Casa dos Contos Eróticos

Feed

A primeira vez foi inesquecível.

Autor: Yuzo
Categoria: Heterossexual
Data: 09/01/2011 00:59:06
Última revisão: 24/08/2014 08:33:03
Nota 9.78
Ler comentários | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

Nos aproximamos daquela casa mal falada. De dia, uma pocilga. Onde junto com outros moleques, fomos várias vezes, na esperança de espiar alguma coisa. Ver um homem comendo uma mulher. Até que fomos surpreendidos pela cafetina e acabamos levando um corridão.

Desta vez não. Estávamos no horario nobre, nos aproximando pela porta da frente. A varanda ornada com lâmpadas coloridas. No bolso, parte do meu primeiro salario de ¨office boy¨. E na frente o Neno, também menor, um pouco mais velho e que já frequentava a casa.

Meu pai era o vice-prefeito da cidade. Com certeza, muita gente nos conhecia. Minha familia era tremendamente moralista e assim, essa aventura era furtiva. Não estava frio, mas mesmo assim, ergui a gola do casaco, ocultando um pouco o rosto.

Ao entrar na sala, estufei o peito, tentando aparentar mais idade. Tudo era novidade. Desde a casa de tolerância e maior das façanhas: a primeira vez que iria comer uma mulher! Eu ainda não acreditava que isso estava para acontecer.

O pau não amolecia, pulsando ansioso. Quem seria a mulher? Qual a sensação de tocar seu corpo nu? Pegar nos peitos dela, apalpar a bunda, passear a mão pelas coxas e meter. Nossa, eu estava prestes a meter numa boceta!

A mão direita que tocara tantas punhetas estava inquieta, escondida no bolso da calça. E através do forro, chegou no pênis, inchado de tesão. Na cabeça, além da inquietação, o medo de não conseguir.

Uma mulata veio em nossa direção. Pegou em nossas mãos e nos conduziu até um sofá velho e puído. No ar, a fumaça de cigarros deixava o ambiente mais sufocante. Como o expediente mal começara, éramos os unicos clientes, com seis mulheres circulando pelo salão. Neno já se atracou logo com uma loira.

A mulata que estava comigo, perguntou meu nome e ensinou o seu: Larissa. Com certeza falso, nome de guerra. Pouco importa. Ofereceu bebidas que recusei, temendo não poder arcar com a conta. E acabamos indo para o quarto.

Larissa se despiu totalmente, ante meu olhar assustado e desejoso. Não era bonita, seios caídos. Já com certa idade, talvez mais de quarenta, ainda tentando competir com as mais jovens que dia a dia, ingressam no mercado do sexo. Mas, para mim, naquela hora, era a mulher mais gostosa do mundo.

Como já havia sido a professorinha, a irmã mais velha e até a mãe, sentimento que Freud chamou de complexo de Édipo, mas, qual homem não as desejou nessa fase? Conflitos entre incesto e tesão. A descoberta de que o proibido é quase sempre o mais gostoso. Quem não cheirou calcinha usada em banheiro?

Alguns anos antes, meu grupo de moleques se reunia debaixo das arquibancadas do ginasio de esportes, para ver revistinhas de mulher pelada, se masturbar e até fumar. Nosso herói era o Toni, dois anos mais velho, que já tinha comido mulheres, até mesmo dona Marta, a encarregada do posto de saúde. Suas histórias causava comoção entre nós, todos virgens.

Até que Toni pegou gonorréia. Pelo nome não devia ser coisa boa. Ao pesquisar, fui flagrado pela mamãe. Que me fez tirar o bilau para fora, para examiná-lo. O contato de sua mão macia, pegando e apertando, provocou uma violenta ereção. Ela só se acalmou quando contei a história do meu amigo infausto, que até chorava de dor ao urinar.

Não sei se foi impressão minha, mas, ao sentir meu pau duro em suas mãos, fez mamãe demorar mais do que o normal para um exame. Como meu pai estava viajando, naquela noite dormi com ela. Pela janela entrava a tênue claridade do luar.

