducha. Quando percebi que abria a porta de vidro do box, abri espaço.

Coloquei as mãos nos olhos (com alguns dedos entreabertos). Vi o corpinho alvo, sem manchas, de l,50m., magro, se muito com 40kgs. Uma ninfeta perfeita. Escondia os seios com o braço esquerdo e com a mão direita tentava ocultar o tufo de pelos ralos e negros.

Acomodou-se de frente para mim. De cabeça baixa e tensa pelo inusitado da situação. Procurei quebrar o gelo, elogiando a beleza do seu rosto e os cabelos negros, lisos e sedosos. O que mais me excitava era a pele, branca e sedosa, sem qualquer marca. Pedi para ver os seios.

Ela recusou, ainda com o braço ocultando-os. Confessou que tinha complexo deles, que tinha o peito liso como tábua, da sua baixa estatura, da bunda, das feições, enfim, da sua insatisfação total com sua aparência.

E eu a contestei, elogiando o rostinho. Que muitos homens tem tesão por mulher pequena. Citei a música do Roberto Carlos. Que até mesmo entre os americanos, há os que não gostavam de peitos grandes. Que o conceito de beleza era subjetivo, sem padrão definido, cada um com gosto diferente, pessoal. Insisti puxando o braço que cobria os seios.

E os dois peitinhos apareceram, pequenos, mas, lindos. Meu pau já estava latejando de duro. Apalpei os montinhos, elogiando a firmeza. Me aproximei mais e beijei os biquinhos róseos. Um cheiro de menina moça. Comecei a chupá-los, dizendo o quanto eram bonitos, ¨isso que é peito, não aquelas coisas grandes, moles, caídas, siliconizadas¨. Senti que eles se enrijeciam na minha boca.

Pela respiração ofegante, percebi que Dani estava excitada. Enfiei a mão entre suas coxas e com o dedo médio passei a bolinar o grelhinho. Abracei-a, fiz ficar sentada na beira da hidro, enfiei a cara no meio das coxas.

Dani não reagia. Comecei a chupar a xaninha dela, lambendo e tentando colocar a língua dentro. Peguei sua mão, direcionando para minha pica.

Foi fácil pegar a menina no colo e sair da banheira. Os sacos plásticos que lacravam a toalha atrapalhou um pouco. Secamos como deu e praticamente, joguei-a na cama.

Estava louco de tesão. Meus elogios para aquela ninfeta gostosa eram sinceros. Continuei a chupada frenética, alternando beijões nos lábios daquela vulva delicada com lambidas, tentando penetrá-la com a ponta da língua. De propósito, fazia barulho para esquentar ainda mais o clima.

Ela deve ter gozado várias vezes na minha boca. Não ligava para seus reclamos de ¨para tio. Chega, para tio, para¨. Pedidos esse que pelo tom de voz, significava ¨mais, mais¨.

Subi em cima do corpinho e fiquei esfregando a tora na entrada da bucetinha. Me apoiava nos braços para não fazer peso e esmagar a delícia pequena e frágil. Fodia nas coxas, com a cabeça do pau deslizando nos lábios vaginais. Entrou um pouquinho. Tirei rápido, tentei continuar nas coxas. A insanidade me dominava. Enfiei de novo. Agora a penetração foi mais profunda. Ardeu um pouco.

Ela de olhos fechados, apertando as pálpebras, como sentindo dores.

- Está doendo? Perguntei preocupado.

- Só um pouquinho. Não para não. Respondeu com voz embargada.

E eu estava dentro de Dani. Buraquinho apertado e quente. Sentia o cacete preso. Passei a meter devagar, gostoso. Suas carnes apertavam meu mastro enfiado. Copulava e chupava ora um peitinho, ora outro. Ela por instinto, passou a rebolar, enquanto gemia cada vez mais.

