Casa dos Contos Eróticos

Feed

Na Frente do meu Marido - Shirley

Autor: Shirley
Categoria: Zoofilia
Data: 12/10/2004 08:00:46
Nota 7.00
Assuntos: Zoofilia
Ler comentários | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

Aqui estou novamente para contar mais uma história que aconteceu comigo. Sou a Shirley, sou branca, tenho 32 anos, um bonito cabelo preto comprido, 1,70m e 57Kg. Tenho uma filha de 14 anos, Flávia, muito linda, e sou casada com Paulo, que fica a maior parte do tempo fora de casa. Mas dessa vez, Paulo chegaria no fim de semana, e eu me preparei toda para saciar as vontades dele. Quando chegou a sexta-feira, de noite, Flávia e eu tínhamos preparado uma festinha para ele. Quando ele chegou, foi aquela festa. Muitos abraços e beijos, e ficamos conversando até ficar bem tarde. Quando chegou uma certa hora, Flávia já não aguentava mais de sono e foi dormir, e foi só ela fechar a porta do quarto para Paulo mudar o jeito com que me olhava. Ele agora queria sexo, e eu também. Me pegou no colo, me levou pro nosso quarto e começou a tirar a minha roupa. Quando eu estava só de calcinha, fui eu que tirou a roupa dele, ficando ele pelado, com aquele pau grosso na minha mão. Mas logo aquele pau foi pra minha boca. Já fazia um bom tempo que eu não sentia aquele gosto de uma vara humana. Enquanto eu chupava, Paulo arrancou minha calcinha e ficou me bolinando até eu não conseguir chupar direito, pois minha buceta estava clamando por uma fodida. Eu nem precisei falar nada. Paulo me ajeitou sentada por cima dele, e eu fiquei rebolando no colo dele, metendo a pica para dentro aos poucos e depois subindo e descendo num ritmo bem cadenciado. Ficamos transando até altas horas, matando a saudade e recuperando o tempo perdido. Depois caímos exaustos mas ainda não inteiramente saciados. No sábado, acordamos tarde, mas Flávia já tinha feito o café, e ficou contando algumas novidades pro pai. O dia transcorreu normalmente, e de noite Flávia saiu, pois iria numa festinha de uma colega e iria dormir por lá mesmo. Paulo e eu ficamos então sozinhos, somente com os cachorros (Flux, nosso rottweiler e Rufus, nosso são bernardo). Meu marido ainda estava sedento de sexo e nós fomos pro sofá mesmo, e nem lembramos de fechar nenhuma porta, como a que dá para os fundos. Tratamos de tirar nossas roupas, Paulo ficou sentado no sofá enquanto eu pagava um boquete pra ele, que só ficou massageando meus cabelos. Nós nem estávamos gemendo tão alto, mas foi o suficiente para Flux escutar e aparecer para conferir o que acontecia. Ele apareceu com uma cara de curioso e Paulo não gostou. Mandou ele sair, mas eu disse que ele podia ficar, pra ver o que ele iria fazer. Eu também disse que provavelmente ele não iria fazer nada, pois nunca tinha transado com uma cadela e não ia saber o que fazer (para meu marido nem pensar que Flux e eu éramos super íntimos). Continuei então a chupar o belo cacete de Paulo, e Flux foi chegando, de mansinho. Paulo viu que o cachorro tinha segundas intenções e falou pra mim, mas eu disse que não, capaz que um cachorro iria comer uma mulher. E nisso Flux deu uma fungada na minha buceta, que devia estar escorrendo pelo prazer que eu sentia. Ele então enfiou a fuça na minha racha, me dando um choque de prazer, que Paulo notou, pois eu dei um forte gemido e fui com muito mais gana pro boquete. Eu estava de quatro, apoiada no sofá, totalmente vulnerável a Flux, já sabia o que iria acontecer, mas continuava a bancar a bobinha pro meu marido, que viu o pau duro de Flux e tentou me advertir mais uma vez, mas antes que eu pudesse falar qualquer coisa, senti que Flux montava em mim, cravando aquelas unhas nas minhas ancas, o que doeu muito na hora, pois dessa vez eu não havia preparado nada. Meu marido queria me tirar daquela situação, mas eu disse que agora queria ver até onde aquilo poderia chegar, e continuei chupando a vara dele. Ele ficou meio preocupado, mas se excitou com a idéia, eu podia perceber isso pela dureza do pau na minha boca, que foi ao máximo. Depois de algumas tentativas em vão, Flux acertou a entrada da minha buceta, e não teve problemas em enfiar a vara até o fundo numa só estocada, me levando ao delírio. Paulo também ficou muito excitado e gozou um pouquinho depois na minha cara. Eu bebi o que pude, o resto ficou espalhado no meu rosto. Eu fiquei ali, agora concentrada em sentir minha buceta, enquanto Paulo foi ver o rojão que eu estava aguentando. Depois foi lamber meus seios e minha barriga, me levando à loucura, já que nisso o nó estava atingindo o maior tamanho possível. Flux então parou com os movimentos, e eu pude então sentir aquela onda de esperma se esparramando no meu interior, me levando a um incrível orgasmo. Meu macho ficou assim por poucos segundos e logo tratou de sair de mim. De uma vez ele tirou tudo, só o que ele deixou foi aquele monte de porra, que chegou a espirrar para fora. Meu marido olhou para o pau do Flux e falou rindo comigo que eu tinha aguentado muito bem um pau tão grosso, principalmente o nó. Eu estava me reestabelecendo quando Flux ainda voltou para terminar o serviço e me lamber toda racha. Depois Paulo mandou Flux embora e eu pude me recuperar. E foi assim que Paulo acha que eu me iniciei nessa prática. Agora de tempos em tempos quando Paulo vem nós recebemos alguma visita canina para apimentar nosso sexo. Em breve contarei mais histórias minhas e dos meus cães, mas por enquanto votem nesse conto. Agradeço aos votos e e-mails recebidos, e peço que as mulheres me contem experiências e dicas na prática da zoofilia. Abraço, e leiam meus outros contos. shigoncalves@yahoo.com.br

