Casa dos Contos Eróticos

Feed

Enteada enrabada!

Autor: Alemão
Categoria: Heterossexual
Data: 16/03/2010 15:52:55
Nota 9.00
Ler comentários | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

Tenho 27 anos, sou casado há 3 anos com uma mulher linda que me faz muito feliz.

Ela tem duas filhas do primeiro casamento, a mais velha chama-se Luana, uma morena linda com longos cabelos negros, magrinha, voz suave.

Luana sempre foi bastante apegada a mim, e conforme foi adquirindo maioridade começou a mudar a forma como me via, sempre dizia me achar lindo etc.

Nunca havia tentado nada de malicioso com ela, mas as brincadeiras e provocações aumentaram quando ela completou 18 anos.

Fomos convidados para um churrasco na casa dos meus pais, assim que chegamos Luana colocou sua roupa de banho e correu pra piscina, foi a primeira vez que a vi como mulher, imaginei seu corpo nu, suas mãos me tocando, confesso que fiquei de pau duro quando entrei na piscina e ela veio me abraçando na brincadeira.

Mas não teve como disfarçar, ela percebendo minha excitação aproximou-se mais e a todo momento encostava a bundinha no meu cacete duro.

Comecei a me empolgar e passar minhas mãos pela sua barriga, pernas, bunda, tudo disfarçadamente como se fosse uma brincadeira.

Estava tudo muito bom, até que ela ficou de frente pra mim e observou o volume que minha sunga fazia.

Abraçou-me de frente esfregando aquele corpinho lindo contra o meu, fiquei mais excitado ainda e acabei enfiando as mãos nos seios pequeninos dela, que me olhava com carinha de aprovação, olhou para os lados para se certificar de que ninguém estava percebendo o que acontecia na piscina, enfiou a mão por dentro da sunga e tirou meu cacete pra fora.

Começou a bater uma punhetinha gostosa, esfregava a cabeça do meu pau na barriguinha e me olhava nos olhos.

Estava doido de tesão, coloquei seu biquíni de lado e massageei com o dedo médio seu clitóris, gemeu baixinho com aquela voz suave, aproximou-se do meu ouvido e disse que ainda era virgem.

Fiquei meio frustrado ao saber que minha enteada era virgem, já estava pronto para arrebentá-la piscina.

Sai da piscina com um puta tesão, e fui para mesa onde todos estavam. Luana me seguiu e sentou-se ao meu lado com carinha de quem queria mais.

Começou a puxar assunto sobre sexo comigo, e pediu-me para ensiná-la tudo que eu sabia sobre sexo.

Continuamos a conversa e a excitação foi crescendo, disse que ensinaria algumas coisas quando chegássemos em casa, mas ela não agüentou esperar e mais uma vez pegou meu pau que estava duro por causa da conversa e bateu uma punhetinha de leve por baixo da mesa sem ninguém perceber.

Estava doido pra ensinar algumas coisas pra ela, me levantei e mandei Luana me seguir, quando chegamos ao corredor puxei-a de canto e dei um beijo gostoso em sua boca, tirei de lado a parte de cima de seu biquíni e chupei aqueles peitinho durinho e intocáveis até aquele momento.

Ela gemia de tesão pedindo pra continuar, arrastei-a para o banheiro e tranquei a porta, estava com medo de alguém aparecer ou notar nossa ausência no churrasco, mas o tesão estava demais.

Mandei-a sentar no vaso, coloquei seu biquíni de lado e enfiei a língua em sua bucetinha, ela gemeu gostoso e segurou minha cabeça com força, continuei chupando aquela bucetinha virgem, sentia Luana se contraindo de prazer até sentir meu queixo melar com o melzinho escorrendo pela xaninha dela.

Coloquei o pau pra fora e madei-a chupar, ela colocou aquela boquinha quente e molhada na cabeça do meu pau, me deixou tão louco que quase gozei de tanto tesão, ela começou meio desajeitada a chupar e foi melhorando conforme engolia.

Não queria que minha primeira gozada fosse na boquinha dela, iria ensinar tudo mas aos poucos, sentei-a no vaso novamente e levantei suas pernas, tentei penetrar sua xaninha mas Luana estava reclamando de dores e que não estava conseguindo agüentar, achei melhor tirar o cabacinho dela em casa, com calma e carinho.

