Casa dos Contos Eróticos

Feed

Os quatro delinquentes

Autor: Renan
Categoria: Sadomasoquismo
Data: 07/09/2010 01:24:09
Última revisão: 07/09/2010 01:40:30
Nota 6.80
Ler comentários | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

Antes de tudo quero que saibam que a história é fictícia e que sou contra esse tipo de violência, e que só escreví este conto para que pessoas que gostam de contos violentos possam ter mais prazer...

Nossa história começa em uma tarde de Domingo, no Bar do Doc, onde há algumas pessoas bebendo, enquanto em uma mesa distante das outras estão os jovens Jim, Marcos, Pedro e Eric, todos bebendo garrafas de Red Bull e conversando sobre o que faríam naquela noite, após terem planejado tudo, colocaram suas máscaras e saíram do bar sem pagar nada.

Não muito longe dalí, uma mulher ouve a campainha de sua casa tocar, mas antes de abrir pergunta:

- Quem é ?

- É o entregador de pizza- responde quem está fora da casa

- Pizza ?- ela abre a porta- Mas não pedí pizza.

E de prontidão um dos jovens (Pedro) pula na mulher e com uma fita adesiva tapa sua boca. Enquanto Jim toma sua chave e tranca a porta. Marcos pega a mulher no colo e a leva para o banheiro, Jim vai também. A mulher se debatia para fujir, mas Jim colocou algemas em suas mãos para que não pudesse fujir. Despedaçaram as roupas da mulher e se despiram. Jim por cima começaria a chupar seus peitos, enquando Marcos colocava uma venda nos olhos dela. Jim pegou uma camisinha, ajustou em seu pau e começou a penetrá-la, ela ainda se contorcia, mas Marcos segurava sua cabeça. A mulher tentava gemer alto para ver se algum vizinho ouviria, mas Jim colocou as mãos em sua garganta, impedindo que ela emitisse qualquer som.

Enquanto isso, Pedro procurava por algo de valor na casa, não conseguiu achar dinheiro, mas achou um envelope escondido embaixo de uma almofada no sofá, com fotos dessa mulher, que é morena, branca e baixa, transando com um homem negro de uns dois metros, e também havia uma outra mulher, loira e bem gostosa, que também estava na transa. Então Pedro começou a se masturbar enquanto via as fotos dessa orgia. Enquanto isso, Eric apenas brincava com o taco de beisebol que havia na casa, e usando-o para destruir alguns objetos.

Jim continuava metendo com força na buceta apertada da mulher desconhecida, que aos poucos, parava de se contorcer tanto, Jim então soltou a garganta dela, já não estava gemendo como pedindo por socorro, eram gemidos de prazer. E continuou mandando ver, a mulher aos poucos ía sentindo mais prazer do que dor. Até que após vários minutos, gozaram juntos. Marcos tirou a fita da boca dela e ela gemia baixo.

-Ai, ui, que gostoso!

Nesse momento Eric e Pedro aparecem no banheiro e Pedro alerta:

-Tem alguém chegando aí!

Neste momento ouve-se passos no corredor de um homem

-Amor, cadê você ?!- o homem vê que o banheiro está com a luz acesa e resolve ver lá. Ele abre a porta e é golpeado na cabesa pelo taco de beisebol, segurado por Eric.

Marcos coloca a mulher de quatro e sem nenhum preservativo, começa a penetrar em seu ânus.

- NÃO!!! MEU CU É VIRG...- antes que pudesse terminar a frase, Eric fita sua boca e pressiona seu polegar na garganta da mulher.

Enquanto isso o marido da mulher está com um ferimento na cabeça, e ao ver a cena fica chocado. Ele está prestes a gritar, mas antes Pedro mostra as fotos onde a mulher está tendo uma orgia com outra mulher e com outro homem que não é ele. O pobre homem desatou a chorar. E Marcos continua mandadno ver, penetrando com força nela.

- Rebola sua puta! Toma!- e metia no cu dela com cada vez mais força, a mulher chorava.

Marcos continuava chingando ela de puta, cachorra, vadia, entre várias outras coisas. Enquanto Pedro continuava a se masturbar, Eric estava olhando com um meio sorriso para a cara do pobre corno. E Jim estava no chuveiro lavando seu pênis, que havia gozado muito. E Marcos continuou metendo na bunda da vadia. Após alguns segundos gozou, os olhos da mulher estavam quase saltando e ela suava tanto que chegava a molhar o chão. Marcos tirou seu pênis na bunda dela e Eric tirou seus polegares de sua garganta, a mulher caiu de bruços no chão e começou a chorar. Marcos então tirou a fita da boca dela, e sua boca aberta porcausa do choro deu a chance de Pedro gozar na boca dela, fitaram sua boca pela última vez e ela engoliu tudo.

