Casa dos Contos Eróticos

Feed

Garoto de 18 anos iniciado

Autor: Cardoso26
Categoria: Homossexual
Data: 09/11/2005 08:32:07
Nota -
Assuntos: Homossexual, Gay
Ler comentários | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

Olá!

Irei relatar aqui uma história verídica que aconteceu comigo a mais ou menos 1 mês atrás.

Bem aqui vão algumas características minhas: sou casado, tenho 24 anos, tenho 1,72m, peso 83kg, moreno claro, cabelo e olhos castanho, cabelos cortado à maquininha com o pente 01. Embora tenha 83 kg, sou bem gostoso, do tipo jogador de futebol com pernas e bumbum bem definidos, avantajados, em as minhas amigas costumam elogiar.

Sempre tive inclinações homossexuais, mas mesmo assim namorava com meninas, cheguei a namorar 5 anos com a minha esposa, até nos decidirmos casar.

Antes de me casar conheci um cara, que mexeu muito comigo e acabei descobrindo que eu estaca apaixonado por ele; sofri pois gostava da minha esposa e não queria me separar dela. Contei à ela o que estava acontecendo, ela compreendeu e disse que venceríamos tudo isso juntos. Esse foi um tempo muito ruim pra mim, pois eu sabia que não seria tão fácil assim me livrar deste desejo por homens.

Mas não quero tratar aqui desta fase da minha vida, mas o que aconteceu comigo na ultima vez que eu sai com um cara.

Para ir ao meu trabalho, pego trem, e os trens aqui de São Paulo, são muito cheios no horário de pico. Moro na primeira estação, aonde o trem costuma encher muito. Um dia entrei no trem que já estava muito cheio peguei o meu livro e comecei a ler enquanto o trem se movimentava. De repente no meio daquela chaqualhação que o trem costuma ter, um garoto se posiciona atrás de mim. Fiquei na minha e sempre que o trem balançava eu procurava me afastar, para evitar o contato. Mas teve uma hora que de tão cheio não dava mais para me afastar.

Começou o roça-roça.

No princípio eu me incomodava, achei que a minha privacidade estava sendo invadida, tentava dar cotovelada, mas depois percebi que o pau do garoto estava duro, e comecei a ficar excitado também. Comecei a encostar de propósito em seu pau, ai começamos um movimento gostoso. Ninguém ali imaginava o que estava acontecendo; pois por incrível que pareça, todos estavam de costas para nós.

Eu tremia, minhas mãos soavam. Já fazia meses que eu tinha me envolvido com um cara.

Ele percebeu que eu já havia me entregado a situação e começou a passar a mão na minha bunda, tentava enfiar a mão por baixo da minha calça, e por fora mesmo ficava contornando a minha cueca com a mão, me deixando louco.

Nesta altura dos acontecidos, resolvi fazer com que ia pegar algo no bolso atrás da calça, e senti aquele volume delicioso. Como estava quente e rígido, me dava água na boca. Então consegui desabotoar o botão o colocar a mão por dentro da calça, primeiro senti o pau dele por cima da cueca, mas depois enchi a minha mão com aquele mastro. Nossa como era grande e gostoso aquele pau, que já estava todo molhadinho. Queria punhetá-lo ali, mas não dava, eu ainda estava de costas, a situação estava desconfortável e por medo de alguém pegar, resolvi parar.

Depois desta vez, rolaram mais uns dois ou três pegas deste, mas nunca passou disso.

Um belo dia nos encontramos no ônibus quando eu estava voltando do trabalho pra casa. A princípio me pareceu que ele tinha vergonha e não queria se aproximar, então resolvi sentar mais próximo dele. Começamos a conversar, alguns assuntos bobos... depois perguntei o seu e-mail para podermos falar.

Mandei um e-mail, falando sobre os acontecidos no trem. Trocávamos e-mail constantes (eu no trabalho e ele no SENAC, onde estuda) até que a história começou a esquentar. Ele falava que queria me possuir de qualquer jeito, eu até tive que me masturbar algumas vezes diante de tanto tesão.

Marcamos um dia para nos vermos em casa já que minha esposa ia sair.

Na hora marcada ele aparece. Usava uma bermuda azul, camiseta branca e uma blusa de malha com zíper aberto. Todo machinho, gostosinho.

Ele tem cerca de 1,75m, corpo definido, moreno (tipo índio), cabelo liso meio espetado. Um tesão.

Mandei ele entrar, conversamos um pouco e logo começamos. Falei que eu queria ver o que era aquilo que me cutucava no trem. Ele então ele não se fez de tímido, tirou o seu pau pra fora. NOSSA! Era ainda mais bonito do que eu imaginava, cerca de 21 cm de comprimento, não muito grosso, cheio de veias.

Aquele momento estava me dando muito tesão. Comecei a tirar a minha roupa e a roupa dele também até que ficamos nus. Ele também se impressionou com o meu pau, que tem uns 20 cm, mas era bem mais grosso que o dele.

Abocanhei aquele pau e chupei muito, punhetáva-o, ele ficou louco.

Então me virei de costas e comecei a esfregar aquele pau na minha bunda. Sentia quela tora quente roçando em mim, quase gozo só com esta situação. Ele fungava o meu cangote, depois virei de frente de novo e punhetei nossos paus com uma mão só juntos. Beijei todo o seu corpo, mordiscava seus mamilos, beijei a sua boca, chupava sua língua.

Voltei a chupar o seu pau, e lambia suas bolas, até que eu resolvi lamber o seu cú. Ele foi aos céus, eu tentava enfiar meu dedo, até que ele me pediu para penetrá-lo. Tudo isso estava acontecendo na sala, levei-o para o quarto para comê-lo em cima da cama que era mais confortável.

Coloquei ele de frango assado e tentei penetrá-lo por cima. Ele reclamava muito da dor, pois meu pau é grosso.

Fui pondo de vagar, passou a cabeça até que comecei a bombar.

Ele se contorcia de dor e prazer, oras me pedia para parar, ora para continuar.

Até que eu anunciei o gozo. Ele pediu para eu gozar fora então mirei no seu cuzinho e por fora mesmo deixei os esguichos do meu leitinho acertar aquele alvo irrugadinho.

Depois comecei a punhetá-lo e chupá-lo, até que gozou.

Depois disto nos limpamos e ele foi embora.

Já nos vimos uma outra vez, mas fica para uma próxima.

Hoje nos falamos diariamente, e confesso que tenho vontade de ser penetrado.

Já transei outras vezes com outros caras, mas sempre tive dor, não sentia muito prazer. Vejo contos gays que relatam gozos só com a penetração anal. Queria muito sentir isso. Quem sabe quando nos vermos uma próxima vez, ele tenha a oportunidade de me fazer de menininha. Rsrsr!

Caso queira conversa me escreva cardoso26@ubbi.com.br

Até a próxima!

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.