Casa dos Contos Eróticos

Feed

Comendo um VIADINHO...

Categoria: Homossexual
Data: 10/02/2010 18:17:30
Última revisão: 19/06/2012 02:55:48
Nota 10.00
Assuntos: Homossexual, Gay, Sexo
Ler comentários | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

Em uma tarde chuvosa de terça feira, a vontade de comer um cuzinho falava mais alto, e a vontade de fuder um viado era imensurável. Eu jovem garoto de 22 anos, olhos e cabelos castanhos, corpo atlético e 19 cm de rola, jamais havia sentido tamanha vontade de fuder um garoto e foi motivado por esta vontade que nesta mesma tarde me aparece o lindo e mensurável priminho de apenas 17 anos; gay assumido, lindos olhos e parecia uma gazela desmunhecada me fazia delirar, gostava dele e relevava sua viadagem, pois sua linda bundinha me ilustrava, jamais tive vontade de fuder o radinho dele, mas desde que o vi todo pelado se trocando no quarto minha vara disparou a imaginar, eu batia punheta direto, mas jamais tive a oportunidade e a coragem de falar em uma possível transa.

E foi desta forma que motivado por vontades e medos, e que sozinho após a saída da minha tia que o recebi, dei uma boa tarde empolgada, tirei minha camiseta para ver se aquela bicha reparava no mastro e no corpo e o cumprimentei, ele todo sorrindo perguntou da tia e respondi que haviam todos saídos e que somente estava eu em casa. Neste misero momento pergunto para ele o que ele andava fazendo da vida e se havia pegado muitas gatinhas na escola... Ele sorri e me pergunta se é uma piada, respondo que não e ele se contra vem dizendo que todos sabem que ele é gay e eu estava me fazendo de idiota. Sorri e de imediato jogo uma bela indireta, pergunto se ele curte é rola da boa, ele não responde.

Eu sem medo de falar e com uma puta excitação me atrevo a ser mais ousado e começo a passar a mão na minha pica por cima do calção, ele começa a olhar e eu para não perder o foco fico o admirando e conversando sobre coisas do dia a dia, ele me da uma bela cortada quando o indago que graça tem fuder com um homem e que o que era bom era uma bucetinha quentinha. Ele me diz que não curte a minha pessoa e que a sexualidade é dele e o cu também, o mando parar de falar se não iria mostrar o q era bom... Ele no imediato sorri e me pergunta de como eu faria isto, sem medo tiro para fora minha pica que neste instante estava pulando de excitação e digo “não é isto que você gosta... rsrsrsrs”.

Ele se levanta e diz que sou ridículo, fico com raiva e falo que ridículo era ele que adorava mamar uma pica ele se atreve a me responde “adoro mamar numa rola mais não sou você que não sabe pegar ou ate mesmo conquistar um viado, esta doido para me comer e não sabe chegar em mim...”

Fico imóvel diante da resposta e neste instante começo a ficar com raiva, o pego pelo braço e o mando calar a boca, ele revida e o jogo no sofá, pego a força e falo para ele ficar quieto se não iria o comer a força, ele tenta se soltar mais devido a força minha ser maior ele não consegue, ele ameaça em gritar.

A coisa fica tensa e minha rola com vontades, o seguro e aras to para o quarto o mando calar a boca, ele tenta se soltar, ele o coloco na minha cama de bruços, o seguro e começo arrancar o shots dele ele ameaça em gritar e eu ligeiramente tampo sua boca.

“Cala a sua boca viadinho filha de uma puta... você não estava a fim de me zoar, agora eu te estupro, pois a titia da putinha vai chegar somente a noite, se prepara para ser fudida.”

Começo a segurar e a passar meus dedos no rabinho dele, ele começo a susurar e começo a enfiar o dedinho no cuzinho dele. Ele parece gostar e começa a se soltar, começo a chupar o pescoço dele, começo a fazer dele a minha putinha.

Neste momento estava eu e o viadinho da minha vida, a bicha estirada na cama sendo massageada e toda acariciada sem medo de ser feliz. No momento a mesma era toda chupada, começo a liberar e a dominar a passagem dele, começo a chupar seu cuzinho lisinho, e ao mesmo tempo acariciar suas lindas pernas, ele era meu, estávamos dominado pelo desejo e não nos deitamos diante da forma e das vontades.

O beijava com volúpia, o fazia feliz, sugava seus deliciosos lábios e fazia dele uma gatinha manhosa. Apertava seu rabinho e neste mesmo instante sentia a vontade de comê-lo.

Começo a ficar todo nu, minha rola começa a esfregar em sua perna ate achar seu devido lugar, a entrada é forçada e o gemido do viadinho é deslumbrante... em pouco tempo estava ele, dominado e todo rasgado diante de uma linda rola, estava eu matando meu desejo e comendo um belo e saboroso cuzinho, um delírio de rabo, uma linda entrada... Ele gemia e me fazia sentir tanto prazer que jatos de porra dominavam minha movimentação de entra e sai jamais em toda minha vida senti tanto prazer ao comer um cuzinho, nunca se deixei levar pela violência e pelo desejo, mais era inevitável. O ato estava feito e as acarias, beijos e desejos estavam ao Maximo.

Uma tarde, um detalhe, um primo, uma bela bunda, isto sim que era foda de verdade, eu dominado, o estocava com força enquanto o ouvia gemer de desejo, ele me dizia que estava gostoso e me falava para continuar, pois queria sentir minha porra no teu rabinho. Éramos somente eu e ele, nos dois, sem roupa motivada pelo desejo e pela vontade... Eu estava metendo com força e com vontade e sem demorar vim a GOZAR, era um jato de porra enorme que me levava a um grito de desejo... Estávamos nos dois, na cama, ele com o cuzinho melado de porra e eu o beijando como forma de agradecimento pela foda. Pedi desculpas para ele e disse que quando ele me quisesse estaria pronto para servi-lo.

Com medo de levar um fora depois de um estupro ele se levanta e me da um beijo de retorno e disse que havia gostado mais que a próxima seria melhor.

FIM-

Autor: Escritor Danyel

escritordanyel@hotmail.com

Acesse e leia mais ;

www.casadoescritor.blogspot.com

Comentários

11/02/2010 00:33:36
é meu amigo, muito bom o conto.
10/02/2010 19:00:18
Pequena correção: um viado, não!, dois. Um ativo e o outro passivo.

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.