Casa dos Contos Eróticos

Feed

Ninfeta é melhor

Autor: Gatamansa
Categoria: Homossexual
Data: 20/01/2010 14:43:36
Nota 9.36
Ler comentários | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

Sempre gostei de mulheres mais novas, apesar de não ser preconceituosa. Buceta é sempre bom...

Acho as bucetas novinhas, de pouco uso, mais excitante! Chupo com maestria. Adoro ver a guria tremer as perninhas por debaixo de minha lingua experiente.

No meu prédio mora uma gata assim: Lourinha, com sardas nas costas, peitinhos que mais parecem peras maduras, e uma bunda de tirar o fôlego. Anda sempre com shortinhos marcando a bucetinha, que às vezes, se parte ao meio, mostrando duas bandinhas...e eu ficava babando...pensando: Quando vou poder mamar naquele grelinho?

E a vadiazinha sabia que era gostosa...Os porteiros ficavam malucos, quando ela saia da piscina e entrava só de biquine no elevador de serviço...só pra provocar! E como provocava a tesudinha...

E eu pensava: Minha hora vai chegar, putinha!

E chegou...rsrsrsr

Estava eu na piscina, numa tarde de sol...e eis q surge minha delícia, num biquine novo, branco, tomara-que-caia, toda linda...toda deliciosa. Me deu um sorriso e deitou-se na espreguiçadeira...passou um tempinho e perguntou-me se eu poderia passar protetor nas suas costas. Eu mais que depressa, me levantei, passei a mão no tubo de protetor e me prostei atras daquela bunda maravilhosa...fui passando nos ombros, com delicadeza, aproveitando para alisar bem, espalhando o creme. E ela falando amenidades, que nem prestei atenção...

Minha boca salivava de tanto tesão! Minha buceta latejava por se esfregar naquele cuzão...

perguntei: Só nas costas?

Aí ela respondeu, se não for abusar muito, passa em tudo...não quero ficar ardendo...ahhhhh, não perdi tempo. Fui deslizando minha mão até chegar naquela bunda dura, firme, meus dedos entravam por dentro da calcinha.

E ela não reclamava de nada...estava gostando...abriu as coxas, e eu fui passando alí, naquela fornalha, e meus dedos

encostavam em sua racha quente...desci até os pés..minha vontade era lambê-los..

Perguntei se estava bom...e ela: Bom, bom? Está delicioso...fiz cara de desintendida e deitei de frente pra ela...não é que a vadiazinha puxou a calcinha para o lado e abriu as pernas pra mim? Devia estar doidinha pra uma linguada no rabo...a safada!

Fui direta:

- Voce sabe o que está fazendo?

- Claro que sei...estou te seduzinho! rsrsrsrsrs

- Sabe que gosto de garotas, principalmente as gostosas igual a voce?

- Claro que sim. Vejo como vc me olha...cheia de tesão!

- Então vai liberar a bucetinha pra mim? Não vejo a hora de fazer voce gozar na minha boca...

- Podemos começar agora. A piscina está vazia e eu to cheia de tesão!

Falando assim, levantou, sentou na beira da piscina, abriu as pernas, puxou a calcinha de lado e me chamou...Eu, claro, não me fiz de rogada. Entrei na piscina, me prostei no meio daquelas pernas, e dei de cara com a bucetinha mais suculente que já havia visto. Poucos pelos dourados na testa, dos grandes lábios pra baixo, toda depilada, com aquele grelo enorme, vermelho, saindo pra fora. Ela com 2 dedos abriu bem seu buraco e expos tudo aquilo pra mim. Com aquela cara de vadia, de rua, disse: Lambe!

E eu meti a língua naquela buceta...uauuuu....ela gemia, implorava por mais. Enfiei dois dedos de vez, dentro dela. Que se jogou pra tras, deitando-se, com as pernas flexionadas, expondo aquele cú lisinho, piscando de tesão. E pelo jeito, acostumado a levar vara!

Caí de boca naquele rabo, lambendo e enfiando os dedos e ela gemendo, gritando, implorando por mais...

lembrei do meu consolo, negrão de 20 cm, grosso, com uma chapeleta enorme. A convidei para subir até o meu ap. Qria fazer um trabalho completo naquela piranha, com carinha de anjo.

Fui na frente e mandei ela me seguir. O que fez sem reclamar..no elevador, ficamos falando amenidades, pq tudo é filmado.

Quando chegamos dentro de casa o bicho pegou...deixei ela peladinha...aqueles peitinhos de bicos inchados, parecendo uma pera, encima de uma barriga de penugens douradas...eram o paraíso! Só que gosto de mandar...Mandei que tirasse meu biquine, e de joelhos, que colocasse a língua toda pra fora...encostei minha buceta nela...e ela meteu a lingua.

