Casa dos Contos Eróticos

Curso fora de casa

Autor: Andrea
Categoria: Heterossexual
Data: 26/04/2010 00:42:25
Nota 9.81
Ler comentários (15) | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

Fui fazer uma especialização pela empresa que trabalho, dois dias da semana, sexta e sábado, duas vezes por mês durante dois anos. Eu sempre fui muito estudiosa e não podia perder essa oportunidade. A empresa me liberaria nestes dias e ainda me ajudaria com despesas de viagens e no pagamento dessa pós. Estava animada e não esperava que minha vida desse essa reviravolta. A pós seria em na capital, várias pessoas de várias empresas estariam participando, o que seria uma ótima possibilidade de trocas de informações e experiências, e que experiências rsss... eu sou daquelas bem sérias, caretona mesmo pra falar a verdade, sou casada a 10 anos mas estamos juntos a pelo menos 15 anos entre namoro, noivado e casados. Bem, cheguei lá no dia e horário marcados, tinha feito reserva em um hotel próximo do local do curso e todas as formalidades de uma estréia de uma pós graduação. A maioria das pessoas que participavam eram da mesma idade que eu, uma idade muito produtiva na carreira de qualquer profissional, mais ou menos 35 anos apesar de eu aparentar uns 25 anos. Todos se apresentaram formalmente dizendo empresa, cidade, função na empresa e blá, blá blá... mas um sujeito chamou minha atenção. Roberto era um homem charmoso, corpo atlético, cabelos pretos, olhos castanhos, não era lindo de morrer mas me chamou a atenção, na hora que nos vimos já trocamos os olhares e me senti atraída por ele, seus olhos me despiram totalmente me deixando sem reação, me senti rubra por um instante e não consegui mais desviar aos olhares daquele homem. Tudo ia bem e fomos almoçar no restaurante ao lado do curso. Logo o Roberto veio me fazer companhia. Sentamos na mesma mesa com mais dois colegas e eu me sentia estranhamente incomodada, parecia que nos conhecíamos e bastante tempo e pela sua conversa já senti que era um homem bem família, apesar de uma certa descontração já notei que era do tipo caseiro.

Como sou...

sou descendente de orientais, tenho uma formação bem rígida, típica dos orientais, educação católica e sempre fui do tipo careta. Tenho 1,60 de altura e 48 de peso bem distribuídos, seios médios para pequenos, cinturinha fininha e uma bundinha bem empinadinha o que não é muito comum nas japonesas. Meu marido sempre me diz que sou muito gostosa e brinca dizendo que fui feita pra deixar os homens loucos de desejo...rsss... cabelos longos e lisos, pele levemente bronzeada, sempre arrumada e perfumada. Apesar de tudo sempre fui muito séria em relação ao meu casamento, casei com o único homem da minha vida e sempre fui fiel a ele, claro que de vez em quando passa algumas fantasias em minha cabeça, afinal, sou de carne e osso também né? Sempre fui muito assediada em todos os lugares mas sei tirar de letra sem agredir nem magoar ninguém. Faço o tipo executiva discreta e sexy. Sempre visto roupas sociais e sóbrias no meu trabalho e sei tirar proveito disso. Decotes sutis, uma transparência na roupa e pronto, sei que os homens ficam babando e eu me divirto sozinha com tudo isso, gosto desse joguinho de esconde e mostra mas muito sutil pra não ficar vulgar.

Meu marido...

o Carlos é uma pessoa muito inteligente e um marido exemplar, tem carinha de safado mas é só a carinha, confio nele e sei que ele confia em mim também. Ele tem 1,70 de altura, oriental também, corpinho gostosinho, sem barriga mas sem ser malhado, não sou do tipo que gosta de homens bombados, na verdade acho feio e me dá uma certa impressão de que são gays, desculpem os bombados tá, nada contra mas é assim que penso.

Vida a dois...

somos um casal feliz, transamos pelo menos 2 vezes por semana, acho uma média muito boa pra um casal que trabalha o dia todo e a semana toda. Ele sempre me faz gozar e me sinto realizada com ele não só na cama mas em todos os aspectos de um casamento. Confiamos um no outro, ele sabe que sou bem assediada e eu também sei que chove mulher pra ele, o que me deixa louca de raiva mas combinamos que se cada um fizesse a sua parte, os dois ganhariam e era assim que vivíamos.

