Casa dos Contos Eróticos

Feed

Dois Machos, Duas Rolas e Meu Cuzinho Arrombado

Categoria: Heterossexual
Data: 23/10/2006 10:06:18
Nota 8.50
Assuntos: Heterossexual
Ler comentários | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

Tarde de quarta feira muito quente no Rio, apesar do ar condicionado da repartição onde trabalho, sentia um calor tremendo e sonhava estar na praia naquele momento, toca meu telefone e tive de ir concluir um trabalho fora, voltaria mais tarde para casa naquele dia, liguei para o Léo e avisei que chegaria mais tarde, ele então disse que receberia uma amigo para uma cerveja, fiquei com inveja mas trabalho é trabalho, foi só o tempo de pegar a bolsa e sair debaixo daquele sol, mas o tempo passou rápido e quando vi já eram oito da noite, terminei o que estava fazendo em um setor público e voei para casa para pegar a cervejinha e também para saber que amigo era aquele que Léo não disse quem era, doida para tomar um banho, ficar mais a vontade e depois rolar na cama com meu homem delicioso, pois estava sentindo calor também no meio das pernas (Risos). Cheguei em casa por volta de nove da noite, Léo veio abrir o portão e perguntei se o amigo já tinha ido embora, ele me disse que ainda não e que estavam no melhor da conversa, que tinha ido ao banheiro e voltava logo, estacionei o carro e desci, cansada é verdade, pois o calor ainda permanecia, um beijo gostoso em Léo que já aproveitava para me acariciar a bunda, lambendo minha língua e me apertando contra seu corpo, me retrai um pouco pois estava suada e precisava de um banho, ai sim, depois poderia curtir uns amassos, fui entrando em casa e Léo veio mais atrás, entrei na sala passei pelo corredor e alcancei o quarto, deixei minha bolsa em cima da cômoda e tirei a sandália, me sentei na cama para tirar a calça, nossa que alivio, me levantei e tirei a calcinha e fui até o guarda roupa para pegar uma toalha a fim de tomar um banho delicioso, quando me virei dei de cara com Marcos encostado na porta, no repente levei as mãos para tampar minha buceta que estava à mostra, ele riu da minha reação e disse que já conhecia aquela xaninha, com um copo de cerveja na mão e vestindo uma camiseta regata somente, olhei para seu corpo e a rola dura apontando para o céu, molhei minhas entranhas na hora, ele veio em minha direção e disse que estava ansioso pela minha chegada, perguntei por Márcia e ele disse que ela não sabia que ele estava ali, que viera a convite do Léo para tomar uma cerveja e fazermos um sexo gostoso a três, encostou aquele caralho duro em minha barriga, e foi virando para me beijar, não resisti a tanta tentação, abracei-o e o beijei ardentemente, ele encostou o copo gelado em minhas costas e levou a outra mão em minha bucetinha, enfiou um dedo e me fez gemer gostoso, o empurrei de leve e disse que iria tomar um banho para ficar mais gostosa para eles, ele respondeu que daquele jeito eu estava melhor, puxou um lençol que estava em cima da cama e pediu que me deitasse ali, eu estava incomodada pois de fato queria tomar um banho para relaxar mas vendo o estado de excitação dele, cedi e me deitei no lençol ali no chão do quarto, ele sentou-se na beirada da cama e virou o copo de cerveja gelada em minha blusinha, soltei um grito de susto e pelo gelo do liquido, então ele veio por cima de mim e puxando a alça da minha blusinha descobriu um dos seios molhados de cerveja, sua língua quente começou a chupar meus bicos intumescidos, estava ficando maluca, cada mordidinha que ele dava em minhas tetas mais eu abria as pernas e sentia a buceta lubrificada, prontinha para levar vara, ele levou a mão em minha xaninha e passou a dedilhar meu clitóris sua língua continuava a colher a cerveja derramada, que naquele instante já tocava todas as minhas partes intimas, vejo Léo com outro copo de cerveja entrando, veio e foi derramando em minhas coxas e bucetinha, eu levantava as pernas e o dedo de Marcos me enlouquecendo Léo então segurando uma garrafa de cerveja foi me deixando molhadinha, Marcos arrancou literalmente minha blusa e passou a me lamber com sofreguidão, Léo tirou a camiseta e desceu o shorts mostrando sua rola armada, deitou