Casa dos Contos Eróticos

Feed

No colo foi só o cu, mas depois... ! [NO SOFÁ DO PADRINHO] *-* Crônicas da iniciação sexual - Ep.VI

Categoria: Heterossexual
Data: 14/01/2011 17:53:39
Última revisão: 11/02/2013 15:04:15
Nota 9.56
Ler comentários | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

Um fim de tarde nunca me pareceu tão melancólico quanto aquele, no dia do meu aniversário de dezoito aninhos. Eu saía da casa do padrinho e me sentia atormentada. Não me conformava por tê-lo deixado fazer o que fez, mas... Já estava feito e não adiantava ficar me lamentando. Entretanto, quando me lembrei do dinheiro que ele pôs no meu bolso, já me animei um pouco. Mais ainda, quando dei uma conferida e vi que ele tinha sido muito generoso... UAU!... Valeu...

O sol já se punha no horizonte. Voltando pra casa, eu tentava me apressar, mas não conseguia... Minhas pernas estavam tão bambas, que eu mal conseguia caminhar. Meu quadril estava todo dolorido, os glúteos pareciam adormecidos e pra piorar ainda mais... Aquela porra gosmenta que o padrinho gozou em mim, escorria pra fora e me fazia arder o cuzinho, já todo fodido de verdade.

Chegando a minha casa, já tinha anoitecido e pra completar minha desventura, ainda levei a maior bronca e quase tomei uma surra. Felizmente, eu consegui enrolar a minha mãe, com aquela desculpa de sempre... Fui estudar em grupo, na casa de uma amiga.

No dia seguinte, quando eu ainda me ressentia toda, daquela minha primeira experiência, atendi ao telefone e levei o maior susto. Era o padrinho. Ele nunca ligava lá pra casa e quando reconheceu minha voz, já foi logo me dizendo...

Que ligou pra saber de mim... Se eu estava legal e tal... Que precisava muito “falar comigo”... E que na segunda-feira, no mesmo horário... Estaria me esperando?... Ah!... Tá bom... Mais que depressa, eu tentei é dizer que não, mas ele nem me deixou falar e completou dizendo...

Que eu não podia faltar e que já tinha até me reservado, outro tanto de dinheirinho pra me dar. Nossa!... Depois desligou e me deixou toda preocupada. Eu não queria mais nada, não. Mas se eu não fosse, corria o risco dele ficar ligando lá pra casa e isso poderia deixar a minha mãe bem desconfiada.

Naquele fim de semana, o tempo todo eu vacilei e só pensava naquilo... Oh! Não... Eu não queria fazer outra vez, aquelas coisas... Porém, aquele telefonema do padrinho me arrebatava. Parecia que eu não tinha escolha. Por outro lado, pensando bem... Não me custava nada, dar uma passadinha por lá. E o dinheirinho também valia né?... Éh... Mas eu iria só mais aquela vez e pronto. Todavia, mesmo pensando assim, a dúvida ainda me atormentava. O que fazer?... Oh! Dúvida...

Entretanto, na segunda-feira eu já me sentia melhor e quando encontrei a Bia no colégio, até me esqueci das dúvidas. Ela já chegou me dizendo que depois das aulas, tinha que dar uma passadinha lá no parquinho, pra saber das coisas... E queria que eu fosse também. Toda animada, já foi me contando que na sexta não deu... Mas que o tal de Argemiro, prometeu que falaria dela ao diretor do comercial, assim que terminasse a gravação. Putz!... O pretexto que me faltava. Não dava pra negar, eu tinha de ir com ela, já sabendo que muito provavelmente, o padrinho estaria me esperando por lá. Eu não teria escapatória...

Logo depois das aulas, saímos do colégio e sem perda de tempo já seguimos no caminho, mas quando chegamos ao parquinho, encontramos tudo fechado. Era dia de folga do pessoal e não se via ninguém. Foi uma decepção, até que escutamos...

- BIA... BIA...

