Casa dos Contos Eróticos

Feed

Comeram minha namorada enquanto dormia

Autor: Paulo
Categoria: Heterossexual
Data: 13/09/2008 18:26:49
Nota 7.00
Assuntos: Heterossexual
Ler comentários | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

Eu tenho 30 anos minha nomrada tem 22, ela é morena corpo bronzeado tem marquinhas de biquine por sinal mínimos só usa fio dental.

Tudo começou quando fomos comprar passagens para uma viagem de vitória para s Paulo, a saída foi as 20:00 e a chegada as 10:00 da manha.

Não encontramos passagens juntos, consegui a cadeira 38 e a 40 ambas no corredor e contávamos que íamos trocar com algum passageiro para viajarmos juntos e embarcamos. Ao sentar, do meu lado na 38 estava um rapaz de uns 20 anos, pele escura, parecia alto e forte, pelo tamanho de suas pernas, estava sentado meio escrachado com as pernas meio abertas e do outro um senhor de aproximadamente uns 40 anos, um senhor escuro, forte, eu e minha esposa pedimos a ele para trocar conosco, sentar do lado da mulher na 38 ele disse que não daria por que poderia passar mal, por este motivo viajava na janela e ele eu creio e ele notou que devido ter um rapaz no meu lado imaginou a mulher dele vai sentar comigo, ele não vai deixar ela sentar com o rapaz bem mais jovem e assim conformamos e viajamos um do lado do outro, poltronas diferentes, eram 20 h da noite, e ela me pediu um comprimido para enjôo, q também faz a pessoa pegar no sono, e como estávamos um pouco cansado, ela disse que ia dar uma cochilada, ela estava viajando com uma calça de moleton e a danada é bem gostosa, para se ter uma idéia, ela tem 105 cm de quadris e loira e muito bonita, estava comum blusinha aberta na frente que fechava com fitas, deitou o banco e virou para o meu lado, ficou uma pouco de lado com a bunda virada para o tal senhor que estava na janela. Ela logo adormeceu e o ônibus ficou escuro pois estávamos na estrada, as cortinas tanto do meu lado quanto do sr escuro que viajava do lado de minha mulher estavam fechadas, não estava entrando claridade. Fui tentar cochilar tb, apesar da perna do rapaz estar me incomodando um pouco, ela viajava com as pernas abertas e encostava na minha, bem, passando alguns minutos cochilei mas acordei com o balanço do ônibus, e eu notei que o camarada estava com a mão encima do encosto da cadeira, aquele que separa as duas no meio, parecia que era proposital pois a bunda de minha mulher estava encostada no encosto, vi de relance que ele mexeu uma pouco a mão e encostou sua mão na bunda dela, pensei e chamar a atenção, mas a situacao tava me deixando curioso para ver no que dava, ela não acordava, por causa do comprimido, então ele ousou mais, virou pro lado dela e com as duas mãos foi mexendo na calça comprida de minha mulher que já estava bamba, meio solta, abaixando a calça estar na coxa dela, dava para ver quando um carro passava, e o danado começou a aliza-la, pensei em acorda-la e acabar com aquilo, mas estava começando a ficar excitado e gostando da idéia pois algumas vezes já imaginava uma situação dessa com minha mulher, ela sendo molestado por outro homem. O camarada então alisava sua bunda e passava a mão mesmo e abaixou sua calcinha tambem, e minha mulher aparentemente dormindo, o discarado então desabotoou a calça dele e tirou para fora a sua rola e para meu espanto devia ter uns 25 cm de pau e grossa a jeba do cara, e estava duríssima, pois com um avião daquele, do lado quem não ficaria, ele então virou mais um pouco e ousou mais ainda, levantou bem devagar o encosto que separava as cadeiras no mei e ele aproveitou e foi colando o corpo nela, ele passava a mão em sua bunda e pegou o caralho que estava duro e foi passando no reguinho dela, parecia que todos no ônibus dormiam, exceto eu e tal senhor devagar pois parecia que ele fazia tudo com a maior cautela para eu não perceber e não acordar minha mulher e deu para ver nitidamente quando ele foi introduzindo aquela tora de rola dentro da buceta