ao meu lado e passou a lamber meus seios, boca, pescoço e barriga, Marcos me lambia na buceta, nas coxas, nas pernas os dois estavam me deixando maluca, Léo colocou um dos bicos do seio na boca e apertava com o dente mordendo devagarinho e com a outra mão apertava o outro bico me enlouquecendo, ele sabe que fico excitadíssima com caricias nos seios, isto me fazia abrir as pernas e Marcos avançava com a língua em minha buceta e descia com linguadas em minha bundinha, me virou de lado, ergueu um de minhas pernas e sem pudor passou a lamber meu cu me deixando maluca, Léo me beijava a boca neste instante e continuava a apertar os biquinhos dos seios, eu já tinha me esquecido de tudo a única coisa que pensava naquele instante era levar muito pinto, Marcos se levantou e me pegou no colo, me levou para cima da cama, colocando-me deitada de costas bem próximo da beirada da cama, levantou minhas pernas enquanto Léo subiu em cima da cama, ele pediu que léo segurasse minhas pernas e lambesse minha buceta, enquanto ele ia lamber meu cuzinho, tremi na hora, meu marido me segurava e lambia obediente minha buceta encharcada enquanto o amigo separava as bandas da minha bunda e desavergonhadamente lambia meu cu, eu estava molhada, suada e excitada e eles ali se acabando com suas línguas em meu corpo, era um prazer indescritível sentir suas línguas me possuindo, um no cuzinho e outra na buceta, uma pertinho da outra, era demais, Marcos colocava a língua aberta lá no comecinho do meu reguinho, no comecinho da bundinha e is descendo lambendo gostoso, passava a língua nos lábios para deixá-la molhadinha e vinha varrendo minha bundinha, chegava em meu cuzinho e ficava ali tentando penetrar com a lingua, eu piscava o cuzinho de tanto tesão, enquanto Léo mordia meu clitóris avantajado, ele intensificaram as linguadas e me fizeram tremer, gemendo e falando palavras desconexas gozei gostoso na língua de Léo, alcancei sua vara dura e comecei a acariciar, os dois entretanto não tiravam a língua de minhas partes me enlouquecendo, Léo se levantou e saiu do quarto por uns instantes, Marcos então subiu sua lingua e passou a chupar minha buceta, estava doida para levar rola, ele se virou na cama e deixou a pica ao meu alcance, então passei a mamar aquele pintão duro, a cabeça em forma de cogumelo vermelha e deliciosa, dava uma vontade de morder, colocava a língua na abertura do canal na cabeça do pau e lambia sorvendo seu lubrificante misturado com um pouquinho de porra que já saia daquele pinto gostoso, me dei conta de que estava lambendo o caralho de outro homem em minha cama de casal, Marcos voltou a lamber me cu me deixando desesperada para foder, Léo voltou ao quarto e sentou-se na cama, ficou olhando eu engolir a rola de Marcos, levei a mão para acariciá-lo e ele subitamente colocou uma algema em minha mão, me assustei e parei de mamar a rola de Marcos, ele entretanto nem dava confiança para o que acontecia, separava minha bunda e mandava ver a lingua em meu anel, tomada pelo prazer e louca para ser fodida, arregaçada perguntei ao Léo gemendo o que era aquilo e ele então disse que era uma fantasia, eles iriam me algemar, me colocar numa posição que não tivesse como me defender e que me foderiam a noite inteira, só me largariam quando não tivessem mais força e porra no saco, entrei em órbita com as palavras dele, ao mesmo tempo que um dedo de Marcos entrava em meu cuzinho, Léo pediu que ele parasse e que eu já estava pronta para levar rola, os bicos dos meus seios estavam duros e intumescidos e chegavam a doer de tanto tesão, minha buceta encharcada eu estava louca, doida de vontade ser fodida e não esbocei a menor reação, disse ao Léo que então me algemasse logo, mas que me fodessem logo pois estava doida para dar. Fiquei de quatro e Léo puxou minha mão para as costas, me algemou de forma que fiquei com a cabeça no travesseiro e a bundinha exposta, Marcos veio pincelou em minha xana, enlouqueci de tesão, entreabri as pernas e ele foi entrando, que delicia aqueles 20cm de pau foi sumindo dentro de mim, ele acariciava minha bunda, Léo abria minhas nádegas para ver de perto o caralho do amigo entrando em sua esposinha