A barra da camisola tinha subido, expondo a calcinha branca, que deixava sua bunda mais sensual ainda. Toquei em suas nádegas de leve, sentindo o calor e a maciez da pele, branca e lisa que cobria as carnes opulentas. Com os hormônios agitados, tudo que via ali, não era a genitora e sim, o traseiro de uma mulher gostosa.

Com cuidado para não despertá-la, abaixei a cueca e encaixei minha rola no meio das suas coxas, ajeitando na posição de conchinha. E fiquei me esfregando nela. Senti que o gozo estava vindo. Com medo de esporrear, me afastei.

Demorei para pegar no sono. A vontade de transar me corroia. Acho que sonhei que estava com meu pau dentro da boceta da minha mãe. Acordei todo melado e minha primeira transa poderia ter sido aquela.

E agora, estava eu, com uma profissional do sexo. Não seria melhor, se fosse alguém da familia? Ah, ilógicas convenções sociais! Larissa tirou a saia e a blusa. Eu ali parado, sem desgrudar o olhar do seu corpo, vendo-a tirar a calcinha.

Ela me ajudou a tirar as roupas, pegou a camisinha e cobriu meu cacete, duro e prestes a explodir. Sem mesmo tirar o sutiã, me puxou até a cama. Deitada de costas, passou algum lubrificante na xoxota. Abriu as pernas e me puxou para cima dela.

A sensação tantas vezes imaginada estava acontecendo de verdade. Eu estava pelado, sobre uma mulher pelada e de pernas abertas, com o buraco quente chamando a penetração! Tentei enfiar e a cabeça escorregou pelos lábios vaginais lubrificados.

Experiente, ela pegou na minha pica e direcionou para o lugar desejado. A ponta do cacete deslizou fácil naquela gruta macia. A sensação era indescritível. Estava com o pau dentro de uma boceta! O coração batia acelerado, sentindo meu cacete envolto pelas carnes íntimas da mulher.

Desajeitado, meti de forma alucinada e rapidamente, gozei. Gozei e gozei como louco. Foi a mais forte e intensa ejaculada da vida. Pensei que fosse desmaiar de tanto prazer. Tudo ali embaixo era calor e umidade. Enfraquecido, senti todo o corpo relaxar, caindo sobre ela, mole como um invertebrado.

Bem diferente da punheta. Sem aquela sensação frustrante depois do gozo. Embaixo de mim um corpo vivo, morno, de mulher que acabara de receber a minha porra em seu ventre. De pele macia, retribuindo o meu calor. É, de todas as coisas boas da vida, aquilo era, sem sombra de dúvidas, a melhor!

Ao voltar ao salão, Larissa gritou: ¨-Trinta e quatro!¨. Foi aplaudida e cumprimentada pelas outras. Eu tinha sido o trigésimo-quarto ex-virgem a ser iniciado por ela.

O problema foi o burburinho causado. Eu encolhido e morrendo de vergonha. Todos no salão se viraram para a entrada da corredor, que dava para os quartos, bem onde nós estávamos.

Foi quando gelei, as pernas bambearam ao ver nada mais nada menos quem: meu pai! Sim, ele mesmo, em campanha política. Sentado num sofá, junto com uma das meninas e me fuzilando com o olhar! Afinal, putas também votam...