Só naquele instante notamos que lá no fundo do parquinho, tinha um pequeno trailer de onde o tal de Argemiro acenava e chamava a minha amiga. A gente não entendeu nada. Daquele cenário cheio de gente na sexta-feira, só restava ele?... Não sei não, ali tinha coisa, mas a Bia estava tão deslumbrada com a possibilidade de ser modelo, que não quis nem saber e atendendo ao chamado, foi até lá.

Enquanto ela foi ao trailer, já resolvida, eu fui indo ali pra casa do padrinho e nem bem me aproximei, já o vi na janela da sala me fazendo sinal pra entrar. Já no portão da casa até dei uma vacilada, mas... Quando eu olhei lá pro parquinho e já vi a Bia sumindo, lá pra dentro do trailer... Fui impelida a fazer a mesma coisa e meio que sem pensar, lá fui eu também atender um chamado... O padrinho queria muito “falar comigo”...

Que loucura!... Caminhando em direção a porta, me deu até tremedeira. Mais ainda, quando eu vi que todo apressado, o padrinho já cuidava de fechar as cortinas da sala. Não tive mais dúvidas, ele queria privacidade pra me ter, outra vez... Oh! Não... Aí... Caiu a ficha. O meu cuzinho ainda doía por causa daquele estrago que ele me fez e, além disso, eu ainda tinha uma virginal buceta pra zelar... Oh! Não!... Na buça, não. Meu sonho de casar virgem, ainda não tinha morrido, apesar de já ter deixado... Ele me por na bunda.

Já defronte a porta, eu ainda vacilava e quase dei meia volta pra fugir, mas... Lentamente, ela já se abria e meio que escondido por detrás dela... Todo ansioso e mais que depressa, o padrinho já me fez entrar. Seu modo de agir, já denunciava o nosso condenável encontro. Só depois de espiar lá fora e constatar, que não tinha ninguém de olho na gente, foi que ele se mostrou sossegado. Então, fechou e trancou a porta. Quando se voltou pra mim, sem querer bati meus olhos na sua genitália e através daquele tecido fininho, do pijama que ele usava, não pude deixar de ver, que o seu pau já estava até duro. Nossa!... Que situação...

Naquela hora, já senti o meu rosto enrubescer e toda sem graça, eu lhe disse... Que estava dando uma passadinha, só pra conversar, mesmo... Que agradecia a sua oferta e que não queria mais dinheirinho, nenhum... Que não era certo e que me dava até vergonha. Entretanto, enquanto eu lhe dizia aquelas coisas, ele já me conduzia pra junto dos estofados e já me envolvia com as suas artimanhas. Sentou-se no braço de um sofá, com as pernas abertas e segurando no meu pulso... Já foi me puxando pra bem juntinho dele... Já foi me cochichando no ouvido...

- Amor de afilhada... Não precisa ter vergonha, não... Não tem nada de mais, ganhar dinheirinho... Viu?... Padrinho é pra isso mesmo... Sabia?... ss... Vem cá, vem... ss... Dá uma pegadinha, dá... Meu amor!... ss... Só um pouquinho, vai... ss...

Enquanto me enrolava, com aquele cochicho safado... Ficava roçando seu peito contra meus peitinhos e sem ter largado do meu pulso... Fez a minha mão pousar, bem no mastro daquele circo no seu pijama... Ah!... Que susto. Meu reflexo foi de tirar a mão, mas ele me segurava tão firme, que logo desisti e já entendi que era pra pegar mesmo.

Oh! Não... Eu não acreditava... Pela primeira vez, estava pegando no pau de um homem. Eu nem sabia o que fazer com tudo aquilo, mas ele logo me ensinou. Movimentou a minha mão e me fez entender, que era pra dar umas apalpadas, aí... Timidamente eu fui fazendo. Vendo que eu já tinha entendido, de novo ele pegou no meu pulso e direcionou minha mão pra dentro do pijama... Nossa!... Agora eu já pegava direto no cacete e o bicho até latejava na minha mão, enquanto o padrinho me fazia entender, que era pra mexer de outro jeito... Pra cima e pra baixo, aí... Eu fiz. Eu nunca tinha visto um cacete, muito menos feito aquilo, então... Ele baixou o calção do pijama e deixou tudo de fora... Putz!... Quase morri de vergonha, mas...