querida, eu curti cada pedacinho de rola que entrava, quando saia me deixava maluca, e então entrava de novo, ele ficou brincando assim devagar, entrando e saindo, mas eu estava doida para levar ferro com força, pedi para ele meter com mais força, mas ele me castigava, enfiava devagar, ia enfiando e eu sentia as bolas do saco tocar meu clitóris e então ele ia tirando devagar, quando ia saído eu ficava desesperada, louca para receber pintadas fortes e gozar gostoso, forçava a bunda para trás para tentar agasalhar a rola mas ele continuava a enfiar devagar, tirou o pinto inteiro e levou até minha boca: Chupa minha delicia, sente o gosto do seu próprio tesão, Léo foi entrando em minha bucetinha enfiando devagar também, aquilo estava me deixando alucinada eu queria vara como força, queria que eles me arregaçassem, queria ser estuprada de tanto tesão que estava sentindo e eles ali de rola dura me provocando, a pica de Léo entrava inteira, também sentia seu saco na minha bucetinha, depois ia tirando devagar, eu não podia fazer nada, Marcos com uma mão em minhas costas não me deixava levantar o tórax de fato que minha bundinha continuava exposta e minhas mãos algemadas para trás, confesso que estava em um estado de excitação jamais sentido, se eles saíssem dali sem me foder, certamente quando me soltasse eu sentaria em um ferro, uma cadeira virada, qualquer coisa dura serviria para enfiar dentro de mim para saciar a vontade de levar pau, eu fazia tudo que eles queria, chupava a rola, abria mais as pernas e Léo continuava a foder devagar, eles estavam me enlouquecendo, Léo tirou o pinto de dentro e saiu do quarto, Marcos voltou para trás de mim, supliquei para ele me foder com gosto, estava em um estado de excitação plena, quando senti um gelo nas costas, Léo derramava mais cerveja fazendo escorrer pelas minhas costas, bunda e buceta, os dois lambiam como duas crianças se divertindo, Marcos puxou uma das minhas pernas, Léo puxou a outra e eles passaram a chupar minha buceta e meu cuzinho de novo, eu não agüentava mais aquilo, me concentrei para gozar e eles pararam, Marcos derramou mais um pouquinho de cerveja em minha bundinha e um dedo entrou em meu cuzinho, Léo enfiou um em minha buceta, os dois me cutucavam e eu ali quase chorando por uma rola, Marcos enfiava o dedo até o talo em meu cuzinho, tirava inteiro e enfiava de novo, estava delicioso aquilo então ele parava, Léo enfiava um dedo na buceta, mexia e eu gemia, ele parava, eles queria me tirar do sério, minhas mãos já doíam com a posição, Marcos pegou um dos bicos e apertou com certa violência me fazendo gritar e Léo enfiava um dedo no meu cuzinho, Marcos falava: Abre o cu putinha sem vergonha, pede rola, senão vamos deixar você na saudade! Por favor me arregacem, acabem comigo, me virem do avesso, mas por favor me fodam, eu não agüento mais! Putinha gostosa, abre a bunda, abre a bundinha cadelinha safada dizia Léo! E eu abria toda, me mostrava para eles, me entregava inteira! Sem vergonha, vagabunda, doidinha para vara nesse cuzinho! Marcos falava isso e enfiava um dedo no meu rabo, léo veio para os meus seios onde apertava e massageava os bicos, minha buceta derramava lubrificante em minhas coxas, o meu estado de excitação era tanto que agüentaria a rola de um elefante naquele instante, a única coisa que queria era levar rola com força, Marcos enfiava agora dois dedos em meu cuzinho, eu gemia! Geme puta, mostra para nós que você é vadia mesmo, vem ver o cu dela Léo, olha que safada, se abre todinha, pede rola safada! Por favor me comem, por favor me arregacem! Léo de rola dura feito ferro dizia: Isto meu amor, abre essa bundinha, mostra que quanto fogo você tem nesse cuzinho gostoso, Marcos metia os dedos e chamava léo para ver meu cuzinho aberto, eu estava enlouquecendo, Léo sentou na cabeceira da cama e voltou a apertar meus seios dizendo: Hoje vamos te matar de prazer, vamos deixar você doida, louca por rola, só quando você não agüentar mais é que vamos te foder, vamos revezar em seu cuzinho gostoso, depois vamos foder você juntos, hoje você vai ser nossa putinha sem vergonha, quero você dando gostoso, vamos foder seu rabinho e sua