Casa dos Contos Eróticos

Feed

O volume do cobrador do ônibus

Autor: Paulo
Categoria: Homossexual
Data: 12/04/2010 20:06:55
Última revisão: 05/10/2010 01:49:18
Nota 10.00
Ler comentários | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia
Clique aqui para vídeos gay

Bem, antes vou me apresentar. Esse é meu primeiro conto aqui e meu nome é Paulo. Sou moreno, 174cm de altura, olhos e cabelos escuros, sou magro mas tenho o corpo bem em forma e definido, pois pratico muito exercício, só não gosto da minha parte inferior, acho minhas pernas um pouco finas e minha bunda pequena, mas em compensação, tenho um pau de 18cm. Vamos ao conto.

Era um domingo, eu havia ido assistir a um filme no cinema com um amigo (O Mágico de Oz). Depois do filme, tinha que voltar logo para casa, pois precisava estudar para uma prova no dia seguinte. Então fui com meu amigo até a parada de ônibus. Enquanto caminhava, passou um ônibus que servia pra mim, mas como estava conversando, decidi esperar outro.

Não demorou muito, veio outro ônibus. Foi melhor ter esperado, pois era um modelo novo, bem mais espaçoso, confortável e limpo. Quando subo no ônibus fiquei surpreso: o cobrador era o mesmo que estava no mesmo ônibus semanas atrás e com quem troquei olhares. Só que dessa vez ele não estava usando uniforme de cobrador, por ser domingo. Estava usando roupas normais, uma calça jeans super justa e uma camisa um pouco justa deixando a mostra uma tatuagem no braço direito e também seus músculos definidos.

Pois bem, paguei a passagem, e sentei numa cadeira que ficava na diagonal da cadeira do cobrador. Fiquei surpreso pois ainda não havia reparado, mas ele tinha um volume muito gostoso, por causa da calça apertada, e eu sou fissurado em volumes, quase não conseguia tirar o olho. Pensei "bem, o ônibus está vazio, vou tentar dar em cima dele pra ver o que rola". O ônibus estava vazio pelo fato de ter passado outro da mesma linha minutos antes. Além de mim, só tinha uma moça sentada lá atrás.

Então eu fiquei lá no meu lugar e fiquei olhando descaradamente pro volume enorme que se fazia sob a calça do cobrador. Olhava o volume e olhava a cara dele, pra ver se ele tava olhando. Alguma hora percebi que ele já havia notado que eu olhava. Então ele passou a mão de leve sobre o volume, quase gozei nessa hora. Ele passou a mão e logo depois deu uma apertada pra baixo. Então quando tirou a mão, vi que o volume estava muito maior. Caramba, ele estava de pau duro!

Nessa hora eu deixei de esconder meu pau sobre a mochila e comecei a apertar também sobre a calça. Ele saiu da cadeira do cobrador e sentou numa cadeira ao lado dela, ficando de lado pra mim. Então ele virou um pouco o corpo, pra ficar um pouco de frente pra mim, e começou a passar a mão no pau me olhando. Minha boca salivava muito de tanto tesão. Nessa hora a moça que estava lá atrás puxou o sinal pra descer. Então ele esperou ela descer e eu fiquei rezando pra ninguém subir. Feito, ninguém subiu.

Ele se voltou de novo pra mim e começou a apertar o pau, então me chamou pra sentar na cadeira com ele. Fui na hora. Mal sentei e ele apertou meu pau com muita força. Então apertei o dele. Depois ele largou o meu e ficou olhando pela janela, como se dissesse "se diverte aí" e isso me deu muito tesão. Perguntei se o motorista poderia ver naquela direção e ele disse que não. Então abaixei a cabeça e mordi o pau dele por cima da calça.

Ele abriu o zíper, sem baixar a calça, e eu puxei um pouco pra ver o pau embaixo da cueca, pois sou fascinado por isso. Parecia muito grosso e tava babado. Então aproximei e senti um cheiro de suor, mas não fedorento, e lambi a cueca. Logo abaixei o elástico da cueca e tirei de lá um pau lindo! Não era enorme, era grande, uns 18cm e tinha mais ou menos 5cm de grossura. Era um pouco mais escuro e a cabeça era rosada e muito lisa, daquelas que refletem a luz (ainda mais que estava babada) e não era circuncisado.

Passei um dedinho sobre a abertura da pica dele e veio um fiozinho da baba, então levei até minha boca. Depois abaixei e passei a ponta da língua na baba e chupei de leve, só a pontinha, como se chupasse um pirulito. Passei a língua na região do freio do pau dele e ele ficou louco, pegou minha cabeça por trás e empurrou com tudo até o talo do pau dele. Nessas horas meu pau já estava muito melado. Então chupei muito ele!

chupava e punhetava demais aquela pica deliciosa, em uns 10 minutos ele anunciou que iria gozar. Falei pra ele que como ele era gostoso e tinha um pau maravilhoso, poderia gozar na minha boca, e foi o que ele fez! Foram 4 jatos de uma porra bem quentinha e meio adocicada. Engoli tudinho, não deixei uma gota de fora.

Depois continuei chupando seu pau de leve, pois o pau fica sensível depois de gozar, espremi até sair a última gota. Então guardei o pau dele na calça de volta, fechei o ziper e o botão e falei que adoraria repetir a experiência. Então ele me deu o telefone, mas disse pra ter cuidado, pois era amigado com uma moça e disse que era melhor eu ligar entre 14h e 21h. Então voltei pra minha cadeira e continuei apreciando o volume dele, que agora estava inchado por ter estado duro pouco antes. Pouco tempo depois chegou minha parada e desci. Caminhei um pouco e acabei ultrapassando o ônibus, pois o sinal estava fechado. Parei do lado da rua e o cobrador havia voltado a sua cadeira, ficou de lá me olhando com um sorriso safado enquanto o ônibus partia.

Bem, ainda não liguei, pois isso aconteceu hoje, 11 de Abril de 2010. Mas já penso em ligar amanhã pra ele e marcar algo.

Comentários

05/04/2012 00:37:52
Caralho, gozei feito loko aki...
13/04/2010 06:08:56
Delicia de conto. fiquei de pau duro tbem
13/04/2010 02:12:55
caraliooo quase gozei... ADORO VOLUME, ainda mais em aventuras assim... PERFEITO!
12/04/2010 23:28:42
qdo vc falar com ele me avise
12/04/2010 20:58:42
Delícia de conto! Adoro trabalhadores com cheiro e gosto de macho tb. Adorei!

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.