Mesmo encarando tudo aquilo de fora... Continuei fazendo daquele jeito, pra cima e pra baixo. E enquanto eu fazia aquilo, nem vi de onde ele tirou aquela sua gorda carteira, de dinheiro. Só vi quando ele já pegava um monte de notas, que logo já foi pondo no bolso da minha blusa e no mesmo tempo, foi se aproveitando pra acariciar meus peitinhos. Daquele jeito, ele foi ganhando a minha confiança e lentamente, desabotoou e abriu toda a minha blusa. Eu nem usava sutiã e já quase despida da blusa, vi o meu peito nu servindo pra ele... Os dois moranguinhos!... Um de cada vez, entrava todinho na sua boca e recebia os afagos da sua língua...

Nossa!... Ser mamada daquele jeito era uma sensação tão maluca, que até me fez perder o recato e absurdamente, senti também o desejo de mamar. Minha boca salivava e sem querer, eu me revelava engolindo seco.

Percebendo a minha fraqueza, carinhosamente ele segurou a minha cabeça com as duas mãos e sutilmente foi fazendo eu me abaixar, até que acabei me ajoelhando e fiquei de cara com aquela puta pica dura. Minha Nossa!...

Eu já nem raciocinava direito, instintivamente entreabri meus lábios, então... O padrinho só deu uma puxadinha na minha cabeça e... Pronto... Um estranho gosto de pica quente invadiu a minha boca. Quase me engasguei, mas logo me acostumei e comecei a mamar... Igual ele mamou nos meus peitinhos.

Que loucura!... Só a cabeça do pau, já me deixava de boca cheia. Não dava pra chupar tudo, mas o que não cabia na boca, eu cuidava com as mãos. Um estranho dever de servidão, novamente me impelia a dar o melhor de mim. Parecia até que eu estava embriagada. Cada vez mais, eu abocanhava mais e mais.

Enquanto eu fazia aquela loucura... O padrinho continuava segurando e acariciando minha cabeça. Dava pra ver que ele estava adorando, mas num certo momento, percebi que ele já estava quase gozando na minha boca. Aquilo era uma coisa que eu não queria, não. Fiquei meio que aflita, sem saber o que fazer, no entanto, ele também não queria, não. Calmamente afastou minha cabeça, foi tirando o pau da minha boca e já foi me fazendo mudar de posição...

Com ele por trás de mim, tive que me ajoelhar no carpete e debruçar no assento do sofá. Daquele jeito, com a blusa toda aberta... Senti sua pegada bem nos peitinhos... Pronto!... Lá estava eu de novo, agarrada por trás e de jeito pra ele me ter outra vez. Oh! Não... Logo pensei no meu cuzinho, todo dolorido e já me apavorei toda. Não ia dar pra aguentar, não. Então, comecei a choramingar e tentei dissuadi-lo...

- Não, não... Padrinho!... Hoje tá dodói... Outro dia, tá?...

Entretanto... De nada adiantava eu me fazer de coitadinha. Sem me dar ouvidos, suas mãos foram acariciando minhas coxas e levantando minha saia, até chegarem ao elástico da calcinha, aí... Pouco a pouco, minha calcinha foi sendo arriada e eu fui sentindo a bunda ficar toda de fora, enquanto ao mesmo tempo e com a voz até embargada de emoção, ele me cochichava...

- Filhinha!... Fica sossegada... Só quero dar um beijinho...

- Vamos baixar tua calcinha... Assiiimm... Assimm!... ss...

- Noooossa!!!... Que coisa mais linda! Do padrinho... ss...

Naquele instante... Eu já não conseguia dizer mais nada. É como dizem... Quem cala consente. Também, né!... Naquele ponto, eu já não tinha mais volta. Só me restava mesmo, ficar bem boazinha e esperar pra ver, o que mais ele queria fazer. Desconcertada e encabulada, fiquei só sentindo a sua passada de mão na minha bunda, até que de repente...

