Casa dos Contos Eróticos

Feed

Meu papai querido I

Categoria: Heterossexual
Data: 16/05/2010 04:27:43
Nota 9.21
Ler comentários | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

Meu papai querido I

Sempre morei numa cidade da Bahia com minha família. Eu, meu pai, minha mãe e mais dois irmãos que são mais velhos. Eu nunca saia de casa, sempre fui muito caseira. Cresci e meu pai sempre teve muito ciúme de mim. Desde criança meu pai andava pelado dentro de casa somente de cueca. As vezes meus irmãos também saiam de cueca do banho. Eu sempre dava uma olhadinha para ver o volume. Eu achava aquilo divertido. Quando eu era mocinha, meu pai e minha mãe nunca deixava eu namorar. Ele também não gostava que eu usasse roupas curtas fora de casa. Somente podia usar shorte dentro de casa e minha mãe sempre vigiava. O tempo foi passando e meus irmãos saíram e foram morar no Rio de Janeiro. Meu pai era muito sem vergonha, sempre arrumava outras mulheres. Não podia ver um rabo de saia.

Eu já tava mais velha e meu pai foi mudando. Um dia estava fazendo compras, eu , ele e minha mãe, quando ele entrou numa loja e disse que ia comprar um shorte para mim. Achei estranho, mas minha mãe aprovou a idéia. Ele disse que eu somente poderia usar dentro de casa. Chegamos em casa e fui experimentar. Ficou muito curtinho e enfiadinho, mas minha mãe e meu pai acharam que estava bom. Para não desapontar eles eu usei... Minha mãe adorou a idéia e depois comprou outros shortes. Com o tempo minha mãe fez outros shortinhos para mim e meu pai nunca mais se preocupava com isso. Somente não me deixava namorar e trabalhar fora. Eu sempre queria trabalhar fora, mas ele não deixava. Pedi um computador para meu pai, assim eu podia entra na internet. Eu nunca namorei, pois meu pai e minha mãe não deixava. Nunca fui uma garota bonita, mas nunca me importei muito com isso. Me achava gostosa... Tinha as pernas grossas. Minha bonitinha era gordinha, fazia volume, eu gostava de mim. Minha mãe estava doente com problemas graves.

Eu adorava ficar na internet, via tudo. Adorava batepapo e ver sites de sexo... Eu ficava vendo os filminhos de sexo e me masturbava. As vezes quase morria de tanto masturbar, umas cinco vezes por dia. Adorava masturbar. Ficava com tesão o tempo todo. Minha mãe ficava deitada de tarde e eu sempre ficava na internet.

Com o tempo, comecei a perceber que meu pai era bem safadinho, principalmente quando bebia. Ele adorava andar somente de cueca pela casa e passava a mão no pau para chamar minha atenção. Sempre fazia isso quando minha mãe estava fora.

Um dia que minha mãe saiu, percebi que meu pai estava com outras intenções, tava bêbado. Eu estava arrumando a casa, ele tava só de cueca, ele veio e me abraçou por traz, senti que ele queria ficar encostando na minha bunda. Ele tava com o pau duro e pois pra fora. Ficou pedindo para eu segurar o babão dele.

- Segura meu babão um pouquinho.

Ele fico esfregando o babão nas minhas pernas. Passou um tempinho e ele me soltou. Ele foi ficando mais sem vergonha, cada dia mais atirado, mas sempre longe de minha mãe. Eu não gostava daquilo, mas percebi que podia tirar vantagem. Sempre quando eu queria comprar alguma coisa, jogava um charminho para o lado dele e ele dava dinheiro.

Um dia reclamei com minha mãe do jeito dele, que ele tava safado comigo, mas ela me disse que desde que eu comecei a dar atenção para ele, ele nunca mais procurou outra mulher na rua. Pediu para eu continuar pois ela tinha medo dele perde tudo e a gente fica sem casa. Ele sempre chegava cedo em casa. Ele tinha mudado muito, agora sempre tinha dinheiro para comprar as coisas dentro de casa. Compramos móveis novos e ele pintava a casa nos fim de semana. Eu sempre deixava cerveja para ele na geladeira. Nunca mais faltou nada em casa. Ele colocou a nossa casa em meu nome para não ter risco de alguém roubar.

