Casa dos Contos Eróticos

Feed

COMENDO A TIA BÊBADA!!!

Autor: Germano
Categoria: Heterossexual
Data: 05/02/2007 15:45:05
Nota 7.79
Assuntos: Heterossexual, Tia
Ler comentários | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

Eu sei, parece algo torpe, mas eu fiz. Era a festa da virada do ano de 2005, estávamos todos na casa de meus pais - por que é o seguinte: a cada ano que passa, realizamos essa data tão especial na vida de todos e sempre e realizado na casa de algum parente. Nessa última vez a casa sede foi a nossa. Bem, no começo não curti muito a idéia  Odeio ter que arrumar a casa depois das 03:30 da madrugada. Então disse a minha mãe que passaria a virada do ano entre amigos; ela relutou um bocado, mas logo aceitou a idéia. Liguei para alguns amigos e combinamos como seria nossa festa. Só, que no dia da festa, com tudo preparado, vem meu pai e me diz: -Filho, sua avó conversou comigo e deixou bem claro o quanto ela ficaria satisfeito, caso consiga reunir toda a família. E, como sei que ela adora você, tenho certeza que ela conta, também, com sua presença. Não Acredito, depois de tudo combinado, meu pai me vem com uma dessas. Era o fim, fiquei puto: -Bah pai! Não posso. Já estava tudo certo que iria passar a virada com meus amigos, até o senhor concordou! Ele ficou um pouco chateado, e apenas disse: -Mudanças de planos. Fique! e não discuta! Então é obvio que fiquei, já prevendo o que estava preste a acontecer  Sabe aquele tipo de parentes que saem apenas quando acabou a cerveja. Tipo, você está puxando a mesa e eles estão lá. Putaqueopariu! As pessoas começaram a chegar cedo, por volta das 19:45, até aí tudo bem, levei tudo na esportiva. A maioria estava dignamente uniformizada...Todos de branco... HAHAHAHA O Povo mais besta! Fora isso tudo bacana. Tinha comida pra cacete. Foi quando foi ficando mais tarde, meu primeiro tio, já cheio da cerveja começou a dançar e caiu! Pronto, aquilo foi o fim da picada, resolveram levar todos para casa. Somente meu pai não havia bebido tanto. Terminou tendo que ser o motorista da moçada, teve que levar todos para casa, e como eles moram no outro lado da cidade, seria uma tormenta. Fazer o que né? Quem quis isso tudo foi ele. Minha tia resolveu ficar para ajudar, pois minha mão também resolveu ir, meu pai não curte muito voltar sozinho. Tinha medo de dormir pelo caminho. Ficou em casa somente eu e minha tia; que não ajudaria em nada, estava morta de bêbada, mal se mantinha de pé. E, assim que todos saíram,ela disse: -Bah! Acho que vou deitar. Está tudo girando. Eu é que não ia ficar ali perdendo meu sono arrumando aquela bagunça. Nessas horas sinto a falta da minha irmã. Mas infelizmente ela viajou de férias. Mesmo a contra gosto dei uma arrumada na casa. Algo bem superficial, somente para não deixar meu pai puto. Dei uma varrida na sala, coloquei as louças na maquina e fui tomar um banho. Liguei a ducha, relaxei um bocado, e depois fui para o meu quarto. Quando chego a surpresa. Minha tia havia colocado um colchão bem ao lado da minha cama, é já dormia feito uma morta. Na hora fiquei meio inseguro ao me trocar, mas nada de anormal. Depois deitei-me e tentei dormir, mas infelizmente, o sono não estava muito apto a me auxiliar naquela noite...hehe. Foi entre um pensamento e outro, que minha tia virou-se e ficou com a bunda para cima. Foi quando percebi que ela estava usando apenas uma calcinha branca. Na hora nem pensei em nada, apenas ri. Ela tem mais ou menos uns 30 anos, é bem gordinha; tem cabelos e os olhos negros e sempre foi bem engraçada. Gostava muito de ouvir suas piadas, mas fiquei olhando aquela bunda diferente ali no meu quarto. Não sei se foi à bebida; só sei que meu pau começou a ficar duro.  Credo! Melhor eu parar de olhar, ela é minha tia. Não posso permitir que esses pensamentos me dominem. É tudo hormônios. Tentei dormir, mas nada. Pior, ela parecia não querer sair daquela posição. Comecei a pensar, que breve meus pais voltariam, talvez eu nunca mais tivesse uma oportunidade como esta. Desci devagar da cama e me dirigi até ela, primeiro toquei com o dedo para ver se ela se movia...Nada. Pensei em voltar para cama, mas não conseguia, estava muito curioso e cheio de tesão. Então, para tentar relaxar um pouco, passei o dedo médio bem no seu reguinho, mesmo sobre a calcinha. Piorou, meu pau começou a latejar: Modéstia parte, sou bem dotado, tenho mais ou menos 20 cm por quatro. Ele começou a ficar forçando a cueca, aquilo estava incomodando muito, pior, estava doendo. Então, resolvi colocar meu pau para pegar um arzinho. Continuei, ela parecia nem sentir, estava completamente dormente. Passei minha mão sobre sua nádegas brancas, não resisti e dei uma apertadinha na sua bundinha, meus dedos ficaram marcados em cada lado. Aquilo estava indo longe de mais. Só que ao mesmo tempo que ficava indignado comigo mesmo, não conseguia parar. Resolvi encostar meu rosto bem no meio de sua bundinha linda. Passei