Ele abriu minhas nádegas, escancarou tudo e abismada... Eu senti sua boca chupando e a sua língua profanando, a minha virginal buceta. Nossa!... Dava até pra sentir a sua cara, enfiada na minha bunda. Minha vergonha foi tanta que até escondi o rosto, enfiando a cara no almofadão do sofá... Que horror!...

Era uma situação de “fuder”... Sua língua trabalhava na minha buceta e também no meu cuzinho, mas quando era nele, notei que ficava empurrando saliva lá pra dentro, deixando-o cada vez mais encharcado. Eu até achei, que era só pra curar o meu dodói, mas o meu cuzinho estava tão dolorido, que nem adiantava nada. Por outro lado, apesar do dodói, até que eu já estava gostando daquela língua safada, que fazia a minha buceta ficar babando cada vez mais.

Só sei dizer, que aquela situação me deixou tão inebriada, que eu já nem me dava conta de mais nada. E só sei que de repente... Já senti a cabeça do pau, bem na entrada da buceta. Oh! Não... Eu estava pra ser deflorada! Mesmo assim... Já nem reagia mais. O sacana tinha me preparado de tal jeito, que na verdade mesmo... Eu já estava até quase pedindo... Pra ele enfiar o pau.

Meu sonho de casar virgem, literalmente estava indo pro cacete... Só a cabeça já tinha entrado, mas pouco a pouco, senti o cacete me rasgando toda pra entrar mais, até que... Foi tudo!... Meu cabacinho nem teve chance... Foi direto pro cacete. Um misto de dor e espanto tomou conta de mim. Aquele pauzão, já estava todinho dentro de mim. Nossa!... Eu já não era mais moça. O padrinho tinha me feito... Mulher!...

Pasmada com tudo aquilo... Fiquei gemendo bem baixinho, enquanto ele se acomodava mais ainda, então... Naquela posição de cadelinha, eu senti o peso do seu corpo me cobrindo toda e lentamente... Ele começou a me foder. Seu pinto grosso e comprido terminava de me arrombar. Em cada enfiada... A glande me molestava bem fundo, lá no útero. Sua barba por fazer, arranhava no meu rosto e me deixava à pele em fogo. Eu me sentia tão maltratada com tudo aquilo, que até perdi o tesão e já fiquei torcendo, pra ele acabar logo.

Enquanto eu esperava ele gozar, me dei conta que era sem camisinha e até me preocupei, mas... O padrinho sabia das coisas e depois de me aprontar na buceta, ele me soltou esse cochicho...

- Filhinha... Que gostoso!... ss... Já quero gozar, mas... ss... Fica sossegada, fica... Não vai ser na buceta, não... Viu?... ss...

Naquele momento me senti aliviada. Todo cheio de cuidados, ele me tirou o pau da buceta, mas... O meu alivio não durou nada, não. Logo já entendi que o que ele queria mesmo, era gozar no meu cuzinho, já todo fodido. Nossa!... Toda medrosa eu supliquei...

– Nãããoo, nãããoo... Padrinho! Por favor... Nãããoo!!!...

Mas, ele não me ouvia, não. A cabeça do pau já começava a entrar e num último esforço, ainda tentei sair fora me arrastando sobre o sofá, entretanto... Um dos almofadões acabou embolando por baixo do meu quadril e eu fiquei toda enroscada. Pra piorar ainda mais, minha bunda ficou toda empinada e sem querer, acabei ficando do jeito que ele queria. Foi uma festa pra ele e antes que eu tentasse me safar de novo, ele enfiou os braços por baixo do meu peito, enganchou as mãos nos meus ombros e me deixou sem escapatória.

Daquele jeito, fiquei completamente dominada e com todo o seu peso em cima de mim... Foi! E quase de uma vez só... Entrou tudo!... Pela segunda vez, eu estava dando o cu pra ele, mas dessa vez... Nossaaa!!!... Senti meus olhos arregalarem e feito uma louca, deixei escapar lá do fundo da minha garganta, um urro desesperado. Chorei e me debati toda tentando me libertar, mas... Aquilo só fazia o pau rodopiar intensamente, dentro de mim. Sem querer, eu estava fazendo do jeito que o padrinho gostava e ainda tive que escutar ele me cochichar, alguns absurdos...

