Casa dos Contos Eróticos

Feed

Tirei a virgindade do filho de 15 anos do meu Diretor

Autor: denyse
Categoria: Grupal
Data: 08/02/2002 20:57:14
Nota 5.00
Assuntos: Grupal
Ler comentários | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

Como narrei anteriormente, o dia em que cai na besteira de sair com o Diretor da empresa em que trabalho e ele arrumou uma cilada, gravando uma fita de vídeo em que mostrava a transa que tinha feito com ele em um motel da cidade.

Esta "arma" continua usando até hoje, para conseguir atingir seus objetivos que é de ter meu corpo o dia em que quiser e da forma sordida como conseguir fantasiar em sua cabeçinha.

Mês passado estavamos em uma recepção na empresa e conversando com meu Diretor, notava que um menino aparentando ter uns treze anos, não tirava os olhos de mim, não sabia se seus olhares, eram em direção as minhas coxas que estavam quase todas de fora, devido ao vestido curtinho que usava ou se era na direção do meu provocante e generoso decote que deixava a vista metade dos meus seios expostos, visto que não usava nada por baixo neste dia.

Resolvi então aproximar-me dele e matar minha curiosidade. Como se chama? Ricardo, foi sua resposta. Você é parente de alguém que está aqui nesta festa? E para meu espanto e surpresa, sua resposta é de que era convidado do meu Diretor, pois era seu filho mais velho. Quase desmontei na hora, mas me refiz em tempo. Cheguei então em seu pai. Você trouxe seu filho nesta festa? Sim, trouxe para ele te conhecer, pois falo muito de você e daqui a quinze dias será seu aniversário de 15 anos e prometi dar você de presente para ele.

Como é, que é?

É isto mesmo que ouviu. No dia de seu aniversário prometi uma surpresa para o Ricardo, dando uma noite que ele jamais esquecerá, saindo contigo e assim poderá perder sua virgindade transando com uma mulher madura e experiente.

Respondi que já estava indo longe demais com estas aventuras e que não transaria com um menino. Acho que você não me entendeu, para quem tem fitas de vídeo gravadas comigo, com o meu melhor amigo e outra que transou com a esposa dele, adoraria ter na sua coleção uma com um garoto, o que acha? Entendi sua mensagem e fiquei quieta, por dentro estava furiosa, com vontade de esganar aquele crápula, mas não tinha saída estava sob seus domínios.

Passados os quinzes dias sem que ele me procurasse, estava tranquila nestes dias, sem ter falado com o safado e achando que havia desistido da idéia, mas no exato décimo quinto dia que havia me falado, ao entrar na minha sala para trabalhar, encontro na mesa duas caixas de presente e um cartão.

Fui abri-las no banheiro e numa continha um lindo vestido vermelho, que experimenti e havia ficado certinho, meio longo, mas nas duas laterais haviam generosas aberturas que escondiam apenas a marca da calcinha o restante a medida que eu andava, deixava todas minhas grossas coxas de fora. Junto desta caixa um lindo conjunto minúsculo de langerie vermelho que ao prova-lo, eu mesma achei ele muito excitante, pois deixava minha bundinha quase inteirinha de fora e cobria apenas os biquinhos do meu seio. E para terminar na outra caixa, uma linda sandália de salto bem alto vermelho, que combinava com o restanto do conjunto.

Dentro havia um cartão combinando o local e a hora em que eles me apanhariam e para que eu me produzisse de maneira a tornar a noite inesquecível para seu filho.

Cheguei no local e eles já estavam aguardando-me a alguns minutos. Ao descer do meu carro e ir em direção a eles, ficaram me olhando tanto que uma ora até perdi o rebolado com aquele salto alto. Ao entrar dei um beijo no crápula e ele me pediu que desse um beijo na boca do seu filho. Os dois foram me elogiando do local até o motel, o que as vezes me deixava meio encabulada. O menino parecia-me um pouco assustado e ansioso, talvez nervoso por ser sua primeira vez.

