Casa dos Contos Eróticos

Feed

Gozando na Boca da Cunhada

Autor: mwm
Categoria: Heterossexual
Data: 06/08/2002 16:25:57
Nota 5.50
Ler comentários | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

Sou casado a cerca de 3 anos, tenho 22 anos e me casei muito jovem por motivos pessoais que não vem ao caso. Sou loiro, 1.78m, 90kg, pernas grossas, bem dotado (20cm e bem grossinho) e um físico bem trabalho depois de 4 anos de musculação todos os dias. Minha esposa é uma morena de parar o trânsito, cabelos longos ondulados, 1.70m, coxas grossas, bunda grande, seios fartos, quadril largo e cintura fina, 58kg, lábio carnudos, um bocetinha bem delicada e muito grande e gostosa.

Bem vamos ao que interessa. Como disse me casei muito jovem, tanto eu quanto minha esposa, e ao passar destes 3 anos fiquei conhecendo bem a família dela, principalmente suas irmãs, que diga-se de passagem, são muito gostosas e bonitas. Principalmente a mais velha, Marcia que tem 26 anos e se parece muito com minha esposa, a não ser por ela ser um pouco mais alta, quase da minha altura.

Marcia é uma mulher muito bonita e gostosa, tem seios fartos e duros, lábios carnudos, usa aparelho nos dentes, tem olhos castanhos escuros, cabelos encaracolados e pretos até a cintura, pernas maravilhosamente grossas, quadril largo, uma bunda super gostosa e empinada e pelas vezes que a via tomando banho de sol na piscina de nossa chácara, um boceta muito grossa e volumosa.

Marcia não é casada, mas tem um filho de 3 anos e mora sozinha em um condomínio fechado aqui da minha cidade. Como ela não trabalha (vive da pensão do ex-marido que nunca foi marido) sempre após o trabalho minha esposa passava em sua casa para conversarem e colocarem as fofocas em dia. Certo dia cheguei em casa do serviço mais cedo e como não tinha nada para fazer resolvi buscar minha esposa na escola a qual leciona e resolvemos dar uma passadinha na casa da Marcia. Chegando lá ela nos recebeu como sempre nos recebe, muito simpática e comunicativa. Porém ao entrarmos na sala notei em cima da mesa de centro várias revistas pornográficas de sexo explicito, inclusive algumas de sexo grupal. Fiquei meio sem jeito, mas logo ela tratará de nos dizer que eram revistadas que ela tinha pego emprestada de uma vizinha para dar uma olhadinha.

Sentamos na sala e começamos a conversar como sempre. Começamos a falar sobre motos e carros e a disse que estava interessado em comprar uma moto de alta cilindrada para finais de semana. Ela prontamente me disse que um amigo tinha uma dessas para vender, e que ele iria ligar para ela no outro dia em torno das 14:00 horas, pois tinham combinado de sair e iriam se falar para confirmar o encontro. Como no dia seguinte era feriado na cidade em que trabalho marquei de ir até a casa dela neste horário para que eu pudesse falar com o tal vendedor. Tudo isso na maior naturalidade e boa intenção, tanto é que até minha esposa não falou sequer uma palavra quanto a eu ir sozinho até a casa de sua irmã.

No outro dia lá estava eu, batendo a porta da sua casa, mas notei que não tinha ninguém mas vi que a porta estava aberta e resolvi entrar. Percebi ao entrar que o chuveiro estava ligado e que alguém estava tomando banho. Claro que era ela, então resolvi falar que tinha chegado indo até o quarto dela de falando em voz alta que eu estava na sala a espera dela.

Saiu do quarto muito bem vestida com um vestido preto minúsculo que acentuava bem todo seu corpo lindo e gostoso. Fiquei meio encabulado quando ela me cumprimentou e esbarrou seus seios em meu braço (propositadamente). Sentamos na sala e começamos a conversar. Notei novamente as revistas em cima da mesa de centro e resolvi pedir para dar uma olhada. Ela prontamente levantou-se e as alcançou para mim sentando-se do meu lado e me mostrando todas a cenas das fotonovelas das revistas.

- Veja só que coisa louca estas fotos, como essas vadias agüentam levar essas rolas no rabo.

Respondi para ela.

