Casa dos Contos Eróticos

Feed

Espiando a minha vizinha novinha (parte 2)

Autor: Alvinho
Categoria: Heterossexual
Data: 18/11/2010 15:07:51
Nota 10.00
Ler comentários | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

Como contei no relato anterior (Espiando a minha vizinha novinha), a menina do predio ao lado, toca sempre uma siririca com o namorada ao telefone.

Contei o caso para um amigo e ele me sugeriu uma sacanagem, eu precisava descobrir o numero dela então poderia ligar e sacanear. Usei dos piores artifícios para conseguir, vi um monte de contas de telefone na portaria e faei om o porteiro que ia pegar a minha, peguei a conta do apto deles junto com a minha. Hehe.

Eu tinha um celular velho e coloquei uma linha pré-pago nele. Fiz um teste a noite quando a garota estava no quarto, tocou e quem atendeu foi a mãe, falei uma bobagem e desliguei. Vi que a garota, ficou perto do telefone e liguei de novo, ela atendeu:

- Oi gostosa! Falei com voz de locutor de telesexo.

- quem é? disse ela com cara de curiosa.

- Conheci uma garota linda, numa noite dessas, e depois de horas de sexo ela me deu este número, vamos lá conheço sua voz.

- Foi engano! Disse ela e desligou.

Insisti de novo, e ela atendeu de novo:

- Oi gostosa, por que não quer falar comigo? Não gostou do ultimo sábado.

Ela fez uma cara de safada e disse entrando na onda:

- Não gostei, seu pinto era muito pequeno. E desligou de novo, sorrindo. Percebi que desta vez ela não largou o telefone, então resolvi atacar.

- Oi gostosa, sabia que eu estou pelado e pensando em você? Ela deitou na cama assim como fazia com seu namoradinho e disse:

- Eu também estou pelada. Vi que a bicha era safadinha mesmo e entrei na onda.

- Não paro de pensar em você, gostosa, foi a melhor foda que eu tive, esses seus peitinhos são demais.

- Peitinhos, como você é capaz de chamar eles de peitinhos, são tamanho 48. Vi que ela tinha complexo com os peitinhos dela mas estava gostoso.

- Gostosa, queria gozar de novo ouvindo sua voz, geme igual você gemeu na minha cama, vai?

- Quê? Eu repeti.

- Geme igual você gemeu pra mim quando eu te comi sábado. Ela pediu pra esperar, levantou e fez o mesmo ritual de segurança de sempre. Deitou na cama, cruzou os braços e disse com voz bem melosa.

- Como você quer me comer? De quatro? Meu gozo estava já saindo com aquela menininha falando daquele jeito pra mim.

- Eu quero lhe chupar primeiro, todinha, fazer você gozar na minha boca. Ela nesta hora já mechia nos mamilos por cima da blusinha que estava usando. Quando para minha grata surpresa ela diz:

- vaaaai, vaaiii, me chupa vaaaai, enfia essa língua na sua putinha vaaaaiiii! Aaaaaaai, hunnnf, aaaaaii! Eu não acreditei naquilo, fiquei em voz com a forma que ela conduziu o negócio. Minha boca estava seca, minhas mãos suavam equanto seguravam o telefone de um lado e o binóculo do outro.

- Estou enfiando minha língua toda, estou passando a minha língua pela sua virilha, roçando teus pentelhos, sugando todo o teu melzinho, está sentindo?

- Ela colocou a mão dentro do short e respondeu quase sem voz. Tô sim, vaaai, me chupa seu safado, chupa esta bucetinha. Não acreditava que daquela boquinha tão singela, pudesse sair tanta putaria, vi que ela estava gostando e resolvi apimentar.

- Eu quero meter em você sua puta. Deita na cama que eu vou meter tudo agora.

- Eu já estou deitada toda aberta te esperando, vem. Os movimentos dela ficaram mais fortes e eu deixei o binóculo de lado, para bater uma punheta.

- Eu estou enfiando meu pau na tua buceta, ta sentindo?

- To! Hunf, hunnf

- Estou chupando seus peitinhos agora. E ela tirou a mão do short, e enfiou embaixo da blusa, aproveitou para levantar a blusa mostrando os peitinhos que estam na minha boca em pensamento.

- Abre mais as pernas. Pedi, e ela volta a siririca abrindo as pernas e bem ofegante me pede.

- me beija. Me beija. Hunf, huuunf, eu vou gozar...aaiiii

Eu estava tão perto da janela que fiquei com medo dela escutar o meu grito quando ejaculei na parede do quarto. Ela ficou com a voz fraca e dizendo o todo que me amava. Eu tinha feito a danada gozar, eu peguei o binóculo de novo e vi ela alisando a barriguinha e passando o liquido que escorria da buceta nos peitos. Aproveitei e disse a ela, que queria limpar ela todinha com a língua. E ela só gemia. Disse a ela para ela dormir bem que eu voltaria a ligar de novo, ela só disse que estava bom. Ela ficou alguns minutos naquela posição, depois levantou, trocou de roupa, apagou a luz e foi dormir. Ainda fiquei parado olhando pela janela, nem as outras vizinhas, que também espiava, me fizeram esquecer o ultimo momento.

Passamos a falar sempre, as vezes ligava para ela quando ela saia do banho, pra falar com ela enquanto se enxugava, e uma vez ela usou a escova quando estava falando comigo.

Alvinho

Comentários

01/12/2011 17:13:41
Muito boa narrativa. Situação bem erótica...

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.