Casa dos Contos Eróticos

Feed

Primeira vez - Chupei até gozar na minha boca

Autor: Light Young
Categoria: Homossexual
Data: 23/11/2010 22:01:28
Nota 9.85
Ler comentários | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

Este é meu terceiro conto e estou adorando compartilhar minhas aventuras com os leitores coisas que não costumo contar pra ninguém. Ontem postei meus dois primeiros contos e espero que todos leiam e comentem sobre as histórias para que me empolgue ainda mais nos próximos, pois, podem acreditar, tenho muitas e muitas aventuras e quero que todas conheçam.

Como todos já leram nos contos anteriores, tenho hoje 27 anos, 1,79m, sou branquinho, cabelos e olhos castanhos, corpo muito bem definido devido às malhações e não sou nenhum pouco afeminado, mas com certeza quem conversa comigo por dois minutos percebe que o que gosto mesmo é de homem.

Depois que presenciei minha vó se deleitando na rola de Henrique, a gula com chupava e o prazer com que oferecia o rabo para receber aquela vara linda. Depois de ver as expressões provocadas pelo tesão quando se perdia todo enfiado em vovó ou explodia seu gozo que ela engolia satisfeita, criou-se em mim uma ânsia desvairada por homem. Fiquei obcecado por rolas.

Porem, com 10 anos só podia imaginar e às vezes me masturbar enfiando objetos de formas penianas no meu cuzinho virgem, mas passei também a criar estratégias para observar comodamente fodas de todas as mulheres da casa. Comecei pelo quarto das tias Malu e Cris – mais novas e mais namoradeiras.

Abri uma fresta que me daria uma visão generosa na madeira da janela do quarto e uma base de pedra onde me apoiasse quando viesse algum namorado.

Foi perfeito. Pelo vão daquela janela pude ver muitas rola entrando em tia Cris e tia Malu.

Tia Cris é baixinha da cintura fina e quadril largo. Uma bunda enorme, que deixava os caras alucinados. Ela se vangloria da perfeição da bunda e aperfeiçoou a técnica de dar o rabo.

- Agüento qualquer tamanho porque gosto de tomar na bunda e eles querem comer meu cuzinho!

Tia Malu também é deliciosa! Um pouco gordinha também adora dar o rabo, mas domina a técnica do boquete.

- Gosto de engolir pau grande, domino qualquer gigante com a boca, olhando nos olhos da minha presa.

Tia Lina, como vovó, gosta muito de levar rola no cu, mas também não perde a chance de chupar uma buceta.

Várias vezes vi minha mãe gemendo e rebolando com rolas maravilhosas atoladas no seu cuzinho. E o mais legal é que ela não é egoísta, está sempre com homens diferentes e muitas vezes divide suas trepadas entre as irmãs.

- Ninguém é de ninguém, e pau que fode uma fode dez!

Mas estes serão temas de contos próximos, hoje vamos ao que realmente me propus relatar

É sério! Nem sei como pude agüentar, mas passei dos dez até os treze anos só observando pelos buracos de fechaduras, pela brecha na janela de tia Cris e tia Malu e até dentro de um baú do guarda roupas de minha vó. Aprendi técnicas que mais tarde iria utilizar pra dar vazão aos delírios masculinos que por ventura desfrutaria.

E isso se deu até meus treze anos quando conheci Rafinha (leia o conto “Frustração”), com quem achava que teria minha primeira vez. Pelo contrário. Tive ainda que sufocar minha ansiedade até meus quatorze anos.

Diogo é filho de Cândida, uma amiga de tia Lina e minha vó (as três também são temas de outro conto).

Já tinha dezoito anos, e quando veio com a mãe não acreditei que elas o levariam para o quarto, e não foram.

Cumprimentei tímido a mãe e o filho e passei a admirá-lo discretamente.

Achei lindo e acho que me apaixonei a primeira vista. Moreno alto, de lábios grossos, a camiseta justa permitia que se visse um corpo bem definido, a bermuda larga ligeiramente caída escondia as dimensões do meu objeto de desejo, a parte superior das nádegas cobertas pelo elástico largo da sunga me fez imaginar uma bunda musculosa e as panturrilhas me dariam noção exata das coxas de Diogo.

Aquele dia não quis ser espectador das cenas no quarto de vovó, para onde as três se dirigiram.

Convidei Diogo até meu quarto, para distraí-lo com alguma coisa, mas lá não encontrei nada que talvez ele gostasse. Acho que estava completamente ruborizado diante de um menino tão lindo.

- Quer jogar carta ou xadrez?

Diogo não demonstrava nenhum interesse no que eu dizia, olhando e analisando os detalhes femininos na decoração do meu quarto tirou sua própria conclusão.

- Você é gay, né?

- O que?... não. Quer dizer...

- Quer dizer que é...

- É... mais ou menos.

Esse diálogo inquiridor me deixava mais e mais desconcertado, enquanto a reação de Diogo se dava ao contrário.

Ali sentado na cama via o menino crescer diante de mim, sua bermuda já não era tão larga para esconder a barraca que se erguia e prendia meus olhos.

Ele aproximou-se de mim e acariciou meus cabelos e abriu o velcro da bermuda.

- Pega se tiver vontade.

O pau saltou diante dos meus olhos e eu o peguei levemente e apertei um pouco afastando o prepúcio para ver a glande rosada e macia.

- Posso beijar?

- Hum hum! É todinho seu.

Lembrei de tia Malu e como a vi fazendo várias vezes.

