Casa dos Contos Eróticos

Feed

Troca de casais por acaso

Autor: Iceboy
Categoria: Grupal
Data: 28/12/2007 23:45:15
Última revisão: 27/05/2008 13:40:48
Nota 9.55
Assuntos: Grupal
Ler comentários | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

Chegamos na Festa por volta das 20:00hs, o salão estava repleto de gente. Sentado em nossa mesa, estavam nossos amigos, Claudio e Celia. Nos aproximamos e nos cumprimentamos. Eles se colocaram em pé, para nos receber. O Garçom se aproximou e nos serviu um cálice de vinho. A festa estava animada, era um jantar dançante beneficente, o conjunto musical, tocava músicas animadas. As bebidas eram servidas em doses generosas, não sei, se devido ao fato de eu estar com o estômago vazio, logo no sexto copo de bebida, senti me um pouco tonto. Começou uma musica do Roberto, Diana deu um salto, pegou em minha mão e me arrastou para o salão, e por lá ficamos por mais ou menos umas 5 músicas. Quando retornamos para nossa mesa, Diana perguntou para nossos amigos: ____ Ei? Vocês não vão dançar? Claudio explicou que tinha se contundido em uma partida de futebol, e estava com o pé machucado, com isso estava impossibilitado de dançar. Celia, reclamou da sua má sorte, pois ela disse que estava com comichão de tanta vontade de bailar. Diana, talvez por educação disse: ____ Não seja por isso, eu lhe empresto meu marido. Todos riram, e novas rodadas de bebida chegavam a mesa. Quando começou uma seleção de música sertaneja, Celia olhou para Diana e disse: ____ Você me empresta mesmo seu marido? Para pelo menos umas 5 músicas! Diana autorizou, e lá fomos nos para o salão, começamos a dançar ao som de Zezé de Camargo e Luciano... Não sei se pelo fato de já me achar um pouco embriagado, o pelo fato de estar com aquele mulher diferente em meus braços, ou até mesmo pelo seu perfume suave, senti-me excitado, minha pica começou a crescer dentro da calça, e por ser uma calça social, ficou difícil esconder, e quando começou uma música mais lenta, ela se encostou em mim, e pode sentir toda minha rigidez. Preparei-me para levar um esporro, mas para minha surpresa, ela se encostou mais em mim, fazendo minha pica atingir o máximo da sua dureza. Vou dar um breve intervalo aqui, para nos apresentar: Eu, Carlos, 1,70m - 90k - moreno claro, cabelos e olhos castanhos, ombros largos, pratico Judô, peito cabeludo e pica de 16x5cm. Minha esposa, Diana: 1,65m - 61k - morena clara cabelos e olhos castanhos, seios médios e uma xaninha deliciosa, raspadinha. Nossos amigos: Claudio, 1,78m - 85k - moreno, cabelos e olhos negros, ombros médios, peito cabeludo. Celia: 1,68m - 65k - Morena, olhos claros, seios grandes e uma xaninha cabeludinha. Quando acabou a seleção de músicas, corri para o banheiro, minha pica teimava em ficar dura, fiquei em frente ao mictório com a pica dura na mão, tentando a todo custo fazer ela descer, quando olhei para o lado, vi Claudio ali me encarando, vendo minha situação ele disse: _____ Não ligue não, a Célia tem esse poder mesmo, é só chegar perto dela que a pica da gente fica dura! E começou a rir e saiu do banheiro.. Eu meio sem jeito, fiquei por ali esperando ela descer. Após uns 8 minutos retornei a mesa, e encontrei os três rindo, perguntei qual seria o motivo da graça, e Diana me disse que o Claudio tinha dito que tinha me pego no banheiro com a pica dura na mão. Eu disse que era verdade, que eu tinha tido uma ereção involuntária, Claudio disse: ____ Involuntária? com a Celia na sua frente, esfregando esse corpão em você, e você vem dizer que foi involuntária? Todo riram novamente. O Jantar foi servido as 22:00hs, e logo após nova rodadas de bebidas. Dancei novamente com Diana, 1,2,3,4......10 vezes, ao ponto de minha camisa ficar molhada de suor, voltamos para a mesa com a boca seca, e dessa vez, sorvi o copo de cerveja em uma golada só. Começou uma nova seleção de músicas, e Celia se colocou de pé, e já me pegou pela mão e me empurrou para o salão, meio sem jeito, tentando manter o máximo de distância entre nos e tentando manter também o pensamento afastado, dançamos por mais ou menos uns 15 minutos. Ao retornar para mesa, Claudio perguntou se dessa vez eu não tinha ficado com a pica dura, eu respondi que não, é que agora já estava com meus impulsos segurados. Todos começaram a rir, inclusive eu. E assim fomos até o final do Baile, as 02:00hs. Na saída, eles nos pediram uma carona, e nos convidaram para tomar a última da noite, a saideira, na casa deles, pois era caminho nosso e ele disse que lá com certeza teria um