bucetinha ao mesmo tempo sua safada, sua sem vergonha! Vem ver o cu dessa cadela Léo, ela ta doidinha para levar rola no rabo, Léo sentou no chão e enfiou a lingua na minha buceta e Marcos continuava com dois dedos no cu, eu estava perdendo minhas forças, antes que gozasse na boca daquele filho da puta ele veio e se sentou na minha frente, colocou o pinto em minha boca e eu comecei a chupar com força, já que não tinha rola na buceta nem no cu ia ter na boquinha, mamei gostoso, então senti a cabeça do caralho em minha bunda Marcos enfiou os dedos com força, tirou e chamou Léo, que foi e segurou minhas nádegas, os dois riram vendo meu cuzinho abertinho então Marcos apontou e enfiou, jogou o corpo em cima de mim e a pica entrou até o talo, gritei, uivei e travei a buceta, meu cuzinho estava preenchido, Marcos então foi tirando, eu mexia a bunda numa tentativa desesperada de manter aquele colosso no cu, ele voltou a estocar fazendo o caralho entrar inteiro em minha bunda, Léo colocou a cabeça perto do meu ouvido, apertando meus seios dizia: toma no cu cadela sem vergonha, da essa bunda sua puta de zona, isso geme cadela safada, você vai dar esse cu hoje até ficar esfolado sua piranha safada, Marcos entrava com força em meu cuzinho exposto, eu abria mais as pernas para facilitar e não me machucar: Isso cadela, abre as pernas, abre mais puta, se arreganha todinha, pois agora vai levar muita rola nesse cu sua vadia safada! E tome rola, agora ele fodia com força me fazendo satisfeita, minha buceta encharcada molhava minhas coxas e a rola dura entrava fundo em meu cuzinho, Marcos meteu com força por uns cinco minutos, então tirou e segurava as bolas para retardar o gozo! Delicia de bundinha, mete lá Léo, põe no cu dela, vou deixar a rola esfriar um pouco, para podermos meter bastante nessa cavala safada! Léo apontou a rola e como fazia costumeiramente passou a foder meu cu com força, a rola entrava e saia da minha bunda, já bastante excitada pedi caricias nos seios, Marcos veio e atendeu meu pedido, disse que ia gozar! Isso goza gostoso com o cuzinho, adoro ver uma mulher gostosa assim gozar levando no cu, goza cadela gostosa! Era tanta sacanagem, tanta putaria que minha buceta explodiu em gozo e o prazer de estar levando no cuzinho, me levou ao delírio gozei na pica do meu marido, que socava com gosto! Que cadela gostosa, como goza gostoso com a bunda, isso que é gostar de meter, toma puta safada, toma no cu vagabunda! Sem pudor aproveitei todo o prazer que sentia naquele instante, gozei na frente deles tomando no cu, Marcos havia se recuperado então veio e pediu para continuar a me foder, Léo saiu e veio apertar minhas tetas que já estava sensíveis! Melhor ainda gata, quero ver você esfolada, pode gritar meu amor, não se acanhe não, a noite esta apenas começando você vai levar muita rola hoje nessa bundinha! E Marcos metia com força de novo, meus braços estavam doendo naquela posição e ele metendo no meu cu sem piedade, sentia suas bolas batendo no inicio da buceta encharcada, Léo levou a língua em minha buceta por baixo enquanto o amigo metia com gosto no cu, quando senti a língua de Léo por baixo, gemi alto! Goza cadela, agora na minha vara, goza gostoso com esse cuzinho quente de puta, que delicia, Flavinha você é uma égua safada, precisa de rola nessa bunda todos os dias! E aumentando as estocadas me fez gozar pela segunda vez espetada numa vara, estava maluca de tesão, Léo bebia meu gozo farto, estava maluca, mas os braços já doíam! Calma puta, só depois que gozarmos é que vamos te soltar para descansar um pouco, Marcos aumentou as estocadas e saiu de cima de mim correndo para minha boquinha, virei a cabeça, léo me levantou o tronco e abri a boca, Marcos gozou jatos fortes e densos de porra em minha boca: Engole tudo meu amor, é delicioso ver você bebendo porra, que delicia, engole meu anjo, bebe tudo, putinha, bebe gostoso! Léo me deixava maluca, engoli os jatos de porra que acertaram minha boca, fiquei com o rostinho todo molhadinho de porra e Marcos gemendo apertando o cacete, da cabeça mais um bocado de leite saia, lambi gostoso, Léo voltou para meu cuzinho e meteu com força de novo, algumas