Casa dos Contos Eróticos

Feed

Mamando no peitinho dela

Autor: Suez
Categoria: Heterossexual
Data: 22/02/2009 23:32:10
Nota 8.25
Ler comentários | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

Estavamos no cinema próximo a praça de alimentação. Acabara de ver meu marido com sua secretária, pensei em dar um escândalo mais desisti, ele não merecia, entrei no cinema sem saber o nome do filmE que ia assistir, chorava sozinha. De repente um homem alto, branco de cabelos grisalhos olhou para mim e perguntou se podia sentar na cadeira ao lado. Disse que sim, ele reparou que eu estava chorando e ofereceu um lenço, aceitei e após o filme ele pediu meu telefone, disse a ele que apesar de tudo não tinha o hábito de dar o número para alguém que não conheço, ele sorriu e disse que já nos conhecíamos apenas eu não lembrava dele. Ele foi meu professor de sociologia, era o Dr. Tal, imediatamente lembrei dele e do quanto ele olhava as minhas pernas durante as aulas. Na época era casado com outra professora e as meninas viviam a importuná-lo, tentando ficar com ele mas ele tinha fama de sério e nunca se soube se teve ou não algum caso com elas. Ele lembrava do meu nome, das minhas notas e perguntou porque não contnuei no curso de medicina, ele disse que eu tinha uma grande vocação, respondi que era muito caro e que depois me casei e justamente naquele dia eu tomava a decisão de me separar, não que eu não soubesse das traições do meu marido, mas estava cansada daquela vida. Ele olhou no relógio e dissse vamos assisti o outro filme assim poderemos conversar com tranquilidade, achei ótima a proposta, no escuro do cinema é mais fácil desabafar. Contei a ele um pouco da minha vida e ele contou a dele, estava separado há dois anos e disse que havia me procurado, realmente tinha de confessar, segundo ele, que sentia por mim desde à época da faculdade um desejo diferente. Disse que não era cantada, que sabia falar o que queria, mas olhando dentro dos meus olhos disse: sabes que sempre tive um desejo enorme por ti, os olhos falam, estou sendo sincero, jamAis trai minha mulher com aluna nehuma e você sabe disso, não quero me aproveitar da sua fragilidade, gostaria de te conhecer melhor, se você quiser? Marcamos um encontro para semana seguinte. Quando entrei no cinema ele já estava lá tirou sua pasta da cadeira ao lado para que eu me sentasse, foi nessa hora que resolvi tentar algo diferente, então, como vai, vou bem respondi, ele perguntou se o fato de ser mais velho me incomodava, disse que não, que os relacionamentos estão acima dessas convenções, mais disse que aceitaria ser cortejada, deixando bem claro que não tinha vontade alguma de me ligar a ninguém. Ele disse era isso que eu queria ouvir, um meio sim vindo de você já é muita coisa. Pegou na minha mão e começou a acariciar, gostei e devolvi o carinho ele levantou o braço da poltrona e beijou-me no rosto, sua barba era macia e bem tratada, senti uma certa proteção e com o divórcio em andamento estava livre, para ser livre, passei a mão em seus cabelos grisalos e fiquei excitada, como aquele homem era bonito e gentil, então ele passou a mão nas minhas pernas e tirou o meu sapato, fiquei impressionada, com a sua ousadia, ele abriu os dois primeiros botões da minha blusa, disse A ELE que os outros poderiam perceber, ele disse, minha querida, você não reparou que comprei todos os ingressos, exceto o seu? Quando olhei só havia nos dois e eu não tinha percebido. Ele desabotou o terceiro botão e com as mãos nas minhas coxas começou a acariciar meus seios, depois tirou o paletó e afrouxou a gravata e mamou meus peitinhos com tanto carinho que gozei na hora, ele mamava um e acariciava o outro como se fosse uma criança, abri o ziper da sua calça e comecei a brincar com o seu pênis rígido e grosso, ele me chamava de deusa do amor e ssossegadamente me sentou em seu colo e continuou a sugar meus seios com vigor e disse que era sua fantasia, mamar a noite toda nos meus seios, desde o dia que os viu pela primeira vez, no vestiário da faculdade, e quanto mais ele mamava mais eu gemia ele passava amão na minha xaninha e já havia afastado a calcinha e disse que minha xoxotinha era deliciosa que estava louco para pentrar,para gozar dentro dela, deitou-me no chão do corredor da sala de cinema e colcou aquele pênis grosso que ficou apertadinho e gostoso, mas não deixava de hupar os seios,poucos homens sabem o prazer que poderiam proporcionar as suas compnheiras se aGissem assim. beijava-me gostoso e fui cedendo até gozarmos juntos outra vez, ele retirou do bolso um lenço e limpou a minha xaninha devagar e depois seu pênis, vestIu-se e vestiu minha sai, fechou a blusa até o terceiro botão e contiunou a mamar meus seios com o mesmo desejo, hoje estamos juntos e toda noite visto algo diferente mais não esqueço de dar os seios para ele mamar até dormir, as vezes está cansado, mas não dispensa os seios, eu adoro encontrei o homem certo e sempre estou disposta a fazer suas vontades que sempre batem com as minhas ele é delicioso é pena não ter dado atençao a mais tempo assim não teria casado com um covarde, teria terminado o curso de medicina e o melhor de tudo COM MUITO PRAZER.

Comentários

08/02/2010 14:43:21
bonzinho seu conto,legal
26/02/2009 11:20:22
karakas....!!!o que é isso mulher????fascinante seu conto...quem não gozou com este conto,vao gozar,bom demais....theo_ozga_vitury@hotmail.com
23/02/2009 00:17:47
bommmmmmmmmmm
23/02/2009 00:12:09
Bom, real...

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.