Casa dos Contos Eróticos

Feed

Fui mulher do caseiro (conto 1)

Autor: gato 25
Categoria: Homossexual
Data: 13/09/2008 20:00:42
Nota 10.00
Assuntos: Homossexual, Gay
Ler comentários | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia
Clique aqui para vídeos gay

Meu nome e marcelo tenho 25 anos,quando tinha 18 anos fui passar as ferias em sorocaba na casa da minha tia, certa tarde todos tinham saido fiquei so em casa e morrendo de tesão fui ate o quarto de minha prima simone afim de ver suas calcinhas, pois adoro usar calcinhas sempre que posso, fique fasinado pela quantidade de calcinhas que ela tinha , de todos os modelos e cores. acabei escolhendo uma vermelha tipo asa-delta e a coloquei, eu tinha na epoca uma bunda desproporcional para minha idade pois era muito grande e carnuda, motivo este que sempre os moleques da escola viviam me assediando, , quando coloquei a calcinha por minha bunda ser maior que da minha prima ela entrou com muita dificuldade e ficou totalmente socada no meu bundão, a sensação do tecido me rasgando e algo que me deixa com muito tesão ate hoje, pois bem para completar resolvi tambem vestir um shortinho de lycra destes usados p/a malhar e para completar o visual, uma blusinha coladinha preta, fui ata o espelho p/a apreciar . fiquei morto de tesão pois como o short era branco e deixava parte do meu bundão de fora, era visivel notar a calcinha vermelha toda socada no meu rabo, passei a me masturbar admirando meu proprio rabo quando de repente ouvi barulho do carro da minha tia chegando, pensei em tirar a roupa da minha prima porem não daria tempo, acabei vestindo minha bermuda e camiseta por cima da roupa que eu estava e sai correndo do quarto da minha prima, minha tia havia ido ao supermercado e pediu p/a que eu ajudasse o sr. alfredo a descarregar o carro, o alfredo era o caseiro da minha tia ele e o famoso faz tudo dela, pois bem levei algumas sacolas e o alfredo outras , quando faltava apenas duas eu dixei cair umas latinhas de legumes em conserva da sacola e quando fui abaixar p/a pega-las a tira lateral da calcinha apareceu, eu esqueci completamente que estava com a roupa da minha prima por baixo, levantei-me rapidamente e subi minha bermuda, porem o estrago ja estava feito o alfredo me olhava fixo com um sorriso cinico, eu morto de vergonha não tinha nada p/a dizer, então o alfredo falou p/a eu levar a sacola la dentro e depois ir ate o galpão pois queria falar comigo e fez questão de falar p/a eu ir com a mesma roupa que eu estava . eu fiz o que ele mandou pois estava com muito medo daquela situação. ao chegar no velho galpão ele ja estava me aguardando, ele foi logo mandando que eu tirasse a bermuda, sem ter outra alternativa abaixei minha bermuda exibindo meu rabo com o short branco todo socado ainda mais com a calcinha me rasgando todo. o alfredo ficou transtornado e logo colocou sua rola p/a fora ordenando p/a que eu a chupasse, eu a esta altura ja estava com tesão pois meu pau ja estava durinho, ele percebeu e me xingava de viadinho tesudo, ele empurrou-me em direção sua rola e mandou eu chupar, disse a ele que nunca havia feito isso, ele deu um forte tapa no meu rabo e empurrou minha cabeça em direção ao seu pau, sua rola estava muito suada e tinha forte cheiro de suor, era um gosto muito salgado, eu babava muito , ele mandou eu lamber seu saco , o que fiz imediatamente, opois estava adorando a forma do alfredo de ser autoritario e me tornando submisso as suas vontades, ele levantou-se e jogou uma manta no chão e deitou-se s]de rola p/a cima sua rola era grande e com muitas veias com cabeçona exposta. eu iniciei novamente a chupeta e empinei o rabo em sua direção ele apalpava e dava fortes palmadas e me xingava o tempo todo de viadinho boqueteiro, a esta altura eu ja havia perdido completamente a vergonha me entregava por intiro aquele macho gostoso, gemia feito uma vadia chupando sua tora, foi neste ritmo que senti uma forte esguixada de porra quente na minha boca logo vieram mais esguixadas, fiquei sem saber o que fazer mas o alfredo segurou minha cabeça então entendi o recado e enguli toda aquela enorme quantidade de porra. fiquei com muita vergonha depois porem o alfredo me assegurou sigilo e mandou que a noite depois que todos fossem dormir eu voltasse , pois desta vez ele iria me fuder,. prometo contar depois como foi

Comentários

17/09/2012 19:42:39
Delicia!!!

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.