Casa dos Contos Eróticos

Feed

MINHA MÃE ME DEU O CÚ DE ANIVERSÁRIO.

Autor: Edo
Categoria: Heterossexual
Data: 23/01/2005 10:56:11
Nota 8.75
Ler comentários | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

Antes de mais nada aviso que o conto é extenso, mas se tiver paciência creio que gostarão. Nunca imaginei transar com minha mãe. Quero dizer agora leio alguns contos onde o cara tem tessão pela mãe, e dá um jeito de "traçar" ela, mas esse não era foi o meu caso. Meus pais se separaram quando eu tinha 2 anos, e desde então moro apenas eu e minha mãe em um belo apartamneto em uma cidade pequena no interior de São Paulo, pois apesar de ela ser belíssima, muito sensual e ter apenas 22 na época, nunca se casou novamente, mas vez ou outra arranjava um namorado que raramente ela levava para casa. Tive uma infância feliz apesar de solitária, e minha mãe nos tornamos muito intimos, ela me apoiava em tudo. Quando estava com 13 anos estava no auge da punheta, era minha mãe que comprava as revistas para mim, e falava brincando para eu não me acabar. No meu aniversário de quatorze anos ganhei uma TV e um vídeo, pois sempre quis ver meus filmes pornos no quarto a vontade. Como ainda era menor minha mãe tinha que ir comigo na locadora para pegar as fitas, e ela sempre olhava os títulos, mas nunca comentou nem me censurou por nada, mesmo quando eu pegava filmes bizarros (tipo sexo com cavalos, travestis, lésbicas etc.), mas o que eu mais gostava de ver era sexo anal e oral, e pegava muitos filmes dedicados a estes assuntos. Infelizmente não puxei a minha mãe. Não sou bonito e tampouco tenho um corpão malhado como ela, sou alto e magro. Não é de se estranhar que eu nunca tenha feito sucesso com as garotas. Isso me deixava muito frustrado, pois tinha muita vontade de transar com uma mulher, e sempre voltava para o meu quarto depois de todas as tentatívas infrutíferas de ficar com uma garota, e me consolava com meus filmes. Minha mãe, vendo meus problemas tentava me consolar e me dizia que iria arrumar uma namorada. Certa vez depois de ficar um final de semana inteiro trancado no quarto com 8 fitas de sacanagem minha mãe disse que era melhor ir para uma zona, ou melhor chamar uma gorota de programa, dessas que eu via na internet (com o micro que ela me deu aos 15 anos) que ela saía e deixava a casa livre para mim. Apesar de eu falar que não queria ela insistiu e chegou até a ligar para uma na minha frente, mas eu desliguei o telefone. Não pensei muito no assunto e continuei vendo meus filmes, e ela não voltou mais a falar sobre isso. Muito tempo depois aconteceu outra situação constrangedora. Tinha alugado um filme de sexo oral e quando eu estava quase gozando na punheta a porta abriu e minha mãe entrou para me chamar para o jantar. Rapidamente cobri ele com as mãos, mas ela nem fez mensão de surpresa ou vergonha, e me pediu desculpas, mas disse que só entrou porque a porta estava destrancada (como já tínhamos combinado). Antes de sair ela assistiu um pouco do filme e viu a mulher bebendo a porra de dois homens e perguntou se eu achava isso legal, e disse que devia ser estranho, mas enquanto falava vi que ela olhava meu pinto, que já estava mole de susto, e falou:-Nossa, isso duro deve ser enorme. Realmente acho que sou um pouco avantajado, pois ele duro tem cerca de 21cm x 6cm de diâmetro. Acho que foi o melhor que erdei de meu pai, pois um dia ouvi ela dizer que ele era muito dotado. Algum tmepo depois aconteceu algo semelhante. Numa madrugada minha mãe entrou no quanto pois tinha deixado a porta aberta, só que desta vez estava com meu pinto guardado, e ela ficou vendo um pouco do filme onde uma mulher sentava em um cacete descomunal gritando e chorando de dor e prazer, mas desta vez saiu sem fazer comentários. E assim o tempo foi passando sem que eu conseguise perder minha virgindade, mas eu sentia que minha mãe estava cada vez mais preucupada com minha vida sexual. Estava perto do meu aniversário de 17 anos, e como ela sempre me dava alguma coisa legal estava ansioso e perguntava o que seria desta vez, e ela apenas dizia que não tinha decidido ainda. Quando chegou o dia fizemos como de costume, uma pequena festinha com alguns amigos e parentes, que acabou no início da noite. Após todos terem todos ido fui para o quarto esperar minha mãe entrar e me dar um presente bem legal que ela sempre deixava para esta hora. Já era tarde quando ela entrou muitíssimo bem arrumada e cheirosa, com seus cabelos longos preso em uma transa