vinho bem gelado na geladeira e algumas latinhas de cerveja. Proposta aceita por todos, embora EU já estava me sentindo um pouco embriagado. Chegamos na residência deles, eles me fizeram colocar o carro na garagem, dizendo ser mais seguro. Nos instalamos na sala, e Claudio providenciou os copos e o vinho, e ali ficamos bebendo e conversando, no aparelho de som foi colocado um CD ao vivo de Zezé de Camargo e Luciano e quando começou a tocar a mesma música que eu e Celia tínhamos dançado lá no Baile, todos começaram a rir. Ela se colocou em pé e me puxou para dançar novamente com ela, todos riam da cena, e nos dois ali dançando sobre o tapete da sala de estar deles, quando acabou a música, nos separamos e todos olharam diretamente para minha virilha, pra ver seu eu tinha ficado excitado, mas minha pica tinha ficado quietinha, e no olhar de todos uma decepção !!!! Celia disse em tom de piada: ____ Nossa! eu não fiz você ficar na posição de sentido novamente? Eu disse: _____ Aquela hora foi uma ereção involuntária como eu disse, mas se eu deixar, lógico que minha pica ficará dura, pois você é uma mulher muito gostosa, com um perfume delicioso... Diana que nunca gosta de ser deixada pra trás falou: ____ E eu Claudio, não desperto também um desejo em você? Ele respondeu: ____ Lógico que sim, uma mulher assim tão linda e gostosa como você, despertaria até desejo em padre... Todos começaram a rir, ai notei que todos riam de qualquer coisa, seria o efeito da bebida? Diana ficou de pé e me puxou para dançar, começamos dançar agarradinhos, e ela começou a me beijar, começou a sugar minha língua pra dentro de sua boca, começou a passar a mão nas minhas costas, e acariciava minha nuca. Quando acabou a música e nos separamos, minha ereção novamente estava visível, Diana disse para Celia: ____ Olhe! Como ficou agora! parece que vai furar a calça... Todos novamente caíram na gargalhada, nisso Claudio disse: ____ Mas Diana assim é sacanagem, dessa forma eu também ficaria excitado. Sentei-me no sofá, puxei Diana pra sentar em meu colo e disse em tom desafiador: ____ Queremos ver então, vá lá Celia... Faça ele ficar de pica dura! Ela se levantou e foi caminhando até ele, da mesma forma que uma felina se aproxima de sua caça, se colocou a sua frente e começou a beija-lo, os dois travavam um duelo de línguas, e com as mãos ela passava por todas extensão das costas dele. Ele não deixava por menos, com uma mão ele acariciava-lhe es costas e com a outra ele acariciava lhe o seio direito por cima do vestido. Aquele cena começou a mexer com Diana, e ela virou se pra mim e começou a me beijar novamente, por ela estar em meu colo, minha pica começou a forçar sua coxa direita, ele se levantou, puxou a saia até a altura da coxa e sentou de pernas abertas sobre o meu colo, e continuamos a nos beijar, quando ela ia beijar minhas orelhas ou minha nuca, eu ficava vendo a cena que se desenrolava a nossa frente. Claudio agora estava com uma das mãos enfiada por cima do vestido de Celia e acariciava lhe o seio, e a outra estava sob o vestido, acariciando a bunda. Celia, foi quem quebrou aquele instante mágico, se soltou de Claudio e disse para nos: ____ Vejam agora, olhem como a pica do “Clau” também está durinha... Diana olhou e disse: ____Assim não dá pra ver legal... Não sei se era pelo tesão que já tomava conta do lugar, ou se era pelo efeito das bebidas na cabeças, ela se levantou de meu colo, se aproximou de nossos amigos, abaixou, e começou a abrir a fivela do cinto de Claudio, e depois, abriu lhe o zíper, e puxou a calça até o chão, depois enfiou a mão dentro de sua cueca, e retirou lhe o caralho duro para fora, e ele ficou ali em pé com a calça no chão e a pica apontada para o teto, Diana voltou para o sofá e disse: ____ Agora sim, agora da pra ver que está bem durinho... Celia ficou com um pouco de ciúmes, se aproximou de mim, me pegou pela mão, me colocando em pé, e repetindo o mesmo cerimonial que Diana tinha feito em seu marido, só que quando ela puxou minha calça, a cueca abaixo junto, e minha pica acabou batendo em seu rosto, ela deu um leve beijo na cabeça de minha pica e disse: ____ Pronto, agora podemos ver também que o Carlos está muito excitado... Eu que não sou bobo nem nada, num gesto rápido, retirei os sapatos e fiz a calça sair totalmente, abaixei-me a segurei a ponta do vestido de Celia, e fui puxando cabeça acima, deixando-a só de calcinha, abaixe-me novamente e retirei-lhe a calcinha, e com o dedo médio passei na sua bucetinha, de onde escorria um caldo melado