Casa dos Contos Eróticos

Feed

transei com a minha colega na frente do marido..

Autor: jose marcio
Categoria: Grupal
Data: 20/01/2006 03:05:26
Nota -
Assuntos: Grupal
Ler comentários | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

Ivete era a unanimidade da classe naquele ultimo ano de administraçao de empresas.Era tambem a mulher mais dificil.

Bonita e gostosa,Ivete atraia a atençao dos alunos da classe,todos loucos por uma transa com ela.

Sem sucesso,por conta de uma de barreiras.A principal delas porque Ivete era casada e fazia questao sempre de comporta-se como uma mulher seria e fiel.

Aluno esforçado e com boas notas, eu conseguia sucesso com todas as mulheres da sala,menos com a Ivete.Fiz varias tentativas para cair nas graças dela.Percebi q ela enfrentava dificuldades para dar conta da mantanha de trebalhos escolares que tinha de entregar.

O sufoco dela era certamente,pra mim, a ultima oportunidade para tentar alguma coisa com ela,Ffui até a lanchonete no horario q ela habitualmente come um lanche,no intervalo mais longo entre as aulas, e comentei com Ivete q muitos alunos estavam em dificuldades para cumprir o apertado calendario de entrega dos trabalhos. "Eu tembem estou nessa,nao sei como eu vou me virar",confessou,como quem estivesse precisando de socorro. "O fim de ano exige muito da gente,ate na escola,mais desta vez esta pior,"desabafou

As palavras de desabafo parecia trazer Ivete ao meu nivel colocando por terra a imagem de orgulhosa e auto-suficiente que tinha dela.Ela se mostrava simpatica,dócil e bastante receptiva,uma imagem totalmente diferente que sempre tivera.

Passamos a frequentar a lanchonete juntos,no intervalo das aulas,e me esforçando em ser gentil em tudo com ela.Dificil foi disfarlar o tesao que cada dia mais eu sentia por ela.Ivete era mesmo uma mulheraça de 30 e poucos anos,com coxas maravilhosamente grossas,sempre a mostra.Pra mim,o marido dela deveria ser o mais sortudo dos homens, com toda aquela fartura á disposiçao na cama...

As coisas ficaram pretas para ela e boas para mim quando o periodo de entrega dos trabalhos passou a coincidir com o de seguintes provas.E Ivete atrapalhou-se numa de exatas,quando se confundiu nos cálculos e amargou uma deprimente nota vermalha.

A mim, coube o que deveria fazer numa circunstancia dessas.Tentei consola-la e,de quebra,coloqueí-me á disposiçao,de quisesse,para ajuda-la com o pouco que eu sabia.Ivete sorriu agradecida,embora com certo constrangimentos,fez ar de misterio e, apos certa hesitaçao,aceitou a proposta..

Ela estava preocupada em recuperar o tempo perdido,embora trabalhasse fora,pediu q ligasse no dia seguinte.logo pela manha,porque se pudesse pretendia ter um reforço comigo á tarde.

Quem atendeu foi o marido dela,um homen educado q me passou uma otima impressao,Ivete ficou feliz com o telefonema e marcamos para as 4 da tarde,ma casa dela."assim quando terminar,podemos ir a facudade juntos"disse ,entusiasmada.

Ela explicou que havia saido mais cedo do trabalho para a aula particular.A dificuldade,logo percebi,era tentar ensinar alguma coisa para uma aluna tao encantadora e deliciosa.Ivete vestia uma saia curta,com o par de coxas tentadoramente descoberto,e uma blusa justa com um ousado decote que deixava boa parte dos avantajados seios a mostra.A excitaçao tomou conta de mim.Na sala de aula,ela era demais.imagine descontraida como estava na casa.

Como quem nao quer nada,perguntei pelo marido."O Raul só chega no começo da noite,Isso quando nao fica curtindo um happy hour com os amigos",explicou.nao se preocupe com ele,completou com um sorriso malicioso nos labios.

eu ainda estava tentando entender e desatar a confusao mental quqando ela apoiou a cabeça no meu ombro e começou a acariciar meus cabelos,um gesto de ternura,de agradecimento?pensei

O rosto dela colado ao meu,despertou em mim o impulso de um beijo,que ela recusou.fiquei confuso.

embora tenha rejeitado meu beijo,ivete parecia nao ter se abalado com a minha iniciativa.

pegou a minha mao,e sem nada dizer,me conduziu-me ate seu sofa da sala..,onde me colocou sentado e sentou no meu colo,para uma confidencia."eu e raul somos liberais.se quizer ficar comigo,nao tem problema.desde que deixe meu corninho filmar tudo"disse alisando meu peito.