- É Marcia elas são fortes mesmo.

- E veja só essas daqui ( me mostrando fotos de homens gozando na boca de mulheres ) que gosto será que tem esperma, será que é doce.

Respondi...

- Não acredito que você não sabe, deve estar brincado comigo né.

- Não, eu não estou, nunca experimentei esperma. Tinha receio e um pouco de nojo.

- Você deve estar brincando comigo, não acredito que nunca fez uma chupeta.

- A sim, chupeta eu já fiz aos montes, inclusive isso eu adoro fazer, ou melhor adorava, porque já faz tanto tempo que já até perdi a noção.

E conversa vai, fotos vem, mais sacanagem, mais fotos gostosas e nada do tal vendedor de motos ligar, ela me disse o seguinte.

- Que gosto será que tem esperma hein Ronaldo?

- Eu não sei, nunca quis experimentar minha própria porra, mas acho que não deve ser ruim, a sua irmã gosta.

- Ela gosta de tomar porra? Ela toma seu esperma?

- As vezes sim, mas nem sempre, só quando ela está com umas cervejas na cabeça

- Ronaldo me faz um favor?

- Sim pode pedir

- Vai até o banheiro e bate uma punheta e me traz seu gozo para eu experimentar, por favor, isso não tem problema algum, pois além do mais somos cunhados e se minha irmã bebe de sua porra, eu também gostaria de pelo menos sentir o gosto para ver como é, pois sei que não tem nenhuma doença

Fique meio sem reação, meu pau ficou duro na hora, mas do que já estava com todo esse clima, e ela notou e novamente me indagou:

- E ai você vai?

- Sim, mas vou fazer aqui mesmo, é que se eu for no banheiro não vai dar tempo de você experimentar bem, pois vai ficar frio...(Falei isso dando risada e me levantando para ir até o banheiro).

- Ai minha nossa, você vai tirar seu pau na minha frente.(Brincando também.)

- Porque, você acha que tem alguma coisa de errado? (Neste momento me sentei novamente e a olhei fixamente nos olhos)

- Não de modo algum, mas fica meio esquisito né. Mas tudo bem. Vou ver se a porta está chaveada, pois não quero ninguém sabendo disso.

Ela foi ver a porta e eu me dirigi até seu quarto, onde me despi e a esperei, quando ela entrou pela porta levou um susto e me disse:

- Nossa, o que é isso. Você é rápido hein, e já está com essa maravilha dura deste jeito.

- Senta aqui do meu lado e me masturbe.

- O que? Ai, acho que não devemos fazer isso, imagina, somos cunhados. Mas tudo bem, não vai acontecer nada mesmo não é?

- É claro que não – E nisso ela sentou-se ao meu lado e começo a punhetar-me meio desajeitadamente mas com firmeza e determinação.

- Você está gostado Ronaldo, é desse jeito que se faz?

- Bem, gostando eu estou, mas faça diferente, porque senão eu vou demorar muito para gozar – nisso eu peguei um travesseiro que estava ao meu lado e o coloque no chão entre minhas pernas e pedi para que se ajoelhasse entre tais e que assim ficaria melhor. Ela aceitou sem relutar e começo com as duas mãos.

- Agora está melhor?

- Sim Marcia, agora está bem melhor

E quanto mais ela me punhetava, mais próxima do meu pau sua cabeça ficava, até que seus lábio carnudos tocaram-no com muita delicadeza. Nesse momento soltei um suspiro e senti o calor que saia de dentro de sua boca tomar conta de meu membro duríssimo como ferro.

Ela o colocou na boca e começou uma maravilhosa chupeta. Chupava, lambia, beijava, deixava sua saliva escorrer pelos meus bagos e com muita volúpia me masturbava com sua boca.

Até que um momento ela tirou a boca do meu pau e me disse com uma voz rouca

- Está gostado de ser chupado por sua cunhadinha safada?

- Estou sim Marcia, você é muito gostosa, mas agora pare porque senão vou gozar dentro de sua boca. – quando disse isso, ai sim que ela começo a chupar com mais vontade e volúpia. Acariciava minhas bolas e chupava de uma maneira enlouquecida, até que eu não agüentei mais e soltei toda minha porra dentro daquela boca maravilhosa. Gozei tanto que meu esperma saio pelos cantos de sua boca, mas ela não desperdiçou nada, engoliu tudo e o que sobrou em seu rosto colocou com o dedo para dentro de sua boca novamente.