e grosso. Virei-me e disse a todos: ____ A Celia também está muito excitada, sua buceta está molhadinha... Claudio deu um salto, aproximou de Diana e fez o mesmo, e em menos de 30 segundos, estavam os 4 alí peladinhos. Diana veio em minha direção, me fazendo sentar novamente no sofá e outra vez sentou em meu colo, só que dessa vez, nossos sexos se encontraram, minha pica deslizou buceta a dentro, Ela começou a cavalgar-me e eu, ora beija-lhe a boca, ora chupava-lhe os seios. Ao nosso lado, Celia de quatro no chão, recebia a pica de seu marido em sua bucetinha. Coloquei Diana de quatro no sofá, e fiquei de pé, coloquei minha pica na entrada de sua xaninha e fui penetrando bem devagarinho, fazendo ela sentir, cada centímetro da minha pica, quando estava com quase a metade dentro, empurrei tudo... Fazendo Diana soltar um alto gemido...após uns 10 minutos, ela anunciou que iria gozar... comecei a dar estocadas cadenciadas, e começamos a gozar juntos... Fomos para o banheiro, tomamos uma ducha e retornamos para a sala, e encontramos Celia montada sobre o Claudio, numa montagem digna de qualquer rodeio de Barretos. Os dois foram sacudidos por um tremendo orgasmo... Sentei-me no chão e Diana sentou ao meu lado, Celia e Claudio se levantaram e foram tomar uma ducha, Eu e Diana começamos a nos beijar, e novamente começamos sentir tesão, Diana se deitou entre minha pernas e começou me chupar, ela passava e língua nas minhas bolas, e depois vinha subindo devagarinho até a cabecinha... Celia retornou do banheiro e sentou a nosso lado, e perguntou se podia ficar nos assistindo, eu não respondi, mas Diana disse que tudo bem, ai eu perguntei se era bom ficar olhando, a resposta dela me surpreendeu: ____ É muito gostoso ver, e dá uma vontade de chupar junto... Claudio retornou também e ficou ali junto de sua esposa nos assistindo, em um dado momento ele a colocou de quatro e começou a chupar-lhe a buceta, não sei se por coincidência ou por vontade de Celia, ela ficou com seu rosto próximo ao rosto de Diana, e novamente falou: ____ Posso chupar a pica do Carlos com você? Diana nada disse, apenas direcionou minha pica para a boca de Celia, e eu fui presenteado com duas bocas me chupando, ora Diana chupava a cabecinha e Celia chupa as bolas, ora Diana chupava as bolas e Celia a cabecinha... Juro que se eu não tivesse gozado a poucos minutos, teria gozado aquele momento, Celia começou a beijar minha barriga, me fazendo sentir cócegas, ai eu pedi para ela parar, mas, ela não compreendeu que era para parar apenas de beijar minha barriga por causa das cócegas, ai ela parou também de me chupar, minha pica estava tinindo, puxei Diana para cima e fiz ela me cavalgar, ela pulava sobre minha pica, quando olhamos para o lado, Claudio estava sentado no sofá e Celia sentada no chão estava lhe chupando, Diana olhou em meus olhos e pediu-me, posso chupar ele também? Respondi: ____ Esteja a vontade! Diana a minha gatinha, foi engatinhando até eles, e chegou próximo ao rosto de Celia e disse: ____ Posso te ajudar? E lá ficaram as duas chupando o cacete do meu amigo, eu me posicionei por trás de Diana e enfiei minha pica na sua bucetinha que estava molhada, e enfiei até o fundo, com a mão livre comecei a explorar a buceta de Celia, enfiando o dedo médio na sua buceta. Após uns 8 minutos, senti que ia gozar, avisei Diana, comecei a estocar com mais força e tive um orgasmo tremendo... Levantei me peguei Diana pela mão e tomamos um novo banho, voltamos para a sala e começamos a assistir nossos amigos transando. Olhamos para o relógio, já se passava das 04:00 horas, começamos a nos vestir, Celia foi tomar um banho, e ficamos os 3 ali na sala, nos vestindo e Claudio pelado, quando Diana foi colocar a calcinha sentada no sofá, ele entrou no meio de suas pernas e pediu para dar uma chupadinha em sua xaninha... Chupou por uns 5 minutos, quase levando a Diana a ter mais um orgasmo. Acabamos de nos arrumar e fomos pra nossa casa, chegamos em casa, tomamos um novo banho, escovamos os dentes e deitamos na cama, começamos a comentar sobre o acontecido, e novo tesão apareceu. Subi sobre Diana e na posição papai-mamãe começamos a fazer amor, começamos a declarar nosso amor em forma de palavras carinhosas um para o outro, tipo: Eu te amo, você é meu, você é minha, te adoro... E tivemos o 3º orgasmo daquele dia. Acabamos com a boca seca, levantamos para mais um banho, bebemos um refrigerante bem gelado que estava na geladeira, e fomos dormir as 06:30hs da manhã. Cansados, saciados e muito felizes.