grossa. Nunca a tinha visto tão bela e com uma roupa tão provocante. Ela estava muito nervosa, e segurava nas mãos uma pequena caixa e disse que era meu presente. Achei tudo aquilo muito estranho e peguei a caixa já um pouco desapontado, pois achei ela muito pequena para ter um presente legal. Qual não foi a minha surpresa quando vi que dentro tinha um tubo de KY profissional de 400ml, fiquei sem entender nada olhando minha mãe que estava extremamente apreensiva, e alegre, quando ela se aproxima e disse olhando para mim: - Resolvi dar meu cu de presente para você! Já que você não quis uma qualquer, hoje serei sua puta!. Pôs a mão na minha boca para eu não dizer nada e ficou de pé. Ainda tentava entender tudo aquilo, minha cabeça girava, mas a alegria com que minha mãe fazia aquilo me acalmou um pouco. - Finja que sou uma garota de seus filmes, e faça tudo o que quiser, mas não me chame de mãe ou seja educado, aproveite, amanhã será tudo igual. Fiqui atônito, meu pau endureceu na hora, mas não conseguia pensar, nem me mover. - Pense apenas no sexo, esqueça que sou sua mãe e use meu corpo. Quero te dar prazer. disse ela ao ver minha reação e começou a me despir, muito nervosa e excitada. Então ela começou a me chupar segurando meu membro com experiência, fiquei atordoado e não via mais o seu rosto como o de minha mãe, e sua voz também parecia ser outra. Estava possuído pela luxúria. Ela apenas sorria e vi que estava gostando também. Sua boca era maravilhosa, quente e macia. Ela lambia e depois colocava até o fundo, encostando na garganta e depois forçava até engolir o máximo. Ele se engasgou muitas vezes mas consegiu colocar quase tudo. Estava muito bom e não conseguiria me segurar muito tempo e disse que logo iria gozar. -Goza, que eu vou engulir tudinho. ela disse com a boca cheia da saliva que pingava do meu pau. Ao ouvir isso gozei como nunca, enquanto ela me punhetava com a mão no rítmo perfeito, tirando a maior quantidade de porra que já tinha saído do meu pau e enchendo a sua boca até vazar pelo canto. Ela ainda me chupou algum tempo antes de tirar sua boca, depois levou o que tinha escorrido no queixo até os lábios com o dedo. Acho que ela nunca tinha colocado porra na boca, pois percebi que ela não conseguia engolir, e teve uma quase imperceptível ânsia, mas não fez cara de nojo, apenas fechou os olhos e engoliu com um pouco de dificuldade, depois abriu a boca, me mostrando que tinha feito direitinho, com a sua lingua ainda melada. Apesar das mil coisas que passavam pela minha cabeça eu começei a ficar a vontade vendo, e ela começou a tirar a roupa e colocou na minha mão o tubo de ky e abriu a porta do armário com um espelho que vai até o chão e disse: - Isso é para você me ver gritando quando essa rola enorme rasgar o meu rabinho e tirar a minha virgindade do cú!. Não acreditava ela nunca tinha dado o cú! E estava dando ele para mim! Mas apesar do sorriso percebi que ela estava com medo e disse que não precisava fazer isso. - Mas é isso que eu quero, quero que você me enrrabe sem dó, me arreganhe de verdade, mesmo que eu pessa para parar, porque eu sei que você gosta de ver elas gritando de dor nos filmes. (e é exatamente isso que mais me excita nos filmes e ela sabia). Depois de ouvir tudo isso fiquei fora de mim, comecei a beijar seus peitos deliciosos e lamber sua buceta molhadíssima e depilada especialmente para mim, até que ela começou a gemer e disse. - Filho, seu pinto é muito grande, e acho que vou sentir muita dor e gritar muito, mas não pare porque eu vou aguentar e vou gostar. Percebi então que não tinha sido uma decisão repentina, e que ela devia estar planejando isso a algum tempo (fiquei sabendo depois que ela assistia aos meus filmes e ficava muito excitada). Colocamos o colchão no chão enfrente ao espelho e ela logo ficou de quatro. Sentia seu corpo tremer enquanto eu acariciava aquela bunda maravilhosa e lisinha, começei a brincar com seu rabinho pasando uma gotinha de KY, ela se abaixou um pouco errebitando a bunda. Ela pediu então uma toalha para morder se não estivesse aguentando a dor, que enrolou e ficou com ela nas mãos. Pedi para ela relachar e logo consegui colocar a ponta do meu dedinho sentindo o músculo do seu anel pulsando, e muito rígido. - Me arromba filho pode colocar que eu vou aguentar.... Com esse incentivo coloquei mais um pouqinho de KY, e ajeitei meu pau que estava na maior ereção que já tive, naquela rabinho macio e rosado, segurando em sua cintura comecei a forçar. No espelho eu via