Casa dos Contos Eróticos

Feed

Garotinha do papai

Autor: Lilá
Categoria: Heterossexual
Data: 21/09/2009 14:43:54
Última revisão: 25/09/2009 16:40:02
Nota 9.26
Ler comentários | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

Garotinha do papai

Tal como Narciso admira a própria imagem, estava eu diante de um espelho apreciando minhas belas curvas em seus ângulos diversos, quando discerni um reflexo masculino sorrateiro invadir o meu espaço em um gesto quase milagroso da varanda ao lado; percebi que era papai se deliciando com a exuberância jovial do meu corpo de menina-moça. Fingi não ver; me despi devagarzinho das poucas peças que restavam, e ao tirar a pequenina blusa sem nada por baixo, pude perceber de relance os gulosos olhos verdes de minha testemunha que de mansinho se ocultava. Provoquei. Tirei o short jeans minúsculo que colava em meu corpo, e sem olhar, o atirei para trás, me deixando ser espiada apenas de calcinha branca rendada; que era muita roupa para tal ocasião. Cheia de manha e trejeitos, deslizei a peça branca por minha bundinha bronzeada, empinando-a ao máximo, passei pelas coxas no qual detetive um pouco mais de tempo até tirá-la por inteiro; isso sem deixar transparecer que calculava cada gesticular naquele excitante momento. De súbito, me atirei na cama para apreciar a maciez aconchegante vinda dos lençóis de cetim. Em sensuais e delicados gestos, cobria e descobria minha silhueta nua nas afáveis sedas rosas com intuito de instigar às fantasias de meu camuflado espectador. Apertei levemente os biquinhos de meus seios que logo ficaram rijos e sedentos por chupadas, mas encobri discretamente minha lambuzada vagina, dedilhando-a com rapidez sem que meu voyeur pudesse avistá-la em sua plenitude. Excitada, fazia um bailado horizontal com pernas e braços, insinuando a intensidade de meu prazer. Meus cabelos loiros e macios passeavam de um lado para o outro nas rosadas cobertas, enquanto minha respiração descompassada e minha boca entreaberta denunciavam meu estado de tesão. Com as lembranças daquele mastro duro de meu pai que sempre me desperta, rocei minha xoxota lisa e latejante nos travesseiros ao meu alcance, sem mais esconder o meu corpo juvenil em sua caça frenética por satisfação. Ouvi um gemido ao longe que papai soltara, não conseguindo assim conter meu efêmero gozo ao enfiar dois de meus dedos em minha bucetinha esfomeada, que há tempos estava toda à mostra para meu gostoso papai apreciá-la. Ao relaxar, vesti minha calcinha de pureza como se coisa alguma tivesse acontecido, soltei um malicioso sorriso que ele não podia ver; e logo simulei me entregar ao sono.

Entretanto, uma avalanche de pensamentos rodopiava minha cabeça, me obrigando a fazer um balanço dos últimos meses e dos homens da minha vida. A morte de meu irmão do meio, o casamento de meu irmão mais velho, e por fim, a “lua de mel” com meu pai que não aconteceu na ocasião de meus 15 anos nesta semana. Estávamos eu, papai e mamãe em um hotel do sul; viagem prometida por paizinho só para nós dois, mas que com o natural desenrolar de nossas vidas, teve minha mãe presente atrapalhando os propósitos que juntos traçamos. Cansada de rever o inevitável, pensei no amanhã, e não demorou, me entreguei aos braços de Morfeu. Quem sabe, o deus grego que habita os sonhos dos mortais, em uma de suas inúmeras metamorfoses quebrasse as barreiras de tempo e espaço, e se apresentasse a mim na figura de papai. Devaneios; doces e remotas quimeras de uma adorável garotinha que só tem olhos para seu amado pai.

Acordei no meio da madrugada, bati no quarto de meus pais e lhes disse que não conseguia dormir. Minha mãe cansada do dia repleto de passeios nos pediu para que fôssemos conversar na anti-sala. Sentei no colo de papai como de costume, entrelacei-me em seus braços em busca de um doce e perigoso refúgio, e logo senti seu cacete duro roçar por baixo de mim num encaixe quase natural. Fingindo querer ir para a minha suíte, me levantei em passos lentos, mas papai me abraçou por trás fazendo com que eu sentisse a rigidez de seu pau em minha bunda, me segurando firmemente pelos quadris; momento em que me senti vencida pelas minhas próprias artimanhas de menina safada, e me deixei ser conduzida somente pelo prazer. As mãos másculas e ansiosas de papai percorreram minhas coxas, explorando imediata e desesperadamente minha buceta encharcada com intuito de me saciar. Papai enlouquecido de tesão arrancou minha calcinha e esfregou seus dedos nos meus lábios vaginais. Abri mais as pernas em sinal de “quero mais”, e ele, com toda sua agilidade circundou meu clitóris em movimentos quase bruscos, até enfiar seu dedo grosso em minha xoxota molhada e ávida por seu toque de macho. Sem demora eu estremeci inteira; abafei o grito, gozei, perdi o chão; enquanto papai esporrava em cima de minha deliciosa bunda como costuma dizer aos meus ouvidos, se contorcendo todo de tesão por sua sedutora garotinha. Mamãe falou algo, vi que era hora de ir, e em deleite fui dormir. O que farei com meu papai no dia seguinte? É uma outra história...