Soltou um grito abafado e parou por completo. Inerte e entregue. Tive certeza que ela teve um orgasmo. Meti mais rápido e na hora do gozo, tirei para fora, ejaculando no seu ventre. Os jatos foram tão fortes que chegaram acima do umbigo.

Olhei meu pinto e tive um choque. Havia um pouco de sangue nele. Nas coxas dela e até alguns pingos no lençol. Quando chupei não havia sangue e nem cheiro de quem estava menstruada. Era o cabaço que havia rompido.

- Dani, você era virgem !

Então me contou que esse era o seu maior problema. Suas amiguinhas já tinham transado há muito tempo. Ela mentia que também tinha dado para os namorados. Mas sua insegurança, o complexo de inferioridade, a auto sugestão de que era feia e insignificante, não a deixava ir adiante. E morria de vergonha disso.

Disse o quanto ela tinha sido gostosa, maravilhosa. Melhor do que a maioria das mulheres que eu tinha comido.

Dessa vez entramos na banheira trocando beijos e na maior sacanagem.

O tempo era curto e Dani estava com a precheca dolorida.

As chances são escassas, mas na próxima vez, quero sentir aquele tesão de corpo peso pluma sentado no meu pau. E transar numa posição que vi em alguns filmes pornô. Metendo de pé, carregando-a de frente para mim, pendurada no meu pescoço. Não sou atleta, mas, o corpinho da Dani é ideal para essa trepada, uma das minhas fantasias.

*********************************************

Esta história teve continuação no conto ¨Comendo a sobrinha ninfeta¨. Para achar, clique no meu nome em ¨autor¨.