***************************

Comentários

08/09/2014 18:21:15
Quintus, concordo na íntegra com o teu questionamento sobre a validade de transar na segurança da família e de casa. E... não se engane... tua mãe foi danadinha, rs. Ou você pensa que ela não percebeu os teus "ataques", na noite em que dormiu com ela, rs? Às vezes, o melhor partido a se tomar é permitir. "Deixe viver / deixe ficar / deixe estar como está." Rs, pelos meus comentários, acredito que você deve ter percebido que gosto de música. Na verdade, toco piano. Clássico e popular. Isso torna uma mulher alta mais atraente, na tua cotação, rs? Mudando de assunto: teu conto me trouxe à memória a primeira vez de Seu Augusto, kkkkkk. Quando José Roberto tinha 12 anos e João Francisco, 10, ambos viviam se esbaldando com as histórias loucas do avô, contadas com requintes de putaria, quer fosse no botequim ou no quintal da minha casa, enquanto fazíamos churrasco. A história é divertidíssima, kkkkkk. Já comentei da minha dificuldade em criar contos. Não sei. fazer isso. Com base no que ouvi, acredito ter, ainda, uma meia dúzia de contos para escrever, após a série. E, como vi que existe a questão dos fakes criados com intuito de elevar a própria nota, pedi ao José Roberto que deixasse de comentar, embora ele o tenha feito na melhor das intenções. Devo dizer-te, Quinto Filho, que favoritatei todos os teus contos. Falta pouco para ler todos e os amei! Beijos, de coração. Nídia.
21/08/2014 22:04:54
yuzo, como de costume estou lendo seu conto novamente, são muito engraçados os contos e a maioria me faz rir, são tbm mto excitantes, prbns, vc nasceu com esse dom...Pegou gonorreira e tá com a metade do pinto kkkk
01/08/2014 09:35:18
DENTRE MAIS DE 80.000 CONTOS, ESTE É O OCTAGÉSIMO-PRIMEIRO (81) MAIS COMENTADO DO SITE, COM 68 VOTOS. Bem escrito, merece a nota máxima. Para ver o ranking, é só clicar no meu nick ¨Leitor Crítico¨.
26/07/2014 08:36:31
A primeira vez é sempre inesquecível. Me fez lembrar a minha, com uma camareira de um hotel, ao lado da nossa casa. Foi também rapidinha e nem a melhor foda da minha vida, porém, muito especial.
01/07/2014 01:18:47
Que delicia Yuzo!!!...pelo visto nos seus comentário eu perdi alguma coisa que me deixou extremamente curiosaa...queria ler...mas te digo que essa aventura de sua primeira vez com uma "pirigueti" quarentona foi incrível...adorei!!...lhe falou uma priminha tesudinha heim....kkkkk, mas foi delicada, sensual e muio, muito excitante ...delícia!!! *-*
01/05/2014 04:38:14
Interessante ve que sua primeira vez foi tao especial...bem realista eu diria! Vejo que desistiu de retirar seus contos da internet...Sorte a nossa. E amigo, se importar com nota zero de analfabetos? Nao se importe com as notas...Cada um escreve para um publico alvo, principalmente quem escreve contos eroticos. Voce escreve muito bem, poderia se aventurar tambem em outras categorias, sem querer depreciar a literatura licenciosa...Desculpe a falta de acentos, culpa do teclado alemao e de uma escuridao... Unico tempo que tenho para ler os colegas..e acredite, comento pouco...E seu conto merece nota 10!
13/01/2014 15:03:26
A primeira vez a gente nunca esquece...verdade!
18/12/2013 09:30:53
Bem narrado, embora muito resumido. Gostaria de ter lido mais um pouco. E não entendi os comentários sobre incesto, não vi nada de incesto ai´, exceto a mão pegar no pau...de qualquer modo, escrita irrepreensível
18/11/2013 00:42:46
Pô Japa, a única coisa que a minha falecida mãe me fez foi tirar um torrado, ou seja, passar a mão no meu pinto e no saco e cheirar falando que era uma delicia, minhas tias também faziam isso, bem como a vizinha e até vovó, até que um dia uma prima foi fazer e meu pau ficou duro e ela passou a fazer outras coisas também. Meu caro, excelente conto como sempre, mas acho que sua mãezinha gostava de verde era da famiglia, então sangue de porco corre em suas veias...
