Casa dos Contos Eróticos

Feed

A INJEÇÃO NO BUMBUM

Autor: Catito
Categoria: Heterossexual
Data: 28/01/2006 14:18:35
Nota 8.80
Assuntos: Heterossexual
Ler comentários | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

A INJEÇÃO NO BUMBUM

INJEÇÃO NO BUMBUM Minha mulher é uma morena baixa, de 47 anos, Suza, com um par de coxas roliças, e uma bunda grande e bem empinada, e uma cinturinha fininha. Certo dia, por não ter acordado muito disposta, levei-a ao médico, e lhe foi prescrito tomar algumas injeções. Já na volta do consultório, passamos na farmácia para comprar os medicamentos, e tentar que ela de pronto toma-se a primeira injeção. Naquele momento não foi possível, pois fomos informados que Seu Venâncio, o Farmacêutico, um Senhor dos seus 67 anos, não estava, mas que tão logo chega-se, seria mandado em nossa casa para a aplicação. Duas horas mais tarde, toca a campainha, e era o Sr. Venâncio, com sua bolsa de medicamentos. Suza estava deitada, com uma calça de moletom, quando Seu Venâncio chegou, pedi para que ele se dirigi-se ao quarto, pois não tinha a menor maldade com aquele homem, visto que sempre foi tido na redondeza como respeitador. A porta ficou aberta, e ele falou para minha mulher que como a injeção era muito dolorida, seria melhor que ela toma-se na nádega. Suza também não viu maldade, e logo abaixou um pouco sua calça, eu estava do lado de fora, mas pude ver o movimento, por menos que Suza abaixa-se a calça, deixou à mostra boa parte de seu rego. Pude perceber a mudança no olhar de Seu Venâncio. Mas nada além disso. Pela comodidade, combinamos que as outras aplicações poderiam ser dadas em casa, coisa que Seu Venâncio logo se prontificou. Naquela noite, conversei com Suza sobre os olhares de Seu Venâncio, mas ela não percebeu nada de mais, mas aquela situação de minha mulher ter mostrado a bunda para outro homem, confesso que me deixou um pouco excitado. Falei com ela que gostaria de ver o Velho um pouco embaraçado, e ela logo entendeu a brincadeira. No dia seguinte, quando Seu Venâncio tocou a campainha, Suza estava trajando um vestido pequeno, desses de ficar em casa, com uma tanguinha , pequenininha, e já deitada de bruços. Seu Venâncio entrou no quarto, e eu novamente do lado de fora a espiar. Suza, com um sorriso meio safado, não esperou nem Seu Venâncio preparar a injeção, e foi levantando o vestido, deixando aquele rabo enorme todo à mostra e com uma tanga branca enfiada, não precisando nem abaixar a calcinha para tomar a injeção. Percebi que Seu Venâncio ao invés de preparar o medicamento, começava a apertar seu pau, aproveitando que Suza estava de bruços e não olhava para ele. Depois de muito apertar o pau, Seu Venâncio preparou a injeção, e na hora de passar o álcool, Suza propositadamente deu uma bela empinada naquele rabo, deixando Seu Venâncio ainda mais agoniado. Terminada a aplicação, Seu Venâncio, meio que sem graça, despediu-se deixando notar um certo volume em sua calça. Naquela noite, meti em Suza como um animal, lembrando da exibição que ela fez para o Velho. Dia seguinte, retorna Seu Venâncio, e encontra Suza, deitada de bruços, coberta com um lençol - tudo parte de nosso combinado – fingindo que estava dormindo. Eu por minha vez, dei toda liberdade para que ele entra-se, que minha mulher já estava esperando. Percebia uma ânsia no rosto de Seu Venâncio. Falei ainda para ele, que precisava sair, e que ele pude-se fazer a aplicação e quando saísse era somente bater a porta. Fiquei novamente escondido a observar. Quando Seu Venâncio chegou no quarto, minha mulher tinha puxado o lençol, deixando à mostra, parte de seu belo rabo. Seu Venâncio em primeiro lugar, foi olhar para ver se Suza estava dormindo, e num gesto mais ousado, levantou todo o lençol, deparando com aquela bunda toda nua e aberta. Não se contendo, colocou o pau para fora, e começou a punhetar, e olha que o Velho tinha uma caceta que não era nada pequena. Chegou com seu rosto perto da bunda e da racha já molhada de Suza, e começou a cheirar e punhetar. Às vezes, Suza se mexia, e Seu Venâncio se afastava. Mas Suza, a fim de provoca-lo ainda mais, demonstrando que estava acordada e sentindo tudo, perguntou pela injeção. Seu Venâncio percebendo a provocação, meteu a mão em sua bunda bruscamente, separando suas nádegas, e enfiando a língua em seu cu. Eu por trás da porta, comecei a sentir uma mistura de sentimento, não sabia se entrava e dava uma porrada em Seu Venâncio, ou se começava a tocar uma punheta. A cena era magnífica. Suza virando de lado sua cabeça, me olhava e apertava os olhinhos, enquanto sentia aquela lingua velha no rabo, também misturava o que estava sentindo, medo e tesão, mas começava a gemer como uma tarada. Suza não agüentando, com as duas mãos, arregaçou bem sua bunda, deixando todo à mostra seu cuzinho. Seu cuzinho parecia piscar, implorando por sentir todo a língua lá dentro. Seu Venâncio com a pica dura, encostou no buraquinho de Suza, que parecia querer suga-lo empinando cada vez mais. Suza gemia e rebolava com aquela pica no cu, mexia e apertava seu buraquinho. Seu Venâncio não demorou e gozou, esporrando toda a bunda de Suza , parecia que o Velho não gozava há muito tempo. Seu Venâncio fechou sua calça, não disse uma só palavra, e saiu rapidamente, deixando a bunda de Suza toda melada de porra, e sem aplicar a injeção de verdade. Eu, também rapidamente me escondi, para não deixar que o velho me visse, e acabei dando a pica para Suza chupar, ou melhor, só receber meu jato de porra na boca. Eu nunca mais fui naquela farmácia, mas Seu Venâncio quando passa por mim na rua, pergunta como está a Patroa, e se coloca à disposição para qualquer situação. Suza vira e mexe, olha para mim, e diz com ar de sacana, que está se sentindo mal, precisando tomar injeção. Por vezes até, abaixa a calcinha e arregaça a bunda só para eu lembrar que aquele cu levou uma pirocada do velho. Às vezes, me masturbo, escondido de Suza, pensando naquela cena, e até dá vontade de chamar Seu Venancio novamente para outra aplicação, só que ao mesmo tempo me dá uma sensação ruim de estar casado com uma puta que eu mesmo provoquei, e de ter perdido o respeito de minha mulher.

