Casa dos Contos Eróticos

Feed

Paulinha e Mariana-O cuzinho da Paulinha

Autor: TENENTE CARLOS ROBERTO
Categoria: Heterossexual
Data: 26/01/2006 12:53:17
Nota -
Assuntos: Heterossexual
Ler comentários | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia
Ashley Madison - Have an affair. Married Dating, Affairs, Married Women, Extramarital Affair

Continuamos abraçados nos bolinando, até que após chupar muito sua bucetinha, direcionei minha lingua até seu cuzinho, apertadinho, róseo, ela rebolava e forçava sua bunda em meu rosto, tentava penetra-la com a lingua mais era impossivel, seu cuzinho cabacinho era muito fechadinho.

Sentei-me no sofá, meu pau estava apontando para o teto, ela ajoelhou-se e pegou-o na mão, alisava-o devagar punhetando-o, lambeu sua cabeçona e desceu a lingua por toda sua extensão.

Abocanhou a cabeça e começou a mamar, tentou descer a boca até embaixo, mas quando encostava em sua garganta ela recuava.

Meu pau ficou todo salivado, ela levantou-se e ajoelhou-se no sofá abrindo as pernas de frente para mim.

Seus peitinhos ficaram de frente a meu rosto próximo a minha boca, levei um deles até minha boca e com a mão ficava pincelando meu cacete ora em sua bucetinha ora em seu cuzinho, ela rebolava e gemia.

Depois de muita prelimiar, apontei meu pau no olhinho do cuzinho dela encaixando-o, abri suas nádegas, ela aos poucos começou a rebolar com meu pau ali na portinha do seu rabinho.

Revesava com a boca em seus peitinhos, ficamos por uns 10 minutos nessa, quando a cabeça de meu cacete começava a entrar, ela levantava sua bundinha e fazia ele sair, provavelmente pela dor.

Mas como diz o ditado"agua mole em pedra dura tanto bate até que fura" e furou, meu cacete cabeçudo invadiu seu cuzinho estourando suas preguinhas, ela deu um gemidinho alto dizendo;

---Aiiii!!!Ta doendo!!! Aiii!!

Segurei em seu quadril não a deixando sacar meu pau atoxado em sua bundinha, voltei a mamar seus peitinhos e com as mãos forçava para sentar por completo em meu caralho.

Ela abraçou minha cabeça acariciando meus cabelos e foi sentando aos poucos, até a metade foi dificil, mas depois que passou pelo esfincter anal deslizou até o fundo.

Ela começou a rebolar, e gemer, dizia que estava doendo mas não fazia questão de tirar meu pau dali, ela levantava-se um pouco e descia fazendo meu pau ir até o talo dentro de seu rabinho.

Coloquei todo seu seio na boca e lambia o biquinho com a lingua, suas reboladas começaram a ficar intensas.

Começou a esfregar sua bucetinha em minha barriga dizendo estar gozando, nossos gemidos se misturaram, seu cuzinho piscava e apertava meu cacete, não consegui resistir e comecei a ejacular naquela caverna apertada e quentinha.

Ficamos ali engatados até meu pau amolecer dentro dela e levantei-a de meu colo, nos abraçamos e nos beijamos, ela foi até o banheiro para se limpar e colocar seu biquini.

Voltamos a piscina e logo minha espôsa e filha chegaram e nem desconfiaram, voltei a transar com Paulinha por 2 vezes e comecei a fazer a cabeça dela para que falasse com a Mariana para brincar comigo, disse que poderia pedir o que quisesse de presente...

Será que ela vai conseguir...contarei na próxima parte...

Comentários

paulo
26/01/2006 19:36:30
Este véio leva é muita rola no cú. Deve ter dado pro quartel todo. o cú dele deve ta todo rasgado éeeeeeca que nojo! cú de véio blahhhh
Gomes
26/01/2006 14:17:15
Cara, realmente você não tem vergonha na cara. Tenente aposentado... você deveria ter os direitos revistos. Oferecer dinheiro em troca de uma transa com alguém menor de idade. Isso tem nome: "Prostituição Infantil". Espero que um dia alguém descubra que é você e te mande para a sua verdadeira casa, uma delegacia para estupradores. Torço por isso...

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.