Comentários

29/06/2014 01:22:37
Ótimo conto.
26/02/2014 14:49:04
bom, cpnto
19/02/2014 09:10:56
Que delicia de conto so podia ser do sensei queria um tio assim hehehehe nota 1000000000000000000000000000000000000
22/01/2014 23:27:50
Ótimo conto, Muito bem narrado, nota 10
17/12/2013 09:10:08
Nossa, q sorte a sua Yuzo. Queria uma sobrinha dessas.
11/12/2013 08:33:20
DENTRE MILHARES DE CONTOS, ESTE É O QUADRAGÉSIMO-SEXTO MAIS VOTADO DO SITE, COM 87 VOTOS. Muito bem escrito, merece a nota máxima.
06/12/2013 16:50:50
Achei o conto excelente, por ser bem escrito, excitante e sem exageros vulgares. Recheado de momentos corriqueiros em família, transmitindo bem a veracidade da história. E que sorte da Dani de teres tu como tio. Beijocas.
10/11/2013 09:56:15
Muito bom seu conto.Tenho uma amiga que também é complexada assim, ela tem 28 anos e ainda não deu a perereca mas tem muita vontade de foder vou mostrar esse conto pra ela.
10/10/2013 10:41:00
Muito gostoso esse conto, fiquei molhadinha pensando como seria bom ter um tio desses. Parabéns.
07/10/2013 18:24:21
Com um tio desses fico toda molhadinha
29/09/2013 02:02:21
Obrigada Yuso. Dlc... se quiser me conhecer melhor, entra no facebook e procura esse e-mail aqui kahenninhajackson@hotmail.com aí a gente conversa melhor... beijo no...
20/09/2013 18:41:30
Que tio gostoso... Quero pra mim... Nota 10 seu gostoso do caralho!
16/09/2013 15:07:41
Yuzo, você sabe muito bem ganhar os seus leitores... Mas um conto rico, muito bom, com uma trama sem palavras... resumindo...Gozei litros! espero mais contos seus!
27/08/2013 16:58:30
Fico cada vez mais maravilhada com sua riqueza nos detalhes ...muito envolvente .
24/08/2013 07:14:48
Parentes do cônjuge sempre provocam tentações perigosas, como neste tio e o fruto proibido, a sobrinha problemática da esposa. Um conto excelente, que só não agradou os malevolentes abjetos ¨teixeirinha¨ que deu nota um e ¨vanessinhats¨, que deu nota dois (Para ver quem votou e que nota deu, é só clicar na nota do conto).
18/08/2013 15:23:07
Legal, cara! Bom texto!
15/08/2013 15:01:48
Conto da hora, brother! Eu queria namorar essa sobrinha rebelde. Deve ser uma cocotinha irada.
11/08/2013 14:01:26
Percebe-se que a rebeldia da Dani nada mais era do que falta de vara... Virgindade uma hora vai para o ralo mesmo; excelente conto.
10/08/2013 06:34:00
muito bom
14/06/2013 13:13:39
Hummmmm... adorei seu jeito de escrever. Dá uma olhadinha nos meus tbm..........
29/04/2013 14:00:58
Mais um 10 nobre colega! Vou ler todos, até o momento só tenho elogios. Quem me dera uma sobrinha dessas, certamente não perdoaria... mais uma coisa em comum...rs Acredito que esse merece uma boa continuação!
19/03/2013 18:59:18
Que delicia de conto... Eu me chamo Rubia e meu marido se chama Beto, ficamos com muito tesão após ler este conto... Temos um conto publicado neste site, o nome é: A procura de um amante" e é real. Temos um blog onde publicamos nossas aventuras, muitas fotos e assuntos relacionados a sexo. O endereço é: (www.rubiaebeto.comunidades.net) delicie-se com nossas fotos. Beijos molhadinhos... Rubia
14/02/2013 13:47:13
Parabéns novamente. Conto rico em detalhes! Excitante.
2F
21/11/2012 20:52:01
Como sempre me surpreendo com seus contos... Show...
18/10/2012 22:36:21
Caralho, mermão... parabéns de novo... outro dez... você fez por merecer
17/10/2012 19:30:38
amei, mesmo porque eu tenho uma sobrinha que adora dar para mim, vive aprontando e até marcou foda pela casa de contos, dez com louvor
16/10/2012 15:47:57
excelente conto
30/09/2012 11:02:29
adorei seu conto me deixou excitado........ garotas q qiserem curtir gostoso com um tiozão e so me add no msn: loironick69@hotmail.com
18/09/2012 18:01:31
Tb estou dando uns amassos na minha sobrinha, é muito bom, ja ate relatei o conto neste site, passa la pra conferir. Nota 10.