25/09/2013 17:50:26
Ainda não conhecia esse seu conto. Como todos, muito bem narrado e excitantíssimo. Como alguns que comentaram, incesto não é "minha praia", mas quando descrito com maestria, conseguindo envolver o leitor, torna a história maravilhosa!
26/08/2013 17:12:28
Adorei o relato ... mas espero que esse conto seja fictício rsrs é que minha cabecinha ainda está meio retrô ... mais com certeza com alguns progressos ,visto que li esse lindo conto .rsrs
11/08/2013 13:31:04
Dada a preocupação da sua gloriosa mãe em te preservar das DST'S foi uma oportunidade ímpar, coisa que o seu amigo Toni não teve o mesmo cuidado; conto excitante e prazeroso, amigo nipônico. Abraços e mais um dez para a sua coleção.
08/08/2013 07:10:28
Apesar de incesto não ser minha praia, tenho muita curiosidade no assunto, e leio muito a respeito. E o seu relato é realmente muito excitante.
28/07/2013 10:16:31
delicioso seu conto
26/07/2013 15:54:18
Adorei, mas sou muito suspeita de falar sobre este taboo!! Respondendo, uma pergunta sua. papai é aposentado federal e tem uma polpuda aposentadoria, temos uma confecção própria, fabricamos, revendemos e distribuímos e lojas em shoppings. Pira!!! Roupas femininas e peças intimas, tudo que sua imaginação rica puder pensar! Administro os bens. 1,85 m com salto 15 -2,00 m, de mulata pura Sargentelli. Beijo querido, vote nos demais, comecei a gostar disso!
13/05/2013 11:37:38
Vc sempre escreve contos perfeitos nao tem como nao acabar em masturbaçao ou em sexo. Adorei a parte da calcinha e o “exame“ muiiiito bom nota maxima.
12/02/2013 09:50:48
Essa mãe precisa de algo mais. Eu...
12/01/2013 10:03:18
Mano, keria ter uma mãe dessas.
2F
21/11/2012 20:20:32
Nossa que conto, MARAVILHOSO, um dos melhores que já li aqui. Parabéns...
25/09/2012 13:06:05
Delicia de conto.... noossa .... vc sempre me fazendo explodir de tesão...
19/09/2012 13:16:12
delicia
18/09/2012 18:08:53
Hummmm... Karacás!!!... Não sei nem o que dizer!!!... Não tenho na CONTRA e nem a FAVOR, mas a descendência é TUDO!!!... A história é ENVOLVENTE e olha que EU, não curto muito INCESTO... Tive de gostar e vamos às notas... Pela turminha de moleques - Nota: DEZ (também tive a minha da zona norte, punhetando com CATECISMO do Carlos Zéfiro)... Pela gostosa da tua mãe - Nota: MILL (com todo respeito)... Pela DST - Nota: ZERO (isola, sai fora, coitado do Toni)... Pela história EXCITANTE - Nota: MÁXIMA (muito bem narrada)... Mando um beliscão bem forte na tua bunda e uma mamada demorada na XANINHA da mãezona. Valeu!!!... e XAU!!!
15/09/2012 21:18:23
Ser mãe é padecer no paraíso. Apesar de não ter filho, tenho um enteado. E sei o que é isso. O que não fazemos por eles! Achei lindo o conto e por demais excitante. Amei.
15/09/2012 16:47:55
Bem excitante!!
14/09/2012 08:52:12
Uma mãe preocupada que o filho pegue uma DST, resolve alivia-lo, afastando dos perigos, num conto excitante. E aquí, mais uma vez, o frustrado do tal de zarabatana deu nota 1, como sempre prejudicando os bons autores.
15/06/2012 14:30:33
Boa tarde, ótimo conto, obrigado pelos comentários nos meus contos tbm...me mande seu email pra gente conversar...
30/05/2012 20:48:11
Yuzo, voce sempre sensacional! Por onde andas? Beijo quente pra voce.
16/03/2012 12:42:51
Adorei, conto simples curto e com boa história. Também tenho uma historia com a minha mae mas ainda n contei, vou contar depois
04/02/2012 06:33:05
Faltou o rabinho, né? Mas ainda dá tempo. Quando puder, tente. E, se conseguir comer, conta prá gente...
24/12/2011 08:22:08
Parabéns pelo conto. Achoq se eu tive uma mãe mais jovem e bonita tb ia tentar alguma coisa. Conto muito bem escrito. Envolvente. Parabéns. Nota 10