Ela continuou chupando até meu pau endurecer novamente e ficar a ponto de bala, foi quando eu disse para sentar ao meu lado e fiz o mesmo. Tirei toda sua roupa, e a beijei inteira, cada parte de seu delicioso corpo. Quando cheguei a sua vulva, ela começou a gemer e gritar baixinho.

- Vai, lambe minha boceta, chupa ela vai, humm ai, uuuuuuu..., lambe mais safado...

Marcia tinha um boceta maravilhosa, lábio carnudos e um clitóris muito grande, uma verdadeira delicia que eu me deliciava em chupá-la cada milímetro. Em um dado momento pedi para que ficasse de quatro, e comecei a lambe-la nesta posição, sua boceta ficou mais amostra ainda e seu rabinho empinado. Passei levemente minha língua por aquele maravilho cuzinho que piscava de tesão até aumentar o ritmo. Neste momento eu já estava com 2 dedos dentro da boceta dela e metia-os com força. Ela berrava de tesão, gritava mesmo, gemia muito alto.

Não agüentei mais e meti em sua vulva muito forte, em um estocada só meu pau entrou todo dentro dela que era uma maravilha. A comi por muito tempo nesta posição. Até que ela pediu para subir em cima de mim. Não relutei e a deixei cavalgar como uma puta. Nos beijávamos e nos deliciávamos com aquela situação. Até que ela gozou desesperadamente em meu pau. Senti os seus sucos escorrendo, mas não parei, ai sim que meti com mais força. Troquei de posição ficando tipo papai e mamãe por um bom tempo até ela e eu gozarmos juntos, ao mesmo tempo. Sua cama estava toda molhada com tanto gozo, tanto meu quanto dela e garanto mais dela pois nunca tinha visto um mulher expelir tanto liquido ao gozar quanto minha cunhada.

Ficamos um ao lado do outro nos olhado até que o telefone tocou. Era o tal vendedor que Marcia logo o despachou dizendo que eu não estava mais ali. Nisso me recompus e estava decido em comer seu rabinho.

- Nossa seu tarado, já esta com esta pica dura novamente. O que pensa que vai fazer agora.

- Adivinha só o que eu quero.

- Não consigo imaginar nada – Ela estava se fazendo de desentendida.

Nisso a peguei pela cintura e a coloquei de quatro novamente. Dei minha pica para que ela chupasse e foi o que fez com muito gosto novamente. Pedi para que babasse bastante nela pois iria comer seu cuzinho.

- O meu rabinho não. Isso eu não deixo.

- Mas é só a cabecinha, e você vai gostar, te prometo.

- Bem se você esta dizendo então está bem. – E ela continuou chupando.

Como já estava de quatro lambi seu rabinho mais uma vez e introduzi o dedo indicador para dilata-lo um pouco. Coloquei meu pau na entrada do maravilhoso e apertado cuzinho e comecei empurrando bem devagar. O cuzinho dela foi dilantado até entrar a cabeça do meu pau. Ela soltou um gemido e um gritinho de dor, mas pediu para que eu continuasse pois estava adorando. Fui metendo, metendo até que meu pau estava todo dentro do seu rabo.

Comecei um vai e vem bem lento até ela se acostumar e seu cu se dilatar totalmente. Metia com força e com vontade e ela somente gemia e soltava pequenos grunhidos de dor e prazer juntos.

- Vai Ronaldo mete no meu Cu, vai, vai.....uuuuu....aiiiii. hummmmm.....safado, mete essa vara no meu cu....me come vai....enche meu cu de porra.....vai....mete......hummmmm.....

A essas alturas seu cuzinho estava totalmente aberto e não mais sentia dor, somente prazer, prazer que foi aumentando, aumentado até gozar desesperadamente, soltado gemidos e falando palavrões.