Meu amante...

o Roberto era igualmente casado, muito inteligente e sensual, fazia bem o meu tipo, bem tranquilo, não era desses galinhas

acabei conhecendo o Roberto em uma pós-graduação, sei lá, mas logo que nos vimos rolou uma química, eu sempre fui fiel ao meu marido e o Roberto também a sua esposa, tínhamos muito em comum, casados a mais ou menos 10 anos, estabilidade financeira, bem caseiros e muito trabalhadores. O dia D foi mais ou menos assim... a pós-graduação era nas sextas e sábados, eu saía de casa sexta-feira de madrugada, pegava o voo e antes das 8:00 estava lá, após o almoço fazia o check-in no hotel, dormia na sexta-feira e sábado a noite voltava pra casa. Todos tinham a rotina parecida, inclusive o Roberto. A diferença de nós em relação aos outros era que a gente preferia ficar no hotel enquanto o resto da turma sempre dava um jeito de sair na noite da sexta-feira pra balada. Imaginem vários profissionais com seus mais de 30 anos, a maioria casada com bons empregos sem as esposas e maridos a cada duas semanas, dá pra imaginar o que rolava não dá? Eu sempre fui cuzona, as aulas terminavam as 22 hrs e não tinha vontade de sair com a turma. Eu e o Roberto já estávamos bem próximos, era difícil evitar, sempre estávamos nos falando e nós sempre inventávamos uma desculpa pra trocarmos e-mails. Já havia passado uns 2 meses, eu subi pro meu quarto pra tomar um banho e descansar mas ao abrir meu frigobar pra pegar uma água, vi que não tinha nenhuma garrafa, a arrumadeira devia ter esquecido de colocar. Pensei em ligar pra recepção mas resolvi me vestir e ir buscar no bar do hotel. Cheguei lá e uma banda animada tocava algumas baladas enquanto vários casais dançavam na pista improvisada no salão do bar. Eu peguei uma mesa e ali fiquei curtindo o som e o movimento e de repente chega o Roberto. Veio me cumprimentar e perguntou se podia me fazer companhia e lógico que disse sim pra ele. Muita conversa descontraída e resolvemos tomar uma garrafa de vinho já que o clima estava bem convidativo. De repente estávamos os dois na pista de dança dançando abraçadinhos, por alguns instantes eu esqueci do meu mundo real, estava ali com um homem muito atraente me sentindo protegida e amada, uma sensação estranha mas muito boa. O som, o ambiente, aquele clima começou a mexer comigo, dançávamos cada vez mais agarrados, as mãos do Roberto acariciavam meus cabelos, minhas costas e eu sentia seu cheiro encostada em seu peito forte. Logo suas mãos seguravam minha cintura, minha respiração ficava mais difícil, comecei a sentir um calor percorrendo meu corpo, queria suas mãos apertando minha bunda mas tive que me conter, logo estávamos com os lábios unidos, as línguas se encontrando, seu beijo era muito gostoso, a umidade ideal, a temperatura da sua língua e a suavidade dos movimentos dela na minha língua eram fantásticos. Minha bucetinha doía de tanto tesão, sentia a calcinha se molhar como nunca, meu desejo por aquele homem era muito forte e minha vontade era de transar loucamente com ele. Por um momento saímos do corpo, esquecemos do mundo real e quando a ficha caiu afastei me do Roberto e me dirigi a mesa. O Roberto entendeu, me acompanhou e um silencio enorme pairou sobre nós. Pedi licença a ele pra me retirar e ele disse que me acompanharia até meu quarto e chegando ali entrei e com o Roberto do lado de fora, a porta entreaberta ele quebrou o silencio. Me mediu desculpas e disse que não aconteceria novamente, nesse mesmo momento não resisti e puxei ele pra dentro do quarto, nossas bocas se encontraram novamente e não pensamos em nada além do desejo dos nossos corpos, logo estávamos seminus, ele me deitou na cama e foi descendo com sua boca, beijando meus seios, minha barriga e logo senti sua língua quente na minha buceta. Eu gemia como nunca, estava totalmente dominada pelo tesão e segui meus instintos. Logo estávamos num 69 delicioso, seu pau era enorme, eu precisava das minhas duas mãos pra segurar