Casa dos Contos Eróticos

Feed

Minha namorada me viu transando com minha vizinha.

Autor: Ricardo
Categoria: Heterossexual
Data: 21/12/2006 17:48:33
Nota 4.00
Ler comentários | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

Minha ex-namorada nunca foi uma mulher ciumenta, Mas o que aconteceu em uma semana, fez com que ela repensasse totalmente o seu conceito de ciúmes, fazendo com que, ao invés de sentir ciúmes, ela passasse a sentir um prazer e um tesão inigualáveis. Eu e Carla estamos namorando há dois anos, tendo uma vida sexual muito boa. Transamos de 3 a 4 vezes por semana e procuramos deixar nossas transas sempre quentes, procurando sempre inovar. Nunca teve ciúmes de mim, eu tinha sido o primeiro e único homem, (eu namorava saia com ela desde dos seu 12 anos) a "namorar" muito cedo. às vezes numa de nossas transas, eu, muito excitado, confessava a carla minha de transar com outra mulher. Ela quis saber por que, se ela não era tão boa assim, mas eu retruquei dizendo que era apenas curiosidade, que eu continuaria a amando e ficando com ela: - Porque você quer transar com outra, você não me ama ? - Claro que te amo, meu tesão. Sei lá, é apenas uma curiosidade, eu tenho vontade de comer outra mulher. - E depois, você não querer me largar ? – Nós conversávamos, mas era difícil pensar, por que ela estava com a buceta toda molhada, com meu pau entrando e saindo, ela estava muito excitada. - Claro que não, você sabe que eu te amo. Você deixa ? - Não é uma questão de deixar. Você sabe se eu quero ou não ? - Você quer ? - Não sei, acho que sim … - Ela falou aquilo com um tesão enorme, estava quase gozando, o que a dominou foi o tesão. - Então você quer ? - Quero, pode comer outra mulher. – Falou entre gemidos e gritos, porque estava gozando. Na verdade, ela também estava curiosa, acreditava em mim, sabia que eu não deixaria de ama-la, mas no fundo queria ver até onde ia aquilo. - Então eu vou comer, sua puta ! – Eu sempre xingava ela de puta quando gozava. - Eu só quero que você me conte … - Tá bom … Bem, a partir deste momento as cartas estavam lançadas. Nunca mais falamos sobre isso, mas ela sabia que depois daquela noite, aquilo iria acontecer mais cedo ou mais tarde. Mas acho que ela não estava preocupada, confiava em mim e tinha uma ponta de curiosidade. Inclusive nossas transas ficaram mais quentes, com mais tesão depois daquela noite. Passados 6 meses,eu tinha um casal vizinho, Jair e Glória, que eram recém-casados, algo em torno de 1 ano. Tínhamos uma certa amizade, Jair e Carlos gostavam muito de conversar e quase sempre estávamos um na casa do outro. Carla e Glória não tínha uma amizade tão forte, mas após a separação deles ficaram mais amigas. Por algum motivo não muito bem contado, Jair foi embora nunca mais aparecendo. No princípio Glória chorava muito, chegou até a pensar em se matar, e Carla teve que consolá-la muito, fazendo com que elas ficássem muito amigas. Passamos então, a ajudá-la em sua casa, com nossa companhia, Carla com sua amizade e eu com as atividades típicas masculinas. Saíamos os três, e aos poucos Glória passou a esquecer Jair, começando a viver normalmente. Eu achava Glória bonita, era alta, tinha os cabelos tingidos de loiro, tinha olhos verdes, e era bem fogosa, por que num determinado dia confessou a Carla que já estava louca para transar com alguém. Carla ficou um pouco desconfiada, porque ela e eu sempre nos abraçavamos quando nos encontrávamos para sair, e com o passar dos dias os abraços e beijos eram sempre mais demorados. Mas pensando bem, era cisma dela, porque ela também o abraçava desta forma. Afinal de contas, nós éramos os seus únicos amigos. Como estávamos ficando mais íntimos, não batíamos na porta um do outro para entrar, entrávamos e aí então nos anunciávamos. Até que um determinado dia aconteceu o que eu e Carlas conversamos 6 meses antes. Eu transai com outra mulher e justamente com Glória. Como de costume, num sábado à tarde, Carla estava retornando da casa de sua minha mãe e Eu sempre dormia após o almoço, pois às manhãs jogava futebol com os amigos. Carla entrou em casa e não me viu na cama, nem em casa. Mas ela não se preocupou, porque às vezes eu saia na sua ausência para fazer alguma surpresa: comprava flores, ou um bolo, ou um vestido, só prá agradar. Carla resolvi então fazer suaas mãos. Aí lembrou que tinha deixado os esmaltes na casa de Glória e foi até lá. Como sempre, entrou