Ele adorava brincar de dar uns tapinhas no meu bumbum, uns beliscãozinhos nas minhas popinhas, que doíam, mas eu deixava. Principalmente quando eu queria um dinheiro. Ele sempre pedia para eu ficar de shortinho dentro de casa. Minha mãe falava que não tinha problemas, era o jeito dele. O importante era que ele não gastava mais dinheiro com outras mulheres. Sempre quando tava na hora de meu pai chegar, minha mãe mandava eu tomar banho e por um shortinho ou uma sainha para meu pai ficar feliz. Era divertido e eu sempre obedecia. Eu gostava daquela vida... era feliz....

Um dia a noite meu pai falou que iria dar uma volta na rua. Minha mãe me chamou e disse para eu agradar ele. Peguei uma cerveja e dei para ele. Ficamos na sala. Ele já tava meio bêbado. Ele pediu para eu sentar no colo dele, eu fui sentar no sofá. Minha mãe falou brava para eu obedecer. Sentei no colo dele, ele ficou acariciando minhas pernas e meu bumbum. Minha mãe olhava, mas não falava nada. Ele ainda falou em sair. Eu levantei para pegar outra cerveja. Minha mãe veio atrás e disse para eu não deixar ele sair de jeito nenhum. Minha mãe foi para o quarto deitar. Voltei e sentei no colo dele. Ele tava mais safado. Fui pegar outra cerveja e quando voltei vi que ele tava com o babão de fora. Fiquei sem saber o que fazer, mas ele puxou minha mão e me sentou no colo dele. Ele pois o babão no meio das minhas pernas. Ficava pedindo para eu passar a mão. Fiquei passando a mão no pau tudo melado. Ele esfregava no meio das minhas pernas. Pedia para eu deixar ele vê a minha bonitinha. Falava que seria um segredo só nosso. Ele foi passar as mão no meus peitos. Eu fui pro meu quarto. Deitei, mas gostei daquela brincadeira. Lembrava do babão no meio das minhs pernas, me masturbei de tesão. Depois minha mãe veio conversar comigo e disse que meu pai dava todo o dinheiro para as mulheres da rua. Que ele tinha outra mulher. Naqueles dias ele tinha recebido um dinheiro importante. Eu já entrava na internet e via filme de sexo pai e filha. Eu gostava de ver, mas fiquei com medo de acontece comigo.

Um sábado, meu pai ia chegar mais cedo, eu estava fazendo o almoço. Minha mãe estava no hospital. Pus uma sainha para esperar ele. Ele entrou, tomou um café e foi tomar banho. Terminei o almoço. Quando olhei, ele saiu pelado do banheiro. Eu não conseguia parar de olhar para o babão dele. Ele foi até a cozinha. Mas pedi para ele por uma roupa. Ele sentou na mesa. Eu disse:

- vai cobrir este babão cabeludo, safadinho....

Ele deu um sorrisinho safado e veio para o meu lado:

- gostou dele? Apontou para o babão.

Acho que fiquei vermelha. Fui no quarto pegar uma cueca, mas ele veio me abraçar, e começou a me relar por traz. Fiquei com medo de alguém ver. Consegui sair e fui para o meu quarto, mas ele veio atrás. Eu tentava fugir, mas ele me abraçada. Ele levantava minha saia e tentava me comer por traz. Eu sentia o babão melado esfregar no meu bumbum. Ele abaixou, me segurou com força e ficou lambendo meu bumbum. Fazia cosquinha, eu ficava rindo. Ele ficava mordendo e mi lambendo. Eu arrepiava. Consegui sair, mas ele me abraçou. Eu estava sem saída, segurei o babão dele,

Falei: ainda tenho cabaço....

Ele me abraçada cada vez mais. Continuei segurando o pau dele. Foi esquentando, eu já tava ficando arrepiada. Com um jeito de safado, ele disse:

- Se me chupar eu vou te dar um presente lindo.