sem acreditar no que estava ouvindo,tentei colocar minhas ideias em ordem mais uma vez.

avancei o sinal e ataquei com novo beijo,desta vez correspondido,para ver ate onde poderia chegar,mais uma barreira foi vencida quando ela passou a passar a mao na minha perna,ficou apenas nisso,a espera do marido,Raul chegou no inicio da noite e parecia saber de tudo que estava rolando.cumprimentou-me educadamente,foi ao quarto e,quando chegou ja empunhava uma camera.Ivete fez um strip,tirando cada peça de roupa com muita sensualidade diante da camera e do olho atento do marido.

Eu nao sabia como entrar em cena,mais fui socorrido pela Ivete,que tirou minha roupa,o pinto estava muito a vontade,isto é em posiçao de ataque.

nao via a hora de foder aquela mulher q eu tanto cobiçava.

Ivete acariciou-me dos pes a cabeça e abocanhou meu pinto com sua deliciosa boca de veludo.

para nao gozar na boca dela,empurrei-a para o lado para devolver as caricias.

mergulhei meu rosto na buceta encharcada de tesa e fizemos um sensacional e memoravel 69,que resultou em multiplos orgasmo dela.

eu tambem terminei na boca dela,ficamos meladinhos,saciados com o sexo oral.Ivete no entanto estava disposta a aproveitar plenamente aquele momento.sugeriu q eu assumisse o lugar do Raul,no comando da camera,"venha meu corninho,esquenta minha buceta para eu te chifrar com outro,lambe meu corno,lambe"convidou ivete,enquanto eu dava um close na xaninha dela.

Raul nem chegou a dar um trato nela,porque eu decidi agir,meu pinto reagiu imediatamente as palavras dela e eu abandonei a camera.o cornudo,ao perceber minha intençao,retirouu-se e voltou a camera para filmar tudo.

deitei me na cama e ela veio de cocoras sobre meu rosto para eu chupar aquela xaninha rosinha,cherosa..

chupei seu clitoris,cuzinho,ivete ficou doida,e o marido dela só na punheta do lado nosso.

depois ela foi em direçao do pinto e sentou nele,nossa q xaninha macia,apertadinha,gostosa.ficou o maior tempo rebolando no meu pau e devez em quando ela cavalgava.

saimos dessa posiçao e coloquei ela de 4 e comecei a comer o cuzinho dela,ela gritava gemia olhava pro marido e falava,olha corninho como ele me come gostos

eu ja nao aguentava mais de tanto tesao,foi quando o raul marido pediu para eu deitar e ela veio por cima e sentou com sua xaninha no meu pau,e ele veio e colocou no cuzinho dela,que cena deliciosa,olha foi um tesao sem igual,nao isiste tesao maior,foi quando o raul tirou seu pau do cuzinho dela e colocou na boca dela e gozou tudo dentro da boca dela,eu ja estava comendo o cuzinho dela e ela de quatro ai foi quando eu gozei nela todinha,,

e assim ficamos a nopite toda até as 06:00.

eu e o marido dela viramos amigos e 2 vezes por semana eu vou ate na casa deles para trepar com eles,

jose_marcio_turibio@hotmail.com

Comentários

Hugo
20/01/2006 13:52:04
O conto estava bom, mas o desfecho, o final foi horrivel, NOTA 2.
Mago
20/01/2006 13:07:45
Um conto muito bom. Boa trama, bom desenvolvimento, belo desfecho. Enfim, criou uma atmosfera ótima no geral. Marcos se quiser iniciar sua esposa com um negro muito bem dotado, gostoso...me diga que eu ajudo ao casal. Carlos, reforço as palavras do Bad Boy. Traz sua mulher que eu traço.
Bad Boy
20/01/2006 11:35:13
Ué Carlos. Se você quizer liberar a sua mulher para poder comermos ela de dois eu topo. E se você não tomar cuidado eu como você também.
marcos
20/01/2006 10:54:49
como faço para receber uma fita de filmagem. somos casados moramos em mg e tento iniciar minha esposa. uma fita desta ajudaria bastante
jorge
20/01/2006 09:03:05
Parabéns josé Marcio,gostei de seu conto... Acabei ficando com tesão!!! Coloca aqui mais contos...quero ler todos eles... jorge
carlos
20/01/2006 03:23:20
po cara essa sua trepada deve ter sido muito loca,,sou doido para fazer um sexo assim.........

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.