E-mail= shigoncalves@yahoo.com.br

Comentários

26/04/2011 10:27:17
oi adorei o conto, muito exitante, mulheres que quiserem me adicionar, kzalzoo@hotmail.com bjus
21/11/2010 16:37:58
Ola mulheres,eu me chamo jessica,sou zoofilia assumida.adoro sexo com cães,quem se interessar em tranzar com um cão,entreem contato comigo,eu posso ajudar como tranzar com um cão do começo ao fim,é mto bom,so quem ja provou,sabe o quanto é bom,meu orkut e msn-lindaloirazoofilia@hotmail.com dispenso curiosos no assunto,bjus mulherada zoofilia
28/12/2008 14:58:34
Cachorro de sorte.
28/12/2008 14:57:44
Cachorro de sorte.
20/11/2008 13:17:42
gatinhas ... qui quiser videos de sexo com animais mim adicionem: gatuxo_boy@hotmail.com só pras gatinhas ok bjos
29/09/2008 09:25:47
é da para quebra o galho 5 cinco
28/04/2007 17:42:08
da para um homem sua puta
28/04/2007 17:41:46
da para um homem sua puta
crédo
11/10/2005 18:46:30
Estou c/ o nojento acima, vcs tdos são umas pessoas muito porcas de mais cara, transar c/ os cães para c/ isso, transe c/ homem como eu faço, é muito mais sadiu e gostoso porque dá vontade de ficar xupando, e sentir um pau humano na na buceta é maravilhoso, agora, cachorro, cavalo, etc, tô fora, sou mulher e ñ uma cadela, agora se vc se senti cadela problema seu, vai engravidar do cão viu, suas porcas nojentas.
doni
16/04/2005 14:58:46
fiquei de pau duro mande fotos
João
13/04/2005 11:19:39
-/bom, gostei, até gozei,que cão comedor, dá mais pra ele, quero ver te comendo, goza
Rom
28/03/2005 12:21:54
Tenho vídeos sobre este assunta, quem quiser me escreva ok? Beijos
Chefe
16/03/2005 16:03:35
O Wilson o dog alemao que sua esposa deu ,se acha que era um cachorro, é nada bobao era seu chefe seu otario, ela da esse apelido pra ele, seu chifrudo da porra
crocodilo
15/02/2005 18:59:56
oi shirley, li todos os contos seus que encontrei, inclusive em outros sites, tem algum recente ? estou ancioso para ler.
nojento
10/02/2005 03:21:56
ai suas nojentas, porcas...depois não sabem porque a humanidade ta cheia d doenças q não tem cura, como a AIDS...eu nunca teria coragem d enfiar minha pica numa buceta q da pra animais, q coisa mais suja, mais nojenta, porcas!!! quer experiencias novas, me chama porra...meu kct tem 18x6, e não transmite nenhuma doença!!! pq me cuido. Ae suas porcas! conto nojento...
celina
08/02/2005 18:07:13
oi shirley gostaria tbm de começar nessa de dar pra cachorro tenho um pit bull e meu marido esta doido para ver eu dando pra ele, me de umas dicas, estou com muito medo,tenho vontade mas o medo ainda é maior, por favor me ajude, tbm quero sentir esse prazer e matar o meu marido de tesao entre em contato comigo....
joyce
04/02/2005 01:46:44
Oie shirley....adorei seu conto e morro de vontade de experimentar meu dog q é um bassethound...sabe gostaria de algumas dicas,sou solteira e tennho 23 anos e adoro meu cão...Caso vc puder me dar uns toques e me mandar algumas fotos ficaria muito agradecida pois gostaria de ve-las...Bom é isso bjs...Joyce
fernando
05/01/2005 10:36:14
gostei , gostaria de receber fotos sua
sergio
28/12/2004 12:56:18
se é verdade mande me uma foto sua com ele dentro de vc
Gaucho
13/12/2004 18:33:25
Ba que massa o seu conto eu e minha namorada estamos afim de um transa assim mas não sabemos como começar se puderem me dar umas dicas eu agradeço um abraço!! pablozv@bol.com.br
wilson
04/12/2004 11:51:00
nossa demais mesmo...a minha esposa tb ja fez com um dog alemao ela diss q adorou pena nao ter visto
mi
14/10/2004 20:58:14
Nossa! Vc tem sorte de ter um marido tao liberal! O meu e tao chato....
Professor KCTÃO
13/10/2004 21:29:17
Nitidamente, outro caso de caninus- au au. A querida Shirley, assim como outros inúmeros casos, deve ter tido uma frutação com seus cachorrinhos de infância. Vejam pais os danos causados na prima fase da humanidade. Não podemos descartar a ausência do reprodutor masculino, ocasionado fantasias eróticas bem animais , eu diria. Sobretudo deve se ressaltar a fidelidade de uma esposa que ama seu cônjuge. Trair o amado com um qualquer, jamais!!!! Tudo foi feito de maneira que não manchasse a honra daquele que lhe fudera. Buscou no leito frio e ausente o calor do melhor amigo do homem - ou diria do marido? - a verdade dura e crua, por vezes, vermelha roliça, com nó e peluda veio à tona. O Flux, o macho de plantão fez as vezes do fiel amigo, passou-lhe a soroba, saciando a vontade de sua dona. Eis-me aqui, querida Shirley. Se quiseres poderei ser seu dog de plantão: au au au
pc
12/10/2004 17:00:29
da pra mim não pros cachorro meu anjo

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.