estocadas e sua rola dura dava sinais de gozo, tirou e veio brindar comigo mais uma gozada, os dois primeiros jatos dentro da minha boquinha e os outros molhavam meu rostinho de puta, gemendo alto os dois estava satisfeitos com minha bundinha, então léo soltou as algemas, cai na cama desfalecida com a bunda ardendo de tanto levar pau, o rosto molhado de porra quente e a buceta ainda encharcada de tesão, os dois estavam cansados também, a brincadeira havia demorado, Léo acariciava minha bundinha e me fazia juras de amor, eu estava doida ainda por pau, eles me judiaram bastante e eu queria mais rola, mas eles precisavam se recuperar, fomos todos tomar um banho gostoso, primeiro Léo se ensaboava e eu chupava a rola do Marcão, fazendo ele delirar deixo do chuveiro, depois foi a vez dele se ensaboar e eu mamei o Léo já recuperando a rola dos dois, pois não queria descanso, queria rola, mais rola, depois os dois me lavaram gostoso, senti as mãos de dois machos me apalpando, enfiando os dedos, era uma delicia, eu queria na buceta com força para gozar gostoso, voltamos para a cama, léo foi buscar petiscos para nós e eu sentei no colo do Marcos e comecei a cavalgar sua pica, que delicia sentir rola na buceta de novo, ele metia gostoso e eu rebolava, Léo voltou e cutucava meu cuzinho enquanto cavalgava Marcos, pulei gostoso em sua rola e gozei fazendo um escândalo, precisa gozar com o buceta, eles me provocaram bastante, então Marcos não deixou sair de cima dele me puxou ao seu encontro, me fazendo arcar o corpo e Léo acariciando o meu cu, percebi as intenções deles e gelei, sempre tive vontade de ter dois homens ao mesmo tempo, mas achava que não conseguiria, era coisa de filme de sacanagem, mas Léo já pincelava meu cuzinho, a rola de Marcos atochada no fundo da buceta, quando senti a pele da cabeça da rola de Léo entrando em minha bundinha, estava com o cu travado, não estava relaxada, Léo me deu um tapa na bunda e disse: Relaxa amor, quero foder esse cuzinho gostoso, empinei a bunda o Maximo possível, Marcos se ajeitou de baixo de mim e encaixou o pinto no fundo da buceta, Léo enfiou a cabeça do caralho, gritei de dor, nunca havia feito aquilo, doía demais, pedi para parar, senti os braços fortes de Marcos me abraçando e segurando meu tronco, Léo empurrou mais o pinto e eu gritei pois dia muito, minha buceta mastigava a pica de Marcos que falava: Relaxa Flavinha vai ser gostoso, duas rolas, vai da uma de putinha, relaxa, vamos arregaçar você bem gostoso, sua cadelinha safada! Suas palavras me distraiam mas quando Léo enfiava mais um pouco o cacete eu gritava, sem querer comecei a chorar pois doía muito, pedi para Léo tirar pois não agüentaria, ele concordou e disse que não daria, eu não agüentava! Ela não agüenta Marcos, vou tirar devagar para não machucar! Léo foi tirando a rola do meu cuzinho devagar, meu rabo ardia e doía, a rola foi saindo devagar, de repente Léo deu uma estocada forte, a rola do meu marido entrou até o talo em minha bunda, dei adeus às minhas pregas e chorei copiosamente de dor, parecia que ia ser partida ao meio, Marcos chupava meus seios e a dor foi se dissipando, eles não se mexiam dentro de mim, somente a lingua de Marcos em meus seios! Calma Flavia, daqui a pouco você vai ver o que é ser fodida, o que é ser uma cadela safada, vamos fazer você gozar sem saber de onde vem o prazer, vai sentir tesão na buceta e no cu sua putinha sem vergonha, Marcos começou a mexer o quadril primeiro, eu estava encaixada na vara de dois homens, Léo começou a se mexer também, a dor cada vez mais ia embora, dando lugar a um prazer discreto ainda, os dois entraram em sintonia quando Marcos enfiava a rola no meu útero Léo tirava da minha bunda, quando Léo voltava com o caralho no fundo do cu, Marcos tirava um pouquinho da buceta, um prazer indescritível foi tomando conta do meu corpo, que delicia ouvir os gemidos de tesão de dois homens, e sentir o prazer da rola entrando em dois buracos ao mesmo tempo, que delicia, indescritível, Marcos quase não mexia, Léo fodia o cu e suas estocadas faziam minha buceta engolir o pinto de Marcos! Goza minha cadelinha, goza na nossa vara, vai vagabunda gostosa