da minha mulher ela parecia que estava anestesiada não esboçava nenhum gemido, nada, ele então foi estocando sua rola bem devagar e ficou assim por alguns minutos até que notei que minha mulher se mexeu um pouco, o cara então tirou a rola de dentro dela e ficou na poltrona dele meio quieto, com o pau ainda duro e para o lado de fora apenas colocou a mão em cima dele para tapar um pouco e aconteceu o inesperado, ela foi se virando aos poucos para o lado do tal senhor e como se fosse comigo, ela deitou a cabeça em seu ombro e virou sua bunda pro meu lado, e eu imaginava se passar alguém aqui, vai querer até passar a mão na bunda de minha mulher e nisto o camarada que viajava comigo do meu lado, deu uma acordada e disse que ia ao banheiro e ,ele vai ver a bunda de minha mulher e não deu outra o cara ficou meio extasiado como visual, ele foi ao banheiro, não demorou muito, voltou e de propósito passou a mão na bunda dela, eu estava virado para ela mas como se tivesse cochilando, com os olhos meios abertos, so para ver o que ia acontecer, ai ele tirou o pau para fora e encostou em sua bunda e olhava para mim se eu estava olhando e começou a introduzir na buceta dela, com movimentos de vai e vem, o cara do lado da minha mulher tb parecia que estava meio assustado e cerrou os olhos tipo vou deixar como esta senão sobra para mim, não demorou ele acabou gozando, se levantou e sentou do meu lado outra vez, a minha mulher por sua vez, encostada a cabeça no ombro do camarada, colocou suas duas mãos em cima do colo do sujeito que devia estar ainda com o pau duro o senhor que sentava na janela, ai ele propositalmente deixou o pau a mostra e colocou uma das mãos dela em cima do pau dele o cara quase foi a loucura, com o balançar do ônibus ela começou a escorregar como se fosse deitar no colo dele e assim fez, bem devagarzinho deitou em seu colo e a sua cabeça ficou em cima da rola do cara, daí o cara pegou o pau, abriu bem devagar a boca dela e foi enfiando tudo dava ate pra escutar ela se engasgar, não demorou e ele gozou na boca dela, que eu acho que acabou escorrendo pra cima dele, logo ela se virou novamente para mim, daí o cara passou a Mao na porra e esfregou no cuzinho dela, e começou a enfiar o pau no cu dela, e comia ele bem devagar pra ela não acordar ate que gozou novamente, tirou o pau pra fora, levantou a calça dela, virou pro lado e dormiu. Vi que ela estava com a bocameio aberta então aproveitei, baixei minha calça e já com o pau duro enfiei na boca dela e fiquei num vai vem ate gozar. Voltei para poltrona e cochilei. Chegando a manha já estávamos em nosso destino, quando ela comentou que se sentia estranha, e que quando foi ao banheiro disse que a calcinha cheiro de porra, que o cu ardia e tava com gosto de porra na boca, para disfarçar disse que talvez era mal estar e que iria passar, e assim continuamos nosso passeio normalmente.

Comentários

15/11/2008 02:56:49
marcioadriano21@hotmail.com
15/11/2008 02:55:45
Comendo a esposa
18/09/2008 16:13:57
vc é corno e sua mulher é uma tramenda duma puta. como q o cara ia fazer tudo isso e ela n perceber? q dibo de cu é esse q ela não sentiu quando foi penetrada? vc pode até ter relizado a sua fantasia mas ela foi quem se divertiu e sabendo de tudo q se passava.
14/09/2008 21:13:14
Que mentirada da porra. Vai da o cu vc tbm.
14/09/2008 17:02:45
Eta mentira cabeluda. O sono dela é espantoso. E vc parceiro está se conformando em ser corno. Imagina que eu iria deixar minha mulher ser comida por outro e ficar quieto só olhando. Daria umas porradas no cara até encapotar o ônibus. Deixa de ser troxa cara. Mas assim mesmo merece um dez.
14/09/2008 04:10:32
Forçou a amizade. Nem em cinema! Num ônibus! Conta outra.
14/09/2008 01:20:41
Porra inventa outra estória, Que sono é esse? Na real tu que tava a fim de dar o rabo!
13/09/2008 19:31:03
Sua namoradinha fez a alegria dos passageiros, hem? - rs. Texto divertido.

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.