Ele pedia para eu chupar com um jeito de safado. Eu ainda tentava fugir, mas ele insistia, pedia para eu chupar um pouquinho que ganharia um presente. Dizia que seria um segredo só nosso. Jogou a carteira em cima da cama e falou que todo dinheiro era meu. Eu ainda falava não, mas fui cedendo e me abaixando igual nos filmes da internet.

Fechei os olhos e senti ele esfregar o babão na minha boca. Abri a boca e ele pos o babão. Pela primeira vez eu tinha uma vara dentro de minha boca, o gosto era ruim, mas eu gostava da situação. Me senti mulher. Eu não sabia como fazer, mas fazia igual na internet. Ele foi me falando e em pouco tempo eu beijava e lambia o pau e o saco dele. Ele ia falando e eu chupava como ele falava. Eu gostei de chupar, adorei a brincadeira. Olhei para o rosto dele e senti que ele tinha muito prazer. Fiquei feliz de ver ele naquele jeito. Começou a agir como um louco, gemia e se mexia. Ele ficava falando que ia me comer por traz, enfiar na minha rosquinha. Falava que quando a moça dá o cú não perdia a virgindade e ninguém sabia. Falava que eu poderia dar o cuzinho e ainda continuava virgem. Ele falava isso várias vezes enquanto eu chupava o babão.

Foi quando senti ele babar na minha boca. Começou a babar, eu não agüentei aquele gosto de porra. Tirei a boca e fiquei lambuzada no rosto. Corri para o banheiro.

Fiquei uma hora no banho. Um calor tomou meu corpo, me masturbei. Quando saí ele já tinha saído. De tarde eu pensava naquilo o tempo todo. Entrei na internet para ver sobre incesto e via tudo. Os filmes me excitavam.

A noite chegou e meu pai não chegava, fiquei preocupada, será que tinha acontecido algo? Será que voltaria? Não conseguia dormir. Meu pai ainda não tinha chegado. Eu também não sabia o que fazer, o que ia acontecer quando ele chegar. Eu tava ansiosa. Eu tinha pensado a tarde toda e decidi dar meu cuzinho para ele. Ficou muito tarde e eu dormi.

Estava dormindo quando acordei com meu pai deitando em cima de mim. Ele me abraçou forte. Eu tava virada de bumbum para cima. Ele falava para eu ficar quietinha porque ele ia me comer por traz, e por traz a moça não perdia a virgindade. Ele me prendia cada vez mais. Fiquei com vergonha de algum vizinho ouvir. Ele ficava falando alto, morri de medo de alguém ouvir. Resolvi ficar quietinha como ele pediu. Eu peguei no babão enquanto ele abaixou minha calcinha até o joelho. Deitou sobre mim e tentava enfiar na minha bunda. O pau tava duro, ele não conseguia enfiar. Fui empinando meu bumbum enquanto ele tentava enfiar. Sentia minha bunda doer. Fiquei de quatro. Ele tentava furar meu cuzinho, mas não conseguia me comer.

Eu olhava para ele quanto ele tentava enfiar no meu cuzinho. Ccada vez que ele tentava empurrar dentro de mim, eu ficava toda arrepiada. Eu ja tremia o tempo todo, não conseguia pará de tremer. Segurei o pau dele e tentei ajudá a enfiar, mas não deu direito. meu cuzinho estava apertado. Eu tremi tanto. Segurei o pau dele com força e comecei a esfregar na minha bonitinha. Minha bonitinha dava choquinho... Fiquei olhando pra ele. Ele tava doido de prazer. Meu corpo arrepiava de cima em baixo. Minha bonitinha tava tremendo. Ele perguntou.

- posso enfiar?

Meu cabaço não deixo entrar. Segurei forte o babão, forcei meu corpo para traz contra o babão. Meu pai sorriu. Senti encaixar, ele ficou mexendo devagarinho. Senti um tremor dos pé até na cabeça. Só balancei a cabeça que sim.

