Casa dos Contos Eróticos

Feed

Comendo a professora na chantagem

Autor: Julio Dosan
Categoria: Heterossexual
Data: 11/11/2010 17:18:58
Nota 4.00
Ler comentários | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

O fato aconteceu depois que eu tinha 20 anos. Comecei fazer aula de inglês com uma belíssima professora loira, de 1,72m, quadris largos e seios pequenos... Uma delicia de mulher, que é claro, era casada. O marido dela era instrutor de auto-escola, um sujeito grosseiro e carrancudo, acho que ele não a tratava muito bem em casa...

Eu sempre levava um celular pra gravar as aulas, eu estava interessandíssimo em aprender inglês, quando chegava em casa eu ouvia a aula de novo, pra pegar o que me passou despercebido. Numa dessas ocasiões, cheguei em casa e percebi que havia esquecido o celular na aula, até ai tudo bem, pois eramos a única turma daquela sala, e certamente o recuperaria no outro dia, o que realmente aconteceu.

Mas a surpresa maior foi que deixei o gravador ligado, e depois da aula, ouvi que ela conversava com alguem. Era com o dono e diretor da escola. Percebi que eles estavam bem íntimos, e depois partiram para a sacanagem. Meu pau foi a mim ao ouvir aquela situação, não resisti e me masturbei duas vezes, ouvindo toda aquela putaria.

Decidi editar a gravação no computador e colocar só a parte do coito no celular, mais já não tinha mais graça ouvir aquilo. Deixei o celular lá mais vezes, já não pescava mais nada. Então um plano sacana correu na minha cabeça: Eu comeria aquela loiraça na chantagem!

Eu sempre fui tímido, mas quando quero sou atrevido, e fui mesmo! Ao fim da aula de quinta-feira, mostrei a gravação a ela. Ela ficou branca vermelha, rosa... Eu apenas sorri e guardei de volta o celular:

-O que você quer? Notas melhores?

-Imagina, professora... Minhas notas são muito boas... Eu quero mesmo é outra coisa...

Ela me chamou de porco e se levantou pra ir embora, disse que eu era um moleque, e que jamais acataria meu pedido!

Confesso que me senti mal, mas o tesão falava mais forte, e decidi seguir em frente com meu plano.

O diretor da escola veio falar comigo sobre a gravação. Ele estava desesperado e suava feito um porco:

-Ela é a melhor amiga da minha mulher... Eu sou amigo do marido dela... Isso faria um estrago do cassete nas nossas vidas! Quero que reconsidere e destrua essa gravação!

E eu, na condição de o dono da verdade, cruzei meus braços e falei:

-Mui amigo o senhor, em seu diretor? Fodendo com a mulher do instrutor da auto-escola...

Ele tentou negociar, me disse que eu poderia estudar os outros dois anos de graça! Era uma proposta bacana, já que aquela merda era muito cara.

Eu prometi pensar, peguei o buzão e voltei pra casa.

Chegando lá vi um carro vermelho estacionado. Adivinha de quem era? Isso mesmo, a professora. Me pediu pra entrar e dirigiu, sem olhar pra minha cara. Ela entrou dentro de um motel barato, estacionou e subimos pro quarto:

-Que isso morra aqui, junto com a gravação!

Eu sorri e disse que morreria ali sim.

Ela tirou a roupa e se deitou de perna aberta, virou o rosto e disse:

-Vem.

Eu de pau duro sorri e falei:

-Não é assim que eu gosto... Eu prefiro que a senhora mame minha rola primeiro.

Ela sentou, me chamou de imbecil e pegou no meu pau fingindo ter nojo:

-Vamos lá, professora, eu sei que a senhora gosta disto, eu ouvi na gravação!

Ela chupava e eu pedia:

-Chupa com mais vontade!

Ela vendo que não tinha outro jeito, mamou com perfeição, me fazendo delirar na sua boca.

Comecei a chupar sua bucetinha com os pelinhos loiros, percebi que ela estava molhada. Ela envergonhada com a situação recebeu bem minha língua. Era inevitável que ela não gozasse naquele dia, acabou derramando em minha língua seu delicioso mel.

Eu a coloquei de perna aberta como ela queria da primeira vez, mas desta vez ela me encarava e me abraçava gemendo alucinada, nem parecia aquela chata que entrou la comigo!

Do nada começou a me beijar e pedir mais, começou a curtir a situação. Gozei gostoso dentro dela, ela percebendo os jatos, gozou mais uma vez. Deitei ao seu lado, e quando parecia que tudo havia acabado ali, ela se voltou ao meu pau e começou a mamar de novo. Fomos para o chuveiro, eu lavei seu corpo inteirinho e chupei sua bucetinha debaixo d´agua, ela encostou o rosto no azulejo e arrebitou a bundinha, ficando toda arreganhada, meti a língua dentro do seu cuzinho apertado.

Voltamos pra cama, ela ficou de quatro e me alertou:

-Aproveita, pois hoje é a primeira e ultima vez!

É claro que eu aproveitei! Coloquei devagar em seu rabinho e a vi se adaptando ao novo invasor, quando entrou tudo, na quinta bombada ela anunciou mais um gozo, eu bombava mais e ela ia ao delírio junto comigo... Vendo que ela já estava satisfeita, gozei gostoso em seu rabinho e tirei meu pau de lá todo esfolado e pingando!

Ela voltou para o chuveiro, quando terminou foi até o carro e pegou um secador de cabelos. Me olhava seria, como nas aulas, e eu satisfeito, peladão na cama, de banho tomado só admirando aquela delicia secar os cabelos. Quando saímos de lá, ela recusou que eu pagasse o motel barato, pagou e saiu patinando dali, me deixando no portão de casa.

Claro que depois daquilo nunca mais a vi. Ela saiu de lá, foi dar aula em outra escola de línguas. O diretor garantiu o combinado e estudei inglês sem pagar. Mas o melhor de tudo nem foi o aprendizado, foi a foda bem dada!

juliodosan@hotmail.com

Comentários

11/11/2010 21:37:24
voce pode ser mais criativo. pois, isso aqui está muito fraquinho. nota 03

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.