Casa dos Contos Eróticos

Feed

Vovô Tarado

Autor: Sara
Categoria: Heterossexual
Data: 11/02/2008 21:09:13
Nota 6.11
Assuntos: Heterossexual
Ler comentários | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

Meu nome é Sara, hoje estou com 18 aninhos e venho compartilhar com todos o que aconteceu comigo há mais ou menos 1 mês atrás. Tenho um avó que é advogado e que tem 68 anos, um pouco gordinho e com poucos cabelos grisalhos. Desde de pequena percebo que ele é um tarado que olha para todas as mulheres da rua e que ainda fazia alguns comentários. Quando comecei a ganhar um corpinho de adolescente percebia que ele ficava me olhando e que as vezes sentia tesão por mim, porem sempre muito discreto para que ninguém percebesse.

Vovô precisou passar alguns meses na casa de minha mãe pois sua casa estava em obra, minha mãe mandou que ele dormisse em meu quarto, na hora pensei já era né, esse safado vai tentar alguma coisa comigo, mas para não incomodar, vovô preferiu dormir na sala mesmo. A sala fica na parte debaixo da casa e meu quarto fica no segundo andar, juntamente com um banheiro e uma saleta onde ficam alguns livros e o computador.

Toda noite após o jantar eu tomava meu banho e ia para o meu quarto, enquanto meu avo ficava até tarde da noite digitando documentos no computador, o computador ficava de frente para o meu quarto e eu dormia com a porta um pouco aberta, com um shortinho curtinho e uma blusinha. Eu sou loirinha, 1,60 de altura, peitos grandes e bunda normal.

Com o passar de alguns dias percebi que minha calcinha que deixava no banheiro após o banho amanhecia com formigas e melada, fiquei desconfiada do que poderia ser e resolvi espiar o vovô á noite para ver se ele fazia alguma coisa com minhas calcinhas sujas. Nesta noite me despedi de todos e fui me deitar, como era de costume após alguns minutos vovô subiu e ligou o computador, esperei um pouco e me levantei bem devagar e fui engatinhando até a fresta da porta, pois como já falei o computador fica de frente para o meu quarto.

Fiquei muito assustada com o que eu vi, minha calcinha estava na mão dele e ele a levava até o nariz e cheirava, e por baixo da mesa pude ver que seu piru estava para fora meio duro e de vez enquanto ele enrolava minha calcinha no pau e ficava batendo punheta, pensei com raiva, que velho safado, tocando uma punheta para a própria neta, a velocidade de sua punheta aumentava e seu pau estava ficando cada vez mais duro e inchado, nunca tinha visto uma pica com tantas veias como aquela e com uma cabeça vermelhinha, confeso que comecei a sentir minha calcinha ficar molhada, pois assistir aquele macho ali me desejando era demais.

Vovô cuspia na cabeça da pica e continuava a massagear aquela vara linda e eu comecei a enfiar a pontinha do meu dedinho na minha bucetinha, deixa-lo bem molhadinho e em seguida introduzi-lo no meu cuzinho, desejando aquele homem que estava ali gozando uma poça de porra que ficou no chão. Com a minha calcinha ele limpou as gotinhas que ainda brotavam na cabeça de seu pau, se levantou e foi para o banheiro tomar seu banho, eu continuei ali espiando ele que logo em seguida saiu do banheiro ainda com minha calcinha na mão, se abaixou e limpou o resto da porra, deixando minha calcinha toda melada de sua porra.

Fui me deitar e fiquei imaginando tudo o que eu havia assistido e me acabando na siririca. No dia seguinte acordei e fui no banheiro ver minha calcinha, ela estava ensopada e com um cheiro muito forte, minha xoxota voutou a piscar e eu não agüentei e toquei outra siririca e fiquei cupando minha calcinha, sentindo o gosto do vovô.

