Casa dos Contos Eróticos

Feed

Minha Cunhada gostosa II

Categoria: Heterossexual
Data: 23/10/2009 17:56:24
Nota -
Ler comentários | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

Desde que comi minha cunhada pela primeira vez, um dia em que fui lhe entregar um marmitex enviado por minha esposa e peguei-a ao telefone discutindo com o marido, começamos a nos encarar um pouco mais do que deviamos.

Semana passada minha cunhada me ligou no trabalho para conversarmos sobre o ocorrido. Disse que pensou muito no que havia acontecido e que estava arrependida e que amava muito a irmã dela e que não entendia como fomos capazes de fazer aquilo.

Ela me disse que estava pensando em contar para minha esposa o que havia acontecido, pois a consciencia dela doía. Pedi calma e sugeri que nos encontrassémos na Sexta Feira para conversarmos pessoalmente sobre o que faríamos. Avisei meu patrão e ela conseguiu sair bem mais cedo da empresa onde trabalhava. Nos encontramos no lugar marcado às 15h, ela entrou em meu carro e começamos a conversar e ela chorava e dizia que não podíamos ter deixado aquilo acontecer, mas que ela pensava naquela foda o tempo todo, que nas últimas três vezes que nos encontramos em almoços na casa da minha sogra ela ficou molhadinha de tão excitada. Quando ouvi isso meu pau ficou duraço e levei a mão na hora na coxa da minha cunhada e perguntei: Vamos sair daqui? Ela disse: "Não devia, mas tava doida querendo. Anda rápido, tô quase explodindo de tesão". (A SAFADA NÃO ESTAVA TÃO ARREPENDIDA NADA, TAVA ERA QUERENDO FUDER. RSSS...). Como sempre o corno do meu comcunhado estava viajando para o Triângulo Mineiro e deixou aquela delícia sozinha.

Toquei para o motel mais perto, entramos e fechei o cortinado da garagem, ela saiu do carro e partiu para cima de mim, já tinha tirado a saia e deixado no chão da garagem e começo a me beijar e a dizer que estava louca por mim e que me queria fudendo ela o tempo todo, ela tava entregue.

Não conseguimos subir para o quarto, na garagem mesmo minha cunhadinha abaixou minhas calças e se colocou a fazer um boquete maravilhoso, ela chupava e sussurrava: HUUUUUUUUMMMMMMMM!!!!! DELÍCIA!!!!!! QUE CACETE GOSTO E GROSSO!!!!!! AAAIIIIII!!!!!!! HUMMMMM!!!!! E CHUPAVA E LAMBIA DELICIOSAMENTE MEU PAU. Derrepente ela parou e disse, vamos subir cunhadinho, vamos, vou dar gostoso de novo hoje.

Da última vez fiquei louco para comer aquela bundinha (ela tem uma bundinha redondinha e magrelinha), então eu disse: a primeira vai ser aqui em baixo e hoje quero seu cuzinho gostoso.