- iisSSssuu!!!... Maria Aliiissci... ss... Mexe, mexe... ss...

- Com toda essa bunda... É disso que você precisa... ss...

- Um pauzão no cu, viu?... ss... aahhh!... ssSSs!... aahhh!...

Nossa! Custava-me crer, que aquele era o meu padrinho. Ele parecia um tarado me estuprando, mas eu tinha que perdoá-lo, afinal... Eu sempre fui sua queridinha e sempre me aproveitei disso e naquele momento... Era a vez dele.

Por fim, eu já estava tão exausta, que acabei ficando prostrada e me entreguei de vez. A dor já tinha até passado, mas só de manha eu continuei choramingando e mesmo assim, ele não se importava, não. Na maior tranquilidade me continuou fodendo, até que finalmente...

Virou minha cabeça de jeito, sufocou meu choro num puta beijo de língua e me apertando mais forte ainda, contra o cacete... Começou a gozar que nem louco. Uma explosão de porra me inundou por dentro. Aquilo me ardeu no cuzinho e esquentou que nem brasa, nem sei como aguentei. Foi um alívio quando ele tirou o pau e saiu de cima de mim, mas eu estava me sentindo tão acabada, que mal conseguia me mexer.

Quando ele me viu seminua, daquele jeito todo... Com a saia erguida pra cima da cintura... De calcinha arriada e de bundão empinado... Toda largada e toda fodida... Acho que pra tentar me reanimar, o filho da puta me exibiu aquele puta cacete, ainda meio duro e todo lambuzado de porra, pra me dizer...

- Minha putinha!... Olha só, o que você já aguenta... No cu e na buceta... Daqui pra frente, nem vai doer mais, viu?... Sua safadinha!...

Arrrghh!!!... Que raiva!... Que ódio!... Quando ele me falou aquilo, mais que depressa me levantei e corri pro banheiro... Sentei na privada e senti aquela porra toda que eu tinha levado, escorrendo pra fora. Quando me limpei, senti que o meu cuzinho estava todo inchado e devia estar bem fodido, porque ardia pra caralho. Chorei de raiva.

Saí do banheiro ainda com cara de choro, com as pernas bambas e toda quebrada e de tão revoltada que estava, fui embora sem nem olhar pra ele. Já na rua, encontrei minha amiga Bia saindo do parquinho e... Nossa!... Ela também estava com cara de choro, tinha o cabelo meio bagunçado, que nem louca e, além disso, caminhava toda desengonçada... Tinha perdido o rebolado. Putz!... Logo já entendi. Com certeza, o seu cuzinho também devia estar daquele jeito... Ardendo pra caralho!...

Nós nos entendíamos tão bem, que nem era preciso dizer nada, simplesmente nos abraçamos e nos derramamos em lágrimas, como se fosse o dia da nossa coroação...

A gente logo entendeu que tinha acabado de levar...

O cetro de miss bumbum!...

...

<><><><><><><><><><><><><><><><><><><><><><><><><><><><>

QUER SABER O QUE ACONTECEU COM A BIA LÁ NO TRAILER?

Leia o episódio VII: E lá no trailer Bia também... ãããiin!...

<><><><><><><><><><><><><><><><><><><><><><><><><><><><>

NOTA: Este conto é um remake do meu conto NO SOFÁ DO PADRINHO que originalmente publiquei aqui na Casa dos Contos em, mas por questões de princípios contra a pedofilia, foi removido e agora volta com a devida adequação.