minha mãe morder a toalha enrolada e apertar os olhos numa expressão que me enchia de um prazer sádico. Precisei realmente fazer força para sentir seu ânus se abrir um pouquinho e deixar a cabeça do meu pau começar a entrar, o que fez ela urrar pela toalha. Seu músculo anal apertava minha rola com força não deixando ela entrar. - AIII EMPURRAA... VAI.. disse ela com os dentes cerrados. Segurei meu pau, ajeitei a cabecinha de novo e empurrei com força redobrada, fazendo seu anel ceder e minha rola entrar até o limite onde estava com a mão de uma vez só. Instanteneamente ela gritou e instintivamente se curvava para frente para sair de minha rola, mas eu a segurei e esperei ela se acostumar, enquanto ouvia seus urros e gritos pela toalha. Senti que ela não conseguia controlar a dor, pois os seus músculos não estavam relachados e sentia seu esfincter apertar meu pau repetitivamente, vi lágrimas saindo dos seus olhos, ela fazia pequenos movimentos compulsivos para sair da tortura, que ela controlava com dificuldade. Parei um pouco e fiquei alisando sua bunda para ela se acalmar, então ela se abaixou encostando seus seios no colchão, tirou a toalha da boca, desfez a cara de dor e com as mãos afastou as nádegas deixando eu ver seu ânus por completo, deixando meu tesão a mil. - Enfia tudo agora... ela disse de um fôlego só, então empurrei com força mas mesmo assim a pentração foi lenta e contínua. Ela estava lívida, aguentando firme, tinha todos os musculos da face relachados, mas estava branca. Quando estava quase no fim ela deu um urro altíssimo seguido de gritos abafados. (pensei que ela pudesse estar fingindo para me agradar, mas acho que enterrar o rabo em um cacetão pela primeira vez aos 37 anos devia doer mesmo) Estava louco de tesão, e completamente fora de mim comecei a tirar e colocar até ver que seu rabo estava laceado, fazendo ela gritar e gemer -HURRRRRR!!! AIMMMMM!! HHHHHHUUUUUUNNNNNN!!! ME RASGA LOGO, É ASSIM QUE VOCÊ GOSTA NÉ!!! AAAIIIIINNN, VAIIINNN A dor deixou ela um pouco histérica pois passou a fazer um vai e vem violento com sua bunda e pedir para deixar ela arrombada. Comecei um vai e vem, mas ela pediu para continuar o tira-coloca até ela ficar arrombada (o que não estava longe), e não sentir mais ele abrir. Quando tirava a cabeça seu buraco não fechava totalmente e fui colocando violentemente de novo sentindo seu ânus pulsar e apertar forme minha rola, depois começei a estocar com vigor sentindo o limite do seu reto enquanto ela berrava e erruva, neste ponto os vizinhos já deviam estar euvindo minha mãe transar com o filho como uma puta, mas nem eu e nem ela estavamos ligando. - HUUUUURRRMMMM ME SOCA!! VOCÊ ESTÁ GOSTANDO DO MEU CÚ NÉ MOLEQUE, ENTÃO ME FODE, SSSSRRRRR, dizia ela com os dentes cerrados Foquei mais de meia hora atolando minha rola até o fundo naquele traseiro gostoso, e sentia a mão dela encostando em minhas bolas enquanto ela se masturbava com o rosto colado no colção. Seu rabo estava vermelho em brasa e eu tirava para ver o seu reto agora em forma de tubo. Então tive a idéia de preencher o seu tubinho com ky e coloquei minha rola empurrando o gel para fora e pedi para ela abrir mais as nádegas. - VOCÊ QUER RASGAR MEU CÚ NÉ, HURRRMM ENTÃO METE MAIS, ME ARROMBA COMO UMA PUTA....ela pedia Como já estava com ele todo atolado sentindo o limite do seu reto, começei a enfiar pelas beiradas lambuzadas meus dois polegares, fazendo ela voltar a urrar e xingar, me deixando mais excitado, e anunciou que iria gozar. Depois de colocar meus polegares aumentado a abertura do seu rabo ela começou a gozar prendendo um delicioso gemido e eu gozei junto, enchendo seu cú de sêmem farto e quente, que escorreu pela sua buceta junto com gel e um fiapinho de sangue, quando retirei os dedos e minha rola. Com os dedos ela analisava o que restava de sua virgindade anal. Fiquei abrindo suas nádegas para curtir aquele rabão arrombado, e alisava com os dedos as beiradas vermelhas. Com a toalha ela me limpou e ficou me chupando durante muito tempo até eu ter outra ereção e gozar novamente em sua boca e ela engolir tudo, agora sem dificuldade. Dormimos alí mesmo e no outro dia conversamos sobre o asunto com muita naturalidade, e ela me disse o quanto doeu (e estava doendo), e que fazia muito tempo que ela não tinha um orgasmo tão bom. Ao contrário do que ela disse tudo estava diferente agora, e ela se propôs a ser minha puta sempre que eu quisesse e fizemos muita loucura apartir desse dia, inclusive com umas amigas delas...

