Casa dos Contos Eróticos

Feed

O avô e a netinha incestuosa

Autor: Pafer
Categoria: Heterossexual
Data: 23/02/2005 14:25:36
Nota 9.50
Ler comentários | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

Primeiramente, peço que não me enviem mais e-mails. Está me causando transtornos. Não adianta querer falar comigo. Leia os contos sob o pseudonomio "pafer", a maioria está na categoria "traição/corno" e "incesto". Bom, meu nome é Kelly e o caso aqui relatado aconteceu há 18 anos atrás. Eu tinha dezesseis aninhos e era bem parecida com a cantora que leva meu nome, porém eu tinha duas vezes mais busto!! Na época isto me tornava muito tímida e eu procurava esconder o máximo que podia os meus melões!! Certo dia, meu pai pediu que eu fosse até a casa que queríamos alugar ou vender para apanhar as correspondencias. Chegando lá, notei um Escort XR-3 estacionado bem em frente. Meu sexto sentido logo me deixou alerta. Entretanto o portão estava trancado. Me aliviei. Ao tentar abrir a porta da frente escutei a voz da minha mãe e de mais alguém. Ambos falavam e riam. Parei e sem me deixar notar fiquei escutando prá saber quem era o homem que estava com minha mãe. Não podia ser um futuro cliente. Não do modo como falavam e riam. Em poucos segundos ouví que o dialogo era de pura sacanagem. Não vou aqui detalhar, porém na época era tudo novo prá mim, e o susto me fez ficar abobalhada. Pé ante pé, cheguei até a sala de estar, onde tinha um imenso sofá, que tinha restado desde que minha vó tinha morrido, há dois anos atrás. Lentamente fui olhando prá dentro da onde vinha os risos e gemidos. A cena era fantástica. Minha mãe com as duas mãos segurando os cabelos estava acocorada, fazendo movimentos circulares em cima da virilha de um homem! Ele tinha uma das mãos em sua anca e o outra acariciava um dos seios, que tinha me dado de mamar! De repente, ele alcança a nuca dela com a mão e a traz para beijar-lhe a boca. Nisso as belas nádegas de minha mãezinha se elevam e vejo estupefata uma rola grossa e imensa deslizando prá fora do cuzinho da mamãe!! Deus! claro que eu já tinha ouvido em sexo anal, mas sempre soube que era dolorido, afinal eu já tinha dado alguns sarros com meu primeiro e único namoradinho, que tinha terminado comigo depois de uma semana de namoro. Bom, alí estava minha bela mãe exclamando entre suspiros o quanto era maravilhoso sentir toda aquela rola se agasalhando de volta em seu cuzinho!!! Eu comecei a me sentiri excitada, mas o conflito de saber que era minha mãe que estava traindo meu pai, me deixava perto das lágrimas, pois nunca imaginei que eles pudessem se separar um dia. Assim, com a bucetinha pingando de tezão e o rosto molhado por lágrimas, sorrateiramente me retirei. Fui pró colégio, e fui chamada atenção por não prestar atenção à aula. Como podia? A visão daquela coluna de carne sendo engulida pelas gorduchas e perfeita bunda da mamãe, me deixava totalmente alheia a qualquer outra coisa! No intervalo fui ter com minhas amigas, mas dessa vez procurei as que eram consideradas "galinhas" prá escutar o papo e fazer algumas perguntas. Depois de certo tempo começaram a falar de sacanagem, e Marisa confessou que tinha dado o cuzinho pela primeira vez, ontem depois das aulas e aqui na escola! Não quiz dizer o nome do professor! Raquel então disse que já praticava sodomia há algum tempo, mas o único garoto que ela gostou de dar fora seu irmão! Atualmente, um dos gerentes da firma da tia dela era o dono de seu cuzinho! Fiz a tradicional pergunta se dóia muito. Elas me responderam que era só uma questão de costume e dependia do traquejo do primeiro que me descabaçasse o anelzinho! Elas disseram também que comedor de cuzinho sabe antes fazer um agradinho prolongado, principalmente com a língua! E que o mais maravilhoso é sentir uma língua se empurrando e se contorcendo um pouco já dentro do cuzinho!! Meu Deus! Mil imaginações!! Mil línguas em meu anus!! Eu disfarçava mas estava frenética. Procurei por Marcelo, eu ía dar prá ele e conquistar um namorado! Seria maravilhoso! Eu adivinhava o que minha mãe sentia sendo enculada e agora eu também seria! Não havia mais medo, só ousadia de querer sentir uma rolona se enfurnando meu tunelzinho anal como o fucinho de nosso cachorro nos cheirando! Ainda bem que existia Marcelo, senão eu iria tentar até com Rubião, nosso dogalemão! Ví o Marcelo e disse prá ele me telefonar. Ele fez cara de pouco caso e isso me magou!! Eu lhe disse que era importante, ele respondeu que assim que pudesse me telefonaria. Babaca!! Mesmo assim fiquei na esperança. Peguei minha lambreta e fui prá casa. Antes de entrar na garagem, quase morrí de susto!! O mesmo XR-3 estava lá dentro! O terror me invadiu, será que minha mãe estava sendo assaltada pelo amante?!! E talvez esperando toda a familia chegar para serem sequestrados!! Enquanto estava nesses devaneios, vejo meu avó, que agora mora conosco desde da morte da vovó, se dirigindo para o portão da garagem prá abrí-lo!! Ele me viu e abriu aquele sorriso acolhedor que tanto eu amava e abrindo os braços para me abraçar perguntando o que eu achava do carro novo que ele tinha comprado!! Tive um leve desfalecimento e meu avó me aparou! Então era ele quem estava enrabado minha mãezinha??!! (continua)

Comentários

05/10/2013 03:43:22
Delícia de conto.
27/01/2009 10:22:21
Muito bem logrado,e bem escrito,excelente desenlace PARABENS 10
25/02/2008 04:24:25
Nossa quero ver a continuaçao dessa historia ! beijos linda ! ^^ nota 8
debora
24/02/2005 12:56:31
Olha nunca vi historia pior,nota 0 vc e uma mentirosa,vai caçar oque fazer sua vagabunda

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.