<><><><><><><><>><><><><><><><><><><><><><><><><><><><<><>

Também no Fantasy Island com ilustrações – LINK:

http://docs.google.com/gview?url=http://www.fantasyisland.com.br/contos/261.pdf&chrome=true

Comentários

08/03/2014 10:36:57
Uma ninfeta que em troca de agrados financeiros, deixa o padrinho safado a deflorar, além de sodomizar novamente. A autora é a melhor do site em descrever o gênero anal. Conto para estar entre os melhores, se não tivesse sido detonado pelo débil mental sórdido ¨Gato Maroto¨, que deu nota um.
26/10/2013 16:34:43
Fico babado literalmente...Mas é óbvio que não fico no zero com o pau na mão....
06/10/2013 19:43:06
As duas literalmente se fuderam... O conto atingiu o seu clímax no momento da penetração anal por parte do padrinho; excelente.
03/09/2013 14:04:38
vc escreve os melhor contos do cdc !!!
05/05/2013 16:36:13
SEUS CONTOS SÃO OS MELHORES JA QUE VI....GOZEI MUITO COM ELES.
25/01/2013 12:35:01
garotas q quiserem gozar gostoso e so me add no msn: loironick69@hotmail.com
25/01/2013 12:34:19
garotas do litoral d sp e demais localidades q quiserem realizar suas fantasias e gozar gostoso e so me add no msn: loironick69@hotmail.com
23/01/2013 21:39:06
Garota, vc é sexy até a alma. Parabéns Lu. 10
17/01/2013 12:22:46
alns(AUGUSTO)... Você entendeu o espírito da "coisa" nos meus contos e gostou... Agradeço pelos seus comentários e pelos "cachezinhos" também. Depois leia os outros, acho que você vai gostar... =-)
15/01/2013 21:02:54
D++++ ameeeiii!!
07/01/2013 16:33:26
Eu agradeço muito, muito, muito, a todos vocês que comentaram... Ah!... Como seria bom ter opiniões de mais leitores. Pessoal... E aíh?... Não custa nada, né?... =)
23/12/2012 07:02:59
Lu, hoje alguém vai padecer no paraíso...Preciso de um cuzinho urgente.
29/08/2012 14:41:30
Menina seus contos me deixa maluquinha, tiro proveito deles acompanhad ade meu marido ou mesmo sozinha, rs são os unicos contos que leio repetidos e causa o mesmo prazer comose fosse a primeira vez, simplesmente maravilhosos, adoro cada um deles, parabéns. Obs: aguardo uma vizintinha, bjks http://www.casadoscontos.com.br/perfil/153415http://www.casadoscontos.com.br/perfilhttp://www.casadoscontos.com.br/perfil
05/03/2012 08:03:48
EXCELENTE... (tronyallan@hotmail.com)
01/10/2011 18:01:01
legal adorei eu conto
01/10/2011 15:00:54
Nota? 10 é claro. E para todos os seus contos 10 também
27/08/2011 22:07:00
LU, parabéns... muito bem escrito. Vou procurar os demais. Sou novato aqui, mas adorei... Vou mandar prás afilhadas...rss
27/08/2011 22:05:50
Parabéns, muito bem escrito... Vou mandar prás afilhadas....rss. Nota 10 com louvor. Vou procurar os outros...
13/07/2011 09:41:18
Leio... releio... e sempre sinto tesão... é uma delícia esses contos... Tou sempre pronta para dar a bunda, mas lendo isso dá uma "urgência" rsrsrsr
02/07/2011 11:38:01
mi add ai po(dagoogan@hotmail.com)nota 10 bjssssssssss?
27/06/2011 04:42:10
10
14/05/2011 09:28:12
Mais uma vez viajei aqui na fantasia me colocando no teu lugar; que delícia.. rs
27/04/2011 12:12:07
muito bom... reli e senti a buceta melada de novo...
19/04/2011 09:40:33
Um tesão de conto. Muito bom. Parabéns
04/04/2011 08:36:37
ssSS aahhAHAH, delícia de conto, menina! Excitante ao extremo. Amei.
27/03/2011 13:38:03
Maravilha d conto, hein Lu? Ja li e reli seus contos inumeras vezes. Vc escreve muito bem, e o melhor, cnsegue passar erotismo para o leitor! Parabens, nota 1000!
19/03/2011 08:21:06
ÓTIMO CONTO.
16/03/2011 09:52:23
