Casa dos Contos Eróticos

Feed

Relato da primeira traição

Categoria: Heterossexual
Data: 27/08/2010 08:16:57
Última revisão: 03/02/2011 11:18:37
Nota 9.21
Ler comentários | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

RELATO DA PRIMEIRA TRAIÇÃO

Na mesma (e verdadeiríssima) seqüência que tenho dado aos relatos que vivi, quero contar como foi a primeira traição de TODA MINHA VIDA! Primeira mesmo! Sinceramente, até a data deste fato eu nunca tinha traído nem namorados, muito menos meu marido num casamento de 16 anos, pois sempre achei isso a maior sacanagem que alguém poderia fazer com quem ama (ou diz amar). Bem, como casada não poderia reclamar da minha vida sexual. Meu marido tem um ótimo dote e é gostoso. Diria, com certeza, que tem muito mais fogo e disposição do que eu mesma, mas eu sentia, eu sabia, que ele deveria estar fazendo algo por fora. Os homens que não se enganem: temos um sentido que nos alerta para isso. Bem, com essa certeza em mente, fiquei na espera de descobrir algo real mas, passados vários meses, o que eu tinha descoberto eram apenas e-mails suspeitos e sinais de sacanagem dele pelo computador. Isso mexia muito comigo. Deixava-me com raiva, mas não iria tomar nenhuma medida precipitada sem antes ter as provas que queria.

Até que um paciente meu me chamou a atenção. Sou dentista e, portanto, trabalho de portas fechadas. Nas suas últimas visitas, percebia que ele sempre tentava um diálogo mais pessoal mas eu, por ser casada, fechava “as portas” na cara dele sem cerimônia. Entretanto, quando flagrei outro e-mail mais picante do meu marido com seus contatos femininos, com claros sinais de sacanagem deles, resolvi dar o troco para responder à altura. Na penúltima visita daquele paciente, assim que ele se sentou na cadeira eu me inclinei mais que o normal e deixei meus seios esbarrando no seu braço. Claro que toda dentista acaba por esbarrar os seios, já que algumas posições exigem que fiquemos próximas e meio por cima do paciente. Acho que, na verdade, eu queria apenas provocar. Queria satisfazer meu ego ferido. Numa dessas encostadas, ouvi ele soltar um som de satisfação, mesmo estando de boca aberta.

Quando acabamos, ele se levantou e, ao invés de se dirigir para a sala de espera, chegou mais perto. Meu coração batia a mil. Eu suava, ainda que tentasse parecer segura. Minha mente fervilhava de raiva de mim mesma, pois grande parte daquela situação tinha sido causada por minha ousadia. Já não me sentia segura, pelo contrário, parecia uma adolescente sendo prensada contra a parede. Quando dei por mim, ele segurava no meu queixo e sua boca colou à minha.

De início, fiquei sem reação. Não sabia o que fazer. Sua língua convidava a minha para contatos mais íntimos, só que eu estava imóvel. Não sei por quanto tempo ficamos nos beijando, mas não foi muito. De repente, pintou um remorso e eu me afastei, pedindo a ele que fosse embora. Fiquei o resto da tarde com aquilo martelando minha mente, em conflito sobre o certo e o errado. No dia seguinte, liguei para este paciente e falei que gostava da simpatia dele, que ele era um cara legal, bonito, mas que não era certo aquilo acontecer, já que nós dois éramos casados. Embora decepcionado, ele entendeu e concordou que a última visita seria apenas para limpeza geral.

Em casa, eu olhava para meu marido e ficava pensando no que eu tinha feito. Por remorso, cheguei a ficar com dó dele mas, ao mesmo tempo, excitava-me a imaginação relembrar o que tinha acontecido no consultório. Conversei com uma grande amiga e ela me disse para ficar tranqüila por dois motivos: primeiro, porque provavelmente meu marido aprontava para cima de mim; segundo, porque o que tinha acontecido era um lance natural e eu não precisaria me preocupar se não me envolvesse. Sua idéia era muito moderna para mim que, aos 37 anos, ainda guardava muitos tabus.

