Casa dos Contos Eróticos

Feed

A sobrinha loira e rabuda

Autor: Souza
Categoria: Heterossexual
Data: 17/09/2009 00:01:47
Nota 4.00
Ler comentários | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

Olá o que vou contar aqui é verídico, aconteceu comigo em mais um daqueles finais de semana que imaginamos que sempre será igual aos outros.

Podem me chamar de Souza, sou moreno alto, 1.86m, 28 anos e casado. Sou um tipo normal de homem, embora as mulheres elogiem bastante as minhas coxas e voz. Dizem que minha voz é sexy.

Vamos ao que interessa.

A minha mulher sempre ficava falando para a sobrinha dela vir aqui em casa passar um final de semana, já combinavam isso faz tempo.

Dias desses, uma sexta-feira minha mulher me liga do serviço dela e pergunta se eu posso ir buscar a sobrinha dela que mora na ZN de São Paulo, eu disse que sim numa boa...peguei meu brinquedo(fusca) e fui buscar a tal sobrinha...e que sobrinha, uma mulher, um pedaço de mal caminho...vou chamá-la aqui de Carla. Olhos castanhos, 20 anos, loira, cintura violão, lábios carnudos e uma voz doce. Combinei de encontrá-la num ponto de ônibus, quando eu dou a volta no quarteirão e paro no ponto de ônibus, eu quase tenho um treco e pensei “é essa aí que vai dormir na minha casa? ”. Nunca a tinha visto daquele jeito, com roupa de academia toda apertadinha, e os homens pagando pau pra ela no ponto de ônibus.

Parei, ela me reconheceu entro no meu brinquedo, me cumprimentou com um beijo no rosto. E fomos embora falando coisas da vida, estava trânsito, coisa normal em São Paulo, meu celular toca e minha mulher diz que vai chegar mais tarde em casa, porque teve um problema no serviço dela e tal, só disse que tudo bem.

E minha cabeça não parava de pensar em como fazer um jogo mole com a sobrinha.

Perguntei sobre a vida dela o namoro, ela disse que tinha terminado o namoro recentemente. Eu fiquei todo assanhado e disse, olha o seu namorado não soube valorizar você, e disse: Carla você é linda, é o sonho de consumo de muitos homens, ela ficou meio sem graça, mas logo entrosamos na conversa, me perguntou sobre eu e a tia dela...eu disse que estávamos bem, e olha que tenho uma mulher muito gostosa, tem uma cintura de violão e uma bunda de matar, sabe dá o cú como ninguém, me leva nas nuvens quando me libera aquele rabão pra eu meter é muito gostosa, logo a sobrinha também é muito gostosa. Daí eu falei pra Carla: “olha a sua tia continua gostosa como sempre, com aquela bunda deliciosa que só ela sabe manter aquela abundância.” Ela responde: “é incrível como vocês homens gostam de bunda né ?” Eu falei: “é, mas a sobrinha puxou a tia”. Ela riu, pensei comigo mesmo essa tá no papo. E minha calça tactel começou a fazer volume e ela percebeu. Fiquei meio sem graça e afoito ao mesmo tempo, disse pra mim mesmo agora é tudo ou nada. Nessas alturas já estávamos na rodovia do amor (Raposo Tavares). E disse: Carla com todo o respeito que tenho por sua tia e sua família vc é muito gostosa. Ela disse: você acha ?

Eu respondi: Só preciso provar. Ela riu. Daí entreei no primeiro motel que encontrei. Ela disse: Vc ficou louco, vc é casado com minha tia. Você não pode fazer isso, nisso eu pedi o RG dela e entreguei a recepcionista. E entramos e começamos a nos beijar, e ela dizia eu não posso, eu não posso, mas não parava. Se agachou e começou a chupar. A safada sabia chupar direitinho. E a chupei também, tava toda molhada, e comecei a meter bem gostoso nela de quatro e comecei a alisar o rabinho (rabão na verdade) dela, comia a buceta e metia um dedo no cuzinho dela todo lambuzado de saliva, cuzinho bem apertadinho, ela reclamava tentando tirar minha mão, mas não conseguia até que desistiu e disse. Tio, eu nunca dei a minha bunda, a sua pica é grande e grossa eu não vou agüentar, eu não disse nada, apenas a coloquei na posição de frango assado e comecei a beijá-la mais e mais, quando percebi que tava bem molhada e atiçada, alizei seu cuzinho com saliva e fui metendo bem devagarinho, (eu só podia estar sonhando com aquilo) e ela me xingava de filho da puta e comedor de bunda, e rebolava aos poucos a minha tora estava dentro do cú da safada...que pedia pra eu ir com calma e ao mesmo tempo dizia pra eu arrombar o cuzinho virgem dela. E dizia que queria sentir o que a tia dela sentia, e agora sabia pq a tia dela andava tão feliz...

E gritava ai meu cú, ai meu cú

Me fode tio safado. Fode a tua sobrinha loira vagabunda, eu não agüentei e enchi o rabo dela de porra. A safada estava suada e eu satisfeito, feliz como se tivesse ganhado na mega sena.

Tomamos banho e saímos como se nada tivesse acontecido. Só tive que come-la de novo no sofá da minha casa antes que minha mulher chegasse.

Gosto de mulheres, você mulher, morena, negra, branca, loira, fofinha, solteira ou casada, quer curtir novas aventuras me escreva. Dou e quero sigilo total, não curto drogas, e sou totalmente hetero.

Meu e-mail: haberck@gmail.com

Escrevam, fique a vontade, responderei a todas.

Comentários

15/06/2011 15:49:28
18/09/2009 13:32:40
Puta que pariu, só li até a metade!!!!!!!
17/09/2009 23:44:16
Tá cara... falou... nem nota eu vou dar...
17/09/2009 07:07:02
nossa vc vai entrar no livro dos recordes..muita mentira juntas num unico conto...kkk
ICO
17/09/2009 00:11:06
é mais fácil eu acreditar em papai noel

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.