Casa dos Contos Eróticos

Feed

Primeira vez de uma virgem sentir um pau

Autor: Angel32
Categoria: Heterossexual
Data: 15/04/2005 20:01:46
Nota 10.00
Assuntos: Heterossexual
Ler comentários | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

Eu era adolescente de uns 16 anos, namorava ja há um tempo, e sempre fui muito presa, meus pais nao me davam um tempo á sós com ele. As vezes nos amassávamos no quintal, mas somente beijinhos e abraços apertados, tinhamos medo de ultrapassar os limites e meus pais acabarem com nosso namoro. Ate que uma tarde de domingo fomos passear no parque do Carmo em Itaquera, eu percebia que estava louca de vontade de transar com ele, mas sendo virgem, tinha muito medo. Eu vivia usando saias compridas até o meio das canelas, estilo, saia apertada nos quadris e larga nas coxas, rodada mesmo, e tinha uma vermelha de tecido mais ou menos fino, que o deixava louco de tesao, pois ele sentia direitinho a marca de minha tanguinha.Ele vivia sempre com o pau em riste, durissimo, parecia que nao podia me ver, ou me encostar que o bicho levantava. Aquilo me encantava, mas quando ele vinha querer me mostrar ou que o tocasse eu fugia feito diabo da cruz, morria de medo de nao aguentar o tesao, e perder minha virgindade. Meu pai ja havia me avisado, se eu me perdesse, ou engravidasse me colocaria para fora de casa.E minha mãe entao, nossa, ficava brava ate nao querer mais se nos visse nos agarrando. Bem neste dia no parque do Carmo eu fui justamente com esta saia vermelha uma tanguinha preta cavadinha de renda, uma blusinha preta, e tamancos, cabelos soltos, estava com cara de safadinha. Ficamos passeando no parque feito dois pombinhos e ja estava escurecendo, todos indo embora do parque. Os guardas avisando que iam fechar que era pra ir embora, nos escondemos detras de umas arvores e ficamos nos amassando. Sabiamos que tinha uma saida numa cerca de arame logo adiante e que depois podiamos sair por lá. Após todos terem ido embora, a escuridão ja era total, nem uma viva alma la estava, fomos entao pra um gramado, bem proximo a algumas arvores e nos deitamos, nos abraçando, meu corpo queimava de desejo, e o dele idem. O fogo era tanto que sentia as pernas tremerem. Eu ja havia deixado que ele me tocasse nos seios varias vezes, mas na xaninha nunca, fugia sempre.Neste dia, foi a primeira vez que ele via totalmente minhas coxas grossas. Ele levantou minha saia, me massageou as coxas, indo com a mão em direçao á minha bucetinha. Estremeci, e quase gozei de prazer por sentir aquela mão quente tão próxima de minha grutinha quente, úmida e virgem.Por cima da tanguinha ele me massageava me deixando tonta, até que ele com o pau super duro, tirou para fora, era a primeira vez que eu o via tão de perto, nossa um senhor pau, grosso, quente, e ele encostou em minha gruta, por cima da calcinha, puxa senti o mundo rodar. Não imaginava que sentiria um tremor tão forte de prazer. Senti que gozei. Sim eu gozei apenas e tão somente por sentir o pau dele proximo a minha xaninha e ainda por cima da calcinha. Imagine se fosse dentro acho que eu desmaiaria. Ele foi roçando, roçando, e eu gemendo,baixinho, sussurando, ai que delicia , que tentaçao.Eu não sabia direito ainda como realmente se transava, apenas ja havia visto revistas eroticas e pornos, mas nao sabia como se começava ou terminava realmente. E queria logo perder minha virgindade,porem nao ali, queria com calma, sem medo, num hotel, ou motel, com carinho. Ele me respeitou, e mesmo com todo aquele tesão fomos embora, ardendo de desejo. Ate hj me lembro deste dia pois foi a primeira vez que minha bucetinha sentiu um pau de verdade mesmo nao sendo totalmente, mesmo sendo só por cima da calcinha. As vezes me lembro disto e estremeço e me sinto tesuda,...... continuo na proxima

E-mail= angelafogo33@yahoo.com.br

Comentários

Cara Gostoso
18/04/2005 15:46:26
possuidorgatinho@yahoo.com.br / Gatas me escrevam!

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.