No dia que meu paciente retornou, eu estava sozinha, como de praxe. Ele me cumprimentou com um beijo no rosto e se sentou. Começou a falar algo sobre o último encontro mas eu, querendo cortar de vez a conversa, pedi a ele que se deitasse. De boca aberta ele não poderia falar nada. Estava bem perto dele quando, por descuido, meus seios en-costaram novamente no seu braço. Ele olhou nos meus olhos e piscou. Achei lindo, mas perigoso. Tentava me concentrar na limpeza mas ele não tirava os olhos dos meus. Uma hora ele deixou o braço solto e tocou na minha perna. Fiz de desentendida, mas confesso que estava ficando encabulada. Ou excitada?

Quando terminamos, ele se levantou e, me pegando de surpresa por trás, disse que eu tinha mexido com ele, que eu era linda e ele me queria demais. Virou-me contra seu peito e perguntou se eu o queria. Não disse nada. Olhava estática. Então ele me deu um beijo delicioso, quente e molhado. Irresistível. Ao contrário da primeira vez, não o afastei. Acho que pensava no segundo conselho da minha amiga. Ora, não sou mais uma menina. Um beijo daquele realmente me excita, me deixa melada. Ele deixava seu corpo colado ao meu de forma que senti, claramente, quando seu volume se encaixou na minha virilha. Eu já nem respirava direito. Aquilo eram sussurros, que aumentavam à medida que ele pressionava mais seu membro duro contra meu corpo. Quando ele apalpou meus seios quase desfaleci, mas deixei que ele os acariciasse por cima do tecido. Sem tirar os lábios dos meus, começamos um rápido diálogo:

- Tem alguém que acordou - disse-me ele.

- Eu sei, estou sentindo – respondi.

- Queria você.

- Não pode. Não é certo. Somos casados.

- Deixa disso, nós dois queremos.- insistiu ele.

- Não. Eu não vou sair com você, Paulo.

- Então me deixa levar uma lembrança sua, além desse beijo.

- O que você quer dizer com isso??

Sem perder tempo, ele pegou minha mão e apoiou sobre sua calça. Sentir aquele volume abaixo do tecido me deixou melada. Eu sentia o calor e a umidade aumentando estratosfericamente, enquanto o tesão tomava conta do meu corpo. Não me opus – na verdade, até desejei – quando ele abriu a calça e baixou o zíper. Eu mesma enfiei a mão e agarrei aquele colosso, mas sem coragem de colocá-lo para fora. Não vou negar, mas sentir um pinto diferente entre os dedos, depois de 16 anos de casamento, me fez muito bem. Senti-me como uma adolescente diante de sua primeira vez. A mão dele já me alisava sobre o meu sexo, só que a calça jeans branca que eu usava parecia um escudo. Quando ele abriu o botão e ameaçou descer minha calça, eu falei:

- Paulo, eu não vou transar com você, entenda isso.

- Eu não quero que você transe comigo. Apenas relaxe comigo agora...

Olhei nos seus olhos e deixei o clima rolar. Permiti que ele abaixasse um pouco mais minha calça e, com indisfarçável desejo, senti sua mão invadir minha calcinha. Se eu já sussurrava, na hora que seu dedo invadiu minha fenda molhada quase caí na cadeira. Seu dedo grosso percorria minhas dobrinhas de forma lenta e sensual. Entregue ao momento, apenas separei um pouco mais as pernas para facilitar seu acesso à minha parte mais íntima. Quando percebi que ele colocou seu pênis para fora, olhei para baixo e admirei aquele naco de carne duro, com veias saltadas e uma cabeça inchada, lisa e rosada. Sem demora, doida para segurar firme, comecei a masturbá-lo ao mesmo tempo que ele alisava meu clitóris.

Eu tinha medo, medo de estar ali. Medo de gostar. Medo de chegar alguém. Medo de não conseguir esconder ou encarar meu marido. Medo de passar dos meus limites. Olhava para o relógio, que marcava 4:52. O próximo paciente chegaria em breve, isso se já não estivesse na sala de espera. Fui envolvida de tal forma naquilo que um formigamento tomou conta do meu colo. Aquele arrepio intenso, interno, abaixo do umbigo, que faz aumentar a umidade, que dilata a vagina, que acelera o nosso coração. Percebendo meu estado, ele ficava girando o dedo sobre meu grelinho ou, quando não, ia com ele deslizando pela fenda, passando sobre minha vagina até quase chegar lá atrás. Eu podia sentir, milímetro a milímetro, seu dedo cincundando minha vagina, passando lentamente pela borda do orifício. O silêncio era quebrado apenas pelas nossas respirações ofegantes.

