Casa dos Contos Eróticos

Feed

Onibus Cheio, Maravilha! 2 numa viagem só!

Autor: dukinho
Categoria: Heterossexual
Data: 09/03/2007 13:19:08
Nota 7.50
Assuntos: Heterossexual
Ler comentários | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

Ola, me chamo Junior, Tenho 1,70m e 68Kg, corpo atletico pois sempre treino, 20cm de rola(grossa, pelo menos jah ouvi isso de muitas mulheres), mas vamos logo ao conto q eh o que lhe interessa na verdade, pois bem, estava outro dia no centro da cidade e ia voltar pra casa, quando percebi que estava no horario do pessoal voltar do trabalho para casa... jah fiquei com tesao soh de imaginar talvez me esfregar numa bunda gostosa, bem, esperei o onibus e quando chegou, para minha alegria, era um micro-onibus e estava parecendo uma lata de sardinhas, e como no dia estava um puta calor, com certeza as mulheres estariam com roupinhas mais curtas e deixando o corpo mais a mostra, entrei no onibus e comecei a procurar alguma mulher gostosa e com cara de safada que me despertasse o desejo, nao achei nada que prestasse e parei perto da porta, fiquei em pé, e soh havia um pouco de espaçao atras de mim, entrou muitas pessoas no onibus num ponto mais pra frentee desceu muitas, entao, fiquei de olho no pessoal novo... entrou umas mulheres, nenhuma tao gostosa assim, o onibus novamente parecia uma lata de sardinha, e eu jah tinha desanimado de encoxar uma bunda gostosa, quando pra minha surpresa, sinto com o balancar do onibus e as vezes uma bunda encostava na minha, olhei para tras e para baixo para ver o material, uma morena, que eu ingenuamente nao tinha notado e estava bem atras de mim, com aquelas calcas de academia(cinza), uma blusinha de academia, resumindo, o corpo todo desenhado nas roupas, a marca da calcinha enfiada na bundinha, me deixou maluco na hora, meu pau em segundos ficou duro como pedra, fiquei com vergonha, pq ele eh grande e facilmente a mulher a minha frente perceberia... estava sentada bem na minha frente uma mulher loira, aparentando uns 35 anos, seios medios e coxas grossas, estava com um vestido que ia ate um pouco acima do joelho, e sentada o vestido subia um pouco, ficava com parte das coxas douradas a mostra, o homem q estava ao seu lado estava dormindo profundamente ha tempos, e a bunda da morena se esfregando na minha, mas eu estava com medo de arriscar, pois o onibus estava tao lotado, q achei q ela estivesse fazendo aquilo sem querer, entao arrisquei, fingi q ia pegar algo no meu bolso de tras e encostei a ponta do meu dedo na sua bunda e pressionei um pouco e deslizei o dedo em direçao ao cuzinho, ela nao reagiu, entao continuei virado para a mulher sentada, e ficava passando a mao bem de leve na bunda da morena gostosa, sentia a maciez da bunda dela na palma da minha mao, e era tao gostoso a sensacao da adrenalina misturada com o tesao, tava ficando maluco, aí a mulher sentada percebeu o meu cacete duro e volumoso, porque sem querer enconstei minha pica no ombro dela e ela tomou um sustinho na hora, pro meu espanto, ela nao fez nada, soh olhou pra mim, eu pedi desculpa e ela disse, -- tudo bem, o onibus esta lotado demais -- foi minha alegria ouvir isso, de imaginar minha mao na bunda da gostosa atras de mim e meu pau roçando na loira na minha frente, era demais isso, me ajeitei e a qualquer curva do onibus, eu apertava a bunda gostosa da morena atras de mim, e dava um jeintinho de passar meu caralho perto do rosto da loira sentada, queria q ela visse como meu pau estava bem de perto, e as vezes esfregava no ombro dela, teve uma hora q o motorista freiou forte o onibus por causa do transito, que delicia, a morena perdeu seu equilibrio e caiu em cima de mim com todo o peso dela, nessa hora meu dedo estava quase rasgando a calca dela e entrando na sua bucetinha, e melhor ainda, alem do peso da morena em cima de mim, veio o peso de outras pessoas, entao meu pau esfregou na cara da loira deliciosa, que aproveitou e apertou meu pau com tanto gosto q dei ate um gemido, o pessoal soh nao percebeu por causa da barulheira do onibus freiando e das pessoas chingando o motorista, logo apos isso, a morena deu sinal e virou-se para a porta, ficou nas minhas costas, de frente pra mim, colou no meu corpo e fez questao de apertar minha bunda, e na hora de descer deu a volta em mim e passou na minha frente, soh pra esfregar aquele puta rabao gostoso e macio no meu cacete e saber como ela tinha me deixado... desceu do onibus e daí eu fiquei soh com a loira, ficamos nos esfregando um bom tempo, ela esfregava o ombro no meu pau, eu esfregava meu pau no ombro dela, as vezes ela fingia que ia coçar a parte de tras do pescoço e dava um jeitinho de passar a mao no meu pau... quando ela deu sinal, eu abri espaço para ela passar(claro, nao passava nem o braço direito no espaço que abri pra ela), ela levantou de frente para mim, quase esfregando seu corpo no meu, e respirando fundo, quase me derrubou de tesao com isso, pois quando ficou em pé completamente, catou no meu pau com uma das maos e mecheu os labios dizendo( que pau gostoso ), e apertou tao gostoso que quase dou outro gemido daquele de antes, entao, virou-se de costas pois ainda nao tinha chegado o ponto(detalhe), a safada deu sinal soh para ter uma desculpa para levantar e esperar chegar no ponto de pé sentindo um cacete na bunda... aí perdi a linda, o onibus tava tao lotado, nao dava pra ninguem ver nada de tao espremido... uma senhora queria passar para sentar onde a loira estava, e para dar passagem tivemos o espaço necessario para mim levantar a parte de tras do vestido dela... como era um vestido bem leve e soltinho nao tive problemas para isso, como se estivessemos juntos, encoxei ela e a abracei pela cintura e dei um beijinho no pescoço, como se fosse o namorado dela, perguntei no ouvidinho dela, ta tudo bem amor? -- ela disse q estava tudo otimo --, e ficamos ali atracados naquela posicao esfregando meu pau na bundona dela um bom tempo, ate que chegou uma hora q nao aguentei pois nao sou de ferro, gozei tanto, entao, peguei na mao dela e trouxe para tras e enfiei a mao dela na minha calça, ela quando percebeu q os dedos jah tinham entrado na calça enfiou a mao com tudo pra dentro, mas acho q nao esperava melar a mao com porra quentinha, pois deu ate um suspiro baixinho e relaxou o corpo, ficou assim, depois tirou a mao e limpou no proprio vestido, e ficamos ali ate q ela teve q descer, entao virou-se, deu-me um beijo no rosto e desceu, desde entao, sempre procuro pegar esse onibus no mesmo horario e no mesmo ponto, mas nunca mais vi nem a loira safada e nem a morena bunduda. Quem quiser mandar um email para mim para conversarmos sobre essas aventuras, e se quiser fazer outras coisas tambem, fique a vontade... sou safado e topo quase tudo... Bjos.