Adorei o conto. Maravilhosamente bem escrito, como todos os outros. Toda primeira vez, quando bem narrado, é bem excitante! Acabei de publicar meu ultimo texto neste site. Se puder, leia ele. Beijos.
16/03/2011 07:47:15
deu para entender seu recado.....
15/03/2011 10:27:29
vai demorar o ano todo pra colocar um conto novo? novo naum revisado kd a continuação de Quem procura... Leva!... ss...? e so vou da nota quando vc começar a por contos novos
14/03/2011 15:12:17
Conto maravilhoso! Todos muito bem escrito, mas este, narrando o safado do padrinho te deflorando, foi demais! Estou adorando ler seus textos.
13/03/2011 22:31:45
bom relato
10/03/2011 20:34:58
Ibssz... Você avacalhou o meu conto, porque achou que não transmitia credibilidade e baseado nisso me deu um quatro. Por isso, eu removi o seu comentário e retribuí a gentileza. Agora, não sei como a sua cabeça vai ficar, mas vou te revelar uma coisa... Essa história que é a cegonha que traz os bebês... É tudo mentira, como quase tudo o que escrevem aqui no site. Outra coisa, pelo que se vê, você não sabe nem como funcionam os votos. A gente só pode votar uma vez em cada conto. Isso de você achar que o “ranking” é duvidoso, porque os meus contos tem muitos votos meus, não tem sentido. Só tem um voto meu em cada conto e isso todo o mundo faz, pode conferir. Você também faz. Eu vi o dez que você se deu no seu conto... Sorry... Brigadão pelo dez... Bye-bye... =-)
10/03/2011 11:02:27
Prezada Lu. Não escrevo com o objetivo de constar nos melhores do site. Escrevo porque me dá prazer, gosto de ouvir críticas pois isso aprimora minha técnica. Sabemos que o ranking é duvidoso, pois no seu caso, cada vez que voce responde algum comentario, voce dá nota 10 pro seu conto. Então, esse ranking pra mim não serve. Pena que voce deletou a critica. Demonstra que ainda não amadureceu o suficiente. De qualquer maneira, continue escrevendo. Voce tem futuro. E se observar, dei 10 pra outro conto seu. Não sou rancoroso. Beijos.
05/03/2011 21:31:17
eu adorei o outro conto do sofa. e agora esse e maravilhoso. bjs.
04/03/2011 21:19:06
Seus contos são maravilhosos. Eu não me canso de relê-los. Escreva mais. Parabéns.
04/03/2011 12:53:28
CADE OS CONTOS NOVOS OU SO VAI FICAR REVISANDO?
02/03/2011 11:24:46
Gatinha Sapeca!... Fico feliz por saber que a sua imaginação interage com os meus contos e te leva aos prazeres... Aproveite. Na imaginação tudo pode. Depois conta pra nós, tá?... rs... Ah!... De onde será que eu moro longe?... Como assim?... Brincadeirinha... Brigadão por tudo... Beijaaaauuumm... =-)
01/03/2011 01:32:01
Queria ter uma amiga como vc para trocar confidências...rs... pena que vc more longe... bjinhos e nota mil!!!
26/02/2011 03:42:11
não me canso de ler teus contos,sempre fico louca de tezão,e toco uma siririca deliciosa.sem dúvidas,nota 10
19/02/2011 13:56:42
Delicia de conto! É mulher? Gosta de Mulher? No site http://www.mulherdemulher.webs.com/ você pode conhecer mulher que gosta de mulher, e ainda pode obter seu cartão pré-pago internacional e ganhar 50,00 em dinheiro por cada amiga indicada. Cada amiga ao indicar outra lhe dá mais 50,00 em ganhos em seu cartao! Ganhe dinheiro para encontrar uma nova amiga ou um novo amor! Ligue Roberta Criadora e Coordenadora do Clube Mulher de Mulher
16/02/2011 16:15:14
Ótimo conto!
12/02/2011 06:45:46
Otimo conto, historia bem desenvolvida de um erotismo impar. Parabens! Casadinha tambem quer um padrinho. rsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrs
10/02/2011 15:58:58