Claro que eu estava com minha mão agarrada firmemente no seu pinto. Eu podia sentir o calor que vinha daquele pedaço de carne rígida. Com movimentos entrecortados por causa de nossa posição, eu o masturbava sem muita cadência, ora mais rápido, ora apenas segurando, ora mais lentamente. Nossas línguas se laçavam enquanto nos alisávamos, como numa disputa para ver quem faria o outro gozar primeiro. Eu mal conseguia me controlar, pois ele me masturbava da forma que eu gosto quando estou sozinha, com o dedo correndo na vertical. Virando-se quase de frente para mim, minha mão ficou livre para movimentos mais longos em seu pênis, desta vez ritmados. Acelerando o máximo que eu conseguia, quando ele falou que não estava mais se agüentando eu pedi a ele que gozasse. Ele parou de me beijar, se retesou e não resisti não olhar para baixo. Vi seu pinto pulsar três vezes antes de sair o primeiro jato grosso de esperma, acertando o encosto da cadeira. Tomada por um êxtase sem precedentes, a mera visão de seu leite continuando a sair me fez explodir num orgasmo delicioso, auxiliado pelos seus dedos que comprimiam meu clitóris contra meu púbis com muito mais vigor. E, para conter meu sonoro orgasmos, eu mordia os lábios enquanto minhas pernas estremeciam.

Eu olhava o esperma brotando daquele pequeno orifício, melando minha mão e escorrendo para o chão. Queria me abaixar ali, lamber aquele pau gostoso, sugar aquela porra do jeito que adoro fazer, babar com seu pau retesando na minha boca, mas já seria demais para mim. Ficamos ali, um com a mão no sexo do outro, estáticos, com nossas cabeças apoiada nos ombros do outro. Apertei seu pau e vi uma única gotinha brotar do orifício. Havíamos acabado de gozar. Levantei a calça e ele fez o mesmo, guardando seu pinto ainda intumescido. Eu dei a ele alguns guardanapos para se limpar e fiz o mesmo comigo. Não sabia mais o que pensar. Estava confusa. Antes do orgasmo, eu tinha convicção de que não estava fazendo nada tão errado mas, depois do gozo, já não tinha essa certeza. Paulo veio me beijar mas eu dei apenas um “selinho”, talvez mais em consideração, mas sem desejo algum. Era como se eu tivesse começado a sentir nojo, talvez não dele, mas de mim. Deveria ter resistido mais?

Quando ele foi se despedir, perguntou quando a gente ia se ver de novo, mas eu lhe respondi que não iríamos mais nos ver. Falei que tinha sido legal, só que aquilo não iria se repetir. Claro que ele tentou ligar várias vezes nos dias que se seguiram e chegou até a mandar alguns torpedos, mas nunca os respondi. Para minha sorte, o último paciente não apareceu e pude ir embora.

Cheguei em casa e olhei para meu marido com compaixão. Nós, mulheres, somos mesmo idiotas. Sabemos que nossos homens aprontam mas, na hora de dar o troco, caímos em desespero diante do conflito ético. Tranquei a porta do banheiro e entrei debaixo do chuveiro. Chorei o tempo todo, mas saí de alma lavada. Literalmente. Beijei meu marido antes de dormir com um carinho que há muito eu não cativava.

Aquela foi minha primeira experiência de infidelidade. Pode parecer bobinha, mas para mim foi algo extraordinário, muito além dos meus limites. Foi boa, mas não prometi outra para mim mesma. Na verdade, algo além daquilo só iria acontecer quase três anos depois. Será outro conto. Aguardem...