Eu também estava quase gozando, mas agüentei o máximo pois era uma sensação maravilhosa comer o cu da minha própria cunhada era muito bom, muito bom mesmo. Mas não agüentei mais, tirei meu pau para fora de seu rabinho que estava todo aberto e gozei soltando jatos fortes de porra diretamente dentro do cuzinho aberto, e enfiando meu pau dentro novamente daquele rabinho todo melado de porra.

Cai do lado dela desfalecido de tanto prazer e satisfação e ela a mesma coisa, toda melada e totalmente embriagada de tesão.

Me refiz e me levantei da cama e fui até o banheiro, tomei um banho e quando retornei ao quarto a vi dormindo com uma cara de plena satisfação. Me vesti, a beijei mesmo dormindo e fui embora.

Depois deste dia transamos várias outras vezes, inclusive na minha casa durante uma festa, mas está estória eu conto outro dia.

Comentários

10/05/2013 14:54:41
muito bom. 10
21/01/2012 03:28:44
De fato, pareceu tudo muito fácil e artificial.O conto até que e bom, mas se perde no contexto. Nota 8.
12/01/2009 02:02:44
ñ gostei,parece tudo mentira
12/01/2009 02:01:51
ñ gostei
nov
17/04/2008 15:56:12
Que beleza de conto, quisera eu participar junto com vocês dessa fantasia gostosa.
15/02/2007 16:14:53
Cara tbm tem uma cunhada que é um tesao sou louco por ela e ela tem um certo desejo por mim. Só que ainda não tivemos coragem. Parabens voce merece.
Zé Picão
15/04/2005 19:02:46
Gostei pa caraleo do teu conto, pois todo homem tem vontade de comer a cunhada. Nota dez. E tem mais, com o clima rolando quem ia procurar pelo filho dela, só sendo viado!.
Alexandre
13/10/2002 00:28:01
faltou o detalhe do filho da sua cunhada,mas o conto e muito bom,muito detalhista e com bom e sacana dialogos,gostaria de ter uma cunhada tao putinha como esta que da e chupa o marido da irma
DF
10/10/2002 10:59:50
Eu e minha esposa temos um filho e ela nunca quiz provar o meu esperma, muito menos chupar o meu pau.
29/08/2002 22:24:35
bem escrito, face à mrda ke por aki aparece...
gigica
24/08/2002 22:59:57
muito mongo
sangilvin
15/08/2002 11:50:14
gostei prákct!!!!!!!!!!!!!!!!1
eu mermo
12/08/2002 14:54:00
o conto é excitante, parabens. E para o morfeu : o idiota existem até mesmo mulheres de 30 anos que ainda são virgens e só dão o rabo nunca a buceta, quanto mais mulheres que tem nojo de levar esperma na boca.
....
11/08/2002 01:10:26
tu é mó zé.. mente q só a porra..
MWM
09/08/2002 18:29:25
OBRIGADO PESSOAL PELO RECONHECIMENTO. E AOS QUE NAO GOSTARAM, ENTENDO, TODOS TEMOS OPINIÕES....VALEU PESSOALL....
Morfeu
09/08/2002 16:18:02
Quem acredita q uma mulher q ja pariu e tudo o mais nunca fez um boquete e/ou provou esperma?? Nota 1 pela falta de bom senso!
Porsche
08/08/2002 12:06:29
Muito bom o conto, parabéns, nã esqueça de contar a transa na festa depois
OKULTO
08/08/2002 01:47:42
Brother se esse teu konto for verdade puta q pariu q viagem deve ter sido muito foda ta de parabéns
Avassalador
08/08/2002 01:14:37
Excelente conto! Concordo plenamente com as opiniões dos internautas "O Comentarista" e "Virtualover"
O Comentarista
07/08/2002 23:33:03
Ótimo conto. Bem escrito, com narrativa envolvente. Se a história não for verídica, não importa, pois o conto atingiu seu objetivo mesmo assim. Parabéns.
Sombra
07/08/2002 10:49:04
Seu otário! Você esqueceu de dizer que o filho dela estava dormindo ou que estava na creche. Vai ser mentiroso assim.....
Virtualover
07/08/2002 02:30:59
Excelente pela riqueza de detalhes. Quisera os contistas imitassem este autor.
06/08/2002 20:07:18
Bacana!!!
Otembra
06/08/2002 18:28:02
Muito bom esse conto, bem detalhado e muito excitante

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.