15/09/2012 09:34:38
bom conto,eu tenho sobrinhas que são uma delicio mas só as como em pensamento quando toco uma punheta!
08/09/2012 21:26:07
belo conto. adoraria tb comer uma ninfetinha assim. membrudo.18@gmail.com
06/09/2012 11:26:41
e muito exitante na hora q vc ve o sangue e descobre q acaba de rasga o cabacinho dela...NOTA 10
31/08/2012 08:21:31
O maior perigo está dentro de casa. Rss. Sei bem, como é tentador e com tantas chances facilitadoras alguém desejável próximo de nós. Adorei e digo, ganhou uma fã.
28/07/2012 02:21:42
Realmente um conto muito excitante!
30/05/2012 21:22:56
Tio, tambem sou pequenininha, tio! Beijo mais que quente, pelando, pra voce.
15/04/2012 01:04:39
A unica coisa que minha primeira relação tem em comum com esta,é que foi inesperada...Adorei esta.
14/04/2012 05:42:45
Hummmmm.... Gostei da trama toda!!! Olha, DELÍCIA de história... Apresenta prá mim essa ninfetinha gostosa!!!... ADORO garotinhas desmioladas!!! Aiai... Ué, prá quem vou dar NOTAS? Ah, para a Dani com unhas roxas e tudo - Nota: DEZ (ela tá precisando de um TRATO maneiro)... Pro corpinho mignon peso pluma - Nota: OUTRO DEZ (Sou louco por mulher pequena e ajeitadinha)... Para vc, tio safado - Nota: ZERO (nem olhou direito a tatuagem da menina)... e para a história, cheia de TESÃO - Nota: MÁXIMA... Mando um tapa na bunda do tio e uma bela PEGADA no corpo, seguido de uma longa e demorada MAMADA nos peitinhos da Dani... Valeu!!!... e XAU!!!
15/03/2012 22:47:06
Yuzo não tinha lido mesmo....ahahaha como sempre um primor...nossa como adoro uma sobrinha... nota dez com certeza...o termometro levantou é coisa boa na certa. abs. amigo Maximus0357
27/02/2012 11:06:00
sensacional
04/02/2012 06:24:05
Então, tá.... Todo mundo elogiou o conto, que, aliás, foi muito bom mesmo. Mas faltou comer o rabinho dela. Acho que ela, do jeito que foi encaminhada a coisa, não iria negar. Ou será que iria? Vai lá, come de novo, e, depois, com carinho e com afeto, come o cuzinho dela, bem gostoso.... Mas não se esqueça de contar prá gente, tá bom?
02/02/2012 03:09:51
ótimo conto! Muito bem elaborado e narrado, parabens. E quem quiser me add e-mail: lucaslopesmach@hotmail.com
01/02/2012 19:45:18
A-d-o-r-e-i ,nota mil,gostaria de uma ou duas sobrinhas assim,gatinhas,mignon,tudo de bom...Alguém se habilita? Sou um tiozinho que adora boa educação e muita sedução...
01/02/2012 01:07:21
Mais um ótimo conto! ^^ Sou sua fã!
26/12/2011 19:47:57
bem eu tenho 1,50m posso te chamar de tio tmbm?
19/12/2011 20:02:05
Excelente conto,estas mulheres mignon são demais,também transo com a minha cunhadinha mignon,quando comi ela já não era mais virgem na bucetinha,mas fui eu que tirei a virgindade do cuzinho dela,clique no meu comentário e leia as transas que tive com a minha cunhadinha,com a minha irmã e a sua empreda e por fim com a minha sogra.
19/12/2011 14:44:20
adoro ninfetas e esse conto está fantástico !!
19/12/2011 14:17:48
muito.bom se as minas ai quiserem é so me add(dagoogan@hotmail.com)
19/12/2011 14:07:24
corajoso!!!, comi a sobrinha da minha esposa e não tenho coragem de relatar!!!
08/12/2011 23:26:09
Tadinha dessa Dani. Eu também fui adolescente rebelde e apesar do que os outros pensavam, com a cabeça no lugar. A menina de desmiolada não tinha nada, tanto que era virgem e com certeza, guardou para uma ocasião especial, como a narrada por você. Cuide bem dessa perola que vai ser, uma jóia de mulher.
21/06/2011 18:12:18
ABSURDAMENTE FANTÁSTICO SEU CONTO... EXTASIANTE...ENEBRIANTE...
01/06/2011 16:43:21