E-mail= junior.sapeca@yahoo.com.br

Comentários

24/09/2011 12:20:03
Não acho esse conto tão ruim assim,tenho fantasias com isso,e verdade ou não,achei excitante tudo que você contou rs afinal fantasias começam só nos pensamentos e depois a tornamos reais,muito gostoso esse conto ;D
07/08/2007 07:47:07
Va se fuder cara. Vc e um doente mental. Imagine sua irma ou mae, passando por um constrangimento desses. Mais uma vez va se fuder!
13/03/2007 20:54:16
como vc se sentiria ao saber que um filho da puta igual vc ficou relando na sua mãe dentro de um onibus????? Vai crescer cara, vc não é capaz de arrumar mulher numa boa???? babaca.
11/03/2007 09:00:10
olha cara pode contar outro conto pq esse não dá pra acreditar não acorda cara é apenas um sonho de criança
11/03/2007 06:12:40
que barbaridade! va se fuder o cara,ce nao o que fazer não?
Ale
09/03/2007 17:41:33
Uma merda só!!!
09/03/2007 16:38:57
Fala sério... vc é criança neh? Pra inventar um conto de fadas desse! Tá na cara q é mentira!!! Q isso... nem tesao deu....
09/03/2007 15:23:48
Júnior, sabe porque você não encontrou mais elas? Foi tudo um sonho e se acabou. Terrível.
09/03/2007 15:01:10
Adorei seu conto,gostaria de pegar este onibus e deixar vc cochar minha bundona.
09/03/2007 14:34:33
bom acho que o nosso caso amigo é o mesmo sofremos do mesmo pecado e doença chamada Frotteurismo É a atitude de um homem que para obter prazer sexual, necessita tocar e esfregar seu pênis em outra pessoa, completamente vestida, sem o consentimento dela, excitando-se e masturbando-se nessa ocasião. Isso ocorre mais comumente em locais onde há grande concentração de pessoas, como metrôs, ônibus e outros meios de locomoção públicos.

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.