hoje dia 27/05/08 dedico este texto a minha amiga Lucia q está pela primeira vez lendo contos eroticos

Comentários

29/10/2011 15:55:29
delicioso conto, e tudo q minha mulher sonha em fazer ...
29/10/2011 15:54:36
nossa q conto delicioso, amei de mais, to aqui muito exitado, essa fanasia vou realizar com minha namorada hj, agente ja fala qdo ta transando...eu falo q to metendo nela e pergunto se ela quer chupar outra rola o mesmo tempo e ela fica louuuca de tezaoo ...
08/01/2010 15:45:17
nossa adorei fiquei toda molhadinha ,somos um casal bi os dois as vezes fazemos umas festinhas por ai,adoro transar com mulheres não sou lésbica mas gosto de uma xana como mulitas gostam e não tem coragem de assummir.também saio sozinha com homens uma vez por mês meu marido me leva téeles ,ele em tara que eu seja comida por outro ,fala que a buceta fica mais gostaza depois adorodgvyt87i oooooooooo(gil.b.v@bol.com.b)
23/07/2009 04:33:58
lindo conto adoraria encontrar um ksal assim fagc@hotmail.com
14/07/2008 22:41:22
Mais desgraçado que escreveu um texto com o teclado enfiado nobo, só desta forma para não colocar um unico ponto paragrafo nesse texto. Seu nerd, vai levar ZERO para toda essa sua mentira desgraçada. ZERO
02/06/2008 08:19:52
simplesmente amei!!.......parabens!!...vc e´ mto bom!
28/05/2008 02:50:07
Concordo com o Casal Discreto. Outra coisa, eu sou tarado por seios... Seria legal se você desse mais valor a eles no conto! ;)
27/05/2008 19:51:25
Não é por nada, não. Mas a "troca" ficou só no oral ???
11/05/2008 09:28:55
Conto bom e bem factível. Interessante é alguém "auto-consagrado" e "auto-denominado" Pastor fulano ficar biscateando aqui. Voltando ao conto, trabalhar com hífens no início da linha, parágrafos e saltos de linha tornam o texto mais fluente e gostoso de ler. Mas está bom sim. nota 8.
11/05/2008 06:27:02
Parabéns pelo conto, foi muito exitante lê-lo, fazer swing é tudo o que sempre sonhei mas que ainda não tive oprazer de realizar.
15/03/2008 08:54:54
Este pastor de M. nao sabe o que é prazer e fica criticando os conhecedores deste ato, se é veradade ou imaginação nao sei mas que é excitante sem dúvida que é, parabens um 9 pra voces e quem quiser comunicar com muita amizade taí e-amil claudio_jr07@hotmail.com
Le
30/12/2007 20:11:08
Engraçado, tudo que o pastor Julio Severo fdetesta é bem gostoso. Repararam? Coitado, deve sofrer muito aqui neste site. O conto é meio forçado, um swing sem querer querendo desde o começo da festa. Pura fantasia. Mas dá tesão porque é isso que eles queriam. Foder juntos. E só por isso já vale.
29/12/2007 11:02:45
Esse conto é excelente. Parabéns,erotismo na dose certa. Nota 10.

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.