Segurei o pênis pela base, não com força, mas de forma segura, dei um beijo e lentamente coloquei-o na boca, acariciando a cabeça com a língua.

Suguei-o com vontade, senti pulsando dentro de minha boca.

Estava adorando um pau dentro da minha boca (porque não chupei o pau de Rafinha?)

Comecei lentamente com movimentos depois com movimentos mais rápidos, com muito medo, muito cuidado, para não machucar com os dentes a pele tão fina e tão sensível da pica de Diogo.

Me concentrei na glande pois sabia que esta é a região mais sensível do pênis e me lembrei do conselho que tia Malu deu a mamãe quando as duas chupavam o pau gigante de Tadeu (outro conto interessante).

- Ele gosta de boca gulosa!

–Pra fazer garganta profunda você tem que colocar a língua pra fora, respirar fundo e colocar o pau com cuidado que as mucosas da garganta relaxam e você consegue engolir todo, ele vai adorar.

- A primeira e segunda engolida vai te engasgar, mas depois você nem sente que engoliu uma pica tão grande.

Querendo agradar meu visitante segui o conselho de minha tia chupadora e parti para o tal “garganta profunda” que ele certamente ia adorar.

Coloquei a glande na boca com a língua inteiramente para fora por baixo da pica, respirei fundo e aos poucos fui engolindo a rola que alcançou minha garganta me fazendo engasgar.

Tirei o pau da boca envergonhado, mas não desisti. A segunda tentativa me fez lacrimejar, mas não me afastei um milímetro da vara.

Na terceira tentativa a rola inteira se perdeu dentro da minha boca. Diogo segurava minha cabeça e empurrava o quadril fazendo a pica entrar mais e abrir rasgando minha goela virgem.

Repeti a performance e Diogo se empolgou querendo mais e mais.

Mais adaptada, minha boca já envolvia todo o pau de Diogo. Meus lábios e nariz roçavam os pentelhos e os testículos e a saliva escorria pelo saco rijo.

Passei a imaginar que chupava um delicioso sorvete e o degustei com vontade.

Tirei o pau da boca lambi beijando toda extensão até alcançar saco. Coloquei os testículos na boca um de cada vez, depois passei por toda minha cara e fiquei lambendo a cabecinha como tia Malu ensinou e fiquei olhando a cara de Diogo.

- Dá uma paradinha, fica lambendo a cabecinha e olhando a cara dele com cara de safada. Deixa ele doido.

Fiquei assim, lambendo e sugando o orifício da glande e masturbando-o lentamente, olhando para Diogo com minha carinha de guloso.

Diogo se descontrolou movimentando os quadris e sussurrou entre gemidos que não estava agüentando.

- Chupa mais, quero gozar na sua boca.

Movimentei a cabeça em círculos chupando o pau, dei uma sugada forte e Diogo segurando minha cabeça e fodendo minha boca explodiu num espasmo compulsivo encheu minha boca e lavou meu rosto com o líquido quente que me faria perder noite de sono lembrando.

Deixei o pau limpinho lambendo-o por inteiro, para logo depois eu me perder no prazer de sentir uma rola dentro de mim pela primeira vez.

Comentários

29/08/2012 16:29:50
Genial!
18/08/2012 13:29:52
Gosto de contos assim, tão verossímil!
06/02/2012 17:20:21
Parabéns. Bom conto. Você sabe com perfeição chupar uma rola.
28/12/2011 23:42:29
DELICIA ADORO SER PUTA DENTRO DE CINE PORNO, DAR O CU BEBER PORRA DE VARIOS MACHOS TUDO ISSO COM PLATEIA BEIJOS
20/05/2011 21:09:09
Gostei muito do conto! Adoro engolir! Confira meus contos! 10
22/12/2010 13:29:50
Perfeito!
11/12/2010 17:49:56
Faz jus ao pseudônimo, Light Youg. Tentarei passar as suas técnicas ao Thiago, na próxima vez que nos encontrarmos, (o que espero) pois, se na minha primeira experiência com um garoto, já fiquei maravilhado, imagine o que seria ele fazendo o que voce tão bem detalha no seu relato. Leia meus contos e me add. (MINHA MOCINHA E MOCINHA NA DUCHA) Beijos.
10/12/2010 15:29:03
Que maravilha. Voce é um viadinho delicioso. Eu faria qualquer coisa para me perder dento de voce. Tesão
28/11/2010 19:24:23
Delicia de conto, você escreve muito bem, estou muito excitado aqui querendo tua boca no meu pau. Parabéns, manda mais.
25/11/2010 12:10:21
NOSSA, COM ESS CHUPETA,ATÉ DEIXARIA VC MOSTRAR OQ AS TITIA TE ENSINARAM, NO MEU CACETE. CONTINUA CONTANDO SAFADINHO.
24/11/2010 16:09:14
nossa vc se saiu uma perfeita mocinha, as titias mesmo não imaginando oq vc curte, te ensinaram bem, conta mais as farras com uma pik, pq tbm adoro mamar uma até sair leitinho em minha bok.
24/11/2010 15:41:40
hum to de pau latejando de vontade de ser chupado por uma boca tão gulosa quanto a sua,gostaria de conhece-lo e pedir-lhe gentilmente para dar uma chupada dessas em minha rola,vlw pelo conto me excitei do principio ao fim.
24/11/2010 13:53:58
Vou indicar para minhas colegas. Beijo!
24/11/2010 13:52:34
Nossa, que familia de gente gulosa! E você, ein mona, sabe mesmo como chupar um macho! Meus parabéns pelo conto e pela sua primeira mamada! 10

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.