Fiquei o dia inteiro doida esperando anoitecer para poder ver aquela piroca grossa de novo, mais para minha decepção nesta noite ele não foi para o computador e ficopu lá embaixo assistindo filme, como estava muito louca de tesão desci para beber água e resolvi provoca-lo um pouquinho, coloquei um short bem larguinho e pequeno, com uma calcinha bem enfiada na bunda e me sentei no sofá com minhas bernas bem abertinha, mostrando para ele os pelinhos que saiam para o lado de minha calcinha, ele não tirava os olhos e disfarçava e apertava o pau, ele também estava louco de tesão. Como ele estava vendo o filme, subi e fui dormir.

No dia seguinte fiquei com a mesma calcinha o dia inteiro para que ela pudesse ficar exalando meu cheiro bem forte para que ele ficasse mais doido ainda, quando anoiteceu lá fui eu para o quarto e fiquei só esperando, não demorou muito e lê subiu, já foi logo no banheiro pegou minha pequena calcinha e começou a esfrega-la na cara, no pau, no nariz, colocou aquele caralho para fora e iniciou o trabalho, eu estava doida e fodia minha própria buceta com os dedos, tinha ora que enfiava um na xoxota e o outro no rabo, não estava mais agüentando e gozei como louca vendo minha calcinha enrolada naquela vara descomunal, logo depois vovô também gozou e chegou a dar um urro de prazer, era muita porra que saia de seu pau, nunca eu tinha visto algo assim, nem em filme pornô, como de costume vovô limpou a cabeça da pica com minha calcinha e foi para o banheiro tomar seu banho.

Eu ainda não estava satisfeita e fui até debaixo da mesa ver aquele lentinho de perto, coloquei meu dedinho nele e ainda estava quentinho, não resisti e lambi todo o gozo que estava ali, deixei o chão limpinho e só depois pensei que lê daria falta, mas não tinha mais nada a fazer, pois o chuveiro já havia se fechado e lê estava pra sair do banheiro, corri para o meu quarto e me deitei. Logo depois a porta de meu quarto se abre, como estava escuro vi que era ele, acendeu a luz e veio perto de mim, fingi estar dormindo e ele levantou minha coberta me chamando de putinha e ainda com minha calcinha na mão, falou mais algumas sacanagens e saiu do quarto, fiquei morrendo de medo, nos dias seguintes não me atrevi, porem uma semana depois finalmente para nossas alegrias tivemos nosso primeiro contato, mais isso é uma outra histária.

Comentários

12/06/2011 15:30:46
Puta que pariu...
17/11/2009 21:11:03
ual
03/05/2009 14:31:22
Acompanhando...
02/05/2009 22:41:51
nossa que delicia menia, adorei sei conto.
14/03/2009 16:40:50
parabens gata pelo conto adoraria ser o seu vô fiquei doidão
14/03/2009 16:36:07
parabens eu queria ser seu avô
18/02/2008 09:15:03
muito fraco seu conto.
16/02/2008 16:26:49
PASTOR JÚLIO SEVERO, ANTES DE FICARMOS LOUCO COM ESTAS HISTÓRIAS, OU VOCÊ VEM PARA MINHA IGREJA OU VOU EU PARA SUA, POIS NÃO VAMOS CONSEGUIR MUDAR O QUE LEMOS, REFERENTE AO CONTO, NOTA-SE QUE FICARÁ SEM NOTA
13/02/2008 09:42:08
esse pastor Júlio Severo é uma bichona que a mamãe da o brioco e é uma vadia, aposto que o papai dele já marreu e sua mãe virou a putona do rabo cheio de bicho do bairro. VÁ TI TOMAR NO CÚ SEU PASTORZINHO DE MERDA, FILHO DE UMA VADIA GORDA !!!!
11/02/2008 22:17:45
Nao sei se vc e uma bichinha doidinha, ou uma Bichona doidonaCOM LOUVOR
11/02/2008 20:28:45
a imaginação permite tudo, acredita quem quiser. de todas as histórias ou estórias, essa é a mais macarrônica. tem um lado positivo, ao reerguer o vovô e o negativo é quando a netinha tem tesão nele.

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.