ele e ainda sobrava a cabeça pra eu chupar, era lindo e cheiroso, chupei ele deliciosamente e logo eu estava sentindo aquele pau maravilhoso me abrindo. Não foi preciso muito tempo, algumas estocadas daquele pau foram suficientes pra eu gozar como louca, mudamos de posição várias vezes e nem sei quantas vezes gozei, pela primeira vez tive múltiplos orgasmos. Depois de tanto gozar caí na real de novo, sentia vergonha e nojo de mim mesma, pedi para o Roberto se retirar e nem consegui dormir pensando na besteira que eu tinha feito, ficava imaginando o que seria de mim agora, pensava no meu marido, se o Roberto sairia se gabando que tinha transado com uma colega de turma e essas besteiras. No outro dia mal olhei para o Roberto, eu estava evitando ele, morrendo de vergonha. Nos outros dias tentei esquecer aquela noite mas era difícil, ficava lembrando do Roberto o tempo todo, eu queria falar com ele mas não podia, eu já estava ficando paranóica com tudo aquilo. Em umas das transas com meu marido tive que me conter pra não chamar ele de Roberto, eu transava com meu marido desejando outro homem, pensei em procurar uma psicóloga mas não fui. O outro dia de aula, tudo normal tirando o meu tesão que estava a mil, mas eu precisava me controlar. Logo no intervalo o Roberto veio me procurar dizendo que queria conversar comigo. Já imaginava mil bobagens mas na hora do almoço fomos conversar. Ele se desculpou comigo dizendo que não queria causar nenhum transtorno em minha vida, que não me procuraria mais e que gostaria de ser somente um amigo. Fiquei perplexa, eu já imaginava tudo diferente, imaginava ele me convidando pra sair, aproveitar de mim e essas coisas de homens cachorros como a maioria mas me surpreendi novamente. Eu também me desculpei, disse a ele que aquilo foi anormal e que eu não era dessas que saíam se aventurando com outros homens fora do casamento, ele entendeu dizendo que amava a sua família e não tinha interesse em jogar tudo para o alto por outra pessoa. O alívio tomou conta de mim e ao mesmo tempo me senti atraída por aquele homem especial. Retomamos a nossa rotina e continuamos amigos. Após o curso fui me retirar pra descansar, fui para o chuveiro e comecei a lembrar da ultima transa que tivemos e fiquei excitada, a ducha fria não me acalmava e resolvi sair um pouco pra relaxar. Fui para o bar do hotel, pedi um drink e lá estava eu solitária e pensativa. Parecia telepatia e o Roberto se aproximou. Conversamos como bons amigos, muitas gargalhadas e já era tarde e fomos nos retirar. Deitei na cama mas o sono não vinha, fiquei rolando na cama sem sono e resolvi sair novamente. Ai que saco, não conseguia dormir e logo no hall de entrada encontro o Roberto lendo uma revista. Me aproximei e perguntei a ele se estava sem sono, ele respondeu que sim e que estava ali lendo pra ver se o sono chegava. Voltamos a conversar e ficamos ainda mais acesos até que ele resolveu subir pra tentar dormir. Subi junto com ele e ficamos conversando no corredor até que ele sugeriu que fossemos ao seu quarto pra ficarmos conversando. Topei, afinal eramos bons amigos mas ao entrar no seu quarto já começamos a nos agarrar e nos beijar, logo eu estava entregue a ele com as pernas abertas e ele com a lingua dentro da minha buceta, logo deitei ele na cama e comecei a chupar aquele pau enorme, sentei nele e comecei a cavalgar, ele me chamava de gostosa e eu pedia pra ser fodida, ele metia com força me levando a loucura e logo a coisa esquentou, eu pedia pra ele me comer, que queria ser sua puta e ele me chamava de putinha gostosa, e metia sem dó, gozei muitas vezes até ele gozar comigo e dessa vez dormimos juntos. No outro dia transamos ao acordarmos e na hora do almoço. Não dava pra evitar, nós estávamos muito envolvidos, era uma coisa meio animal, coisa de desejo mesmo, era a gente se aproximar e o sexo acontecia. Depois da pós nunca mais nos vimos e sempre que me lembro do que rolou me excito bastante....