meu nariz bem no seu reguinho. -Nossa! Que perfume delicioso! Comecei a me punhetar, estava fora de mim. À medida que ia me masturbando, ia ficando mais louco; -Bah! Como posso estar aqui louco somente por tocar nesta calcinha. Farei melhor. Tirei minha cueca, e fui até o quarto dos meus pais, peguei uma tesoura e voltei. No caminho ainda pensei em desistir, mas quando entrei no quarto e voltei a ver aquela bundinha linda pra cima, pensei comigo mesmo: é agora ou nunca. Com a tesoura, cortei as duas extremidades da calcinha dela; deixando somente a parte de baixo inteira. Mas já pude puxar a parte de cima. Segurei com a duas mãos aquela bundinha linda, e fui abrindo lentamente com medo que ela percebesse. Ela deu uma mexida, fiquei com medo que acordasse. Mas ela somente deu uma gemida e ficou quieta de novo, então, continuei. Fui abrindo sua bundinha lentamente. Foi quando vi a coisa mais linda de toda minha vida. Aquele cuzinho vermelinho, à medida que eu abria mais sua bunda, aquele cuzinha piscava. Nossa! não sei o que me deu, caí de língua na rosquinha da minha tia. Lambi feito um louco, meu pau já estava para explodir de tanto tesão. Levantei-me decidido a comer aquele cuzinho. Fui até a cozinha, mas não havia nada que lubrifica-se. Foi quando em um último ato de desespero, ou de tara. Peguei um bote de margarina e melei todo meu cacete. Voltei para o quarto armado, ela continuava do jeito que havia deixado. Não titubeei, Deitei-me sobre seu corpo, bem lentamente, para que ela não percebesse, mas ela parecia estar desmaiada. Então passei meu pau todo lambuzado no meio daquela bundinha linda, usei as duas mãos para abri-la melhor. Nossa meu pau só tinha o cheiro da tal margarina...hehe. Enfim encontrei a entradinha, pensei em empurrar somente a cabecinha para não acorda-la. Fui forçando devagar, mas ele entrou com certa facilidade, pensei; -Essa titia deve dar muito esse cuzinho, mas quem não gostaria de come-lo. Foi quando ela acordou; -O que é isso? Germano! É você? Está ficando louco rapaz? Na hora bateu um baita medo, mas não poderia perder aquela gozada assim, de uma hora para outra. Aproveitei que ela despertou e empurrei até o talo, e ela deu um grito terrível; -AHHHHHHHHHHHHHH SEU FILHO DA PUTA, VOCÊ TA ME RASGANDO TODA! Aquilo me deixou mais louco ainda, senti minha bolas tocarem aquela bundinha linda. Resolvi bombar cada vez mais forte; -Sim! Vou te rasgar titia. Quem manda vir dormir no quarto dos outros sem ser chamada. Pior, ainda colocar essa bunda deliciosa pra cima. Agora Toma. Comecei a bombar cada vez mais depressa, chega fazia barulho; ploft, ploft... Ela debatia-se, agarrei-a pelos dois braços e a puxava de encontro a meu corpo; -Vamos titia, deixe de frescura. Vai dizer que nunca deu este cuzinho para ninguém. Agora você nunca mais vai esquecer da rola do teu sobrinho querido. Comecei a aceleram nos movimentos, foi quando ela disse; -Me fode seu filho da puta. Nossa! Isso é que é pau. Me come seu filho da puta tarado...Come o cuzinho da titia. Você gosta de comer o cuzinho da titia! -Adoro sim tia, Adoro uma rosquinha. Ainda mais com sabor de manteiga. Passei minha mão por baixo da coxa direita da minha tia, e enfiei dois dedos naquela boceta carnuda; -Agora quero ver a senhora gozar! Nisso acelerei o Maximo que pude, a medida que ia acelerando, ia movimentando meus dedos na boceta linda da minha tia. Ela gozou primeiro do que eu, e até mais rápido. Assim que ela gozou. Tirei os dois dedos da sua boceta e enfiei-os na boca, para sentir aquele nepente do incesto. -Hum! Que boceta gostosa você tem titia. Foi quando me tremi inteiro, e explodi em gozo; -AHHHHHHHHHHH AHHHHHHHHHH! Que cu maravilhoso. Como é gostoso comer o cuzinho da titia. E cai para o lado, ainda com meu pau em posição de guerra. Ela chupou ainda o que havia sobrado; -hummm! Essa rolona tem um tempero especial... Depois voltamos a dormir, e na manhã seguinte, agimos como se nada tivesse acontecido. Somente na hora que fui até a mesa do café da manhã. E todos estavam reunidos. Peguei uma rosquinha passei manteiga, e enfiei toda na boca. Na hora titia fez: -Humm. Eu disse: -Titia! Adoro uma rosquinha matinal. Todos riram, mas meu pai logo me repreendeu; Olhas os modos rapaz, Não quero que sejas duro com sua tia. Então pensei comigo mesmo; [Mas ela gosta...ah como gosta. Bem duro...e com manteiga....HEHEHEHE....

Comentários

29/07/2011 02:05:16
muito bom,
06/06/2011 01:53:01
kkkkkkkk muito bom e engraçado o conto.
28/02/2010 01:52:23
Caralho!! Comer o cu dessa tia completamente de pore seria glória!!!
27/12/2009 20:53:26
piadinha no final, foi sensacional, tsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrs
05/04/2009 21:38:25
boa, mt boa pra achar graça tbm! hehehe
26/03/2007 17:57:41
muito bom seu conto,quem não gostaria de ter uma tia assim,parabéns
Gel
06/02/2007 23:42:42
Teve muita coragem, mais valeu apena.

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.