rebola cadela, você não queria vara safada então toma puta, toma na buceta e no cu sua vadia! Léo metia tão gostoso e me falava tanta sacanagem que não agüentei apertei a buceta e o cu ao mesmo tempo gozando nas duas varas grossas! Caralho deliciaaaaa, me arregassem seus putos do caralho, fode, fode mais, quero gozar com o cu e com a buceta seus putos do cacete, me arregaçaaaaaaaa, deliciaaaaa, que tesão gostossssssoooooo, to gozandooooooo! Goza cadela, goza puta safada! Toma no cu piranha, toma vaca sem vergonha, toma cadela, nesse rabo gostoso, goza sua vadia safada! Isso goza Flavinha, goza gostoso no meu pintão, sua devassa safada gostosa! Léo não agüentou a cena e gozou em minha bunda, me enchendo de porra, Marcos saiu de baixo louco para gozar, enfiou a rola no meu cuzinho e meteu com força, eu já não tinha forças para me segurar e Léo me apoiava, segurando minhas mãos, a rola de Marcos entrava fundo em meu cuzinho, ele também não agüentou mais que cinco ou seis estocadas fortes e derramou seu leite em minha bunda: Gostoso cadela, delicia putinha safada, que bunda gostosa, toma porra princesa, minha princesinha! Segurando a rola ainda melou meu rosto de porra, depois disso perdi o sentido, cai na cama e desmaiei de cansaço, acordei no dia seguinte com Léo me acariciando as costas, abri os olhos e o vi vestido pronto para trabalhar, me dei conta que ainda estava pelada e suja de porra, ele me beijou e disse que já havia ligado para o meu trabalho e dito que estava indisposta, que ficaria em casa naquele dia, me deu um beijo na boca e saiu para o trabalho, eu ainda estava sem os sentidos perfeitos da noite de sexo selvagem feita em nossa casa, em nossa cama, olhei ele saindo e ia virando o rosto para voltar a dormir, quando vi um vulto na porta, olhei para ver se tinha voltado e vejo Marcos só de camiseta encostado na porta, não acreditei, abri os olhos e perguntei pelo Léo! Ele já foi querida, hoje também não vou trabalhar, estou de folga e vou aproveitar a praia, volte a dormir minha princesinha! Eu estava acabada, virei para o lado e voltei a dormir, peladinha, com a bundinha exposta, arrebitada e marcas de sexo exalando do meu corpo misturado com a porra dos dois garanhões que acabaram comigo naquela noite, enquanto pegava no sono, me dava conta que estava verdadeiramente me tornando uma devassa, meu casamento jamais voltaria a ser como antes, agora levava rola em minha cama na presença do meu marido e até junto com ele, os pensamentos se esvaíram e dormi um sono profundo, relaxante e satisfeita entre as pernas! Um beijo gostoso e molhado a todos que escrevem e comentam os contos!

E-mail= flaviamel04@yahoo.com.br

Comentários

03/08/2009 18:49:36
ai digno do oscar de melhor mintiroso fiquei de pau duro adorei apesar de ter pulado algumas partes mas foi bem e não pescisava escrever tanto nota 8
24/10/2008 12:29:58
VAI MENTIR ASSIM NA CASA DE CARAIO MEU
24/10/2008 12:28:31
ho vou te dizer uma coisa seria """se mentira desse dinheiro vc tava rica"""
05/04/2007 18:51:01
VC NAUM SI DA VALOR?
12/01/2007 13:52:23
vc é uma vadia que eu queria conhecer, quem sabe eu vc e mais uma ou outro casal, mue imail é alessanderdias@ig.com.br
11/01/2007 19:12:43
Vc deve ser uma vadia bem gostosa e safada, bati uma lendo seu conto, pena que minha porra não foi em sua boca. Parabens, conto nota 10.
11/01/2007 04:58:18
Amei, é como falo ... "não pedimos para nascer, morremos sem querer ... aproveitar intensamente esse intervalo, é nossa pura obrigação " Adorei, isso sim, é víver, separar do amor aquela rancorosa porção da possessividade, tudo é possível, quando realmente se ama alguém. Prá vc., um 10 bem redondo e merecidíssimo.
26/10/2006 16:15:35
Sei que foi muito fantasioso, mais mesmo assim foi um bom conto
24/10/2006 11:15:12
vai menti assim lá na casa do caralho !!! eu duvido que um marido deixe a mulher se comida dessa forma,,, vai se mentira e outro lugar nota
24/10/2006 00:01:30
que legal... daqui a alguns contos o Léo e oMarcosestão se chupando, então a coisa vai ficar quente.... hehhee
Ale
23/10/2006 17:04:10
Vc é bem safada em menina rs...

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.