Comentários

30/04/2014 15:20:19
Nossa princesa que conto. Muito bom mesmo, fiquei bem excitado aqui. Se tiver interrese de trocar ideias e conversar um pouco, meus contatos são: Whatsaap- skype serginhonando@hotmail.com face www.facebook.com/kunaguero.aguero.376 e o email kum_bond@hotmail.com Espero sua resposta!
17/03/2012 12:21:27
Parabens, AndreaSeu conto foi muito bacana. Expontâneo.Além de vc escrever bem. Detalhar. Traz uma linguagem bem natural.Espero que essa experiência tenha sido legal para qto a gente poder ler.Quem não gostaria ter um encontro assim, não é?Os casados geralmente tem essas fantasias, e elas são raras.Tenha certeza que gostei mt. E se há algo q ainda não narrou, por favor narre para nossa delicia.Felicidades
14/03/2012 16:54:01
VOU FAZER UM CURSO TB RSS
06/03/2012 07:44:28
adoro conto de mulher safada. mostra o qto elas têm para ensinar para os homens
01/03/2012 22:43:31
Delícia como quebrou as regras da educação rígida..rs..nada como algo mais rígido que a educação rssss parabéns. Mas, se me permite a humilde sugestão, divida o texto em parágrafos, pois isso torna a leitura mais dinâmica. Adorei seu estilo... muito mesmo.
23/04/2011 10:52:12
Esse conto me deixou com muito tesão me add no msn - ronaldofrancop@hotmail.com Leia meu conto e comente - DELCIA DE CUNHADA
27/04/2010 11:27:55
Tbm sou bem familia, mas vc deve ser uma deusa... rs me add vamos conversar. rafanando1@hotmail.com
26/04/2010 22:44:25
MUITO BOM LINDA,CONTINUE ESCREVENDO POIS VOCÊ SABE SE EXPRESSAR E O PRINCIPAL,PASSA EXITAÇÃO PRA QUEM LÊ,FIQUEI MOLHADINHA E TROQUEI ATÉ A CALCINHA,BJOS.
26/04/2010 20:29:46
Linda adorei, belo conto, que maravilha. beijosss
26/04/2010 14:11:02
MUITO BOM... PARABÉNS PELO CONTO E PELO RELATO EXCITANTE E SENSUAL! MARAVILHOSO...
26/04/2010 12:50:30
Nossa... que conto delicioso!!... não se culpe por não segurar o tesão por outra pessoa. O importante é que vc teve prazer nessa relação e não machucaram ninguém (os respectivos companheiros). Bjs e boas novas trepadas, aguardo novos contos seus e uma visita ao meu conto... hotmail.secreto@hotmail.com
26/04/2010 11:11:40
Andrea, gostei do seu conto, muit bom...
26/04/2010 10:46:05
Realmente ninguem é d ferro e as vezes é impossível segurar. Parabens pelo conto, continue escrevendo. bjs.
26/04/2010 09:20:59
excelente conto gata! gostei, infelizmente vc errou, traiu a pessoa q confia tanto em vc..., coitado ele não merecia isso, mais afinal não somos dono de nossos sentimos, desejos, a atração e desejo as vezes falam mais "alto" e daí pronto!! a gente perde anoção do tempo, dos fatos, perdemos o dominio de nós mesmos! isso ocorre qdo uni-se a atração, a carencia, o desejo acontece o q as vezes relutamos q acontecça...mais é tão delicioso, revigorante q acabamos por se deixar "levar" pelos efeitos...o prazer indescritivel!!! o "alivio" na carne...afinal como vc disse: somos de carne e osso estamos sujeito a coisas boas e as más, gu50tao@yahoo.com.br
26/04/2010 01:04:32
Isso tudo pq vc não é dessas... imagina se vc fosse vadia então... rsrsrsrs... Mesmo assim adorei o conto, vc é ótima... escreve muito bem...

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.