curioso!! eu tenho a satisfação de dizer q li a primeira versão destes contos e cheguei até a procurá-los para ler novamente ha algumas semanas...e reencontrei por acaso aqui... O conto sobre a bia no trailer era um de meus favoritos, pena que vc ainda não "repostou" aqui...toh esperando!!! [10];
08/02/2011 10:51:38
Humm... É de matar o véio
02/02/2011 11:06:22
Maravilha de conto! Aprovado com mérito pelas minhas duas cabeças. A nota só pode ser 10! Entre ¨tio¨ Argemiro e o padrinho é melhor este último. Pelo menos era gratificada.Rs. Excelente mesmo.
31/01/2011 16:08:45
Lu o dez é pela qualidade dos contos...não pela reciprocidade. Vc está entre as minhas autoras prediletas... nota 1000 pra vc! maximus0357
31/01/2011 14:41:28
EXCELENTE CONTO, DESEJARIA MUITO PODER LER OS CONTOS QUE VOCÊ SE REFERE, "NO COLO DO PADRINHO, NO SOFÁ DO PADRINHO", FICO EXCITADO SÓ DE PENSAR NA SUA NARRATIVA, POIS ESCREVE MUITO BEM, PARABÉNS.
31/01/2011 14:38:34
30/01/2011 14:35:33
Um engano imperdoável. Só atribuível à emoção após leitura tão gostosa. Nota 10, com certeza!
30/01/2011 09:09:52
Poxa! vallete... Pelo seu comentário você sabe das “coisa” e mesmo assim, esqueceu das notas?... Não deu nenhuma?... Pô!... Faça-me o favor, né?... A gente merece... Brigadão... =-)
30/01/2011 01:08:24
Leitura fácil, agradável, uma delícia, mexe com a gente. Essa excelente coleção de contos prá lá de eróticos me faz lembrar a grande vantagem que nós, os coroas, temos com as ninfetas, meninas novas carentes de um trato diferenciado, que as deixa moles e, quase sempre, viciadas em razão justamente dessa atenção e carinho super especial que só nós sabemos fazer. Um beijão prá você. val (valdgalvao@uol.com.br)
28/01/2011 21:43:15
Muito bom mesmo
28/01/2011 17:12:48
Realmente o que torna eses contos veressímeis é o uso de um português correto e bem criativo. Excelente conta, tanto peo conteudo de putaria com pela correção gramatical. Nota dez. Comtinue escrevendo. Com a prática seus contos farão qualquer leitor se acabar sem nem mesmo tocar na pissa. Rudy
28/01/2011 15:26:32
adorei esse conto! enquanto eu lia, viajava na imaginação tentando colocár-me no lugar de seu sortudo padrinho, e a sonhar com uma delícia dessa, de afilhadinha! parabéns! e a minha nota não poderia ser outra senão,10!!!!!!!!
28/01/2011 08:34:13
Gostei! É muito bom dominar uma cadelinha!
27/01/2011 23:28:18
Agradeço o comentário e informo: Originalmente publiquei neste site em– No colo do padrinho; em– No sofá do padrinho; e em– No trailer do parquinho, mas por questões de princípios contra a pedofilia, foram removidos. Estes são os remakes daqueles contos com a devida adequação. É isso... Bye-bye... =-)
27/01/2011 22:00:03
SO PRA ME REFRESCARA MEMORIA, VC JA POSTOU ESSE CONTO EM OUTROS SITE NE. LEMBRO DE TER LIDO ELE EM ALGUM OUTRO LUGAR. SENSACIONAL. MUITO BOM MESMO.
27/01/2011 15:33:38
Muito bom o conto...parabéns....
18/01/2011 17:30:10
hiihi... Nota 10 meeu amor!
18/01/2011 17:05:14
De longe vc é a melhor escritora do site ! Meus parabéns teu conto é excelente
18/01/2011 15:35:18
Vc é foda... escreve muito bem... adoro todos seus contos.. devia escrever mais histórias com a Bia a Ana Maria meninas e mulheres me adicionem.. hcinquentao2008@hotmail.com
17/01/2011 21:33:25
parabêns ! um conto como a muito não tem por aqui .extremamente bem escrito uma perola erotica comcerteza dez pra ti de esme:).há esperando o proximo ok
14/01/2011 18:51:07
Excelente. Gostei muito. Parabéns!!!

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.