Comentários

26/10/2013 00:58:17
excitante ..
08/06/2010 02:16:03
xacomigo que aplico meu supositorio no rabo dela e ela vai ficar otima
30/11/2009 10:36:21
Isso é muito bom.Eu adoro mostrar a calcinha,e meu marido adora ver os homens babando!Cada um tem sua fantasia,e seria Ótimo,se cada um respeitasse o outro.
Gentil Wolf
31/01/2006 12:41:49
Chego à conclusão que caras que se divertem vendo outra pessoa, principalmente a propria esposa sendo comida à sua frente são, na realidade Homossexuais enrustidos...repassando sensações que gostariam de sentir...Concordam comigo ?
Reginaldo Gadelha
29/01/2006 18:48:24
Meus amigos e eu injetamos Heroina pelo cu caro colega
kkkkkkk
29/01/2006 07:12:18
corno eh corno em qlqr lugar :P
MALUKU
28/01/2006 21:32:59
POR QUE TU NÃO APROVEITASTE E PEDIU PRO SEU VENÂNCIO COLOCAR UM SUPOSITÓRIO DE PIMENTA NO TEU CU?
negro tipo a
28/01/2006 18:13:48
belo conto,acho graça na necessidade de alguns caras tem de ver a mulher com outro pra ter tezão.mais gostei do seu conto.Já li vários contos aqui que os caras se arrependem depois .isso é uma faca de dois(legumes)
lantonio
28/01/2006 16:50:38
seu corno
Magno
28/01/2006 14:49:03
Se quiser eu posso aplicar uma outra "injeção" nela... ;)

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.