Comentários

04/08/2014 21:38:32
Excelente relato. Situação bem pensada... Bem real. As mulheres. São maus suscetíveis. Não é o meu caso, pois já come ei sendo de muitos kkkkk mas conheço mulheres assim. Parabéns pelo relato. Muito bem escrito. Erótico sem ser vulgar.
06/08/2013 06:57:22
Que texto espetacular! Sinto que é verdade o que dizes e excita me muito a tua atitude. Beijos
15/04/2012 19:09:18
Gostei de seu conto!!! Nota DEZ!!! Vou estar de @@ em suas publicações!!! Leia, vote e comente meus Contos Eróticos: * A cliente que virou amante virtureal por um instante > http://www.casadoscontos.com.br/texto/* A Pastilha do Prazer Sexual > http://www.casadoscontos.com.br/texto/* Clube De Casais com WEB-CAM ao Vivo e muito tezão!!!! > http://www.casadoscontos.com.br/texto/* Em cima da cama do falecido na casa alugada... > http://www.casadoscontos.com.br/texto/* Uma tarde quente com uma exeCUtiva > > http://www.casadoscontos.com.br/texto/Visite o blog do clube de casais -> http://www.clube-de-casais.blogspot.com.br e participe! Grupo: https://www.facebook.com/groups/contoseroticos Abraços
22/01/2012 11:12:50
Seu relato é muito envolvente, posso ser seu amante?e-mail:jfmf1000@hotmail.com
21/01/2012 18:30:16
Amiga!Envolvente o seu relato, vamos conversar? e-mail:jfmf1000@hotmail.comBjs.
21/01/2012 04:37:41
Mário, é um conto. Dãããã
dmm
20/01/2012 09:47:50
Cativante e instigante ao mesmo tempo, excelente. dmm0607@gmail.com
29/10/2011 14:24:22
morena deliciosa, vc ésafada, hein?
10/05/2011 10:35:01
O mundo é movido a sexo, tem que dar muito mesmo, principalmente se é gostosa. Nota 10!
02/02/2011 09:18:34
Adorei o relato. Achei muito, muito excitante mesmo. Bem escrito, sem vulgaridade. Entendo os conflitos íntimos de uma mulher casada. Porém você foi bobinha mesmo. Devia ter dado e não esperar até chegar na casa dos ¨enta¨ (40) para começar a aproveitar o que a vida tem de melhor:SEXO. A nota mínima é 10! Ganhou um fã. Vou ler os outros contos também. Beijos.
Ale
20/01/2011 11:47:30
Broxante esse continho de merda!!!!
02/01/2011 07:37:10
Valeu, mas que você ficou com vontade de sentir o kassetão dele dentro de sua buceta, você ficou. Pena que demorou 3 anos para vc. se liberar. Nessa nossa vida é muito tempos, pra uma coisa tão gostosa. Um beijo do amigo que também te quer..
01/01/2011 05:10:50
Boom
28/12/2010 13:08:31
adorei seu conto muito exitante por conhecidencia ja transei com uma casadinha nesse mesmo jeito a diferença e que fomos dereto na penetraçao mais seu conto me fez lembrar tudo
26/12/2010 15:49:08
Olha.. senti uma sensação gostosa ao ler o seu conto... parabéns. nota 10.rarfighteralone@hotmail.com
21/12/2010 17:45:19
Lindo conto, essa mistura do proibido com o prazer é delicioso, nota dez linda.
13/12/2010 11:59:50
Muito bom !!! Gostaria de pegar uma casadinha assim com muito carinho e emoção ! kasadoencoxador@bol.com.br
03/12/2010 23:23:09
muito bom isso ja aconteceu comigo
24/11/2010 20:19:13
muito bom, adorei safada.
16/11/2010 20:52:04
Fantástico, vc sabe narrar, prende a atenção, excita, parabéns. Bjs. Adoria ter vc.
22/10/2010 05:39:50
BOM, SE OS GAYS FICARAM DE PAU DURO, NÃO SEI. MAS, QUE O CONTO É NOTA 10, ISSO É.
20/10/2010 07:31:22
AMEI SEUS RELATOS E SUAS DESCOBERTAS. UM TESÃO O ENREDO E A FORMA COM QUE VC DESCREVE. PARABENS.
18/10/2010 20:19:26
ei Casada Solitaria, adoro acompanhar seus comentarios. percebo que vc em muitos desejos e fantasias. Adoraria teclar com vc. Tb sou casado, sou de Belo Horizonte. Bjs
18/10/2010 18:51:27
porra, que cara escroto esse K@RINHOSO. Quem ele pensa que é? GAta, o conto tá um tesão da primeira até a ultima linha. Gostoso e cheio de sacanagem que deve acontecer em muito consultorio por aí. Fiquei de pau duro o tempo todo da leitura. Tesao demais.
16/10/2010 11:09:09
