Casa dos Contos Eróticos

Feed

Eu, a sobrinha, a empregada e a comadre.

Autor: Death-X
Categoria: Grupal
Data: 23/08/2007 17:11:48
Nota 5.25
Assuntos: Grupal
Ler comentários | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

Olá eu me chamo Carlos, tenho 23 anos e sou casado.Em minha casa viviam além de mim e minha mulher , uma sobrinha dela.Minha esposa é arquiteta e passa o dia trabalhando.Jel, a sobrinha dela tinha 18 anos na época, é morena, baixa de cabelos longos e corpo bem torneado, do tipo ninfeta adolescente.

Em nossa casa trabalhava Eva, como empregada domestica.Mulher madura, de seus 32 anos e mãe de uma garotinha.Eva sempre muito prestativa, também chamava atenção, não pela beleza simples, mas por dar aquele ar de empregada devassa, seu jeito de me olhar mostrava isso.

Eu saia pra trabalhar e só voltava ao meio dia, em casa ficavam somente Jel e Eva. Um dia cheguei mais cedo em casa e ninguém notou que eu havia chegado,fiquei a espreitar pela casa, e vi Jel à olhar pela brecha da porta do quarto de hospede.Me abaixei e rastejei para baixo da mesa da sala, de lá dava pra ver dentro do quarto. Tive uma surpresa, Jel estava olhando Eva se masturbando com um baita consolo, daqueles de duas pontas, do tipo usado por lésbicas para brincar de duas.Deu muito tesão ver aquela morena toda arreganhada, enfiando aquele consolo, naquela bocetona e a ninfeta safada olhando escondida.De onde eu estava via tudo, e elas não me viam.Eva deu aquele belo gemido gozando e Jel saiu depressa para não ser vista, e eu assim como entrei para baixo da mesa, sai sem ser visto.

Depois desse dia fiquei sabendo que as duas gostavam de uma sacanagem.

Em um dia de folga do trabalho, fiquei em casa, minha esposa pro trabalho, Jel havia saído, ficando só eu e a empregada.Fui a cozinha para ver o que eu conseguia de Eva, ela na pia lavando a louça, e eu fui chegando devagar por traz, roçando o pau duro nela como se fosse sem querer, como se só quisesse usar a torneira da pia, mas ela é esperta e logo sacou o que eu queria, fiquei surpreso com o que ela me falou:

––– Ainda bem que o Sr. Sabe e tem o que eu to querendo !

E já foi logo tirando meu pau para fora, chupando e engolindo com vontade.O meu pau já muito duro, eu desengatei da boca da safada, coloquei ela de costa pra mim e sobre a mesa, ela de saia , eu enfiei a mão por entre suas pernas e arranquei sua calcinha de renda preta, fiz ela empinar a bunda , a segurei pelo cabelo e dei uma socada forte em seu bocetona grande, o pau entrou liso e fundo, ela já toda molhada, gemia e pedia mais, eu fudendo ela feito um cão que fode uma cadela no cio.Na hora do gozo pedi que ela aparece tudo no rosto, quando ela ia se abaixando percebe que Jel já tinha chegado e havia assistido tudo sem agente perceber, Eva pensou rápido, foi até a garota,pegou pelo braço e lhe deu um beijo na boca e disse:

––– Vem cá vem, vem ver como uma tia faz um homem gozar

Jel senta bem pertinho, enquanto Eva de joelho bate aquele boquete, já não agüentando mais de tesão falei que ia gozar, ela tirou da boca e caprichou na punheta e logo os jatos de gala molharam seus peitos grandes, Eva sorriu e falou:

––– Viu Jel, e assim que se toma banho de porra!

––– Não conte nada a sua prima, que eu te ensino mais coisas...gostosas..!!

Saímos da cozinha, e eu preocupado com o que a ninfeta poderia dizer para minha esposa.Mas logo Eva me tranqüilizou dizendo que Jel não iria falar nada, pois ela queria aprender e ver mais coisas.

Mais tarde, Eva me chama no quarto de hospede.Chegando lá ela estava só de calcinha, e não perdendo tempo, me empurra pra cama, tira a calcinha e senta em meu pau, ela começa a rebolar subindo e descendo..de enlouquecer.Ela chama Jel, para participar da brincadeira, a ninfeta vem toda nua, com seu corpo de morena ninfeta e fica olhando, Eva levanta do pau e pega Jel pelo cabelo e faz com que a ninfeta chupe o pau melado de sua boceta, Jel tem uma boca grande e carnuda o que deixa a chupada ainda mais gostosa.Enquanto isso Eva, começa a chupar Jel por traz, dando lambidas que vão do grelinho a dentro da xoxota até o cuzinho, Jel gemia e murmurava de tesão.No embalo da brincadeira chega Simone, uma comadre de Eva e nos surpreende no quarto dizendo:

––– Nossa comadre que festinha animada a de vocês.!!!...espero não estar atrapalhando...!!! Ficamos surpresos mas Eva tratou de nos apresentar sua comadre e deixar ela bem a vontade, tirando sua roupa. Simone tinha 28, separada e mãe de dois filhos, beleza media e meio gordinha mas sem roupa, muito tesuda, vestia uma microcalcinha que nem cabia sua bocetona morena, atrás a calcinha toda sumida na grande bunda.Ela tem uma cara de safada do tipo que topa tudo, e logo começou a ter sua bocetona chupada por Eva, eu colocando Jel de quatro e mandando ver em sua bocetinha macia que já não era mais virgem mais ainda apertadinha, a ninfetinha fazia uma cara de tesão enquanto olhava as duas fazendo um 69 muito quente, começamos a revezar o sexo, Jel foi fuder com Simone, e Eva ficou de quatro para que eu a comece a xota, na qual enfiei tudo de uma vez de tanto tesão.Eva gemendo e olhando Jel enfiando toda sua mão na boceta de Simone, que se contorcia de prazer...

Eva logo derrama seu gozo em meu pau...., e já vai puxando Simone para experimentar...o meu passo inchado de prazer, Eva segura Simone pelo cabelo como se ela fosse sua escrava, bota ela de quatro e me manda enfiar tudo e com força, assim eu faço, a boceta de Simone e bem grande e engole todo meu pau, enquanto ela geme e grita palavrão...

––– Me fode caralho, arregaça mais minha xota vai....!!1

Eva manda Jel abri mais a bunda de Simone para que eu coloque e foda seu cu, ai foi só tirar da xota e socar no cuzão da safada, o cacete entrou sem problemas ai foi só curtir o tesão de foder uma mulher devassa como Simone. Ela tava adorando ser feita de escrava e eu mais ainda de ser seu carrasco fodedor, depois de hora de pau dentro, puxei o cacete de dentro e coloquei na boca de Simone enquanto ela mamava, puxei já gozando e lavei o rosto da safada de gala.

Depois da festinha tomamos banho os quatro, voltamos a nossas rotinas...nunca me esquecerei dessa transa, ainda vi Simone pela rua, ela sempre me da um sorriso safado quando me vê.

Jel casou – se dois anos depois e dizem que aprendeu muito bem as safadezas de Eva.

Eva, foi morar no Paraná, e ainda nos correspondemos...mas como amigos..

Minha esposa nunca descobriu nada, e eu hoje sou fiel.....bom agora tem uma nova empregada....mas isso já é outra história....

Death-X

luxuria-e-praser@hotmail.com

quem gostar da um toque, ai ta o email..valeu..

Comentários

23/08/2007 20:40:34
Ai vc acordou né seu mentiroso...acho até que vc estáva é com os pedreiros tudo lhe enrrabando

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.