Deixei-a mamar mais um pouquinho pra pegar pratica, mas estava doido pra penetrá-la, mandei-a ficar de quatro em pé, agachei-me e lambi seu cuzinho, Luana estava gostando gemendo e rebolando na minha cara, então enfiei um dedo e senti aquele cuzinho apertar meu dedo como um alicate, ela gemendo me pediu isso paizinho vai mete ai mesmo.

Fiquei em pé por trás dela e lambuzei meu pau de saliva, segurei forte em sua cintura e posicionei a cabeça na entradinha do cuzinho, empurrei até entrar a cabeça toda, ela estava gemendo numa mistura de prazer e dor, deixei-a se acostumar com o tamanho e grossura.

Empurrei mais, senti seu cuzinho apertar meu pau gostoso, foi o cu mais apertado que já comi na vida, dei uma cuspidinha pra lubrificar e empurrei mais, ela soltou um gritinho e com as mãos me impediu de continuar empurrando, estava com metade do pau dentro dela e sentia a contração daquele cu apertadinho.

Fiquei parado, deixando-a imprimir o ritmo, ela rebolava enquanto com os dedos eu brincava com os mamilos durinhos, Luana estava segurando meu quadril e aos poucos fazia pressão contra meu cacete, dei outra cuspida e segurei em seus braços, tirei pouco mais de 3 centímetros do rabinho dela e empurrei novamente, ela gemeu alto apertando com força meu quadril.

Comecei um vai e vem gostoso até que ela foi acostumando-se com o tamanho, dei uma estocada forte puxando seus braços pra trás e senti meu pau todo dentro dela, Luana soltou um grito alto, cheguei até a pensar que alguém tinha ouvido.

Tirei meu pau todinho deixando apenas a cabeça dentro, dei uma estocada mais forte e senti minha cintura batendo em sua bunda a fazendo vibrar, comecei a bombar de leve, pondo e tirando com carinho, ela apenas gemia gostoso e me olhava por cima dos ombros.

Aumentei a intensidade das investidas, estava doido com o impacto que nossos corpo causava, aquela bundinha linda balançando na minha frente, comecei a fode-la como um animal, enfiava com força segurando-a pelos braços.

Estava tão cego de tesão que havia me esquecido do povo La fora no churrasco, aquela visão maravilhosa me cegou, foi a melhor bunda que já comi na vida, bombei mais alguns minutos e gozei dentro dela que parece ter sentido um imenso alivio ao sentir o liquido quente escorrer pelo seu cuzinho.

Quando tirei o cacete do rabinho dela percebi que Luana tinha sangrado um pouco, ela virou-se e beijou minha boca, disse que eu era o melhor padrasto do mundo e que não via a hora de aprender mais.

Deixei-a no banheiro se limpando, lavei meu cacete melado de sangue e porra e voltei pro churrasco, incrivelmente ninguém perguntou nada, olhei para o lado e vi Luana sair do banheiro com certa dificuldade pra andar.

Luana sentou-se ao meu lado e ficamos juntos abraçados eu, minha esposa e Luana.

Fomos pra casa como se nada houvesse acontecido e somente no outro dia quando fui buscar Luana na faculdade que preparamos a segunda aula.

Mas esse é outro conto e prometo que conforme nossas aulas forem acontecendo eu digo pra vocês o que ensinei a ela.

Espero que tenham gostado, pois como já disse, esse foi melhor sexo anal que já fiz em toda minha vida.

Comentários

13/10/2010 14:26:26
Olá pessoal, tenho uma super novidade. Visitem meu blog, e vejam mais historias... http://lilapaty.blogspot.com
25/03/2010 17:57:35
SUPER 10!!! MUITO BOM.
18/03/2010 18:19:45
Deu tesão cara!
18/03/2010 11:25:34
muito bom men...
16/03/2010 19:31:23
Muito bom!
16/03/2010 18:02:19
Muito bom!!! Le os meus tbm!!! falowwww
16/03/2010 16:57:22
Legal....nota 8
16/03/2010 16:39:59
perfeito muito exitante

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.