Seu pai levou nos ao melhor motel da cidade, que eu particularmente não conhecia e ao entrar fiquei maravilhada e deslumbrada com a beleza do local. O menino saiu de dentro do porta malas que o crápula colocou, para ter não problemas com sua idade de 15 anos.

Fui a primeira a entrar, logo atrás veio o safado do Diretor com sua filmadora na mão, para servir como mais uma prova de traição minha para com meu marido e na porta hesitando para entrar vinha o garoto, que meio apavorado permanecia estático na porta.

Seu pai foi até lá e colocou-o sentado na beira da cama. Filho agora a Denyse começara a desembrulhar seu presente. Foi então que colocou no aparelho de som uma fita cassete com a música do Nove Semanas e Meia de Amor, que a moça dançava de uma forma sensual para o rapaz.

Sem que perguntasse se eu sabia fazer um strip-tease, ordenou que eu tirasse toda a roupa dançando de uma forma bem sensual para seu filhote, desembrulhando então o maior presente que já teve em um aniversário que no caso seria eu inteirinha nua na sua frente.

Meio sem jeito comecei a fazer um strip-tease, pois até então nunca havia feito, insuando para ele ora levantava um pouco o vestido, ora vira de costas para ele ver a minúscula calcinha que marcava na roupa colada em meu corpo que usava. Notei que na calça do garoto formava um volume, com o seu pau já latejando de tesão e o safado do Diretor filmando todos os ângulos e também na sua calça notava o mastro dele sendo erguido.

Abaixei então uma alça do vestido, deixando de fora parte de um seio, virei-me de costas e como as dançarinas que já tinha assistido na televisão virei de costas para ele indo em sua direção, rebolando-me inteira em cima daquele salto alto, até chegar perto do seu corpo e abaixar, ficando de quatro fazendo menção de tirar minha meia calça. Aquela visão para ele era demais, uma mulher rebolando em sua frente, mostrando a marquinha da tanguinha, notava que ele ficava alisando seu pau por cima da calça.

Sai um pouco de perto e de costas, abaixei a outra alça do vestido e fui tirando-o lentamente, deixando para sua visão, minhas costas e a bundinha inteirinha de fora. Virei de frente e agora sua visão era da metade dos meus seios desnudos, mostrando minha marquinha branca do biquini que eu havia tomado sol no fim de semana.

Continuei dançando mais um pouco, agora somente com o meu conjunto minúsculo de lingerie, até que resolvi tirar a parte de cima, deixando livres meus seios, fazendo o garoto ficar babando com aquela visão dos meus biquinhos rosadinhos bem durinhos pois eu também estava muito excitada com toda a dança que fazia.

Para completar virei de costas e fui abaixando lentamente minha calçinha, até meu cuzinho ficar inteirinho de fora e ao virar de frente os dois tiveram a visão maravilhosa de ver minha xoxotinha inteirinha pelada, com os pelinhos bem aparadinhos.

Continuei a dançar até acabar a música, tendo no corpo agora apenas as marquinhas de sol do biquininho que tinha tomado sol no Domingoe com minha sandálias de salto alto vermelho.

Toda esta situação foi demais para os dois, notei que a calça deles estavam molhadinhas, acredito que tinham gozado com aquele strip-tease, que confesso ter surpreendido até a mim, com a performance que eu acabara de fazer.

No próximo conto acabarei de narrar tudo o que aconteceu comigo e como eu acabei tirando a virgindade daquele garoto de 15 anos.

Beijos,

Denyse

Comentários

03/11/2007 07:38:21
ja assistiu dragon ball z parece a sua historia ridicula e mentirosa
01/11/2006 11:13:13
adorei quando minha professora me ensinou a regra de quatro!!
xxx
02/04/2002 19:00:58
A mulher mandou benzão !!!
21/02/2002 16:01:02
Ela escreveu com criança? Pensei que tivesse escrito sozinha!!?!?!?!?!!?!?
Antonio
10/02/2002 01:30:40
deveriam prender, essa gente, que escreve com com crianças
Veio da Roça
09/02/2002 00:43:09
Faaala Dama de bremeio!!!!

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.