Depois os quatro jovens começaram a chutar a mulher deitada, e depois de pararem, o marido dela é que resolveu dar uns chutes nela. Enquanto isso, Pedro lavava as mãos, que estavam sujas com seu esperma. Enquanto Marcos e Jim se vestíam. Em seguida o homem tirou um revólver de uma gaveta e disse para todos saírem dali porque a coisa ía ficar feia e atirou duas vezes pra cima. Os quatro garotos desataram a correr. Ouviram dois tiros, mas preferíram não voltar.

Já era noite quando eles estavam saindo da casa e andando na rua, com as máscaras na mão. Estavam todos rindo. Pedro discretamente pegou algumas moedas que estavam em uma xícara ao lado de um mendigo adormecido. Marcos apontou para um casal e disse:

- Não é sua irmã, Eric ?!- se viraram para o casal e era mesmo a irmã de Eric que estava com um playboy chamado Carlos, que tinha fama de malandro, estudava na mesma classe que a gangue, era rival deles, e Eric especialmente o odiava pois ele sempre tentava humilhá-lo. O casal se despediu, e nossos quatro amigos colocaram as máscaras e seguiram Carlos até em casa. Carlos abriu a porta e foi empurrado por Jim. Pedro a Marcos fechavam a porta e Jim começava a chutá-lo. Logo todos estavam chutando ele. Eric, que estava com o taco de beisebol da casa que ''visitaram'' começou a bater nele com o taco e ele começava a chorar. A mãe de Carlos entrou na sala, se aproximou de Eric e disse para parar de bater em seu filho. Mas Eric, golpeou-a, tirou suas roupas e começou a estuprá-la na frente de Carlos.

Carlos chorava e os três outros garotos não acreditavam no que estavam vendo, pois Eric sempre pareceu o menos violento.

A mulher estava rouca e se engasgava, gemia e chorava, Eric continuava metendo em sua buceta e mandando ver. Após uma meia hora de foda, Eric gozou muito e a mulher gritou de dor. Eric limpou seu pênis esfregando na cara dela, e Carlos continuava a chorar, Eric estava sorrindo, pois o bullying que sofria de Carlos finalmente havia sido vingado.

Deu mais alguns golpes em Carlos, até ele desmaiar. Os outros três ainda roubaram algum dinheiro que havia na carteira de Carlos. Eles ouviram a polícia chegando e saíram correndo.

Já passava das 22:00 quando resolveram dar uma passada no Bar do Doc para comemorar, comeram algumas porções e beberam refrigerante. Outra vez saíram discretamente sem pagar.

Passearam um pouco mais, e quando passaram na frente da casa do diretor da escola deles, ouviram o diretor gritando da janela:

- Caiam fora daqui, seus vermes inúteis!- o diretor não gostava dos alunos, ainda mais desses de 17 anos, e já era um velho caduco.

Resolveram fazer uma última brincadeira para fechar a noite com chave de ouro. Pedro discou o número de um bordel, e disse para mandarem a melhor garota que tivesse lá, e que o homem velho que estivesse na casa iría finjir não ter chamado nenhuma garota de programa, porque assim iria parecer estar transando com uma desconhecida assanhada, que seria a realização de uma fantasia, e que o dinheiro estaria no tapete da casa. Desligou. Então os quatro se esconderam atrás de uma moita, esperando a chegada da garota de programa. ´

Uma mulher chega na casa do velho diretor, pega o dinheiro do tapete (que era o dinheiro roubado de Carlos, com as gorjetas do mendigo), tocou a campainha, quando o diretor abriu a porta ela pulou encima dele e começaram a transar no chão da sala mesmo. Pela janela, os garotos assistiam a hilariante cena da prostituta montada no diretor e o diretor sem fôlego, após apenas quinze minutos, o diretor gozou e desmaiou. A prostituta saiu sem se despedir e os três ficaram rindo. Então se despediram e foram para suas casas. Já era meia-noite, então foram logo dormir, porque ás seis da manhã teríam que ir para a aula. E precisaram mesmo descansar, porque aquela havia sido mais uma noite de Ultraviolência, e ainda tiveram o gostinho de bater no rival e de provavelmente terem matado o diretor. E ainda teríam coisas para fazer no dia seguinte.

Comentários

04/10/2010 12:49:16
vc disse que o conto trazia "mensagens subliminares",mas acho que você não soube expressá-las. desculpa,mas o conto não foi agradável,tãopouco excitante.
17/09/2010 23:10:11
Desculpe nota zero isso nao inspira tesão nem a uma ratazana sinto muito nojento violento e horrivel isso é roteiro de filme credo
08/09/2010 00:52:50
rrsrsrss......vc precisa se inspirar em coisas melhores.........leia Vânia Furacão e se inspire........tem muita gente boa por aqui....
07/09/2010 11:21:39
E muita loucura para uma cabeça só..rsrs
07/09/2010 05:53:28
que conto merda,
07/09/2010 02:15:31
Nossa que lixo fala muita bestera isso nao e conto isso e um estrupo..Muito lixo
07/09/2010 02:14:24
hehehhe puramente laranja mecanica... veiachi

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.