OLHA, O CONSELHO NÃO VAI PEGAR PORQUE ELA FEZ ÁS ESCONDIDAS E NINGUÉM VIU. O CONTO É FASCINANTE. ESSE, SIM: NOTA 10! OU 11M, COMO QUEIRA.
09/10/2010 16:22:47
confesso que achei seu conto muito excitante, só acho q vc poderia ter saído com o cara! Consultorios odontológicos podem ser cenários interessantes para uma foda apenas em filmes pornôs. imagina se o CRO aí descobre hem... biosegurança e ética profissional pra vc é mato! se vc realmente for cirurgiã-dentista (o que eu acho muito dificil) acho q não deveria misturar as coisas, pois são pessoas como vc que contribuem para a desvalorização da nossa profissão. Acho legal esse site e tenho meus contos publicados, porém vc nunca vai me ver misturar as coisas. bj!
08/10/2010 11:47:28
POUCAS VEZES ME SENTI TÃO ENVOLVIDA COM UMA LEITURA. ERA COMO SE EU PUDESSE ESTAR SENTINDO O QUE VC RELATAVA. FIQUEI SEM FOLEGO E, AO FINAL, TOTALMENTE MELADA
04/10/2010 19:34:00
Bem, Sra doutora, belo conto, sim senhora! Adorei o teu modo de escrever, sem erros, sem ser maçador e com muitos pormenores e sensualidade .É o primeiro conto teu que leio, mas acho a nossa maneira de escrever muito próxima. Conto erótico tem de falar dos nossos sentimentos e dar muitos pormenores, se não passa a ser um conto pornográfico. Para mim, tira, põe, vira de lado, torna a meter.... Não serve, canso de ler muito rápido. Um beijão para ti, linda. nota 10
01/10/2010 07:13:59
Bom. Muito bom. Me furto em comentar, pois os comentarios aqui postados, jarefletem o que achei.
24/09/2010 07:41:41
lado humano ou tolo da mulher?
23/09/2010 15:47:20
MUITO SINCERO SEU CONTO. DELICIOSO PELOS DETALHES. ME SENTI NO SEU LUGAR. PARABENS
23/09/2010 01:26:03
EU ADOREI SEU CONTO... BJOS
21/09/2010 16:23:22
Sensacional, me mande e-mail para me contar mais sobre suas traicões. jcalmeidag@hotmail.com
21/09/2010 14:50:58
Adorei seu conto! Me pareceu sincera com seus sentimentos e me pareceu mesmo um relato. Mas é difícil acreditar que você e seu paciente conseguiram parar onde pararam. Gostaria de conversar com vc! Meu email é fascinadogoiania@gmail.com Não troco msn por aqui mas se fizermos contato por email então podemos nos tornar virtualmente mais íntimos... Grande beijo
17/09/2010 12:51:26
gente só azrrumando o e-mail, é marciaarruda30@yahoo.com.br, desculpe e obrigado.
16/09/2010 23:11:07
vc realmente me fez imaginar coisas.... stou adorando ler cada um deles.... leia os meus e se puder vote tbm..... * delicia mineira * 2 + 2 * eu e o negão do trabalho.. são alguns deles... dá uma olhadinha.... stá no meu outro nick: Paulana... mais uma vez Parabéns... fiquei molhadinha.... srs
16/09/2010 09:32:16
Sei que é impossível dar nota 11. Mas sou teimoso e vou lhe dar uma nota 11. Seu conto é incrívelmente sensual. De uma pureza extraordinária. Já li centenas mas só o seu tem o meu comentário. Parabéns doutora. São mulheresas como vc que dão prazer à todos leitores. E principalmente à homens como eu que tanto adoram e admiram esposas maravilhosas como você! rob_ville@hotmail.com (Joinville)
15/09/2010 13:53:21
Olha, tbm sou casada e nunca trai meu marido, pois não preciso, ele me faz gozar todos os dias, até quando não quero, acheo que ela faz isso de propósito, o fato é não preciso de outro homem, pois o meu é maravilhoso, só que acho que ele esta perdendo a graça com o nosso casamento, tenho medo que me traia, adoraria que ele ficasse com alguem como vc, pois sei que eu não teria problema e nem o perderia, se quiser me mande um e-mail, e acredite, vc iria adorar, e eu por outro lado me sentiria mais segura. marciaarruda@yahoo.com.br
15/09/2010 12:07:19
adorei seu conto...muito sincero e sensual. nota 10 vou ler os outros. por favor leia os meus tb e comente. maximus0357@hotmail.com
13/09/2010 09:51:47
gente, quem puder dar a nota eu agradeço. bjocas
11/09/2010 22:42:53
