Casa dos Contos Eróticos

Feed

COMENDO A COMADRE

Autor: OBOM69
Categoria: Grupal
Data: 08/07/2006 02:19:34
Nota 1.00
Assuntos: Grupal
Ler comentários | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

COMENDO A COMADRE

Tenho um comprade que é colega de profissão, ele é padrinho da minha filha caçula. Certa vez estava no clube, lá encontrei a minha comadre e o meu comprade.

Depois de tomar algumas, só eu, pois eles não bebem o meu comprade começou a falar sobre sexo e também ela, inclusive me pergutou se eu já tinha deixado de ser

sem vergonha, visto que, ela já havia me pegado no flagra com outra mulher. Respondi que, de vez em

quando dou uma puladinha fora. Neste momento, para

minha supresa ela me perguntou se eu não tinha

vontade de transar com ela. Fiquei muito assustado com

a pergunta, pois ela me falou assim na bucha, me pegando de supetão. Olhei para o compradre e ele me deixou tranquilo, disse-me para não assustar, pois eles viviam um relacionamento aberto. Sendo que ela tinha confessado para ele que tinha uma grande tesão por mim. Neste momento reparei nela: uma mulher de 30 anos, de fazer inveja a muitas garotas: cabelos negros compridos, boca carnuda, seios pequenos, mas durinhos e uma bunda de causar inveja. Como ela estava de biquini, reparei que sua barriga, lisa, estava com os pelinhos descoloridos que subia da xoxota. Nesta hora o meu pau, que não é pequeno, mede 21 x 15, ficou mais duro que pau de noivo na vespera de casamento.

Foi ai que meu cumprade falou para eu levar ela para o motel, que ele ficaria esperando no clube. Mas ela pediu para ele ir junto, para ele apreciar sua esposa sendo fodida pelo compadre.

Entramos no carro dele e fomos para o motel, ele fez questão de ir dirigindo e que eu fosse no banco de tras com ela. Logo que ele saiu, ela já desabotou a minha bermuda e começou a chupar o meu cacete. Sua boca estava quente, ela se delicia com o meu pau, ora chupando com força, ora apenas pasando a lingua. Ele ficava olhando pelo retrovisor interno e mandando que ela engolisse todo o meu cacete.

No motel, já dentro do quarto tirei seu biquini e cai de boca na sua boceta. Que boceta gostosa! Ainda não tinha chupado uma boceta tão quente igual aquela.

Enquanto eu chupava ela, ora sua boceta, ora seus peitinhos, que estavam durinhos e com os bicos bem rosados, ele ficou sentado na cadeira somente olhando.

Fizemos um 69 maravilhoso, ela então soltou um tremendo gemido e começou a gozar na minha boca, treia toda e apertava suas coxas contra a minha cabeça.

Neste momento ela começou a gritar que queria que eu enfiasse minha rola na sua boceta. Dizia "enfia sua pica na minha boceta para o seu cumprade ver você fudendo a comadre". Neste momento pus ela de quatro e enfie de uma só vez a minha pica na sua racha, ela rebolava e gritava de tezão, foi quando ela perguntou se o comprade podia participar. Então perguntei a ele se estava gostando de ver eu comer sua mulher, ele respondeu que sim, que estava adorando ver sua mulher sendo fodida pelo seu commprade. Então chamei-o para participar, ele tirou a roupa e veio já com o pau duro, bem mais pequeno que o meu, ela segurou no seu cacete, começou a bater uma punheta para ele, depois enfiou na boca e mamava como uma cabrita faminta.

Ao mesmo tempo que chupava o pau do comprade, rebolava no meu cacete, neste momento disse a ela que já não aguentava mais e iria gozar. Ela começou também a gozar e enquanto eu enchia sua xana de porra, o comprade gozou na sua boca.

Ela caiu exausta de tanto gozar. Após um desncaço, eles tomarem um guaraná e eu uma cerveja, recomeçamos tudo de novo. Coloquei ela de quatro, ela achando que eu ia enfiar minha pica em sua buceta, disse que queria que eu enchesse novamente sua buceta de porra. Disse a ela que queria comer o seu cuzinho, ela negou, disse que nunca tinha dado o cú, mas o cumprade pediu a ela que deixasse eu comer seu rabo, que ele queria ver. Ela de quatro, ele veio e abriu seu cú. Quando começei a enfiar ela começou a chorar, pois ainda nunca tinha sido enrabada. Mas com muito carinho e ajuda do comprade, fui enfiando devagar, então ela começou a gritar de dor, mas as poucos os gritos de dor tornaram se de prazer.

Depois de várias estocadas comecei a gozar, aí ela também começou a gozar. Então ele foi por baixo e começaram um 69, equanto eu gozava no seu cú. Gozamos como nunca.

Sempre encontramos para novas farras sexuais.

Se algum casal de Goiânia, quizer fazer contato para encontros, entre em contato pelo imail obom_69@hotmail.com

Comentários

29/06/2012 03:14:37
NOTA UM, COMPADRE. PELA CORAGEM!
09/07/2006 13:24:30
o pau dele mede 21 por 15 : é igual a uma lata de um galão de tinta !!! ka ka ka k aka ka
Maluco Beleza
09/07/2006 13:23:58
é verdade que tem muito corno em Goiania? dizem que se chifre fosse flor,a goiania seria um enorme jardim...
Lear
08/07/2006 22:07:58
Olá compadre, vc perdeu tempo escrevendo um conto,para no final colocar seu endereço eletronico.Este site não e clube de SWING, ou para marcar encontros.
negro tipo a
08/07/2006 20:02:08
Cara esse conto foi uma péssima propaganda.Pois foi um conto ruim(se é que vc queria pegar alguém com esse conto)!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
Hugo
08/07/2006 04:07:43
há,há,há,há......NOTA ZERO.

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.