sem bater, foi até a sala e viu a caixa com os esmaltes em cima do sofá. Como estava com um pouco de pressa, não a chamou, apenas pegou a caixa e já estava retornando para sair da casa, quando ela ouviu um gemido. Parou para ouvir com mais atenção. Ouviu então outro gemido, e outro, e outro. Era Glória que devia estar no seu quarto. "Deve estar se masturbando", pensou, enquanto já deixava a caixa no sofá, e foi devagarinho até a porta do seu quarto. Ao chegar perto do seu quarto, os gemidos foram aumentando de intensidade. Como a porta estava aberta, olhou com cuidado e aí então não acreditou no que viu. Glória estava deitada, nua, com as pernas abertas, e eus chupando sua buceta. "Meu Deus, é meu namorado, o que fazer ?", pensou. Ela me disse que na hora sua cabeça ficou maluca, estava com ciúmes mas não pode deixar de sentir um tesão enorme, porque os gemidos de Glória já estavam bem mais fortes. Aí lembrou da nossa transa em que eu a disse que queria comer outra mulher. Estava aí então eu com a sua vizinha. "Será que ele já está comendo esta mulher faz tempo e não me falou ainda ?", pensou. Depois eu confessei que aquela era a primeira vez e que Glória já estava me assediando a uns dias. O seu tesão era tanto que abandonou de vez qualquer ciúme que poderia estar sentido, e só queria ver aquele casal transando. Eu continuava chupando e lambendo a buceta de Glória, enquanto ela se contorcia, apertando seus seios, gemendo e falando frases desconexas, com muito palavrões. Eu lambia com vontade. Glória estava na ponta da cama com as pernas abertas e eu estava de joelhos no chão lambendo-a. Carla viu meu pau duro, e naquele momento desejou que logo eu enfiasse meu pau na buceta daquela mulher, para que ela sentisse como aquele homem é gostoso. Carla neste momento já estava muito excitada, e já não conseguia pensar mais. Ela já estava tirando a roupa, estava quente e ela estava usando somente uma minissaia e um top; a calcinha já estava no chão do corredor. Realmente, era uma cena muito excitante: Carla, nua, em pé no corredor, na porta do quarto, se masturbando, e eu e Gloria na cama começando a transa. Quando ela tirou a roupa e voltou a nos olhars, Eu então parei de chupar sua buceta, comecei então a beijar seu umbigo, seus seios, e aí então ela pode vê eu enfiando meu pau na buceta de Glória. Carla não pode segurar um gemido neste momento, mas como Glória fazia um barulho bem maior, nós não percebemos. Na verdade, ela já estava querendo participar daquela brincadeira. Aquilo prá ela era novidade, e ela estava gostando, nunca imaginaria que gostaria, que se traria prazer ver seu namorado comendo outra mulher. Eu então, empurrei Glória mais para o meio da cama, fazendo com que ela visse somente suas pernas, levantadas e dobradas no joelho, e minhas pernas e a bunda, levantando e descendo vigorosamente. Havia um sofá no corredor, bem em frente à porta do quarto. Como ela estava maluca, sentou no sofá, fazendo com que, caso um de nós olhassemos para fora do quarto, o veria se masturbando no sofá. era isso que ela queria. Ficou sentada, praticamente deitada no sofá, se masturbando e mexendo muito nos seios. Como seus seios são grandes, por vezes, beijava-os e lambia-os. Ela já não se controlava mais, sua buceta estava muito molhada, ela estava adorando ver aquele casal transando, mas sabia que logo iria estar no nosso meio, chupando meu pau para que eu a fodesse gostoso. Nesta hora, eu e Gloria trocamos de posição, fazendo com que Glória ficasse por cima, como se estivesse cavalgando. Seus cabelos compridos praticamente pulavam enquanto ela se mexia. Seus movimentos aumentaram até que, aos gritos, nós atingimos o orgasmo. Como aquela mulher gritava e girava a cabeça. Após gozarmos, nós nos abraçaram e nos beijamos com volúpia, exatamente do jeito que Carla imaginava que fosse quando nós dois se abraçava e se beijava quando nós saíamos. Carla ainda não tinha gozado e continuava a se masturbar. Foi aí então que Glória virou a cabeça e a viu. Acho que sua reação foi de susto, por que deu um pequeno grito e saiu de cima de mims. Eu então a viu, nua, com as pernas abertas, se masturbando, vendo-me comer Glória. Eu me levantei e fui em sua direção. Meu pau ainda estava duro. Ao chegar até Carla, eu tentei me abaixar, mas ela não deixou, ela queria chupar meu pau. meu pau estava com uma mistura da minha porra, mais os líquidos vaginais de Glória. Como