Casa dos Contos Eróticos

Feed

NA PRIMEIRA TREPADA ELE JÁ ARROMBOU MEU CÚ

Autor: Linda Lua
Categoria: Heterossexual
Data: 17/01/2008 13:22:08
Nota 8.55
Assuntos: Heterossexual
Ler comentários | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

Há três anos temos a mesma rotina de atividades físicas.

Todas segundas e terças-feiras, após o trabalho, eu e Mauricio vamos para academia juntos fazer nosso treino.

Além de nós ajudarmos mutuamente os exercícios ficam mais agradáveis e o tempo passa rápido.

Conversamos sobre tudo enquanto pedalamos.

Mauricio é um excelente amigo, e até hoje, a única coisa que não fizemos juntos foi sexo. Mas confesso: Ele me atrai muito. Ele suado então.... hum... me desconcentra um pouco.

Pele morena, peito largo, braços muito fortes. Não ha mulher que não pense em ser dominada por um homem assim.

É evidente que temos atração um pelo outro, talvez tenha faltado coragem ou até mesmo uma boa oportunidade pra gente se atracar.

Durante o treino, Mauricio ao se levantar de um exercício, se enganchou em um dos ferros e teve seu calção e cuecas literalmente rasgados na lateral.

Moro perto da academia, prontamente me ofereci para o conserto das peças, afinal de contas ele vai pra casa caminhando e não poderia ir assim.

Fomos ao meu quarto, fui pegar a caixa de costura e quando me viro Mauricio já esta segurando o calção nas mãos, só de cuecas, ou aquilo que sobrou dela.

Levei um susto mas gostei muito do que vi.

Aquele moreno delicioso, praticamente nu, dentro do meu quarto e de rola meia bomba me deixou bem excita.

Disfarcei, sentei na ponta da cama enquanto costurava o rasgo feito na peça.

Não conseguia mais manter a naturalidade, nem encarar o Mauricio, mas meu olhos viam ele ali, sentado na cadeira e alisando aquele caralho grosso e moreno que parecia um gigante adormecido prestes a ser acordado.

A maneira como ele alisava aquela jeba gostosa, me deixava muito excitada, especialmente porque o rasgo na cueca podia mostrar o cabeção gigante que ele tinha.

Enlouqueci quando vi a cabeça daquele caralho. Gosto de caralho cabeçudo, arrombador de cú e buceta e não podia acreditar que alguém tão próximo era tão perfeito e eu estava perdendo tudo aquilo.

Entre uma alfinetada e outra no dedo, pois nem sabia mais o que estava fazendo, tamanho aquecimento corporal que acabara de ter, pensava como faria pra empunhar aquela jeba e ao menos dar uma boa mamada nela.

- Seu calção ta pronto, agora me dê sua cueca pra que eu possa costurar, disse eu.

- Me empresta uma toalha pra eu me enrolar, pediu Mauricio

- Pra quê? Perguntei....

- Ai não tem nada que eu já não tenha visto antes.

Ele tranquilamente baixou o cueca e aquela vara grande grossa e muito cabeçuda saltou ao meu olhos como um porrete e na mesma hora contradisse minha última frase.

- EU NUNCA VI NADA IGUAL ANTES, ELE É MUITO GRANDE E MUITO GROSSO.

- Mauricio sabendo muito bem que era dono de uma rola bem diferenciada, sorri entre lábios, me olhou cheio de tesão e sentou novamente na cadeira como se nada tivesse acontecido.

Comecei a costurar sua cueca e minha buceta e cu já latejavam de vontade de receber aquela tora.

Eu só tinha um único pensamento: Quero ser arrombada pelo cú por essa tora.

- Maravilhoso seu caralho! Digo sem respirar

- Gostou mesmo? Retruca Mauricio

- Muito! Falo eu

- Mas você ainda nem o experimentou, como pode dizer que é maravilhoso? Pergunta Mauricio

- È muito grande e grosso só de olhar já da pra perceber, respondo.

- Maravilhoso é isso aqui,diz Mauricio.

Então pega aquele caralho gigante, gruda no meu queixo, me bota de joelhos e começa a me dar uma surra de caralho no rosto.