Minha buceta estava toda babada, segurei ela pela cabeça e esfreguei a buça na cara dela...até dar "aquela gozada" e a safada nao parava de chupar, de lamber...enfiava a língua lá dentro de mim, sugando meu grelo...

Fomos para o quarto, ela rebolando na minha frente e eu segurando nos cabelos dela, dando tapas em sua bunda e chamando-a de gostosa, deliciosa e que eu ia comer aquele cú...ela olhava por cima dos ombros e ria!

Deitei-a na cama, com as pernas bem arreganhadas, aquele grelo enorme, duro, melado de tesão...aquele cú piscando pra mim...caí de boca, dei um chá de língua na ninfeta, que ela chegava a gritar:

- Chupa vai...lambe...morde...enfia dois dedos, tres...quatro...quando eu me dei conta, estava com quatro dedos dentro dela...e ela pedia mais! Peguei o consolo, e dei pra ela chupar..e como chupava! lambia a cabeçorra, enquanto eu falava pra ela:

- Chupa, gostosa...chupa essa caceta que vai te arrombar inteira....deixa ela bem babada, pra entrar fácil nesse seu bucetão!

- Quero que entre rasgando. Quero só sua língua no meu grelo, quando ele entrar...ah!!!

Coloquei a vaquinha de quatro, dei uns tapas naquele rabo:

- Empina pra mim esse rabo, vadia! Vai, arreganha...quero te fuder toda! Te deixar toda aberta...te viciar nessa rola!

E ela empinava e abria a buceta com as mãos...era a visão do paraíso!

E eu meti aquele caralhão com força buceta adentro, de uma só vez...ela gritou de susto, quando a piroca atochou até no fundo daquela buceta...

E a vadia gemia, rebolava, gritava e eu com a língua dentro do seu cú, os dedos, tapas, cuspia no cú dela e enfia meus dedos...até ela dar uma gozada, que molhou a cama toda!

Nem lhe dei descanso, coloquei um travesseiro debaixo da barriga dela, com aquele rabão pra cima, tirei o consolo todo melado de dentro de sua cona, e comecei a empurrá-lo dentro do rabo...só a cabecinha...tapas, cuspe...tirava e empurrava de novo...ela gemia: tira, enfia, esfrega, bate...e eu metia a mão...adoro ver uma bunda ficar bem vermelha de tanto apanhar...e empurrava consolo cú adentro...e a piranha aguentando...quando passou a chapeleta, ficou mais fácil...enrabei a ninfeta com tudo, deixei o caralho, lá dentro, e comecei a esfregarmeu grelo naquele bundão sarado...

- Minha gostosa, que rabo delicioso...vai me dar toda vez que eu quiser...voce vai ser a minha piranha...vou chupar esse grelo quendo eu quiser, até ver voce bem viciada na minha língua...

- Ai, tá doendo, mexe, esfrega, me come o rabo, meu tesão! Isso, goza na minha bunda...me esfola...e foi assim, até eu gozar naquele bundão...derramei meu mel ... esporrei a porra dos reis...fui tirando o cacete do rabo dela, até sair todinho...que visão! o cú dela ficou todo aberto, liso, que cabia, com folga tres dedos...lambi tudinho...e trocamos nossos gozos em beijos de língua...e prosseguimos mais um pouco até que eu, com a buceta na boca dela, sentada sobre seus peitinhos, gozei mais uma vez, com os dedos dedilhando aquele grelo suculento...

Ela hoje é minha fiel fregueza. Nem preciso chamar...ela vem com aquele rabo balançando, doida pra gozar de novo.

Minha cadelinha gostosa...

Comentários

25/05/2012 02:46:39
ninfeta gostosa
01/09/2010 19:49:58
nossa, fiquei alucinada...rs
13/05/2010 14:49:40
Aaaaai! Sou viado, mas adorei esse conto!
23/02/2010 16:39:35
Adorei... adoro lamber e foder um cuzinho tbm!!! Se tiver a fim de conversar gostoso me add no msn: fabinhosantos001@yahoo.com.br bjossss
20/02/2010 20:12:02
simplesmente, arrepiante....meus parabéns...
02/02/2010 11:53:55
tem uma vaga ai levo um pau de verdade pra vcs brincar
24/01/2010 03:42:47
leia meu novo conto http://www.casadoscontos.com.br/texto/201001790 sereia do asfalto
23/01/2010 15:06:51
pego as duas
21/01/2010 23:02:32
Delicia!!!
20/01/2010 14:46:28
Espero que todos gostem e deem sua opinião!! Adoro isso...

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.