Casa dos Contos Eróticos

Lambusei o bundão da minha cunhada

Autor: Leonardo
Categoria: Heterossexual
Data: 30/04/2006 00:03:30
Nota 10.00
Ler comentários (4) | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

Assim como quase todo leitor do sexo masculino que costuma acessar este site, tem tesão pela cunhada. O meu caso não é diferente. Sou casado há seis anos e desde o início do namoro tive muito tesão pela minha cunhada. A Cláudia mora no meu quintal com sua avó. É uma mulher lindade 20 anos,tem uma bunda muito da gostosa, fato que muito me atraia, principalmente quando íamos à praia juntos, durante longo tempo só nós três, eu, minha esposa e ela. A Cláudia nunca teve muita sorte no amor, coisa que me deixava perplexo, aquele mulherão dando sopa por aí sozinha. Há alguns meses atrás, sempre que minha cunhada passava perto de mim, comecei a dar umas tapas na sua bundinha como forma de expulsa-lá da frente da TV. Minha esposa aparentemente não ligava, pois até então nunca tinha se manifestado a respeito da minha ousadia. Mas o tempo foi passando e continuava dando meus tapinhas naquela bunda maravilhosa da minha cunhada. Eu percebia que toda vez que batia ela dava uma gingada como forma de evitar, mas não reclamava com raiva. Um certo dia fui repreendido pela minha esposa, já que o novo namorado da minha cunhada, o Marcelo, poderia não gostar. Fiquei meio surpreso com sua inquietação, até então nunca tinha se manifestado. Confesso que durante um curto período deixei de dar umas tapas na bundinha da minha cunhada. Certa vez quando estávamos sós em casa lembrei e me posicionei para dar mais uma das minhas investidas naquela bunda. Para minha surpresa quando avancei minha cunhada arrebitou aquela bunda maravilhosa para apanhar. Sei que meu pau subiu na hora, olhei para a cara dela e ela saiu rindo. Fiquei tanto excitado que logo que ela saiu, fui para o banheiro me masturbar. Não demorei muito e gozei. Tomei um banho e voltei para meu sofá. Fiquei perplexo. Depois daquele dia só fiquei pensando em fode-la, mas tinha minha esposa, que aquela altura já não estava gostando da minha brincadeira. Três dias depois do acontecido, cheguei em casa depois do trabalho já pensando na minha cunhada. Justo nesse dia minha esposa não estava em casa, estava na casa da minha mãe que era cerca de três quadras da minha casa. Depois de tomar um banho,como de costume sentei-me no sofá e liguei a TV. Não demorou muito a porta se abriu e surge minha cunhada perguntando da irmã. Disse que ela estava na casa da minha mãe, e com toda maldade pedi para que ela ligasse para lá. Depois de ligar e conversar com minha esposa, fato que muito me instigou, minha cunhada passa à minha frente e aí não perdi tempo, dei um tapa como nunca tinha dado até então. Para minha surpresa minha cunhada novamente empinou a bundinha e me perguntou se ao invés de batê-la eu gostaria de dar um carinho. Suspirei, fiquei vermelho e puxei-a para o sofá. Olhei para Cláudia ela abriu um sorriso malicioso. Completando o serviço, coloquei-a de bruço no meu colo e acariciei aquela bunda linda. Cláudia soltou um suspiro e aí comecei a tirar seu shortinho. Aquela bunda enorme, toda branquinha, sem nenhuma marquinha tava me deixando louco. Puxei sua calcinha para o lado e quando tentei enfiar o dedo, ela se esquivou e disse que se eu quisesse era só para dar carinho. Fiquei doido, tentei agarrá-la, mas ela falou que o que eu queria ela na iria deixar. Botei meu pau para fora e pedi que pelo menos ela sentasse no meu colo, mas ela mais uma vez se negou. Então tive que me satisfazer acariciando aquela bunda linda, que entre carinhos e afagos, lambia sua xoxota e seu cuzinho. Em meio a tanto tesão percebi que toda vez que apertava sua bunda com as duas mãos ela se remexia toda. Permaneci sentado ela em pé de forma que tivesse toda aquela bunda na minha cara. Mordia, chupava, lambia e esfregava minha cara no seu rabo. Cláudia se remexia toda e pedia para lhe morder. Fiquei tão excitado que tirei sua calcinha com toda violência, levantei-me e com meu pau já para fora do short, tentei empurrar na sua xoxota e no seu cuzinho mas ela disse que não, disse que queria que eu gozasse na sua bunda. Não perdi tempo, ao terminar de ouvir instantaneamente gozei na sua bunda e espalhei com as minhas mãos toda a minha porra. Ela ainda espalhou pelo seu corpo e depois me beijou. Rapidamente se vestiu e mesmo toda lambusada desceu correndo. Nesse instante me lembrei da esposa e limpei o chão e fui para o banheiro me lavar e me masturbar mais uma vez. Minha esposa ainda demorou a chegar, e quando chegou trouxe a Cláudia para conversar. Quando as duas chegaram pude notar o sorriso safado da Cláudia, mas que não deixou transparecer nada de suspeito. Quando as duas passaram por mim, não perdi a oportunidade e dei um tapinha na minha cunhada como de costume. Minha esposa nada notou e ainda hoje continuo dando tapinhas na minha cunhada, só que agora também num motel.

Comentários

25/07/2013 19:52:26
cara que delicia.. vou fazer o mesmo com a minha
08/05/2008 22:39:15
CARA, COMEÇEI DAR UNS TAPAS NA BUNDA DA MINHA, MAS AINDA NÃO TIVE A MESMA SORTE.MAS ACREDITO QUE QUALQUER DIA DESTE QUEM VAI MANDAR O TEXTO SOU EU. RS E BOA SORTE.
14/07/2007 23:50:00
um tapinha não dói.
sedutor 1973
30/04/2006 17:36:41
eta cunhadinha hem meu, deixa eu dar um tapinha tbm? manda meu e-mail pra ela...

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.