REALMENTE, UM BELO CONTO. NOTA 10!
09/09/2010 09:58:23
Ola, gostei do seu conto, meu nome e Ricardo e apesar de viver fora do Brasil gostaria de manter contato contigo, estive por ai no inicio de Abril e estou indo novamente na segunda semana de Novembro, poderei mandar mais detalhes sobre mim se interessar, vc pode me escrever para rbfortytwo@yahoo.com ofereco a vc sigilo e respeito.
02/09/2010 22:38:03
adoro seus contos marcioadriano21@hotmail.com
31/08/2010 22:33:41
li todos...tem msn pra gente conversar melhor? ja te passei o nosso.
31/08/2010 16:04:48
Muito Bom mesmo acredito na realidade deste conto
31/08/2010 10:51:51
adorei seu conto linda muito excitante e adoraria conversar mais junior-2009@hotmail.com bjs
29/08/2010 15:35:27
Adorei seu comentário sobre o bi feminino. Adoraria te conhecer. Sou de Belo Horizonte.
28/08/2010 11:38:28
Gostei do seu conto. O conflito gerado pela tesão, pelo remorso, pela vontade de experimentar algo novo é algo maravilhoso quando vivenciado da forma como vc vivenciou. Vc externar essa experiência, e te-la para contar, deve ser algo que vc guardou com muito carinho para vc. Nas linhas finais, fiquei torcendo para que o desfecho tivesse sido diferente. Torci para que vc tivesse vencido o conflito ético, e não tivese esperado tres longos anos para descobrir o bom da vida. De qualquer forma te parabenizo por vc não ter inventado. Ter contado como realmente aconteceu.
27/08/2010 23:14:49
amor voce merece depois de um conto deste, leu o meu , de pelo menos uma nota rsrsrsrs, e vc não me respondeu se pode ser minha dentista rsrsr adoraria, mas não precisa ficar com medo rsrsr voce viu soui só chupador rsrsrs.. me add no orkbjus
27/08/2010 16:40:07
lindo conto,parabens
27/08/2010 15:48:28
menina voce esta de parabens, continue assim pq virei seu fâ rsrsr, só pra abreviar, sou diabetico nescessito urgnete de uma dentista pois meus restos de dentes estaum me dando trabalho e sinceramente a minha diabegters me deixou só com a l9ngua funcionando rsrsr por isso voce seria a minha dentista amiga amante ideal rsrsrsr se quizer me add ok rsrsrrws
27/08/2010 13:48:42
Isso sim é um conto muito bom mesmo, sonho todo dia com minha dentista assim.
27/08/2010 11:31:27
Vc descreveu exatamente o que acontece conosco qdo traimos... me add vamos conversar - rafanando1@hotmail.com
27/08/2010 11:16:25
Esse conto é uma Delicia! Eu concordo com você primeira traição e uma coisa louca,sentimento de remoço,medo,e tesão.Nós mulheres não traimos com tanta facilidade como os homens,apesar de sabemos que na primeira oportunidade que eles tive,nos trai sem culpa nem remoço.Seu conto tem muitos fatores que mim deixaram excitada,a narração perfeita,a malicia,tesão..Elém de tudo,o nome PAULO..este nome é muito forte para mim,você nem imagina o quanto.Hoje se eu podesse te daria 100,mas como aqui nota MÁXIMA é 10,te darei com maior prazer,e com certeza este conto estará entre meus favoritos..CONTO MAGNÍFICO!
27/08/2010 09:47:40
uma delicia seu conto foi simples mas cheio de detalhes e foi uma experiencia mas eu queria ser esse cara
27/08/2010 09:36:25
Muito bom!! adorei seu conto! O erotismo foi maravilhoso, como deve ser toda iniciação....com gostinho de quero mais!Parabéns!! (10)
27/08/2010 09:33:39
Muito bom! Um conto especial, bem escrito e envolvente. Me fez remeter a idéia que os contos são sim eróticos e não somente sexo. Parabéns!! (10)
27/08/2010 09:25:37
oiiii amiga, amei seu conto que deliciaaaa mto excitante, bjinhosssss
27/08/2010 09:15:56
Olha que esposa comportada...kkk 10 para você.
27/08/2010 08:52:44
QUEM PUDER DEIXAR A NOTA, VOU AGRADECER. BJS
27/08/2010 08:46:55
maravilhoso conto..adoro casadinhas,quanto mas reservadase timidas melhores.. me add no msn.. carlos.calcado@hotmail.com

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.