Carla gostou de chupar meu pau naquele dia. Aquilo era um troféu, eu tinha comido outra mulher e ela, loucamente, tinha gostado. Enquanto chupava meu pau, eu perguntei: - Você viu tudo ? - Hmm, Hmm. - E gostou ? - Hmm, Hmm. Você já tinha a comido antes ? - Não, foi hoje. Mas eu iria te contar hoje à noite. - Tá bom. Você gostou ? Foi bom ? - Claro, foi muito bom. - Ei, vocês, venham prá cama … - Glória interrompeu-nos. Na verdade, Carla já estava até esquecendo da presença de Glória enquanto chupava meu pau. Ao convite de Glória, não pensamos duas vezes, e fomos até a cama. No caminho, Carla disse à ela: - Você deve me achar uma louca … - Não, não. Prá mim isto é novidade, mas eu estou achando legal. Desculpe, Ricardo me disse que você entenderia e que contaria à você, por isso nós transamos. - Não tem problema, não, Prá mim também é novidade e eu estou muito excitada. Vamos continuar ? - Claro … Demos um forte abraço. Carla sabia que as coisas seriam diferentes a partir daquele dia. Mas ela estava muito excitada, naquele momento ela queria sexo, somente sexo. Eu então passei a chupar a buceta da minha namorada, que continuava molhada. Eu lambia, chupava, do jeito que ela sempre gostou. Eu procurava sempre lamber, chupar seu clitóris, enquanto enfiava dois dedos na sua buceta. Enquanto isso, Carla se deitou e reclinou sua cabeça fechando os olhos, somente sentindo minha língua, enquanto ia lembrando de tudo o que já tinha visto. Foi quando sentiu mais uma língua no meu corpo. Sim, era a língua de Glória lambendo seus seios. Ela lambia um seio, chupava o outro, invertia, e fazia isso de uma forma muito especial. Somente eu tinha chupado seus seios e uma mulher chupando-os era diferente. Realmente, duas línguas, uma na sua buceta e outra nos seus seios ela não estava agüentando. Começou a gozar, e eu e Glória não paravamos, fazendo com que ela gozasse 3 vezes em seguida. Eu resolvi enfiar meu pau na sua buceta, que já não agüentava mais de vontade de recebê-lo. Glória deixou de beijar e chupar seus seios e ficou do lado de Carla passando suas mãos no seu corpo. Na verdade eram 4 mãos no seu corpo, e aquilo era estranho, mas ela estava gostando. Quando ela abriu os olhos, me viu beijando Glória, sua boca, depois seus seios e por último sua buceta, enquanto continuava a enfiar meu pau nela. Aquilo continuou a deixando excitada, fazendo com que gozasse novamente. Já tinha perdido a conta de quantas vezes já tinha gozado naquela tarde e começo de noite (que na verdade durou a noite toda, só parando de madrugada).Carla resolveu então, ficar por cima de mim, montando no meu pau e podendo rebolar da forma que ela quisesse. Glória então, passou a beijar suas costas. Ela beijava e lambia de cima a baixo, fazendo com que ela passasse não só a gemer, mas a dar pequenos gritos. Carla passou, então, a xingá-la, de puta, de vários nomes, e comecou a chorar, mas estava feliz, estava bem. Na verdade, ela sentia que "ELA" era a puta ali. E Glória continuou lambendo e beijando suas costas, enquanto eu estava montada em mim. Acho que fiquei bastante tempo nesta posição, até que uma hora eu olhei para o lado e Glória estava deitada do nosso lado, se masturbando. Eu não parava de chupar os seios de Carla. Esta era a posição que Carla mais gosta, em cima de mim e eu chupando seus seios. Foi aumentando os movimentos, até que Carla começou a gozar junto com comigo, gritando muito, enquanto ouvia também os gritos e gemidos de Glória, anunciando que estava gozando. Após o gozo, Eu e Carla demos um longo e demorado beijo, sem palavras, mas nos agradecendo mutuamente por uma noite maravilhosa de sexo, juntos, inaugurando uma nova fase na nossa vida.

Comentários

26/04/2008 10:37:57
QUERO VER ESTA SENA
28/12/2006 16:04:51
Eu conheço o Ricardo, nós já transamos muito e ele realmente... Eu adorei este conto, beijos meu gostoso.
22/12/2006 12:40:04
eu comento pois comigo e meu marido aconteceu a mesma coisa e eu adorei...ate hoje peço bis nota 1000 para o seu conto.há eu estou indo agora mesmo ao banheiro para me masturbar beijos
22/12/2006 12:00:49
Muito bom e muito bem escrito. Eu nao costumo deixar comentários aqui, mas quando esta bem feito a gente tem de elogiar. Mas como ficou depois? Vc continuaram a transar o tres ou foi so dessa vez?
22/12/2006 12:00:25
Não vou nem comentar pq nem terminei de ler,muito longo.

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.