E-mail= bukkake_unlimited@yahoo.com.br

Comentários

11/07/2012 01:06:05
Legal! Quando um dia eu tiver filhos, tbm vou dar gostoso pra eles. ^^
01/04/2010 10:31:31
nossa foi muito bom
ATA
12/10/2009 14:53:12
Kara gostaria de ter uma mulher assim determinada em da o cu deste geito e ainda como presente de aniversario. Eu não tenho muita sorte, adoraria comer um cuzinho mas ta meio dificil sera que sua mae topa da pra mim rsrsrsrsrsrs
05/09/2009 20:56:56
sensacioanal
Jow
11/02/2007 20:44:13
bando de pevertido! Vao se fuder!
ATA
10/02/2007 16:19:41
Nossa que delicia foi realmente um tesão. Adoro judiar de um cuzinho como vc fez
16/01/2007 19:37:13
Eu quero também!!!
07/01/2007 17:44:14
adorei o conto, já gozei várias vezes e tou todo cheio de porra como é bom meter...
El_
24/02/2005 09:11:39
Amei teu conto cara. Queria ter tido isso tb de presente
lauro
30/01/2005 12:24:32
estou lendo o seu conto com aputa da minha mãe sentada no meu colo com meu pau enterrado no seu cu! Como é bom foder mamãe!
sergio
25/01/2005 02:43:20
adoro lamber o cu da minha bem suado
pegasus
24/01/2005 23:00:19
sei....

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.