Casa dos Contos Eróticos

Feed

A ninfeta descuidada

Autor: timido_sexy
Categoria: Sadomasoquismo
Data: 12/01/2007 02:57:42
Nota 5.67
Assuntos: Sadomasoquismo
Ler comentários | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

Meu nome é Marcos, tenho 26 anos. Vou contar quando peguei uma ninfeta se deliciando com uma mangueira de borracha em seu quintal.

Aconteceu quando fui morar numa casa de 3 andares a 2 semanas. Ela ficava dentro de um condomínio poucos minutos da praia.

Estava eu na minha quando escutei duas vozes que vinham da casa ao lado.

-Até logo mãe.

-Só volto há noite filha. Não saia de casa. E lave este quintal que está cheio de folhas, se não vai acabar sujando a piscina.

-Ta...já testou indo limpar.

Fui até a janela do meu quarto que dava de frente ao quintal da garota. Elas tinham uma piscina enorme, deu até vontade de mergulhar ali porque estava muito quente nesse dia.

Não demorou muito e a garota que era moreninha de cabelos longos pretos cacheados voltou com um short minúsculo branco e com a parte de cima de um biquíni preto.

Ela era muito gostosa, tinha um abdômen malhado e tinha 16 anos. No decorre da historia vocês vão saber como descobri a idade dessa vadia.

Depois de ter limpado o quintal ela começou a tomar banho de borracha perto da piscina.

-Não por favor eu já fiz o que o senhor me pediu.

Do nada a garota começou a falar coisa sem sentido nenhum.

-Tenha piedade de min. Só uma pobre garota sem dinheiro para sustenta a família.

Pensei que ela estava praticando algum tipo de fala de peça de teatro mas logo veio uma cena que nunca vou esquecer.

Ela se jogou de quatro no chão e pegou a mangueira.

-Não coloca tudo em min.

Com umas das mãos ela abaixou seu short abriu as pernas e enfiou a borracha em sua boceta.

Como eu trabalhava em filmagens de festa de 15 anos (que sorte a minha né?^^) eu peguei minha câmera e comecei a filma tudo o que estava acontecendo.

-Assim eu vou desmaiar, isso é muito grande para min.

Depois de algum tempo ela mudou de posição.

-Que brinca de cavalinho comigo?

Com a borracha entalada em baixo, ela começou a se mover pra frente e para traz com movimentos rápidos até soltar um gemido alto.

Tinha chegado o momento mais gostoso que eu queria ver.

-Não...não no meu rabinho.

Que cena maravilhosa. Seu rabo estava todo empinado par ao alto com a porra toda socada. Ela gemia muito. Meu cacete já estava com a ponta piscando de tanto tesão.

Essas cenas duraram por cerca de 18min, depois disso ela se levantou e foi para dentro de casa.

No dia seguinte eu estava saindo para ir para o meu trabalho e dei logo de cara com a cachorra que estava acompanhada de 2 amigas e estavam usando uniforme escolar.

-Oi....você está morando nesta casa a quanto tempo?- Disse a garota já com uma aparência de preocupada.

-Já vai fazer umas 2 semanas.por que?deseja alguma coisa?-Perguntei com uma voz sarcástica sorrindo pra ela.

-Você estava em casa ontem de tarde?

-Sim...aproveitei para olhar a vizinhança pela minha janela do quarto.Você não vai acreditar no que vi.

-O..o que você viu?

A menina perguntou de um jeito tão assustadora que até as amigas se espantaram.

-O que foi Beatriz?- Perguntou a Loirinha que também era muito linda e peituda.

-Eu tenho que ir se não vou perde meu ônibus. Mas tarde conversamos Beatriz, foi uma coisa muito louca, você não pode deixar de ouvir.

De noite quando estava saindo de serviço, resolvi passar no shopping. Andando reparei que tinha uma loja de objetos eróticos. Lembrei na hora o que a garota tinha feio e deu uma vontade muito grande de tira proveito daquilo tudo.

Tinha comprado vários brinquedos “Sado” já que ela gostava de sofrer.

Em casa fiquei na janela esperando ela aparecer.

Demorou uns 15 min quando escuto alguém abrindo a porta.

-Boa noite!-Falei em tão alto para que ela escutasse.

-Boa noite....pode me contar o que você viu ontem?

-Sim vem aqui em minha casa.

Fiquei esperando ela chegar no meu portão. Quando ela chegou a convidei para entrar.

-Você que saber o que eu vi?

-Sim?

-Vamos vê o filme que eu fiz pra você!

Quando liguei a televisão coloquei o filme para rodar e ela ficou muito envergonhada.

-Por favor não mostre esse vídeo pra minha mãe, eu imploro.

Ela estava ainda com seu uniforme de escola.

-Não vou contar se você promete que vai fazer tudo o que seu mestre mandar.

Com movimentos na cabeça ela fez sinal que concordava.

Subimos para o andar de cima e entramos no meu quarto que estava espalhado de brinquedos especiais.

- Você vai fazer tudo que tinha feito ontem mais com meus brinquedinhos. Tire sua roupa e fique de quatro, só quero você de calcinha.

Coloquei um vibrado em sua boceta e enfiei meu cacete em seu rabinho que eu adorava.

-Ha...é muito grande! Assim vai me rasgar.

Com movimentos rápidos eu enfiava e tirava com violência minha rola de dentro da cadela.

-Cala a boca! Não permiti que falasse!

-Me perdoe mestre.

-Vai ter o castigo que merece.

A coloquei de joelhos e a mandei mama.

Depois de uns 5 min gozei tudo na boca da vadia que engoliu tudo seguindo minhas ordens.

Tampei a boca da ninfeta com uma amordaça de bolinha, e com 2 pregadores de ferro coloquei em seus peitos que logo ficaram vermelhinhos. Também tinha colocado uma coleira em seu pescoço para darmos uma volta pela casa. Liguei o vibrador que estava desligado ainda e ela começou a se retorcer andando de quatro. Enfiei novamente meu cacete em seu rabo e ela começou a gemer gostoso. Ela parecia estar gostando, seu rabo não parava de rebolar engolindo toda minha rola.

Retirei o vibrador e a coloquei de bruços na mesa para saborear sua gostosa boceta que estava muito melada. Sua xoxota estava que nem uma gelatina, prendia meu pênis puxando-o para dentro até o final.

Depois de estourar a boceta de Beatriz tirei a amordaça e os pregadores. Comecei a chupar seus seios que estavam bem duros. Ela alisava meu pau com as duas mãos pedindo para a deixar engolir de novo.

Ela chupava muito bem...com uma mão ela alisava minha rola e com a outra apertava meu saco para sugar o resto da porra que sobrava. Isso me levou ao extremo e gozei novamente naquela boquinha que não deixava escorrer nada.

Tirei a coleira do pescoço dela e falei que ela era uma cadelinha obediente.

- Fiz o que o senhor me ordenou. Não fale nada para minha mãe. Sou uma santa pra ela. Se você contar não poderei mais sair com minhas amigas a noite.

-Tenho uma ultima ordem para você.

-Qual?

-Quero sua amiga loira!

(continua)

Comentários

12/01/2007 23:11:09
Bem loko o conto! Não sei se é verídico... mas sendo ou não, curti mt! Adoraria ter vizinha obediente assim... sortudo vc brother nota 9!

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.