15/12/2011 11:56:53
foder com nossa mãe é uma dádiva dos céus é sem dúvida a melhor foda que na vida podemos dar eu adorei a minha foi sempre espectacular desde a primeira vez que tive a coragem de lhe dier abertamente que a queria foder e ela aceitou quase sem regatear foram fodas maravilhosas. Tu que tens vontade na tua mãe o que esperas? Que seja ela a levarte para a cama? Ataca-a e verás.
14/12/2011 23:19:30
POOOOO QUE MAENZONA, MUITO GOSTOSO O SEU CONTO, ME DEU MUUITO TEZAO, PARABENS
08/12/2011 23:17:11
Um bom conto é aquele que envolve o leitor no clima da história. E este, apesar do tema que não compartilho, mas, tenho respeito aos desejos e fetiches de quem pratica, está um verdadeiro show. Conseguiu me colocar no lugar da tua mãe e acabei molhadinha de prazer. Nota máxima!
05/11/2011 17:53:02
porra cara esse foi de mais nota 10 valeu mesmo
24/10/2011 18:40:41
Yuzo belo conto e nós que praticamos o incesto é muito bom,o importante é sentir prazer,sem os falsos moralismo,seja com a mãe,irmã,tia.e obrigado pelo comentário no meu conto com a minha irmã,tenho outros contos com ela e outros com a minha cunhada também,clique no meu comentário e veja.
01/07/2011 22:35:58
Contos de incesto são demais, parabéns!
23/06/2011 17:12:12
Belíssima narrativa, é possível mesclar safadeza com ternura aqui e nas experiências reais. Sua mãe é show!!!
18/06/2011 19:00:57
Algumas mães são realmente especiais, mas há tbm historias especiais como as suas, parabéns.
12/06/2011 09:14:29
Putz, que conto! Um dos melhores sobre o tema.
10/06/2011 15:51:41
QUe mulher nota DEZ!
01/06/2011 19:16:37
Noutro conto teu perguntei se eras nipodescencente, e neste tá explicado. Outro conto nota MMIIIRRR!!! Realmente parece que não aprecias o coito anal, não li todos os contos, mas o farei pois comecei a ler pelos títulos que me atraiam e vejo que és um escritor que vale a pena acompanhar. Abraços!
15/05/2011 06:56:44
Caro Yuzo, Não me preocupo em saber se o conto é real ou não. Aparentemente, é real. E, se você conseguiu comer a sua mãe, continua comendo. E faça mais coisas, tipo sexo anal, por exemplo, porque vai nos deliciar, e muito, com isso. Parabéns pela facilidade com que conseguiu comer a tão sonhada bucetinha dela.
26/03/2011 02:09:37
delicia de conto Yuzo. nota dez!
13/03/2011 19:19:22
aqui está um inicio sexual que você nunca vai esquecer enquanto viver, Confesso que quando entrei na casa, o incesto me fazia um pouco de confusão, mas estou abrindo horizontes... quando os dois querem, vão em frente. Nota 10 para você, meu querido. Beijinhos da Portuguesinha.
03/02/2011 10:10:11
Os meus parabéns claro que me mastrubei todinho mas me desculpe não consegui passar sem pensar na sua mãe que como a minha deve ser deliciosa quando se dispõem a foder é algo indescritivel, parabéns.
02/02/2011 23:18:25
Um bom conto, gostei..
01/02/2011 21:15:09
Excelente relato. Com muito realismo e bem excitante!
30/01/2011 15:01:15
Gosto do tema, por acreditar na possibilidade de serem verídicos, infelizmente nem todos sabem descrevê-los dessa forma, muitos viajam em suas historias, continue nesse segmento que você vai longe, parabéns...
28/01/2011 09:13:17
Foi o primeiro neste tema (mãe e filho) que realmente gostei. Me masturbei o conto inteiro imaginando seu pau entrando na buceta da sua mãe toda molhada. Gozei muito gostoso!
24/01/2011 13:51:38
Adorei. Esse é um dos relatos que acredito ser verídico. Muito bom mesmo!
20/01/2011 16:56:36
Bom contou. Parece ser real.
11/01/2011 10:06:59
Bom conto!
09/01/2011 09:56:12
esse parece ser real
09/01/2011 02:03:38
duvido voce sentir isoo tudo pela minha mae.....kkkkkkkkkkkkkk

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.