Ela me disse: "O cuzinho não, nunca fiz isso e o marcos (corno) pode desconfiar". Eu disse: "coloca oo peitos no capô do carro agora por que vai tomar uma varada aqui na garagem sua puta!!! Não discuta com seu cunhado, ou tá achando que eu sou o bosta do corno do seu marido?". Ela me olhou espantada e reparei que as pernas dela tremiam de tesão quando falei aquilo pra ela, mas ficou inerte na minha frente. Peguei-a pelo cabelo e coloquei-a, peladinha, com os peitinhos encostados no capô do carro e as pervas meio abertas, olhei aquele bucetão delicioso, inchadinho de tesão, me abaixei e meti a língua, chupava, enfiava a língua o máximo possível, sugava o clítoris da minha cunhadinha que começava a revolar na minha língua e a contemplar minha expressão de satisfação. Ela dizia: Você é muito safado Alexandre, sempre soube que você era um sem-vergonha delicioso. Nisso eu chupava o cucetão da minha cunhada quando derrepente ela agarrou os limpares de para-brisa e começou a puxa-los com toda força, tirando seus dois pés do chão e jogando sua pernas para trás e gemendo muito alto. A safada gozou na minha língua, tava necessitada mesmo. Nisso eu olhei para ela (já tava com uma carnha de satisfeita e disse: "Você gozou na minha cara e agora e minha vez de gozar!!". Forcei-a contra o capô novamente e passei a mão na sua Xana, puxando a lubrificação para o cuzinho dele. Cuspi no butãozinho da minha cunhada e ela reagiu: "Não Alê, para com isso, para agora". Fiquei Puto, e dissei: "FICA QUIETA SUA PUTA!!! CALA A BOCA!!! NÃO PERCEBEU QUE AGORA VOCÊ TÁ TREPANDO É COM UM MACHO DE VERDADE!!!! VAGABUNDA!!!! Falei aos gritos. Ela me olhou e sendti novamente os joelhos magrinhos dela tremerem e continuei passando saliva naquele rabinho e passando o orgasmo dela. comecei a forçar com o dedo e ela gritava e esboçava um choro. Eu dizia: FICA QUIETA CÁSSIA, FICA QUIETINHA QUE NÃO TEM MAIS VOLTA, VOU FURAR ESSE RABINHO DELICIOSO SEU. Por fim coloquei todo meu dedo e ela entortou meus limpadores de para-brisas tentando conter a dor (vagabunda, vai ter que pagar o conserto), nisso tirei o dedo e comecei a forçar meu pau no rabo da minha cunhada, ela urrava e me ohava e puxava meus limpadores de para brisa, derrepente ela abaixou a bunda e dificultou a penetração, eu soltei um grito: "LEVANTA O RABO CÁSSIA OU ENCHO VOCÊ DE PORRADA, SUA VACA!!!! rsss... Ela empinou a bundinha na hora, justamente nesse hora eu empurrei e meu pau entrou quase todo, ela deu um urro e desse urro eu empurrei e enfiei o resto no rabo da minha cunhada. Nisso ela me olhou por cima dos ombros e estava com o rosto molhado de lágrimas, de tanto sentir dor, mas não notei tristeza. Segurei meu pau dentro do cuzinho dela um pouco, depois tirei e coloquei mais umas três vezes com cuidado, tirei, passei muita saliva e comecei a bombar aquele cuzinho maravilhoso que agora era só meu. Minha cunhadinha começo a gemer e a falar: "Você é meu macho agora, o corno do Marcos nem pelada me vê mais, come meu rabo cunhado, come gostoso meu macho". Ela já tava gostando, safada!!! Tava bombando, mas não com tanta força e ela rebolava no meu pau e mordia os lábios e me olhava com aqule olhar mole de quem sentia prazer, levei a mão na Xavasca da minha cunhada (é isso que é, um Xavascona) e comecei a massagear o clítoris dela. A mulher ficou louca, começou a pular e a forçar o rabo contra meu pau e a gritar e a dizer alto: "AAAAAAAIIIIIIIII CUNHADO, VOU GOZAR DE NOVO, AAAAAIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIII, TÔ GOZANDO!!!!!!. Aquilo me deixou louco e acabei enchendo o cuzinho dela de porra quente, gozei muito e ela mais ainda. Liberei-a, ela se virou para mim e começo a me beijar e a esfregar os peitinhos no meu peito e o bucetão delicioso dela na minha perna.

Me deu na garagem um gostoso e demorado beijo e me chamou para subirmos para o quarto, para tomarmos banho e fazermos amor gostoso. Eu disse: FAZER AMOR? Vamos subir e conversar.

Subimos, tomamos banho, demos mais um trepadaça, comi GOSTOSO O BUCETÃO DELICIOSO DA MINHA CUNHADA (ela é muito gostosa, meu pau fica duro pra ela o tempo todo, coitada da minha esposa, não passa nem perto). Quando estavamos exaustos, de banho tomado e vestidos ela me propôs largar o Marcos (o corno), eu largava a irmã dela (já que não tinhamos filhos) e nós namoraríamos escondidos uns dois anos até assumirmos publicamente a nossa relação.

RSSSSSS. FICOU LOUCA MULHER!!!!!!!, TE COMI DUAS VEZES E VC ME VEM COM UMA DESSAS? ELA COMEÇOU A CHORAR E A DIZER QUE "ACHAVA" QUE ESTAVA APAIXONADA, QUE NUNCA TINHA SENTIDO AQUILO. EU DISSE: "VOCÊ ESTÁ É CARENTE, SEM ROLA COM AQUELE FROUXO DO MARCOS", FAZ O SEGUINTE, CONTINUA COM AQUELE BOSTA, MAS PROCURE TRATÁ-LO MELHOR, EU VOU CONTINUAR CASADO COM SUA IRMÃ (EU A AMO) E NOS ENCONTRAMOS DE VEZ EM QUANDO PARA TREPAR GOSTOSO.

CHEGOU MINHA HORA, DEPOIS CONTO MAIS DESSA CONVERSA.

Comentários

23/10/2009 18:17:24
DELÍCIA DE CUNHADA

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.