Ele prendeu minha cintura, soltei o pau dele. Puxou meu bumbum para ele e penetrou com força. Senti arreganhar meu cabaço. O pau foi fundo, senti tudo dentro. A dor passou logo e ficou a vontade de brincar. Ele começou a socar. Sentia doer tudo em mim, meu coração disparou. Eu olhava para ele que sorria enquanto socava. Cada vez socava mais forte. Eu sentia faltar ar. Eu queria parar, mas ele continuo comendo. Segurei o pau dele para não enfiar tudo, daquele jeito tava melhor, tava gostoso. Pedi para ele fazer daquele jeito, sem enfiar tudo. Ele passou a mexer bem devagar, eu senti tesão... meu corpo tremia todo. Minha bonitinha abriu tudo. Ele enfiava devagarinho... aquilo me fazia rir, eu ria e gemia. fiquei rindo enquanto ele comia. Ele começou a comer com força. Voltou a doer. Ele comia fundo demais, tava machucando, mas eu aguentei. Eu olhava para traz e via aquele homem montado em mim, me fazendo mulher. Não importava quem era, o tesão tomou conta. Eu gemia.....Ficamos naquela loucura. Eu sentia seu pau entrar e sair, a cada minuto ficava mais gostoso, fui enlouquecendo de prazer. Senti seu primeiro gozo dentro de mim, ele tirou e lambuzou meu bumbum. Eu me sentia mulher, melada, toda suja, mas meu tesão havia sido satisfeito. Não sentia culpa. Agora eu era mulher. Naquele dia eu descobri que eu queria um homem. Que precisa de um homem para mim. Ele me pegou no colo e me levou na cozinha. Ele tinha comprado uma TV para eu colocar no meu quarto. Fiquei feliz com o presente.

Depois vou continuar

Comentários

25/04/2011 12:44:27
Fico de pau duro em ver comentários de mulher, que se excitam com esse conto, pois eu tb fico de pau duro imaginando coisas rss beck.gilmour@gmail.com
21/04/2011 03:31:29
é muito este conto.
18/04/2011 03:42:07
Muito bom! Gozei gostoso com ele!
02/03/2011 23:45:38
Hum... babão...
21/02/2011 08:29:22
bom, muito bom.
16/08/2010 00:29:14
Muito bom....
07/07/2010 13:27:47
Que delicia de conto, consigo perceber que é verdade realmente e isso me dá mais tesão ainda!! adorei tenho contade de comer minha filha também!! beck.gilmour@gmail.com
02/07/2010 07:49:45
bom mesmo!!!
23/06/2010 17:05:20
gostei do seu conto
17/06/2010 21:33:15
bem erótico... muito bom.
23/05/2010 18:28:33
Muito bom seu conto cadelinha tesuda, me add no msn terra_serigy@hotmail.com
17/05/2010 23:32:16
muito bom, o meu babão ficou durão, doidinho por vc...waleu.
17/05/2010 12:41:05
jasonjunio26@hotmail.com
17/05/2010 12:40:09
muito bom
17/05/2010 10:30:33
Bom conto! Alguns poucos erros de gramática... Mas parabéns e vamos a continuação!
17/05/2010 01:18:18
Bacana o conto, gostei. Uma dica: evite repetir várias vezes a mesma coisa, a redundância não contribui para com o conteúdo do texto. Espero ansioso pela próxima parte. Leva dez.
16/05/2010 22:43:53
Gostei do conto. Continue...
16/05/2010 21:16:04
babão kkkkkkkkkkkk, nome novo pra um cacete, mais o conto é ótimo
16/05/2010 19:03:34
Gostei do conto. Continue.
16/05/2010 18:37:03
Tesão de relato,tambem fiquei com o meu todo babado por sua causa!!! volta logo com a continuação. gaucho.fmello@gmail.com
16/05/2010 15:47:08
gostei do babão, me empresta ele, gostei de ler excitante.
16/05/2010 14:06:05
Muito bom
16/05/2010 10:47:44
Muito bom, no aguardo da continuação
16/05/2010 07:32:41
sensacional adorei.
16/05/2010 04:47:58
Adorei seu conto, Bejos

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.