- Põe a língua pra fora ! Põe pra fora. Grita Mauricio, absolutamente transformado pelo tesão.

- Põe essa língua pra fora sua puta, que agora vc vai sentir o peso da minha jumenta, pois vou bater nessa língua com meu caralhão como se ele fosse uma palmatória.

Eu de joelhos obedecia aos seus comandos sem titubiar.

Mal podia acreditar, ele também era dominador, mandão, machão como todo bom amante deve ser.

Entre um pouco de medo e muito tesão, apanhava na cara e era cuspida como uma puta.

Aquela dominação foi uma surpresa, não parecia o mesmo Mauricio, não realmente não era o Mauricio.

- Pede, pede pra ser violentada pelo cu, pede sua puta ordinária, to mandando.

- Me arromba o cu, disse baixinho.

- Eu não estou ouvindo a voz dessa vagabunda ordinária. Gritava Mauricio

- Arromba meu cu, falei aumentando o tom

- Eu não to ouvindo nenhuma puta falar comigo! Hurra Mauricio

- Caralhooooooo, tá surdo seu merda? Empunha essa jumenta grande o grossa e soca ela no meu cú com violência pra ver se esse seu caralho sai pela minha garganta seu porra! Gritei nervosa.

Ali mesmo no chão ele me fez deitar forçando seu pé em minha costas.

Eu estava completamente dominada

- O que eu que eu vou arrombar? Perguntava Mauricio

- Você vai arrombar meu cú, porque eu gosto de dar o cu pra rola GG como a sua, arromba meu cuzão, quente e guloso com essa tora descomunal. Dizia eu já deitada no chão e abrindo bem meu rabo pra receber aquela jumenta.

Eu estava louca pra tomar no cú. Nunca havia recebido uma rola daquele tamanho e grossura pelo cú.

- Eu vou fuder nesse cú com força sua puta. Gritava Mauricio já empunhando a jumenta.

- Pode fuder sem dó Mauricio, eu sou cuzeira e gosto de ser arrombada pelo cú, quero que enfie essa jumenta no meu cú a seco pra eu gemer de dor e tesão. Pedi.

Mal terminei a frase e pude sentir aquela tora sendo enterrada no meu cú.

Perdi a fala, a respiração e quase perdi os sentidos também.

Era muito grande entrou arregaçando a porta do meu cú, estourando minhas pregas.

Ele deu uma única e violenta enterrada até o fundo, lá ele começou a cutucar com força, depois de perceber todo meu cú com aquele jumenta grossa e tesuda, montou na minha anca, segurou com as 2 mãos nos meus ombros e socava, socava, socava, socava tanto aquele caralho no meu cú, que a impressão que tinha era que meu cú tinha virado uma buceta.

- É no cú que vc gosta de receber rola? Pergunta Mauricio.

- Sim, eu gosto mesmo é de tomar no cú. Respondo

E ele continuava me socando pelo cu como uma britadeira.

- Quer que eu goze no teu cú ou na tua cara. Gritava Mauricio ofegante a beira do gozo.

- Na cara seu ordinário, quero sentir o gosto da porra da rola que arrombou meu cú. Retruquei tesuda.

Mauricio tirou a rola do meu cú e começou a punhetar aquele mastro gigante sobre meu rosto.

- Põe a língua pra fora vagabunda! Pede Mauricio soltando jatos da sua porra quente e grossa na minha boca.

Me lambuzo na sua porra, lambo todo seu caralho, centímetro por centímetro, subo pelo peito, lambendo cada gota de suor desse macho quente e viril, arrombador do meu cú.

Agora Maurício é considerado como um amigo de TODAS as horas.

Comentários

15/03/2010 21:20:54
Linda, meu páu mede, 22,5 X 8! e tem uma cabeçona! me da seu email, que eu vou ai e te rasgo o cu!
22/08/2009 02:56:54
Esse cú é maravilhoso!!!!Gostei do seu conto.
09/08/2008 03:36:11
Linda seu conto é fantástico.Parabéns. Ahh se eu pudesse comer teu cuzinho também. Este é meu email taradopbundas@ig.com.br. Vamos bater um papo se rolar rolou. Um beijo bem molhado na tua bunda.

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.