Contato para trocar ideias (de preferência via e-mail, não MSN) sobre contos e incesto: contosdesafada@hotmail.com

A opinião e o voto de cada um de vocês é muito importante para instigar a continuidade dos meus relatos. Obrigada!

Comentários

12/09/2010 15:18:22
ALERTA: EXISTE UMA PESSOA QUE ANDA COPIANDO OS CONTOS PUBLICADOS NESE SITE E PUBLICANDO EM OUTROS SITES DA INTERNET COMO DE SUA AUTORIA! BASTA PROCURAR EM RECANTO DAS LETRAS QUE IRÃO ENCONTRAR CONTOS PUBLICADOS NESSE SITE!
31/10/2009 15:03:39
gostei muito
07/10/2009 15:11:02
valdisneylv@hotmail.com
26/09/2009 19:06:48
Um conto sobre nós? Aprovo imediatamente a idéia... as imaginações que tenho em relação a Galford precisa de todas as páginas desse site...
25/09/2009 16:38:27
Sofie_mao, vou acabar escrevendo um conto sobre você e o Galford. rsss Estou acompanhando seus comentários, super excitantes,por sinal! Mais uma vez agradeço a todos. Grande beijo
23/09/2009 19:42:08
Incrível a capacidade que você tem para escrever e nos brindar com contos de verdade.Vê-se que além de estilo, tem classe e cultura. Parabéns. 10 com louvor!!!
22/09/2009 22:29:55
Gente: confesso não é uma tarefa fácil fazer de conta que dos 10 aos 14 anos eu não existi ou não senti desejos; rouba pedaços de mim, da minha essência. Escrever sem citar o passado perde muito nas emoções, mas estou tentando com o incentivo de todos. Obrigada mesmo! Beijinhos
22/09/2009 21:27:55
Moça..adorei seu conto,incesto é um tema que vc soube abordar muito bem,e ao mesmo tempo com bastante carinho.Olha sua nota só podia ser 10 bjos..*---*
22/09/2009 09:03:44
ADOREI SEU CONTO Q XANA GOSTOSA ME ADD pereiraj27@hotmail.com
22/09/2009 03:02:27
Queria te adotar. 10 só o que tenho a dizer 10!
22/09/2009 01:57:57
Parabéns... estou com o gosto do sexo em minha menina... e pensando em Galford... quem pode ser? poderia estar em mim????
22/09/2009 00:45:26
Adorei!! Aliás já havia amado a série anterior. Continue!! Bjssss
21/09/2009 23:15:24
to pasma.. melhor conto que ja li. continua querida.. pq vai valer muito a pena ! *-*
21/09/2009 23:00:57
Caros manabu, Rackel, GOSTOSOSEMPUDOR e Amadinha, obrigada pela participação ativa de vocês. Beijos...
21/09/2009 22:35:32
Agradeço com alegria a todos que estão me lendo e dando seu aval. Também fico super feliz em puder reencontrar pessoas que leram os outros contos (proibidos até para maiores), e sabem como tudo começou. Redcar, Coroa Cinquentão e Galford: uma boa filha à casa torna. rsss Beijinhos
21/09/2009 21:33:56
Só podia ser! Minha autora favoríta! Ainda não superei o ocorrído com sua série anterior, mas não entremos em detalhes. Simplesmente, me tirou o fôlego! Seus contos são absolutamente perfeitos em todos os aspéctos da palavra. Excitante, envolvente, cheio de expectatíva e uma esperança de se realizar um desejo proibído. A nota? Só pode ser máxima. Um grande abraço e PELO AMOR DE DEUS! Continua logo que me deixou louco de tesão aquí! Meus parabéns. Em minha opinião, você é a melhor autora desse site.
21/09/2009 19:47:08
nossa Lilá...fui procurar o restante....kd?? meu...continua escrevendo...
21/09/2009 19:45:15
Adorei seu conto...é um dos poucos de pai e filha que vale a pena ler... Parabéns!
21/09/2009 19:14:26
MEU PAU JA ESTA EM BRAZA MUITO BEM
21/09/2009 19:11:41
Queridinha, seu conto é quase uam poesia, chega a soar como tal nos meus ouvidos, adimiru a sutileza que trata essa situaçao e o carinho ... Nota 8
21/09/2009 18:32:23
Esses contos entre pai e filha me enche de tesão, Parabens o seu conto é otimo...
21/09/2009 18:04:39
Oi Lilá, brigado pelo toque.. adorei o conto vc como sempre continua escrevendo muito bem.. pena nao termos a continuação de toda a história desde aquela criança safada.. fiquei triste com a morte do seu irmão do meio.. continua agora e nao deixa de escrever
21/09/2009 17:21:06
Lilá, que bom que gostou do meu conto. Me escreve.carinhoso.contos@itelefonica.com.br
21/09/2009 15:48:57
sensacioanl
21/09/2009 15:40:42
Olá Carlinhos-SP e sudha: já havia publicado três contos, cuja idade anterior da personagem deu o que falar. Os retirei e estou recomeçando; na verdade apenas situando os leitores na passagem de tempo. Obrigada pela força!
21/09/2009 15:32:16
Pesquisei e vi que é seu primeiro conto. Delicioso, acredito que você pode detalhar apenas mais um pouco, mas de qualquer forma leva 10 com louvor!!!
21/09/2009 15:30:49
Você quer explodir os leitores de tesão?? Muito bem escrito...espero que outros apareçam para nosso deleite!!

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.