Putzgrila!!! 1,50 m 40 kg, é o numero que eu calço, sou vidrado em mulher do tipo "mignon" e se for ninfeta iniciante, melhor ainda! Não quero dizer que essas iniciantes sejam melhores que as maduras "mignon" (já tomei cada surra de cama destas) mas as novatas tem a vantagem do desconhecimento de todos os meandros do que e no que podem ser ensinadas e é tão gostoso iniciar estas "carnes frescas". Também sou contra esses seios siliconados e bundas esculpidas monstruosos que tomou conta da midia, o natural e não "despinguelado" ainda é o melhor. Parabéns, Yuzo, excelente conto com estética e português impecáveis. Por um acaso és nipodescendente? Esse nome parece revelar essa ascendencia. Ao conto nota MMIIIRRR!!!!
10/05/2011 10:48:45
Adoro uma ninfeta e sobrinha ainda é demais! 10!
09/05/2011 20:04:55
haha tenho que rir... serio mesmo~~ você disse que era so por brincadeira... resumindo não tinha a intenção de comer ela? certo ... mais você ao mesmo tempo tinha -.- penssa entra num local sozinho com uma garota linda que nem ela... os dois nús e ainda ela toda timida -.- mesmo que ela quisse sair você não ia deixar kk
28/04/2011 21:01:34
safadissimo vc !! rsrsrs
17/04/2011 18:23:30
Também quero um tio desses ui
17/04/2011 15:30:14
15/04/2011 16:57:39
Muito bom, espero que tenha continuação.
15/04/2011 13:47:45
adoravelmente simples e provocante.... uma sobrinha... uma viagem.. conversas desinibidas.... LOUBO MAL E CHAPEUZINHO... sózinhos e entregues ao desejo... MARAVILHOSO. garotas da região de Bauru/SP add spfc7332010@hotmail.com
08/04/2011 11:10:53
Conto escrito de maneira impecável e com conteúdo. Excitante, porém, acho que faltou um pouquinho mais de ação. Nota 9.
28/03/2011 20:48:39
conto legal, mas nao leva a mal, mas qro conhecr a sua sobrinha
27/03/2011 20:15:50
Amei! Fiquei molhadinha... Você deve ser uma delícia de titio.
15/03/2011 16:16:59
Parabéns pelo conto!! Elegância e veracidade. Sem aquelas gostosas de filme pornô, uma gatinha tímida em sua primeira vez faz uma história muito legal.
13/03/2011 19:44:10
Mais um belo conto, meu amigo. Você escreve muito bem, parabéns.E consegue passar muita excitação através das suas histórias, sejam verdadeiras ou falsas.
10/03/2011 20:05:14
como vc escreve bem to adorando ler seus contos, sempre que tenho tempo faço questão de ler seus contos, procuro inspiração. por favor se vc puder entre em contato comigo meu e mail é mariasousa89@yahoo.com
07/03/2011 22:57:00
Muito bom texto! Estou gostando da sua escrita, da clareza, da objetividade e principalmente da ousadia ao abordar tabus e, ao mesmo tempo, fazer disso algo excitante. Claro que é DEZ!
17/02/2011 06:24:30
Adorei o conto. Excitante, a se na minha epoca eu tivesse um titio como voce. rsrsrsrsrsrs
31/01/2011 15:03:01
MUITO BOM ESSE CONTO, ME DEIXANDO EXCITADO, PARABÉNS...
30/01/2011 14:05:02
gosto de jeito que relata seus contos, sempre com um português impecável, vou continuar a ler esses contos diferenciados...beijinhos
27/01/2011 17:07:45
Muito bom. Voce escreve muito bem. Não é vulgar, e é excitante. Continue. Abraços.
27/01/2011 15:27:10
muito bom conto!escreve mais!
27/01/2011 14:10:02
27/01/2011 14:07:00
Excelente
24/01/2011 13:10:52
Adorei! Excitante e bem escrito. Dez!
22/01/2011 11:09:27
Excelente, também já transei com minha sobrinha, inclusive relatei neste espaço com o título de "tio cachorrão", adorei e me excitei muito, nota 10.
19/01/2011 11:18:27
Excelente conto. Nota 10! Tenho sobrinhas uma mais gostosa que a outra. E com uma delas, já tenho um caso faz três anos. A narrativa estava excitante.
17/01/2011 00:52:56
Hmmm. Conto excitante. Meu msn: bipiapa_11@hotmail.com
17/01/2011 00:39:35
Me deixou muito exitada gostei....
16/01/2011 04:50:57
Me deixou muito exitada, muito bom mesm. Parabens!
16/01/2011 02:32:21
Muito bom, aguardo a proxima aventura.
16/01/2011 01:52:10
Ótimo conto! Narração perfeita e extremamente excitante. Dez com certeza!

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.